Armas Silenciosas

02/05/2015 23:10

 

ARMAS SILENCIOSAS PARA GUERRAS TRANQUILAS

 


(Ou... Como Conduzir o Gado ao Matadouro, sem problemas) 
 
                                            
“Armas silenciosas de Controle Global”
 
O documento seguinte, datado de Maio de 1979, foi encontrado a 7 de Julho de 1986 numa fotocopiadora IBM comprada num leilão militar.
Negligência, ou perda intencional, este documento , por segurança, não tem a marca ou logotipo da organização donde provém. Mas recortes de informações e datas, deixam supor que se trata do “Grupo Bilderberg”.
Armas silenciosas para guerras tranquilas
Pesquisa de operações, manual técnico TM-SW7905.1
Bem vindo a bordo, esta publicação marca o 25ª Aniversário da Terceira Guerra Mundial e foi chamada de “guerra silenciosa” e tem sido levada a cabo utilizando armas biológicas subjectivas.
Segurança
É claramente impossível falar de engenharia social, ou de automatização de uma sociedade, em uma escala nacional ou internacional sem implicar objetivos amplos de controle social e de destruição da vida humana (escravidão ou genocídio).
A presente publicação deve manter-se distante de toda a opinião pública.
Do contrário, poderia ser interpretado como uma declaração formal de técnicas de guerra. 
A solução dos problemas de nossa época requer uma abordagem brutalmente franca, mas sem perturbar os valores religiosos, morais ou culturais.
Você (que esta recebendo isto) foi selecionado para este projeto devido a sua capacidade de olhar para a sociedade humana com fria objetividade, e ainda analisar ou discutir as suas observações e conclusões com capacidades intelectuais semelhantes, sem perder a qualidade de discrição e humildade.
Essas virtudes são exercidas em seu próprio interesse. Não se desvie delas.
Introdução Histórica
A tecnologia de armas silenciosas evoluiu a partir de investigações operativas (Operations research, OR ) uma metodologia estratégica e táctica desenvolvida pelo estado maior militar da Inglaterra durante a segunda guerra mundial.
O objectivo inicial destas investigações era estudar problemas estratégicos e tácticos de defesa aérea e terrestre visando a utilização efetiva de recursos limitados contra os estrangeiros inimigos.
Os que estavam em posições de poder, aperceberam-se que essas técnicas seriam úteis para controlar uma sociedade, mas eram necessários instrumentos melhores.
A engenharia social (análise e automatização de uma sociedade) requer a ligação de uma grande quantidade de informações e dados econômicos em constante mutação , o que significa que um ultra-rápido processamento de dados era necessário para vencer a sociedade e prever quando ela iria capitular.
As calculadoras eram demasiado lentas, mas o computador eletrónico inventado em 1946 por J . Presper Eckert e John W. Mauchly  tornou possível cumprir essa missão.
A seguinte etapa decisiva era o desenvolvimento de uma metodologia de programação por linhas de código em 1947, pelo matemático George B. Dantzig.
Depois, em 1948, o transistor inventado por J. Bardeen, W. H. Battain, e W. Shocley, prometeu um campo de ação para a expansão e evolução rápida do computador graças à redução do espaço e da energia requerida.
Com estas três invenções sob sua direção, os que estavam em posição de poder pressentiram fortemente que era possível para eles controlar o conjunto do mundo apertando um botão.
Imediatamente, a Fundação Rockfeller pôs isto em execução subvencionando um ciclo de estudos de 4 anos no Harvard College, criando o Harvard Economic Research Project para estudar a estrutura da economia americana.
Um ano mas tarde, em 1949, a US Air Force juntava-se ao projecto.
Em 1952, o período de estudos termina, e um encontro de alto nível da Elite foi levado a cabo para determinar a seguinte fase de investigações em operações sociais.
O Projeto Harvard deu muitos frutos e alguns destes resultados foram publicados em 1953, sugerindo a possibilidade de uma “engenharia sócio-económica” ("Studies in the Structure of American Economy" (1953), de Vassili Leontief diretor of Harvard Economic Research Project).
A “Guerra Silenciosa” foi calmamente declarada pela “Elite Internacional” em 1954.
Energia... é reconhecida como a chave de todas as atividades sobre a Terra.
As ciências naturais estudam as fontes de energia natural, e as ciências sociais, expressas teoricamente através da economia, estudam as formas de controle da energia social.
Ambos são sistemas de contabilidade (financeiros).
Em conseqüência, a matemática é a “primeira das ciências da energia”.
Toda a ciência é essencialmente um meio para um objectivo.
O meio (estratégia) é o conhecimento.  O objectivo é o controle. Mas... Quem será o beneficiário?
Em 1954, esse era o tema de preocupação principal.
Conquanto fossem relevadas questões morais, desde o ponto de vista da lei da selecção natural, foi admitido que uma nação ou mesmo a população mundial, se não utilizassem sua inteligência não seriam melhor do que animais que não têm inteligência. Tais pessoas são animais domesticados por escolha (deles mesmos) e consentimento.
Em conseqüência do interesse no “futuro da ordem mundial” bem como de sua paz e de sua tranqüilidade, foi decidido levar a cabo uma guerra silenciosa contra o público americano com o objetivo ultimo de transferir a energia social e natural da massa indisciplinada e irresponsável para as mãos de alguns poucos autodisciplinados, responsáveis e dignos.
A fim de conseguir tal objetivo, foi necessário criar, proteger e utilizar novas armas tão sutis e sofisticadas em seu princípio de funcionamento e em sua aparência publica que obtiveram o apelido de "silent weapons” (armas silenciosas).
Em conclusão, o objetivo da investigação econômica levada a cabo pelos dirigentes do capital (os bancos) e das indústrias de bens e serviços era o estabelecimento de uma “economia previsível e manipulável”.
”A fim de atingir uma economia totalmente previsível, os elementos das classes inferiores da sociedade devem ser levados por um controle total, isto é ser adestrados, submetidos a jugo, e lhes ser atribuído um dever social de longo prazo desde uma idade precoce, antes que possam se questionar a respeito.”
Para se chegar a tal, a célula familiar das classes inferiores deve ser desintegrada  por meio de excesso de preocupações (e ocupações) por parte dos pais.
“A educação dada às classes inferiores deve ser de pior qualidade, de maneira que o abismo da ignorância que isola as classes inferiores das classes superiores seja e permaneça incompreensível para as classes inferiores.”
Com tal incapacidade, mesmos os melhores elementos das classes inferiores têm pouca esperança de livrar-se do lote que lhes foi atribuído na vida.
Esta forma de escravatura é essencial para manter um verdadeiro nível de ordem social, paz e de tranqüilidade para as classes superiores governarem.
Introdução descritiva das armas silenciosas
Estas armas disparam situações ao invés de balas; são acionadas por processamento de dados, em vez de reação química (explosão), são originárias de bits de dados, em vez de grãos de pólvora, são lançadas de um computador, em vez de uma espingarda, são operadas por um programador de computador, ao invés de um atirador, estão sob ordens de um magnata bancário, em vez de um general.
Essas armas não produzem ruído de explosão evidente (são silenciosas), não causam dano físico ou mental aparentes, nem interferem de maneira evidente com a vida cotidiana social de cada um.
No entanto, ela faz um "barulho", inconfundível, causa danos físicos e mentais profundos e interfere na vida social cotidiana, ou seja, inconfundível para um observador treinado, que sabe o que procurar.
O público não pode compreender esta arma e então não vê que está sendo atacado e submetido por ela. 
O povo pode “sentir instintivamente” que algo não vai bem, mas em razão da natureza técnica desta arma silenciosa, não pode expressar seu sentimento de maneira racional, ou tomar em mãos o problema com inteligência.
Em conseqüência, não sabe como gritar por ajuda e não sabe como organizar-se com outros para defender-se.
Quando uma arma silenciosa é aplicada gradualmente, as pessoas se ajustam, adaptam-se à sua presença, e aprendem a tolerar suas repercussões sobre suas vidas até que a pressão psicológica, via financeiro, torna-se demasiado grande e então sucumbem.
Em conseqüência, a arma silenciosa é um tipo de arma biológica.
Ela ataca a vitalidade, as opções e a mobilidade dos indivíduos dentro da sociedade, manipulando e atacando as suas fontes de energia (riquezas) sociais e naturais, bem como drenando suas forças e explorando debilidades físicas, mentais e emocionais.
Introdução Teórica
"Dai-me o controle sobre a moeda de uma nação, e não terei por que me preocupar com aqueles que fazem suas leis." Mayer Amshel Rothschild (1743-1812)
A tecnologia atual das armas silenciosas é uma extensão de uma idéia simples,  descoberta e sucintamente expressada e efectivamente aplicada por Mayer Amshel Rothschild.
O Sr. Rothschild descobriu o componente passivo faltante à teoria econômica, conhecida sob o nome de “indução econômica”.
Obviamente, ele não pensou sobre a sua descoberta nos termos do século 20, pelo que a análise matemática teve que esperar a segunda revolução industrial, a chegada das teorias físicas e eletrônicas, e finalmente a invenção do computador antes que ela pudesse ser efetivamente aplicada no controle da economia mundial.
Rothschild descobriu foi o princípio básico do poder, influência e controle sobre as pessoas quando aplicado à economia.
Este princípio é "quando você assume a aparência de poder, as pessoas logo o entregam a você".
O Sr. Rothschild tinha descoberto que o dinheiro e as “contas de crédito sobre depósito” tinham a necessária aparência do potencial que podia ser utilizado para induzir às pessoas a trocar suas riquezas reais por uma promessa de riqueza maior.
Eles colocariam a garantia real em troca de um empréstimo de notas promissórias.
O Sr. Rothschild descobriu que poderia emitir mais notas do que ele tinha em fundos, desde que ele tivesse ações de uma pessoa em ouro como um persuasor para mostrar aos seus clientes. Assim ele “emprestou” suas notas promissórias para indivíduos e para alguns  governos.
Isto criaria excesso de confiança.  Então ele fez o dinheiro escasso, apertou o controle do sistema, e recolheu a garantia através da obrigação de contratos.  O ciclo foi repetido e repetido.  
Essas pressões poderiam ser utilizadas para inflamar uma guerra e então ele ele controlaria a “disponibilidade de moeda” para determinar quem iria ganhar a guerra.
governo ou o país que concordasse em dar a ele o controle do seu sistema econômico teria o seu apoio.
Nesta estrutura, o crédito é apresentado como um elemento puro chamado "moeda" e tem a aparência de capital, mas é na realidade um “capital negativo”.
Para estes a “guerra é o equilíbrio do sistema”  pois mata os verdadeiros credores (o público, ensinado a trocar o valor verdadeiro por moeda inflacionada).
A “chave final” para o controle econômico teve que esperar até que houvesse dados suficientes e de alta velocidade e equipamentos de informática para vigiar de perto as oscilações econômicas criadas pelo "price-shocking" (tipo inflação). 
Uma Descoberta Decisiva
O campo da indústria aeronáutica teve uma grande evolução em sua engenharia mediante a teoria matemática do "choque-testing".
Neste procedimento, um projétil é disparado a partir de um avião para terra (solo), e a impulsão do retrocesso (do avião) é medida por sensores de vibrações localizados no corpo da aeronave, conectados a registros gráficos.
Estudando o eco ou as refracções do impulso de retrocesso sobre o avião, é possível descobrir as vibrações criticas na estrutura do mesmo. 
Desde o ponto de vista da engenharia, isto significa que as forças e as debilidades da estrutura do avião em termos da energia vibratória podem ser descobertas e manipuladas.
Aplicação à economia
Para utilizar o  "choque testing" na engenharia economia, os preços dos produtos são submetidos a um choque, e a reação do publico é uma medida.
O eco resultante do choque econômico é interpretado teoricamente pelos computadores e a estrutura psico/financeira é assim descoberta.
A partir da resposta do “lar-família”, o manejo dos choques futuros pode ser previsto e manipulado e a sociedade converte-se então num gado bem regulado,  sob o controle de um sofisticado sistema financeiro controlado por computador.
Finalmente, cada individuo da estrutura, ficará sob o controle de um computador central através da identificação de suas preferências pessoais, esta informação é estendida pela associação de códigos de barra com a identificação exata do consumidor  (através do cartão de crédito, e mas tarde com uma tatuagem permanente (ou um chip) sobre o corpo, com um número invisível sob a luz ambiente comum).
Indução econômica
Um “inductor eléctrico” tem uma corrente eléctrica como primeiro fenômeno
e um campo magnético como segundo fenômeno (inércia).
Na economia isto corresponde a um fluxo de valor econômico como primeiro fenômeno  e um campo de população como segundo fenômeno de inércia.
Quando o fluxo de valor econômico (isto é o dinheiro) diminui, o campo de população humana desaparece com o objectivo de permitir ao valor econômico de seguir circulando (caso extremo: guerra).
Por exemplo, estabeleceu-se que existe uma relação quantitativa mensurável entre o preço da gasolina e a probabilidade de que pessoa sofra de dor de cabeça, sinta vontades de ver um filme violento, fumar um cigarro, ou ir a um bar para tomar cerveja.A forma a mais simples de amplificador econômico é um instrumento chamado “publicidade e propaganda”.
Se uma publicidade televisiva se dirige a uma pessoa como se ela tivesse 12 anos de idade, então, em razão da sugestibilidade, ela terá uma resposta ou uma reação tão desprovida de sentido critico como aquelas das pessoas com 12 anosde idade.
Consentimento, a primeira vitória
Um sistema de arma silenciosa opera a partir de dados (informação) obtida de um publico dócil por meios legais.
Tanta informação se acha disponível hoje para os “programadores” de sistemas de armas silenciosas através da “receitas federais”.
A informação consiste na entrega obrigatória de dados bem organizados contidos nos formulários de impostos federais ou nacionais, colectados, sistematizados, e apresentados pelos mesmos pagadores de impostos e os empregados.
Ademais, o número de tais formulários entregues é um indicador útil do “consentimento do publico”, um factor importante na tomada de decisão estratégica.
Base psicológica
Quando o governo é capaz de cobrar os impostos e tomar a propriedade privada sem justa compensação, é uma indicação de que o público está pronto para se render e está consentindo na escravização e na invasão legal.
Um bom indicador disto é o número de cidadãos públicos que pagam imposto de renda, apesar da evidente falta de serviço recíproco e honesto do governo que cobra.
Diversão (entretenimento) a primeira estratégia
A experiência tem demonstrado que “o método mais simples de obter uma arma silenciosa e ganhar o controle do público é de manter o público indisciplinado e ignorante dos princípios básicos do sistema, por um lado, enquanto o mantém confuso, desorganizado e distraído com assuntos sem real importância, por outro lado”.
Isto é obtido com:
1 - descomprometendo suas mentes e espíritos ; sabotando suas atividades mentais; Provendo programas educativos de baixa qualidade e desmotivando a criatividade.   (Mais a lavagem cerebral que a TV opera todos os dias.)
2 - Comprometendo as suas emoções, aumentando o seu egocentrismo e o seu gosto pelas atividades emocionais e físicas:
(multiplicando as suas afrontas e ataques emocionais (estupro mental e emocional), através da torrente constante de sexo,   violência e guerras na mídia - especialmente a TV e os jornais) ou (dando-lhes o que eles desejam - em excesso - "junk food" para o espírito, e privando-os do que realmente precisam).
3 - Reescrevendo a História e a Lei, e submetendo ao publico a distrações, de forma a ser capaz de deslocar seus pensamentos sobre suas necessidades pessoais para prioridades externas altamente fabricadas (artificiais).
Isto impede seu interesse e descoberta das “armas silenciosas” e da tecnologia de “automação social”.
A regra geral é que há lucro na confusão; mais confusão, mais lucro. Portanto, a melhor abordagem é criar problemas e depois oferecer soluções.
Trabalho (empregos)
Manter o povo ocupado, ocupado, ocupado, sem tempo para pensar, de volta à granja com os demais animais.
Manter o publico ignorante = Menos organização publica
Criar preocupação e inquietude = Menos defesas
Atacar o núcleo familiar = Controlar a educação da juventude
Reduzir a liquidez e dar mais créditos ou indenizações = deixar fazer, deixar passar e prover-se de mais dados da família (certidões de nascimentos e casamentos) nome de amigos, sócios, adesão a associações,  afiliação política. (Jomarion... redes socias de hoje e aplicativos, serviços de internet e sites que exigem “cadastro”)
O Cadastro Pessoal
Costumes pessoais de compra, cheques bancários, compras por cartão de crédito, compras por cartão de crédito "marcados",  associação do cartão de crédito com código de barra dos produtos... etc.
Posses (ativo)
Conta corrente, cadernetas de poupança, depositos em caixa forte de banco, aplicações, imóveis e automóveis
Debitos e Dividas (passivos)
Empréstimos bancarios, créditos de consumo, cheque especial, financiamentos, cartões de crédito. 
Fontes governamentais
Ajudas sociais, segurança social, índenizações ou subsídios de desemprego, subvenções e bolsas, censos, aposentadorias.
Comportamentos adaptativos
Consumo de álcool, drogas, entretenimento, espetáculos, fatores religiosos influenciando o comportamento, etc
Sensibilidade política
Convicções, contatos, ativismo social, engajamento,  etc...
Controle do comportamento
Registro em tribunais, processos verbais (policiais), infracções de transito, denúncias e processos policiais, etc, 
Criação de situações controladas, manipulação da economia e da sociedade
- oferecer oportunidades  - destruir oportunidades
- controlar o meio económico
- controlar a disponibilidade de matérias primas
- controlar o capital  - controlar as taxas bancárias
- controlar a inflacção da moeda - controlar a posse da propriedade
- controlar a capacidade industrial - controlar a disponibilidade dos bens de consumo
- controlar o preço dos bens de consumo - controlar os serviços, a força de trabalho, etc.
- controlar os pagamentos aos servidores públicos de governo
- controlar as funções jurídicas - controlar as bases de dados pessoais
- controlar a publicidade - controlar o contacto com os meios
- controlar o material disponível para a recepção de sinais TV
- distrair o atendimento dos problemas reais
- fomentar as emoções  - criar desordem, caos e alinhamento mental
- controlar a elaboração de formulários de impostos mais detalhados
- controlar o armazenamento de informação
- desenvolver análise e perfis psicológicos sobre os indivíduos
- controlar os factores sociológicos - controlar as possibilidades de riqueza
- fazer do débil uma presa  - neutralizar lhes forças
- succionar a riqueza e a substância
Em resumo, o comportamento do publico é dominado pelo medo, desânimo e entrega.
Muitas pessoas desejam submeter e/ou mesmo matar outros seres humanos que os molestam ou perturbam em suas vidas cotidianas, mas não querem enfrentar os problemas morais e religiosos resultantes de tal ato.
Em conseqüência, eles delegam o trabalho sujo a outros para manter o sangue afastado das suas mãos.
Alguns extasiam-se ao “salvar animais” dos humanos e depois sentam-se diante dum delicioso hambúrguer num bar fora da vista dos demais .
Mas, ainda mais hipócritas, eles pagam impostos para financiar uma associação de profissionais de homens celebres coletivamente chamados “políticos” e depois queixam-se da corrupção no governo
(Nota do editor: Tal comportamento contraditório é altamente incentivado pela elite dominante através da dissociação mental provocada em nós por ameaças veladas somadas a mentiras, ocultamentos, duplo-pensar , manipulações e programas para dividir a mente e nos tornar superficiais e confusos, desde tenra idade. Acabamos por concluir que o mundo é caótico e nada ou pouco se pode fazer. Aceitamos tais mensagens como verdadeiras porque cremos numa “autoridade” [pai-mãe-professore-sociedade, etc] e seguimos exemplos: se eles estão dizendo, quem sou eu para contestar? Esta crença é um dos obstáculos ao contato com nossa própria intuição e percepção)
Já que a maioria do publico ordinário não exercerá uma restrição, há duas alternativas para reduzir a inductabilidade econômica do sistema :
1) Deixar o povo matar-se na guerra, o que teria como único resultado a destruição da vida sobre regiões da Terra.
2) Tomar o controle do mundo por meio da utilização de " armas silenciosas " econômicas  sob a forma de uma "guerra calma", e reduzir a inductabilidade econômica a um nível seguro, mediante um processo de “escravatura e genocídio”.
Algumas citações para reflexão... 
"Em política, nada ocorre por acaso. Cada vez que um acontecimento surge, pode-se estar seguro que foi previsto para levar-se a cabo dessa maneira."  Franklin D . Roosevelt  Presidente dos Estados Unidos (1933 a1945)
"O mundo divide-se em três categorias de pessoas: 
1) Um pequeno número que produz acontecimentos, 
2) um grupo um pouco maior que assegura a execução dos planos e observam como acontecem,
3) e por fim uma ampla maioria de não sabe nunca o que ocorreu em realidade "   Nicholas Murray Butler  Présidente da Pilgrim Society, membro da Carnegie, membro do CFR (Conselho para as Relações Externas, Council on Foreign Relations)
Números para refletir... 
Segundo um Relatório do Programa das Nações Unidas pelo Desenvolvimento (PNUD):
As 3 pessoas mais ricas do mundo são tão ricas como os 48 países mais pobres.
A riqueza das 84 pessoas mais ricas do mundo supera o produto interno bruto da Chinesa com os seus 1,2 milhões de habitantes.
As 225 pessoas mais ricas dispõem de uma fortuna equivalente ao rendimento anual acumulado do 47% do total de indivíduos mais pobres do planeta, isto é mais de 3 milhões de pessoas.
Segundo o mesmo organismo de Nações Unidas, seria suficiente menos de 4% da riqueza acumulada destas 225 maiores fortunas mundiais (avaliado em mais de 1.000 bilhões de dólares) para dar a toda a população do planeta acesso às necessidades básicas e acesso aos serviços elementares: saúde, educação, alimentação.
(Informe ONU - PNUD 1998 - disponível em Economica, 49, rue Héricart, 75015 Paris)
Nos Estados Unidos, os 100 mais importantes Chefes de empresa (Gerentes Gerais) ganham cada um de média 1000 vezes mais do que os seus empregados "ordinários".
Em 2002, George W. Bush decidiu um aumento dos gastos militares de 40 milhões de dólares. Só este aumento do orçamento militar americano representa exatamente a quantidade de dinheiro necessário para resolver definitivamente o problema da fome no mundo. (segundo estimativas da ONU)
Fontes:
http://holosgaia.blogspot.com
http://perso.wanadoo.fr/metasystems/ES/Topics.html
Tradução para português e comentários adicionais: Silvio do www.realidadeoculta.com
Texto revisado e melhorado por Jomarion

Contato

 

11:11

UMA ALAVANCA PRÉ CODIFICADA COLOCADA EM NOSSA MEMÓRIA CELULAR ANTES DE VIRMOS AO PLANETA TERRA.

QUANDO ATIVADA SIGNIFICA QUE O NOSSO TEMPO DE CONCLUSÃO NO LIMITE, NA DOR E NO SOFRIMENTO ESTÁ PRÓXIMO.

 

Mestre Adama de Telos
 

 

                

INDIGOS

* Reconheço que tenho um lugar no plano divino, onde me encaixo perfeitamente e o estou ativando agora!

* Reconheço e aceito o potencial que a Terra tem para apoiar meu crescimento espiritual e me disponho a cooperar com ela de todas as maneiras possíveis agora!

Jomarion... Assinatura Pleiadiana

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Novo catálogo

Este catálogo está vazio.

Etiquetas

A lista de etiquetas está vazia.