Atenção leitores...

Procurem saber a verdade sobre a VENEZUELA, não é como estão contando. TV BAND está chamando o presidente eleito da Venezuela de “ditador” em todos os noticiários.

É proposital, a BAND está alinhada com a “tralha neoliberal” que tomou o governo brasileiro de assalto (começou com o impeachment da Dilma) e vai acabar com as classes média, média baixa e classe “C” com a reforma infame da Previdência.

Após a morte de Boechat entrou um jornalista arrogante, antipático, contra o povo  e “puxa saco” dos neoliberais de ultra direita que privilegiam as elites mundiais – Panunzzio não tem capacidade para substituir Boechat!

EUA , escancaradamente, querem o petróleo da Venezuela (maior reserva do mundo hoje) e nosso presidente-palhaço, quer “ajudar”! EUA jogou sobre a Venezuela o maior embargo da História e está “proibindo” outros países de negociar com a Venezuela.

Querem fazer da Venezuela uma “nova Síria”, financiando grupos traidores do país, invasões, fomento de guerra civil interna e isto pode acabar em III Guerra Mundial (com ajuda de Bolsonaro) tá bom para o Brasil? O que esperavam de um candidato debilóide que fez campanha com a “arminha” apontando para todos? Acorda Brasil enquanto há tempo!

Oito (8) declarações de Maduro à BBC

1. "Temos problemas? Claro, mas a Venezuela não é um país de fome. Tem altos níveis de nutrientes e acesso à alimentação"

2. "Nós temos números oficiais e não passam de 800 mil os venezuelanos que saíram nos últimos anos buscando alternativas"

3."É preciso levar em conta a guerra econômica e a perseguição financeira a que estamos sendo submetidos. Perseguiram cada conta que tínhamos e isso impactou a realidade econômica"

4. "Nenhum país do mundo aguentaria uma inflação de 1.000.000%"

5. "Ganhamos 23 eleições de 25. É preciso se perguntar por que os esquemas mentais que vocês trazem do norte não funcionam na Venezuela"

6. "Não são 50 (países que reconhecem a presidência de Juan Guaidó). É uma dezena de governos, não de países, que estão alinhados com a política de Donald Trump"

7. "Jamais houve nem haverá repressão"

8. "Pode me dizer quanto custa 1 kg de queijo na Venezuela?"

Lido em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-47225228

21.2.19

A reforma da Previdência é o primeiro grande ataque ao povo brasileiro

(Carta Capital)

*Bolsonaro e Paulo Guedes querem instituir o modelo de capitalização copiado do Chile, campeão continental de suicídio entre idosos*

*Rodrigo Maia, entusiasta da reforma da Previdência, chegou a manifestar preocupação com a iminente demissão do ministro (Bebiano)... dias depois de afirmar que “qualquer um trabalha hoje em dia até os 80 anos”*

A proposta de reforma da Previdência de Paulo Guedes e Bolsonaro chega ao Congresso Nacional nesta quarta-feira 20, em meio a uma crise envolvendo o agora ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno. O ex-presidente do PSL é acusado de ser o responsável por um esquema de desvios de recursos do fundo eleitoral em Pernambuco, onde mais de 400 mil reais foram destinados a candidaturas inexpressivas, numa clara operação de utilização ilegal do dinheiro que deveria ser destinado obrigatoriamente a candidaturas femininas.

A demissão do ministro tomou ares de folhetim, com a interferência do filho mais novo de Bolsonaro, Carlos, e ataques de Bebianno nas redes sociais e imprensa ao presidente que ajudou a eleger. Detentor de informações privilegiadas, o ex-homem forte do PSL tem feito ameaças veladas a Bolsonaro e se diz desapontado com o tratamento que vem recebendo.

Em meio à instabilidade, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, entusiasta da reforma da Previdência, chegou a manifestar preocupação com a iminente demissão do ministro. Dias depois de afirmar que “qualquer um trabalha hoje em dia até os 80 anos”, Maia veio a público dizer que a crise poderia trazer dificuldades para a aprovação da reforma. Para aprovação, a PEC precisa de maioria qualificada (três quintos) na Câmara e no Senado.

Mas na verdade, Maia sabe que a reforma é de difícil aprovação com ou sem crise no ministério de Bolsonaro. Isso porque, além de atacar direitos dos trabalhadores e aposentados, a reforma coloca os congressistas em contradição com suas bases eleitorais, já que a proposta é ainda pior que aquela enviada pelo então presidente Michel Temer ao Congresso Nacional. A proposta do ex-presidente previa uma idade mínima para aposentadoria idêntica à de Bolsonaro (62 anos para mulheres, 65 para homens), mas um período de transição de 20 anos. Na proposta de Paulo Guedes, a transição é de apenas 12 anos.

O texto ainda não é público e outros temas como a situação dos militares, ajustes no Benefício de Prestação Continuada (BPC) e a relação entre trabalhadores urbanos e rurais também devem ser objeto do texto que chega ao Congresso Nacional essa semana. Seja como for, o objetivo do projeto final de Paulo Guedes e Bolsonaro é reduzir de forma considerável o alcance do regime de colaboração e instituir o modelo de capitalização, copiado do Chile, campeão continental de suicídio entre idosos.

O modelo de capitalização é uma espécie de poupança individual. O trabalhador define o percentual de contribuição e por quanto tempo, assim como na previdência privada. Esse é o objetivo final de Guedes: criar um regime de previdência pública tão parecida com a previdência privada que faça com que os trabalhadores gradualmente optem pelos produtos ofertados pelo mercado, ao invés do INSS. Essa proposta, aliás, foi elaborada por entidades ligadas ao sistema financeiro por meio da FIPE e entregue, já pronta, a Paulo Guedes, conforme atesta matéria do jornal Valor.

Os dados demográficos mostram que, de fato, o envelhecimento é uma realidade que requer planejamento do governo. Já o chamado “rombo da previdência”, mencionado como um mantra por “especialistas” da grande imprensa, é resultado de políticas pró-mercado que desequilibraram as contas públicas. Não é, portanto, um ato da natureza, mas efeito de opções políticas equivocadas de todos os governos nos últimos 30 anos.

Além de rever as desonerações, um governo que quisesse retomar a saúde financeira da Seguridade Social deveria também iniciar um grande programa de cobrança dos caloteiros da previdência. São quase R$ 500 bilhões em dívidas de empresas com o governo. Algumas delas faliram, mas a maioria está em atividade. Cobrando essas dívidas – através, por exemplo, de um programa de renegociação – o governo arrecadaria mais recursos para a Previdência.

Mencionamos aqui apenas três medidas básicas que poderiam enfrentar o problema do déficit artificial criado na Previdência: fim da DRU, revisão das desonerações em folha e cobrança dos caloteiros do INSS. Tudo sem penalizar os aposentados ou trabalhadores. Se além disso o governo revisse o sistema de aposentadorias das Forças Armadas e do Judiciário, sobrariam recursos.

Diante da proposta de destruição da previdência, será preciso denunciar a farsa montada para justificar os ataques às aposentadorias, mas também, apresentar medidas concretas para demonstrar que o sistema de colaboração é viável. Tudo isso em meio à mobilização de rua em defesa dos direitos.

Por Juliano Medeiros, presidente nacional do PSOL

Ler na íntegra: https://www.cartacapital.com.br/opiniao/a-reforma-da-previdencia-e-o-primeiro-grande-ataque-ao-povo-brasileiro/

 

Previdência de Bolsonaro “vai beneficiar o capital e provocar um genocídio” 

(Flavio Dino – PcdoB)

Governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), reagiu com fortes críticas à proposta de Reforma da Previdência levada nesta quarta-feira (20) ao congresso por Jair Bolsonaro (PSL).

Para ele, o modelo, que deixou de fora os militares vai prejudicar os mais pobres, principalmente os que dependem do Benefício Prestação Continuada (BPC), pois a idade mínima passará de 65 para 70 anos para remuneração do mínimo. “O regime de capitalização no Brasil é um escândalo. Vai beneficiar o capital e provocar um genocídio”, afirmou.

Pelo Twitter, Dino também criticou a obrigatoriedade de contribuição do trabalhador rural de R$ 600 por ano. “Sabe-se que no Brasil não há excedente produtivo para o pequeno agricultor. Os grandes têm seguro safra. Os pequenos, não”.

Para ele, a proposta tem fortes medidas contra os mais pobres e mais frágeis.

“Menciono a exigência de contribuição de 600 reais dos trabalhadores rurais e o aumento da idade para 70 anos nos casos de idosos pobres poderem receber 1 salário mínimo”.

(Jomarion... muitos idosos no fim da vida receberão 400,00 de aposentadoria)

Proposta de reforma da previdência do Governo Federal, infelizmente, tem fortes medidas contra os mais pobres e mais frágeis. Por exemplo, idosos pobres, trabalhadores rurais, pessoas com deficiência.

Lido em: https://www.revistaforum.com.br/flavio-dino-previdencia-de-bolsonaro-vai-beneficiar-o-capital-e-provocar-um-genocidio/

Bolsonaro, aposentado aos 33 anos, não tem autoridade para mexer na Previdência

Afastado do Exército com míseros 15 anos de serviço, ele ganha R$ 9.135 - 63% - acima do teto do INSS mais...

Para quem esperava participar de uma sessão memorável, a aparição relâmpago de Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados, na manhã desta quarta feira, 20 onde compareceu para entregar oficialmente a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Reforma da Previdência, foi o anticlímax.

Desgastado pelo constrangedor festival de mentiras e manipulações que resultou na demissão do ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno, Bolsonaro entrou mudo e saiu calado do prédio que frequentou nos últimos 28 anos como um obscuro e improdutivo parlamentar, evitando qualquer contato com a imprensa.

Ao contrário do que se esperava, “meu capitão”, como o chama mesmo depois da humilhação Bebianno, cancelou a ideia de fazer um pronunciamento público no plenário, em defesa do projeto.

Optou por entregá-lo, a portas fechadas, no gabinete do presidente da Câmara, Cesar Maia, na presença do presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e de um punhado de representantes dos partidos que apoiam o seu governo no Congresso.

Ali, Bolsonaro fez uma espécie de “mea culpa” afirmando que errou ao ter se posicionado contra a reforma quando era deputado federal, alegando desconhecimento da real situação da Previdência.

Na cara dura, fiel ao seu estilo mistificador, se esqueceu que durante a campanha eleitoral do ano passado afirmou mais de uma vez que o desequilíbrio nas contas públicas não tinha qualquer relação com Previdência.

Num extremo de retórica, chegou, mesmo, a praticamente jurar que jamais atuaria para levar miséria aos aposentados por exigência do mercado financeiro.

Ao estelionato eleitoral, praticado para engambelar e angariar os votos dos eleitores que viriam a ser prejudicados pela reforma, soma-se a má consciência do capitão ao aceitar a proposta elaborada por seu “Posto Ipiranga” – o ministro da Economia Paulo Guedes.

Resumidamente, a PEC, que precisará passar pela aprovação na Câmara e no Senado, estabelece que os brasileiros que ganham acima de um salário mínimo precisarão contribuir por 40 anos para conseguir aposentar-se com 100% do salário-teto do INSS, atualmente de R$ 5.839, além de fixar a idade mínima de 62 anos para as mulheres e 65 anos para os homens.

Seguramente, um motivo de constrangimento das novas regras para Bolsonaro vem de sua própria história.

Afinal, desde que foi afastado das fileiras do Exército, em 1988, com apenas 15 anos de serviço e 33 anos de idade, o atual presidente passou a receber uma aposentadoria de capitão, que hoje chega a R$ 9.135 mensais, 63% acima do teto do INSS.  Ou seja, Bolsonaro recebe esse benefício, ao qual já tem direito de acrescentar uma aposentadoria após 28 anos de mandato parlamentar, de aproximadamente R$ 27 000, além dos R$ 30.934 dos proventos de presidente, há nada menos de 31 anos.

E a julgar pela expectativa de vida para os brasileiros na faixa dos 60 anos de idade, que chega a 82,3 anos, de acordo com o IBGE, Bolsonaro, nascido em 1955, continuará, em tese, a receber a aposentadoria como capitão ao menos pelos próximos 18 anos.

Sem dúvida, caso se confirmem, essas quase seis décadas de benefício contínuo do Exército serão um recorde que, por mais que aumente a longevidade da população brasileira, jamais será batido por qualquer contribuinte enquadrado nas novas regras da Previdência Social propostas pelo governo dos homens de bem.  Vai para o Guiness ou não vai?

Miguel Enriquez, DCM  (Diario do Centro do Mundo)

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/02/reforma-da-previdencia-bolsonaro.html

Reforma da Previdência: pensionistas poderão receber menos que 1 salário mínimo

 

Se você é pensionista ou conhece alguém que seja, é preciso ficar atento: proposta de reforma da Previdência apresentada por Bolsonaro reduz o valor do pagamento do benefício para pensões por morte e incapacidade permanente

A proposta de reforma da Previdência reduz o valor do pagamento do benefício para pensões por morte e incapacidade permanente. Pelas regras em vigor, o pensionista do regime geral da Previdência recebia 100% do benefício. Caso a reforma seja aprovada, esse valor cairá para 60% para quem deixar um dependente.

Na prática, o beneficiário poderá receber menos que um salário mínimo. As regras valerão tanto para quem é da iniciativa privada quanto para servidor público.

Só terá direito a 100% o aposentado que deixar quatro ou mais dependentes ou no caso de morte por acidente de trabalho, doenças profissionais ou do trabalho. A proposta estipula o pagamento de adicional de 10% aos 60% para quem deixar dois dependentes.

Por exemplo, se o segurado que ganha um salário mínimo (hoje fixado em R$ 998) for casado e tiver um filho, a família receberá 70% do total, ou seja, R$ 698,60 (os R$ 598,80 correspondentes a 60% do valor do salário mínimo mais 10%). Para três dependentes, chegará a 80%. Para quatro, a 90%.

Pensões já concedidas terão seus valores mantidos. Dependentes de servidores que ingressaram antes da criação da previdência complementar terão o benefício calculado sem limitação ao teto do regime geral da previdência.

Técnicos do Ministério da Economia dão entrevista coletiva à imprensa, na manhã desta quarta-feira (20), para explicas os detalhes da PEC.

Por Débora Álvares, Congresso em Foco.

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/02/reforma-da-previdencia-pensionistas.html

Idosos e aposentadoria rural: reforma de Bolsonaro favorece a miséria

 

PEC endurece as regras para trabalhadores do campo, especialmente as mulheres. Fica estabelecida a mesma idade mínima: 60 anos

Na proposta do governo, os idosos miseráveis só poderão pleitear o salário mínimo a partir dos 70 anos. Antes dessa idade, o benefício será de apenas 400 reais.

Embora tenha prometido atingir só o andar de cima, a reforma proposta por Jair Bolsonaro traz uma série de mudanças que prejudica a parcela mais pobre da sociedade.

Um grande exemplo é o benefício de prestação continuada (BPC), oferecido a idosos e deficientes em situação de vulnerabilidade. Pelas regras atuais, os idosos pobres têm direito a receber um salário mínimo a partir dos 65 anos. Na proposta do governo, os idosos miseráveis só poderão pleitear o salário mínimo a partir dos 70 anos. Antes dessa idade, o benefício será de apenas 400 reais.

A PEC também endurece as regras de aposentadoria rural, especialmente para as trabalhadoras. Fica estabelecida a mesma idade mínima para homens e mulheres: 60 anos. Também foi extinto o tempo mínimo de atividade rural, que amparava os trabalhadores sem registro formal. Será substituído por tempo de contribuição (20 anos).

No caso dos segurados especiais, a contribuição incide sobre a produção. A contribuição mínima anual para cada família é de 600 reais.

A aposentadoria por invalidez passará a ser calculada pelo tempo de contribuição. O trabalhador receberá 60% da média dos salários, mais 2% a cada ano que exceder os vinte anos de contribuição. Benefício integral, só nos casos de acidente de trabalho.

As pensões por morte também diminuirão. Até agora, a Previdência oferece 100% da média, desde que não ultrapasse o teto de 5,6 mil reais, e mais 70% do valor que passa desse teto. Com a nova PEC, a taxa cai para 60%, com um acréscimo de 10% por dependente.

Lido em: https://www.cartacapital.com.br/politica/idosos-e-aposentadoria-rural-reforma-de-bolsonaro-favorece-a-miseria/

Maduro anuncia chegada de 300 toneladas de ajuda humanitária da Rússia

Presidente venezuelano, que rejeita doações dos EUA, disse que seu governo pagou pela ajuda que vem do país aliado.

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, anunciou nesta segunda-feira (18) a chegada em breve de 300 toneladas de ajuda humanitária provenientes da Rússia e pagas por seu governo, reiterando seu repúdio à doação de alimentos e medicamentos que a oposição tenta fazer entrar no país.

"Na quarta-feira chegam 300 toneladas de ajuda e assistência humanitária da Rússia", disse Maduro durante um ato do governo transmitido pela TV, detalhado que se tratam de "medicamentos de alto custo".

O presidente, voltou a qualificar como um "show" e "trapaça pega bobos" a ajuda humanitária doada pelos Estados Unidos e outros países a pedido do chefe do Congresso de maioria opositora, Juan Guaidó, que se autoproclamou presidente interino do país.

Maduro destacou que a carga russa vai entrar "legalmente" na Venezuela e foi paga por seu governo.

"Isso sim, a pagamos com dignidade, da Rússia, da China, da Turquia, do mundo inteiro, com a ONU. Temos assistência técnica de todos os organismos da ONU", afirmou.

Maduro antecipou ter aceito a oferta de ajuda "através da ONU" de outros países para o envio de fármacos ou matéria-prima para a produção de medicamentos, que será anunciada nos "próximos dias".

A Venezuela está mergulhada na maior crise política e econômica da história, com grave escassez de medicamentos e uma hiperinflação que encarece enormemente os alimentos. Segundo a ONU, desde 2015, fugiram do país 2,3 milhões de venezuelanos.

Bloqueio na fronteira com a Colômbia

Reconhecido como presidente interino por 50 países, Guaidó prepara mobilizações em todo o país para o próximo sábado para acompanhar voluntários que irão à fronteira em caravanas em ônibus para buscar toneladas de remédios e alimentos na fronteira de Brasil, Colômbia e em Curaçao.

Na fronteira com a Colômbia, alguns caminhões com ajuda humanitária vinda dos EUA ficaram estacionados na ponte Tienditas, que foi bloqueada por tropas do governo de Maduro.

Maduro acusa os Estados Unidos de tentar forçar uma intervenção militar no país, com a ajuda da Colômbia. Ele convocou militares a se organizarem contra uma invasão militar.

Jomarion... com tantos problemas no Brasil, Bolsonaro anuncia ajuda a Venezuela a partir desta semana (?) para tirar a atenção do pais sobre o caso Bebiano...

Lido em: https://g1.globo.com/mundo/noticia/2019/02/19/maduro-anuncia-chegada-de-300-toneladas-ajuda-humanitaria-da-russia.ghtml

19.2.19

Marina Abramovic usa avatar digital em nova performance em Londres

 

*Jomarion... E incrível como a “mídia globalista” promove esta artista satanista escancarada e vende seu produto bizarro como “arte”. (OBS em rosa são de Jomarion)

LONDRES (Reuters) - A artista Marina Abramovic, conhecida por suas performances de longa duração, seu questionamento das fronteiras físicas e mentais e suas interações íntimas com visitantes de galerias, aparece como um avatar de realidade aumentada em uma nova exposição na Galeria Serpentine de Londres (Galeria da Serpente – bastante apropriado... esqueceram de citar os rituais com sangue, bodes e porcos que ela costuma apresentar como arte)

Em The Life, os visitantes usam capacetes especiais de computação que lhes permitem assistir uma performance de 19 minutos de Marina, 72 anos (tortura para os visitantes?) enquanto percorrem a galeria.

“Gosto de irradiar certa energia do meu próprio corpo ao espectador. Então é isso que quero, este tipo de conexão que é realmente material porque estou ali e não estou ao mesmo tempo”, disse a artista nascida em Belgrado.

(Um perigo para os espectadores que ficam expostos a “energia satânica pesada”)

“Se eu realmente conseguir isso, significa que minha performance não termina com meu corpo físico, mas também pode existir em um corpo virtual.” (Como a “imagem da besta”)

Mais de 30 câmeras em movimento foram usadas para criar o avatar, e foram necessárias 10 horas de filmagem para processar cada minuto de sua apresentação.

The Life (A Vida)  fica em cartaz até o dia 24 de fevereiro.

Lido em: https://cultura.estadao.com.br/noticias/artes,marina-abramovic-usa-avatar-digital-em-nova-performance-em-londres,70002727858

O “Jeca Bolsonaro”

Bolsonaro de camisa falsificada, moletom e chinelos

 

“Que presidente é este que veste camisa falsificada de um time e posa no Palácio onde mora como um indigente?”

O presidente Bolsonaro posou para fotos com uma camisa falsificada (não oficial) do Palmeiras e apareceu de chinelos. O jornalista Ricardo Noblat comentou com críticas a postura, perguntando: “Que presidente é este que veste camisa falsificada de um time e posa no Palácio onde mora como um indigente?”. Moleton, chinelos e camiseta, em reuniões de trabalho e em foto oficial não representam estilo humilde, mas falta de senso de Chefe de Estado.

O presidente do Brasil estava numa reunião com ministros e líderes de sua base parlamentar e permitiu duas fotos nestes trajes, com chinelos, calça de moletom, a camisa do Palmeiras e um paletó por cima como se fosse uma foto oficial do governo e mais a foto dele com o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO) também de moleton e chinelos.

As imagens foram divulgadas pela Presidência (a da reunião com a camisa pirata do Palmeiras) e as da reunião com o líder parlamentar pelo próprio major-deputado e da “foto oficial” pelas redes semi-oficiais, como sempre faz, através do twitter, facebook e instagram.

Lido em: https://politicracia.com.br/bolsonaro-de-camisa-falsificada-moletom-e-chinelos/

Atenção blogs e sites alternativos

 

Newsguard tem Como Objetivo Censurar Todos os Meios de Comunicação Independentes

Uma organização obscura de agentes de inteligência, propagandistas e seus peões se uniram para se tornarem o juiz oficial e o júri sobre os 7.500 sites mais influentes da internet. Essa organização, chamada NewsGuard, avaliará todo e qualquer site de notícias e alertará os consumidores sobre sites de notícias independentes "não confiáveis". Os propagandistas da NewGuard analisam cada site e estereotipam seu conteúdo escrevendo um artigo para promover o site ou escrevendo um furo de reportagem para demonizar o site.

Os navegadores da Internet podem baixar o plug-in da NewsGuard para serem atualizados automaticamente em seus dispositivos, alertando-os sobre a confiabilidade dos sites de notícias em tempo real. Os sites aprovados são codificados por cores em verde. Alguns sites podem ser amarelos e outros, como o RT, são banhados em vermelho. Esse sistema de codificação de cores já foi testado e considerado eficaz para evitar a atenção do consumidor para sites que as autoridades não querem que você leia enquanto manipula a atenção para os locais que as autoridades querem que sua mente se envolva.

A operação da NewsGuard é para fazer valer a autoridade pela Internet, ditando quais sites são verdadeiros e quais estão fora dos limites

A NewsGuard já deu notas altas à CNN e à FoxNews, ao mesmo tempo em que denuncia sites de notícias independentes que não repetem o roteiro e a narrativa da mídia do establishment. A NewsGuard é uma regulação manipuladora da informação, uma tentativa de controlar a narrativa sobre tópicos importantes. Ao policiar a internet dessa maneira, o NewsGuard conta à população o que é verdadeiro e o que é pensamento conspiratório. Um dos assessores da NewsGuard, Richard Stengel, apoiou publicamente a necessidade de propaganda doméstica nos EUA. Na época, Stengel estava trabalhando para forçar a conformidade do público com a agenda política do ex-presidente Obama.

A NewsGuard está fazendo lobby junto ao governo estadual e quer incorporar as classificações do site de notícias em cada escola, biblioteca e em todos os smartphones e computadores dos EUA. Essa organização está se reunindo com executivos da indústria tecnológica para incorporar a autoridade da NewsGuard nas mídias sociais. Desta forma, os consumidores serão levados a prestar atenção às fontes oficiais e ignorar sites específicos que foram essencialmente colocados na lista negra. Tudo isso está acontecendo à vista de todos.

A única força que está mantendo as autoridades governamentais e corporativas responsáveis ​​é a mídia independente. A NewGuard é uma ferramenta para destruir a credibilidade e validade de importantes sites de notícias independentes. As narrativas autoritárias da mídia tradicional de elite são frequentemente desacreditadas por novos fatos, pela ciência revisada por pares e pelo testemunho popular que aparece primeiro na mídia independente. Para anular a dissensão e manipular os consumidores, a NewsGuard foi colocada em prática. Os conselheiros da NewGuard incluem funcionários de inteligência e comunicações que trabalharam no governo nas três últimas administrações.

Essa organização também criou um serviço chamado BrandGuard, que direciona os anunciantes a anunciar apenas em sites de notícias aprovados pela NewsGuard. Sites de notícias independentes não aprovados perderão automaticamente a receita de publicidade, ameaçando sua própria sobrevivência. Os sites de notícias que não acompanham as narrativas oficiais serão cortados do financiamento e serão sinalizados pelo sistema de classificação universal da NewsGuard.

Desta forma, os usuários do Twitter, do Google e do Facebook verão primeiro a “história oficial” da imprensa associada, sendo manipulados para fechar os olhos a um jornalismo mais autêntico de fontes de base. Fontes oficiais como a CNN tiveram que retratar inúmeras histórias enganosas sobre a narrativa do conluio russo. O viés da mídia liberal e a agenda corporativa são evidentes, mas essa é exatamente a notícia que a NewsGuard quer que as pessoas consumam. Organizações de notícias como a FoxNews publicam a propaganda mais infundada sobre a medicina natural enquanto promovem intermináveis ​​guerras, mas essa é exatamente a notícia de que os membros da NewsGuard querem que a população seja inundada.

A mídia independente de bandeira vermelha traz perspectiva para os mesmos velhos tópicos políticos de esquerda-direita. Links de mídia independente receberão sinal vermelho para a ciência revisada por pares para explicar novos fatos e descobertas sobre tópicos que geralmente são controlados por empresas farmacêuticas. À medida que as pessoas aprendem a entender sua própria realidade, elas recorrem à mídia independente com sinal vermelho para aprender mais sobre o desperdício, a fraude, o engano e o abuso que ocorrem em lugares altos.

Fontes:
Natural News: Shady “NewsGuard” organization aims to censor all independent media so that false narratives of establishment media can no longer be challenged
Zero Hedge: A New Neocon-Backed Narrative Control Firm Works To Destroy Alternative Media
Collective Evolution: New App ‘NewsGuard’ Promises To Stop Fake News. Have A Look At Who Owns & Funds It
- Zero Hedge: The Council On Foreign Relations Says Domestic Propaganda Is Necessary

Lido em: https://www.anovaordemmundial.com/2019/02/newsguard-tem-como-objetivo-censurar-todos-os-meios-de-comunicacao-independentes.html

17.2.19

Prefeitura de São Paulo contrata Bela Gil e Joice Hasselmann esperneia

 

Prefeitura de São Paulo convida chef Bela Gil para implementar cardápio sustentável nas escolas da cidade. Notícia desagradou a deputada Joice Hasselmann, que protagonizou um espetáculo de ignorância ao comentar a novidade

“... Bruno Covas contratou Bela Gil  p/ fazer o cardápio p/ as escolas públicas?! As crianças serão vegetarianas? São 2 milhões de refeições por dia (!) q virão c/lentilha, bolinho de grão-de-bico, ervilha e proteína de soja. Os pais, médicos e crianças foram ouvidos?..."

A Secretaria Municipal de Educação instituiu no começo deste ano letivo, que teve início no dia 4 de fevereiro, um cardápio sustentável que será implementado progressivamente nas unidades de ensino da capital.

Com ingredientes vegetarianos, a iniciativa foi feita em parceria com a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) e conta com a ajuda da chef de cozinha Bela Gil, que colaborou na seleção das comidas.

O projeto contempla seis receitas: lentilha, preparo básico de proteína de soja, e quatro tipos de bolinhos (feijão preto, grão de bico, ervilha partida e de proteína de soja). .

Segundo o ex-secretário municipal de Educação, Alexandre Schneider, essa política pública permite uma alimentação escolar de mais qualidade, variedade e sustentabilidade ambiental, além de ajudar na educação.

“Esse projeto possibilita uma série de aprendizagens aos bebês, crianças, jovens e adultos matriculados”, afirma Schneider na cartilha publicada pela SVB.

As escolas públicas do município preparam mais de dois milhões de refeições diárias para, segundo a Secretaria Municipal de Educação, atender às necessidades nutricionais dos alunos.

Diversos estudos recentes apontam que uma alimentação mais rica em legumes, verduras, grãos e cereais integrais e com menos proteína animal, sobretudo a carne vermelha, é um caminho para a prevenção de doenças e, consequentemente, para uma vida mais saudável.

Resistência

A implementação de um novo cardápio com uma proposta mais saudável para as crianças da cidade de São Paulo não encontrou resistência nem mesmo entre os opositores do prefeito, a não ser por uma única exceção: a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP).

A parlamentar disse não ter gostado da novidade e esbravejou nas redes sociais. “Bruno Covas contratou Bela Gil para fazer o cardápio para as escolas públicas? As crianças serão vegetarianas? São 2 milhões de refeições por dia que virão com lentilha, bolinho de grão-de-bico, ervilha e proteína de soja. Os pais, médicos e crianças foram ouvidos?”, publicou Joice em seu Twitter.

A assessoria do prefeito e internautas rebateram a declaração da deputada:

Na tentativa de criar nos alunos hábitos alimentares mais saudáveis, a sugestão de Cardápio Escolar Sustentável apresentado tem objetivo de valorizar a alimentação escolar, com base no uso de vegetais e legumes e incutir na criançada o gosto por pratos vegetarianos.

Alguns comentários no twitter:

Miga, pode ficar tranquila que a dieta saudável nao vai ser obrigatória pra você. Vc pode continuar comendo a mesma merda de sempre, ate explodir.

— nina #euAvisei (@desbocadaDeBar) 13 de fevereiro de 2019

É ruim fazer as crianças comerem vegetais e legumes agora? Faz mal pra saúde?

— Kzau (@lucaskzau) 13 de fevereiro de 2019

Ele não está impondo nada, elas vão poder comer em casa carne, o que ele está propondo é uma alimentação mais saudável

— Corinthienzo (@FaaalaRod) 13 de fevereiro de 2019

Melhor é hamburguer, refrigerante, doces, cachorro-quente…  Joice é muito imbecil!

— Marcelo Gonçalves (@MarceloJGonca) 13 de fevereiro de 2019

Pelo tamanho dela dá pra ver porque está criticando o cardápio

— MARIA (@mlou555) 13 de fevereiro de 2019

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/02/prefeitura-de-sao-paulo-contrata-bela-gil-e-joice-hasselmann-esperneia.html

Ricardo Vélez tem dez dias para explicar por que chamou brasileiros de canibais

 

Supremo Tribunal Federal dá dez dias de prazo para ministro da Educação explicar por que chamou brasileiros de canibais

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber concedeu ontem (14) prazo de dez dias para que o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, se manifeste sobre declarações dadas em uma entrevista à revista Veja. A manifestação do ministro é facultativa.

Ante o exposto, determino a notificação do Ministro da Educação Ricardo Vélez Rodríguez, para que responda, querendo, à presente interpelação no prazo de 10 (dez) dias“, decidiu a ministra.

A solicitação foi motivada por uma interpelação judicial criminal protocolada na Corte pelo advogado Marcos Aldenir Ferreira Rivas.

Segundo Rivas, em entrevista publicada pela revista, no dia 6 de fevereiro, Vélez disse que “o brasileiro viajando é um canibal“. No entendimento do advogado, o ministro cometeu o crime de calúnia.

Na decisão, a ministra explicou que, após a manifestação do ministro, o pedido de explicações será devolvido ao advogado, que poderá ou não oferecer uma queixa-crime posteriormente.

Enfatizo que o ato judicial que analisa a interpelação criminal não emite juízo de valor sobre o conteúdo debatido, uma vez que representa típica providência de contenção cognitiva“, afirmou.

O Ministério da Educação informou que o ministro ainda não foi notificado. Assim que for, ele responderá.

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/02/ricardo-velez-brasileiros-canibais.html

Tratados Secretos

 

Benjamin Fulford  - “Atualização Semanal” - 11.02.2019

JÁ EM MARÇO TRATADOS SECRETOS SINALIZAM GRANDES MUDANÇAS NO MUNDO

Nos mais altos níveis do poder mundial, intensas negociações estão, agora, em andamento, tanto secretas quanto públicas, concordam várias fontes. Estas, podem resultar em anúncios de mudanças planetárias, já em Março, dizem elas. A luta pelo poder em Washington, DC, também está caminhando para algum tipo de clímax, como pode ser visto pela ameaça do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de declarar uma emergência nacional.

Um grande movimento público foi o anúncio de uma religião mundial única pelo Papa, um importante representante islâmico e representantes de muitas outras religiões. Isso aconteceu depois que o Papa Francisco se tornou o primeiro Papa da história a visitar a Península Arábica, o berço do Islã.

No Sudeste Asiático, fontes da CIA dizem que mudar a sede da ONU de Nova York para o Laos será um grande tema da cúpula de 27 e 28 de Fevereiro entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o poderoso norte-coreano, Kim Jong Un.

As sociedades secretas asiáticas, o complexo industrial militar dos EUA e a realeza europeia estão trabalhando na criação de uma futura agência mundial de planejamento, segundo fontes envolvidas nas negociações. Vários documentos oficiais relacionados a isso já foram assinados, dizem fontes da família real britânica.

Fontes do MI6, Maçons P2, Pentágono e Sociedade Secreta Asiática, também, dizem que há  um forte impulso para que algum tipo de governo mundial seja anunciado.

Isso, agora, pode ser feito de uma maneira em que não haja perdedores, apenas vencedores, graças a um equilíbrio raro e quase perfeitamente igual do poder mundial, dizem elas.

Na semana passada, o anúncio de um passaporte unificado para todas as nações africanas foi um sinal visível de um movimento em direção a um governo mundial.

Em qualquer caso, a batalha pela Venezuela também pode ser vista como uma tentativa fracassada dos neocons (máfia khazariana) de retomar o controle do sistema financeiro internacional, confiscando as maiores reservas de petróleo do mundo.

Fontes do Pentágono observam que o “fantoche dos EUA na Venezuela não foi reconhecido por organizações supranacionais como a União Europeia, a Organização dos Estados Americanos, o FMI, o Banco Mundial, a União Africana ou a ONU”.

Além disso, a ONU, o Vaticano e a Cruz Vermelha se recusaram a entregar "ajuda humanitária" ao líder fantoche Juan Guaidó, porque seria uma cobertura para as remessas de armas, disseram as fontes. Como resultado, “o golpe na Venezuela foi uma falha épica”, disseram.

Segundo fontes da CIA, o fracasso em se apropriar do petróleo venezuelano, também, pode forçar Trump a declarar uma emergência nacional – ou, talvez, mais precisamente, uma falência nacional.

Fontes do Pentágono e da CIA dizem que isso pode levar à queda de Trump uma vez que ele perdeu muito apoio militar. “A presença contínua de Jared Kushner e John Bolton na Casa Branca, combinada com o golpe amador na Venezuela e a nomeação do criminoso Irã Contras, Elliott Abrams, como enviado especial para o caso venezuelano, estão levando alguns a duvidarem do Presidente”, observou uma fonte do Pentágono.

A disputa entre Trump, Arábia Saudita e o National Enquirer, por um lado e a CIA, Turquia, e Jeff Bezos, da Amazon, por outro, também, pode ser fatal para Trump. Este é um negócio complexo coberto extensivamente por outras mídias de modo que irei abordar apenas alguns pontos-chaves aqui.

Em primeiro lugar porque, imediatamente, depois que o principal agente da CIA na Turquia ser libertado da prisão turca, o assassinato do colunista do Washington Post (de propriedade de Bezos) Jamal Khashoggi, ocorreu dentro da Embaixada Saudita na Turquia. Em segundo lugar, Trump se recusou a condenar o clone saudita Príncipe Mohammed Bin Salman pelo assassinato. Terceiro, o National Enquirer tinha acesso a um orçamento muito além do realista para uma revista de notícias normal, para expor o caso extraconjugal de Bezos, que sugeriu  se tratar de dinheiro saudita. Agora, Bezos, cuja empresa inclui o manuseio de computação em nuvem para a CIA, parece ter capturado o Enquirer em alguma operação.

Também, existe uma dimensão em toda essa saga que falha no meu teste de faro: o chefe do Enquirer se chama Pecker, o investigador de Bezos, também,  se chama Becker e o escândalo envolve uma foto de um pica-pau. Vamos deixar por isso mesmo.

De qualquer forma, as ligações de Trump com a Arábia Saudita (Kissinger + Rockefeller) e seu fracasso em obter petróleo venezuelano podem ser sua queda, porque ele perderá o controle do petrodólar. Nesse contexto, é interessante notar que a UE acrescentou a Arábia Saudita à sua lista de países que financiam o terror e, como tal, estará sujeita a rigorosos controles financeiros. Isso é claramente direcionado aos neocon controladores do petrodólar e sua falsa “guerra ou terror”, com suas frentes terroristas “Al Qaeda” e “ISIS”.

Fontes do Pentágono dizem que na Venezuela “a opção militar não está sobre a mesa”. Isso porque “Rússia e a China enviaram tropas e equipamento militar para a Venezuela e estão realizando exercícios militares juntamente com 15.000 soldados cubanos, enquanto o Congresso e o Conselho de Segurança da ONU se recusam a autorizar o uso da força”, dizem as fontes do Pentágono. “Os perdedores parecem ser neocons, Israel, Chevron [Bush], Halliburton [Cheney] e empresas mineradora de ouro, coltan e companhias mineradoras na Venezuela”, disseram as fontes.

Interesses corporativos (fascistas), também, estão perdendo muito em outros lugares além da Venezuela. Nos EUA, as empresas farmacêuticas estão sendo forçadas a cortar os preços, já que as prisões de executivos da indústria farmacêutica começaram, dizem fontes do Pentágono. Na UE, uma tentativa de fusão entre a Siemens e a Alstom foi interrompida porque teria levado a um monopólio ferroviário de alta velocidade. Além disso, em todo o mundo, a corporação Bayer/Monsanto continua pagando por seus muitos crimes.

De 4 a 9 de Fevereiro, aconteceram operações especiais da Marinha e Exército em Los Ângeles, que visavam “os pedófilos de Hollywood”, dizem fontes do Pentágono. O Departamento de Justiça, também, reabriu sua investigação sobre o “agente pedófilo do Mossad, Jeff Epstein”, observam as fontes.

Essas operações podem ser o motivo pelo qual um membro das famílias que possui (ou possuiu?) o Conselho do Federal Reserve nos enviou uma nota de petição que dizia em parte:

“Como seres humanos amorosos, devemos perceber que certa parte de nossa população não teve tanta sorte quanto eles e que, em vez disso, foram alquebrados e traumatizados pela brutalização satânica, desde seu nascimento, para continuar perpetuando o sistema de maldade que, agora, estamos tentando superar. A única maneira de parar para sempre toda essa loucura do mal escuro insuperável é dando-lhe a chance de encontrar uma saída para a única coisa que eles já conheceram, que é o seu ciclo atual do mal... mas há muitos que foram irreparavelmente feridos e, agora, estão configurados de modo a matar ‘a tudo e todos’ que não estão de acordo com sua ‘programação’. Esses devem ser eliminados e descartados para o bem da humanidade.”

Também, recebemos uma carta manuscrita e um monte de documentos enviados pelo traficante de armas russo Victor Bout, que atualmente está preso em Illinois. Agora, é tarde demais para matar Bout para silenciá-lo. Temos seu depoimento detalhado sobre as arma s nucleares que foram roubadas do submarino russo Kursk em 2000 e usadas no tsunami de Fukushima e no ataque terrorista com assassinato em massa.

Fontes do MI6, da CIA e do Pentágono dizem que a investigação de Fukushima provavelmente resultará na prisão do Primeiro-Ministro japonês Shinzo Abe, da chanceler alemã Angela Merkel, da Primeira-Ministra Britânica Theresa May e de muitos outros líderes mundiais.

Nesta frente, podemos dizer que, de acordo com um comunicado oficial do Departamento de Defesa dos EUA, tribunais militares já começaram na Baía de Guantánamo, em Cuba.

Numa nota final, recebemos uma carta de um leitor japonês, lançando dúvidas sobe as reportagens sobre o curandeiro brasileiro “João de Deus” mantendo escravas adolescentes em fazendas de bebês.

JOAO DE DEUS

De acordo com esse leitor, “João de Deus” ou João de Faria, foi enquadrado pela máfia farmacêutica porque seu negócio de vitaminas e curas pela fé estava consumindo seus lucros. Faria foi envenenado, depois de ser preso e estava vomitando sangue como resultado, diz o leitor.

Isso me lembrou do fato do xamã Shipibo, que estudei na Amazônia, quando jovem, que foi enquadrado e assassinado pela máfia farmacêutica, por se tratar de  uma competição indesejada.

Além disso, as reclamações das fazendas de bebês foram feitas por uma única ativista que, em seguida, “cometeu suicídio” e que sua família se recusa a mostrar seu corpo às autoridades. Precisamos garantir que o sistema judiciário brasileiro chegue à verdade por trás deste caso e onde quer que isso possa levar.

No entanto, no Brasil, qualquer que seja a verdade, não há como negar que os bebês foram e estão sendo vendidos por seus órgãos, partes e “extratos”.

A classe dominante tem nos tratado como animais de fazenda, para serem mortos à vontade, por tanto tempo que, ainda, não podem acreditar que seu controle está acabando. O planeta Terra está prestes a ser libertado.

Lido em: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2019/02/benjamin-fulford-atualizacao-semanal_12.html

(Juiz Moro)  O Senhor do Golpe

(Mino Carta – CartaCapital)

“Um medíocre provinciano conseguiu chegar lá”

A escolha do culpado precede a definição da culpa, dizia uma personagem do conto que publiquei na edição de fim de ano, intitulado “O Processo”, inspirado, obviamente, em Franz Kafka e magistralmente ilustrado por Hélio de Almeida. Ou, por outra, o culpado atrai a culpa. Valeria um retoque para arredondar o conto, de sorte a acrescentar mais uma personagem, a juíza Gaby, que em Malastrana substituiu o juiz Morus. Nada a ver com Thomas More, o pensador e jurista inglês que desafiou Henrique VIII e escreveu Utopia.

Fiel ao roteiro da Inquisição do Santo Ofício, a juíza federal Gabriela Hardt condenou Luiz Inácio Lula da Silva a 12 anos e 11 meses de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do célebre sítio em Atibaia com vista para a favela.

O ex-presidente foi acusado de receber 1,2 milhão de reais em propinas referentes às reformas do imóvel, que de fato pertence ao empresário Fernando Bittar, cuja família mantém laços de amizade com a de Lula há décadas. Segundo a Lava Jato, o sítio passou por três reformas: uma sob o comando do pecuarista José Carlos Bumlai, no valor de 150 mil reais, outra tocada pela Odebrecht, de 700 mil, e uma terceira na cozinha pela OAS, no valor de 170 mil. Tudo baseado em delações premiadas, que aos delatores garantiram largos benefícios.

O advogado do ex-presidente, Cristiano Zanin, ao anunciar o recurso, de forma irretorquível prova o atentado “aos mais basilares parâmetros jurídicos” e acentua “o uso perverso das leis” com o claro objetivo da perseguição política. Mas, como em Malastrana, no Brasil reina a lei do mais forte e o culpado é escolhido antes de inventar a sua culpa.

O desfecho do processo já estava escrito. Com apenas nove anos de experiência na magistratura, Hardt herdou o caso de Moro após o inquisidor-mor, contraventor das regras mais elementares de um processo conduzido sob a égide do Estado de Direito, aceitar o convite para ser ministro da Justiça de Bolsonaro. Recompensa ao cabo eleitoral que interferiu na disputa ao abrir às vésperas do pleito presidencial o sigilo de trechos da delação de Antonio Palocci a repisarem acusações sem prova contra Lula e o PT.

O prêmio cabe, porém e sobretudo, à figura decisiva do golpe urdido contra um país incapaz de perceber o monstruoso alcance da farsa trágica. No coração da trama está a Lava Jato, impulsionada, desde o momento em que já se desenhava o impeachment de Dilma Roussef em concomitância com as eleições de 2014, por Sérgio Moro, provinciano e medíocre, e tão representativo da situação dos dias de hoje. Conformem-se os espíritos atilados e altivos, o senhor do golpe, o deus ex machina, é este juizeco que se arvora a jurista, revisor desvairado de códigos elaborados por uma sabedoria perdida.

A senhora Hardt é moça e arrogante, como se espera nestes tempos bicudos. Gosta de aparecer e mostrar serviço. Ainda em maio de 2018, ao cobrir férias de Moro, determinou a prisão do ex-ministro José Dirceu. Dois meses após assumir interinamente os casos da Lava Jato, condenou dez réus. Ao colher o depoimento de Lula, em novembro do ano passado, chegou a bater boca com o ex-presidente, encerrando a discussão com uma ameaça: “Se o senhor começar nesse tom comigo, a gente vai ter problema”.

Oriunda de um clã político da pequena cidade de Indaial, no Vale do Itajaí, a juíza irritou-se quando Lula perguntou sobre o que exatamente era acusado. “Sou dono do sítio ou não?”, indagou. “Isso é o senhor que tem que responder”, rebateu Hardt, a adverti-lo que o indagado era ele. O ex-presidente emendou: “Não, quem tem que responder é quem me acusou”. Em vez da resposta, recebeu a reprimenda irada. Pelo jeito, a moça tem os nervos à flor da pele e a truculência bolsonarista.

A sentença curitibana é mais um capítulo do enredo golpista que se inicia com a reeleição apertada de Dilma Rousseff em 2014. Recordo ter jantado com Lula em uma noite de abril de 2015, em companhia de Luiz Gonzaga Belluzzo e minha filha Manuela. Foi fácil apontar os novos passos que os golpistas se prontificaram a dar sem maiores hesitações, a caminho do impeachment. Viriam em seguida o processo e a inevitável condenação de quem seria eleito no primeiro turno do pleito já programado para 2018. Recomendei: bota a boca no trombone, organize caravanas Brasil afora.

Nada discrepou do roteiro que traçara, mas as caravanas saíram somente quando Lula já estava condenado pelo infatigável inquisidor que agora temos de padecer como ministro da Justiça. Justiça? Antes de se entregar, Lula havia dito algo assim: se me deixam solto, volto à Presidência, se me prenderem viro mártir. Não percebeu que se tratava de profecia de longo prazo. Abandonado por muitos companheiros, esquecido, quando não execrado por levas de eleitores de outras jornadas, ele só será reconhecido como mártir em um futuro não sei quão distante.

Não esqueçamos, em todo caso, haver fora do Brasil quem se preocupe com o destino de um presidente que deixou rastros profundos. Não é por acaso que, apresentado como candidato ao Prêmio Nobel da Paz, um abaixo-assinado já colhe perto de 1 milhão de assinaturas. A decisão da juíza Gaby, perdão, Gabriela Hardt (e que não se perca pelo sobrenome) vai repercutir negativamente mundo afora.

Lido em: https://www.cartacapital.com.br/opiniao/mino-carta-o-senhor-do-golpe/

12.2.2019

O que está acontecendo com Céline Dion?

Céline Dion vem fazendo manchetes por todos os tipos de razões estranhas, já que sua carreira e toda a sua personalidade tomaram um rumo radical. O que está acontecendo com a Céline Dion?

De vez em quando, uma celebridade assume o foco das notícias por uma série de razões estranhas ou embaraçosas. Nos últimos anos, publiquei artigos intitulados O que está acontecendo com Shia LaBeouf? e O que está acontecendo com Katy Perry?, que destacaram padrões semelhantes. Aparentemente, agora é a vez de Céline Dion. De fato, a diva franco-canadense atraiu a atenção da mídia por todos os tipos de razões estranhas nas últimas semanas, levando alguns a até mesmo questionar seu bem-estar.

Para começar, suas inúmeras saídas ​​à mídia não é muito o perfil de Céline, pois ela passou toda a sua carreira evitando eventos relacionados ao show business. Em 2012, em meio à morte prematura de Whitney Houston, Céline Dion chegou a admitir sua desconfiança na indústria do entretenimento, porque ela poderia destruir vidas.

"Eu tenho medo do show business, tenho medo de drogas, tenho medo de sair, e é por isso que eu não vou a festas e saio, e é por isso que eu não faço parte do show business. Temos que ter medo. Eu sempre disse que você tem que se divertir e fazer música e nunca pode fazer parte do show business, porque você não sabe no que vai se meter. Você tem que fazer o seu trabalho e sair de lá." (E-News, Céline Dion Remembers Whitney Houston: “Drugs,” “Bad Influences Took Over”)

Desde a morte de seu marido e empresário René Angélil em 2016, a “proteção” de Céline contra a indústria parece ter desaparecido. Nos últimos dois anos, ela participou de todos os tipos de eventos de show business, festas, projetos de moda e outros eventos relacionados à mídia.

Visto que Céline é aparentemente uma “amante da alta costura”, seus passeios bizarros podem ser atribuídos à “excentricidade da alta moda”?

Estranho, mas tudo bem.

No entanto, as coisas recentemente tomaram um rumo bizarro. É como se ela tivesse sido pega pela “elite da indústria da música”, que ela evitou durante toda a sua carreira: "Junte-se a nós ou perca tudo". E quando Céline associou seu nome à marca de moda israelense NUNUNU para criar uma linha de roupas “sem gênero” para as crianças, as coisas pararam de ser legais ou engraçadas. 

CÉLINUNUNU

No vídeo intitulado A Perturbadora Coleção de Roupas Sem Gênero de Céline Dion, eu analisei o simbolismo perturbador em torno da NUNUNU e seu marketing online. Acredite ou não, as imagens no site e no Instagram referem-se diretamente ao satanismo, ao abuso infantil e ao controle mental. O anúncio em vídeo para a marca CÉLINUNUNU também foi um trabalho perturbador.

 No bizarro anúncio CÉLINUNUNU, Céline começa dizendo “Nossos 
filhos não são realmente nossos filhos”. Ela então entra em uma maternidade
 e muda o visual dos bebês de outras pessoas com roupas CÉLINUNUNU.

 

Desde a publicação do meu vídeo sobre CÉLINUNUNU, a marca publicou imagens mais perturbadoras envolvendo crianças em cenários bizarros. Aqui estão algumas delas.

Crianças de aparência triste usando camisetas de "Nova Ordem" de aparência opressiva...
como na "Nova Ordem Mundial".

Eles vestiram esta menina como um coelho da Playboy e adicionaram o cereal da Minnie Mouse... para enfatizar o aspecto “eu sou apenas uma criança”. Doentio.

Esta menina está vestida para ir a um "baile de máscaras" de elite.
Originalmente, os convidados usavam máscaras  nesses bailes para preservar o anonimato enquanto se entregavam  a comportamentos depravados. Por que essa criança está usando essa máscara?
Isso parece Abuso Ritualístico Satânico.
 

Após o lançamento da CÉLINUNUNU, Céline deu uma entrevista na CNN com os criadores da marca Iris Adler e Tali Milchberg. A entrevista é... estranha.

Céline Dion é a mentora por trás desse empreendimento de roupas? Claro que não, a marca existe há anos. Céline está simplesmente sendo usada para vendê-la. E quando alguém é usado pela elite, você pode contar com a mídia que pertence à elite para ajudar a divulgar. Especialmente se houver alguma insalubridade acontecendo.

Sob os Holofotes da Mídia

Como dito no começo do artigo, parece ser a vez de Céline estar sob os holofotes da mídia. Ela está em todo lugar. Por exemplo, a recente viagem de Céline a Paris foi notícia por todos os tipos de motivos. Primeiro, seu físico esquelético  (combinado com uma roupa estranha) depois muitos perguntaram: Ela está bem?

A mídia celebrou Céline como a  “rainha” da Paris Couture Week.  A aparência extremamente magra de Céline levou  algumas pessoas a questionar sua saúde física e mental.
 

Ser parte da indústria está causando dano nela? Quando perguntada sobre seu peso, Céline ficou um tanto na defensiva. Durante uma entrevista para o The Sun, ela disse:

"Eu gosto e não quero falar sobre isso. Não se incomode. Não tire fotos. Eu estou fazendo isso por mim. Eu quero me sentir forte, bonita, feminina e sexy. Se você gosta, tudo bem.  Se você não gosta, me deixe em paz."

Para provar que há de fato uma tempestade na mídia, dois anúncios importantes relacionados à Céline foram feitos nos últimos dois dias: um filme biográfico de US$ 23 milhões intitulado "The Power of Love" será lançado em 2020. No dia seguinte, Céline se tornou a nova cara da L'Oréal Paris.

Conclusão

Os dias em que Céline estava “com medo” do show business estão claramente acabados. Ela foi pega por ele e agora é o centro de uma tempestade de mídia clássica criada artificialmente.

Embora Céline costumasse ser apenas sobre a música, ela agora está sendo usada para promover agendas específicas. Sua marca CÉLINUNUNU é sobre a criação de uma “nova ordem” de crianças sem gênero. Será que ela vai continuar indo mais fundo na indústria? Porque, em suas próprias palavras: "Você nunca pode fazer parte do show business, pois você não sabe no que vai se meter".

Fonte1: The Vigilant Citizen

Fonte2: Site do Danizudo

Lido em: https://danizudo.blogspot.com/2019/01/o-que-esta-acontecendo-com-celine-dion.html

Jomarion... lamentável e assustador. Está acontecendo com Celine o que acontece com celebridades da industria da musica que fazem pactos diabólicos mas não o cumprem, depois de um tempo são cobrados/obrigados a ter comportamentos bizarros, esquisitos, perversos... alguns se suicidam ou são  suicidados!

9.2.19

CURTAS DA SEMANA

Ex-ministro da Saúde, Padilha critica texto que prega volta de manicômios e eletrochoque

 

"Loucura não se prende, loucura não se tortura", disse o deputado federal e ex-ministro, Alexandre Padilha, sobre o texto do ministério da Saúde que dá aval aos uso de eletrochoques e reforça a possibilidade da internação de crianças em hospitais psiquiátricos.

O ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha (PT), criticou nesta sexta-feira (8) uma nota técnica do atual ministério da Saúde publicada esta semana que dá aval aos uso de eletrochoques e reforça a possibilidade da internação de crianças em hospitais psiquiátricos, nos moldes dos antigos manicômios.

“Loucura não se prende, loucura não se tortura”, afirmou Padilha, que classificou como “preocupante” as possibilidades destacadas no documento de 30 páginas sobre Política de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas.

Muito preocupante os rumores que dizem que o governo Bolsonaro pretende retornar com os manicômios e autorizar a compra de aparelhos de eletrochoque. pic.twitter.com/zDzYmWWOTX  (Alexandre Padilha (@padilhando) 8 de fevereiro de 2019

Além de destacar a volta dos manicômios e do eletrochoque, considerado obsoleto e em desuso após anos de luta anti-manicomial, a nota técnica ainda prega a abstinência para o tratamento de dependentes de drogas, indo contra todo um trabalho de redução de danos que já vem sendo adotado há 30 anos no país.

“As pessoas com problemas mentais estão sendo cuidadas por suas famílias, reintegradas à comunidade. Isso é um retrocesso absurdo. Essas clínicas saqueavam o Estado com as internações. É preciso que a sociedade diga não a esse retorno à Idade Média”, disse, em entrevista ao programa Antena Ligada, na Rádio Trabalhador, o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Edivaldo Bernardo de Lima.

Defesa 

Coordenador Geral de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas do Ministério da Saúde, Quirino Cordeiro, que assina a nota técnica, defendeu o destaque dado ao tratamento. A ideia, de acordo com ele, é orientar gestores do SUS sobre a política de saúde mental, o que passa por abordar o uso da eletroconvulsoterapia – nome técnico do tratamento, já considerado obsoleto.

Já o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta disse, em entrevista, não conhecer o documento. E ao ouvir os temas abordados, emendou: “Sem dúvida (as medidas) são polêmicas.”

Lido em: https://www.revistaforum.com.br/ex-ministro-da-saude-padilha-critica-texto-que-prega-volta-de-manicomios-e-eletrochoque/

“Fogo amigo”: incomodado, Eduardo Bolsonaro estaria municiando Olavo e Bannon contra Mourão

Acuado após Bannon dizer que "não é muito útil", general afirmou que é "um cara lega, pô". Olavo rebateu declarando que não o critica mais enquanto "ele continuar dizendo apenas que é um cara legal".

Mourão, Eduardo Bolsonaro e os gurus, Olavo e Bannon
(Montagem/Agência Brasil/Reprodução Instagram e Facebook)

(Jomarion... É preocupante saber que estas pessoas vão governar o Brasil direta ou indiretamente!)

O incômodo provocado no clã e entre aliados próximos de Jair Bolsonaro (PSL) pelo protagonismo do general Hamilton Mourão (PRTB) fez com que a artilharia disparada contra ele por pessoas próximas ao governo aumentasse significativamente – a ponto de fazer com que o ex-presidente do Clube Militar do Rio de Janeiro recuasse em sua estratégia de exposição midiática nos últimos dias.

Nos bastidores, a informação é que a munição para o fogo amigo dos gurus Olavo de Carvalho, do clã Bolsonaro, e Steve Bannon, da aliança ultraliberal O Movimento, foi fornecida pelo diplomata informal do governo, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL/RJ), alçado recentemente ao posto de líder do grupo internacional de extrema-direita na América Latina.

Eduardo, que foi o primeiro do clã Bolsonaro a ser doutrinado na teoria olavista, tem contato frequente com Bannon, que estreitou relações com Olavo a partir da articulação do lobista da família Bolsonaro nos Estados Unidos, Gilbert Brant.

Acuado após as críticas de Steve Bannon nesta quarta-feira (6), que disse que o brasileiro “não é muito útil”, “é desagradável” e “pisa fora da sua linha”, Mourão declarou ao jornalista Gustavo Uribe, na edição desta quinta-feira (7) da Folha de S.Paulo, que é “um cara legal, pô”. “É lógico que foram (injustas as críticas), né? Eu sou um cara legal, pô”, disse, ao ser indagado sobre as declarações de Bannon.

Protegido pela trincheira das telas, Olavo de Carvalho se defendeu dizendo que “nunca a palavra Mourão foi pronunciada” em seus encontros com Bannon e fez pouco caso das declarações do militar brasileiro, alçado à política por Levy Fidélix (PRTB). “Não quero mais escrever nada contra o general Mourão enquanto ele continuar dizendo apenas que é um cara legal”.

Lido em: https://www.revistaforum.com.br/fogo-amigo-incomodado-eduardo-bolsonaro-estaria-municiando-olavo-e-bannon-contra-mourao/

Bolsonaro nomeia (outro) general do Exército para cuidar da reforma agrária

Governo militarizado de Jair Bolsonaro ganhou mais um nome: general Jesus Corrêa, que será presidente do Incra

General Jesus Corrêa assumirá o Incra

Os militares, que ocupam o governo de Jair Bolsonaro nas mais diferentes esferas, que vão desde a vice-presidência, passando pelos ministérios e até cargos em estatais, acabaram de assumir mais um posto: o de controle da reforma agrária.

Na manhã deste sábado (9), o presidente, que está hospitalizado, anunciou pelas redes sociais a nomeação do general do Exército Jesus Corrêa como o novo presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA).

Responsável pelo ordenamento fundiário do Brasil e pela execução da reforma agrária – que passa, necessariamente, pelo diálogo com os movimentos do campo – o INCRA, logo no início do governo Bolsonaro, deixou de fazer parte da Casa Civil e passou a ser um órgão do Ministério da Agricultura.

Logo que a mudança foi feita o INCRA publicou memorandos em que anunciava a suspensão de todos os processos de reforma agrária no país mas, após pressão, Bolsonaro os revogou.

Lido em: https://www.revistaforum.com.br/bolsonaro-nomeia-general-do-exercito-para-cuidar-da-reforma-agraria/

Eduardo Bolsonaro diz que população tem que julgar comportamento de Mourão

Incômodo da cúpula do governo Bolsonaro com o vice, general Hamilton Mourão, é cada vez mais evidente

O incômodo da família Bolsonaro e da cúpula do governo com a postura de protagonismo assumida nas últimas semanas pelo vice-presidente, Hamilton Mourão, é cada vez mais evidente. Nesta sexta-feira (8), em entrevista à revista direitista Crusué, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ) sugeriu que a população faça “julgamento” do comportamento do general.

“O Mourão tem as opiniões dele e tem se expressado. Cabe à população fazer o julgamento se isso é certo ou errado”, disse o parlamentar.

Informações de bastidores dão conta de que a cúpula do governo, incentivada principalmente por Eduardo Bolsonaro, filho mais próximo do “guru” direitista Olavo de Carvalho, tenta, nos últimos dias, isolar Mourão. Isso porque o vice-presidente tem expressado opiniões opostas às de Bolsonaro, aparecido mais na mídia e se tornado “queridinho” dos jornalistas em Brasília.

No último domingo (3), a Coluna Painel, da jornalista Daniela Lima, informou que militares escalados pelo governo terão uma “conversa franca” com o vice-presidente. Esses interlocutores teriam por objetivo conquistar de Mourão um compromisso claro de alinhamento com o governo.

Muitos aventam a possibilidade de Mourão estar tentando se mostrar uma pessoa mais preparada que Bolsonaro diante de qualquer crise que possa vir a se instalar e, principalmente, pelo fato de que o presidente está internado e sem previsão de alta.

Lido em: https://www.revistaforum.com.br/eduardo-bolsonaro-diz-que-populacao-tem-que-julgar-comportamento-de-mourao/

9.2.19

Não há “déficit” na Previdência

 

Empresas privadas devem R$ 450 bilhões à Previdência, mostra relatório

Os grandes devedores da Previdência no Brasil também são clientes da mídia: empresas privadas devem R$ 450 bilhões

O texto a seguir foi publicado em 2017 pela Agência Senado. O conteúdo é relevante diante da iminente votação da Reforma da Previdência no Congresso Nacional

O senador Hélio José (Pros-DF) apresentou na segunda-feira (23/10/2017) seu relatório final na CPI da Previdência, no qual defende que a Previdência Social não é deficitária. A data de votação do texto ainda vai ser definida pelo presidente da comissão de inquérito, Paulo Paim (PT-RS), que deu mais prazo para análise dos parlamentares (vista coletiva). Ele garantiu que a CPI vai encerrar seu trabalho dentro do prazo inicialmente previsto, que é 6 de novembro. Uma das propostas do relatório é aumentar para R$ 9.370,00 o teto dos benefícios do Regime Geral da Previdência Social (RGPS), que atualmente é de R$ 5.531,31.

O texto de 253 páginas aponta erros na proposta de reforma apresentada pelo governo; sugere emendas à Constituição e projetos de lei; além de indicar uma série de providências a serem tomadas para o equilíbrio do sistema previdenciário brasileiro, como mecanismos de combate às fraudes, mais rigor na cobrança dos grandes devedores e o fim do desvio de recursos para outros setores.

O relatório alega haver inconsistência de dados e de informações anunciadas pelo Poder Executivo, que “desenham um futuro aterrorizante e totalmente inverossímil”, com o intuito de acabar com a previdência pública e criar um campo para atuação das empresas privadas.

É importante destacar que a previdência social brasileira não é deficitária. Ela sofre com a conjunção de uma renitente má gestão por parte do governo, que, durante décadas: retirou dinheiro do sistema para utilização em projetos e interesses próprios e alheios ao escopo da previdência; protegeu empresas devedoras, aplicando uma série de programas de perdão de dívidas e mesmo ignorando a lei para que empresas devedoras continuassem a participar de programas de empréstimos e benefícios fiscais e creditícios; buscou a retirada de direitos dos trabalhadores vinculados à previdência unicamente na perspectiva de redução dos gastos públicos; entre outros”, resume Hélio José em seu relatório.

Sonegação

Na visão do relator, não é admissível qualquer discussão sobre a ocorrência de deficit sem a prévia correção das distorções relativas ao financiamento do sistema.

Os casos emblemáticos de sonegação que recorrentemente são negligenciados por ausência de fiscalização e meios eficientes para sua efetivação são estarrecedores e representam um sumidouro de recursos de quase impossível recuperação em face da legislação vigente — argumentou.

Segundo o relatório da CPI, as empresas privadas devem R$ 450 bilhões à previdência e, para piorar a situação, conforme a Procuradoria da Fazenda Nacional, somente R$ 175 bilhões correspondem a débitos recuperáveis.

Esse débito decorre do não repasse das contribuições dos empregadores, mas também da prática empresarial de reter a parcela contributiva dos trabalhadores, o que configura um duplo malogro; pois, além de não repassar o dinheiro à previdência esses empresários embolsam recursos que não lhes pertencem — alegou.

Desinteresse da mídia

A CPI foi instalada no final de abril e, desde então, promoveu 26 audiências públicas. O presidente Paulo Paim (PT-RS) disse que a comissão está cumprindo seu papel, apesar de ter sido ignorada pelos meios de comunicação:

Os grandes devedores da Previdência também são clientes da mídia. Sabíamos que uma CPI deste vulto não teria cobertura da grande imprensa. Mas o importante é o trabalho e vamos concluir até 6 de novembro — afirmou.

Paim lembrou que 62 senadores assinaram a proposta de criação do colegiado – seriam necessárias apenas 27 assinaturas -, o que demonstra insegurança dos parlamentares em relação aos argumentos do governo em relação ao setor.

O senador ainda classificou a proposta da CPI de séria, principalmente em relação aos maiores devedores do sistema. E aproveitou para mandar um recado:

Não pensem os grandes devedores que vai ficar como está. Vamos pra cima deles — advertiu.

Veja os Projetos e emendas constitucionais sugeridos

— Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que consolida a competência material da Justiça do Trabalho para a execução das contribuições previdenciárias não recolhidas no curso do vínculo empregatício apenas reconhecido na sentença;

— PEC para recriar o Conselho Nacional de Seguridade Social – que participará da formulação e fiscalização da proposta orçamentária da Seguridade – e determinar a não aplicação da Desvinculação das Receitas da União (DRU) nas receitas da seguridade social;

— Projeto de Lei do Senado (PLS) que permite a flutuação da alíquota de contribuição das empresas: essa alíquota poderá aumentar em um ponto percentual sempre que a empresa reduzir em 5% ou mais seu quadro de pessoal; ou a alíquota poderá ser reduzida sempre que a empresa aumentar em 5% ou mais seu quadro de pessoal;

— PEC que impede a incidência da DRU sobre as fontes de financiamento da Seguridade Social, como as contribuições sociais incidentes sobre a receita ou o faturamento, sobre a receita de concursos de prognósticos e sobre a receita do importador de bens ou serviços do exterior;

— PLS que retira do ordenamento jurídico brasileiro a possibilidade de extinção de punibilidade para os crimes contra a ordem tributária, que atualmente ocorre com o pagamento do tributo devido;

— PEC que aumenta para R$ 9.370,00 o teto do valor dos benefícios do RGPS, com ajustes que preservem seu valor real, “atualizado pelos mesmos índices aplicados aos benefícios do Regime Geral da Previdência Social”.

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/02/empresas-privadas-bilhoes-previdencia.html

BENJAMIN FULFORD - ATUALIZAÇÃO SEMANAL - 04.02.2019

 

ANO DO PORCO COMEÇA COM UMA GRANDE RECOMPENSA PARA AS PESSOAS DO MUNDO.

(Cita João de Deus)

O Ano Novo Chinês - o Ano do Porco - começa em 05 de Fevereiro, configurando este  um ano de recompensas em que as pessoas possam se alimentar e viverem contentes, dizem fontes da sociedade secreta asiática. O Ano do Porco ou Javali está associado para começar às 9 h 11min dessa noite, significando que o mundo, também, está preparado para saber a verdade sobre o esclarecimento do assassinato em massa e tentativa de roubo de ouro, em 11 de Setembro de 2001, dizem as fontes.

No entanto, este ano, também, está previsto para ser um ano da queda de alguns criminosos da elite (aqueles que têm se esforçado ao máximo para matar 90% da população mundial), de acordo com fontes da sociedade secreta Ocidental. É a recompensa pelo roubo perpetrado por esses criminosos que irá alimentar os 90% de oprimidos, dizem elas.

Segundo fontes da CIA baseadas na Ásia, em termos concretos, a filial britânica e a maior parte da filial francesa da família Rothschild estão tentando negociar uma transferência ordenada de poder.

Os Rothschilds e outras famílias que possuem os bancos centrais privados do G7 esperam trocar seu controle do dinheiro aqui e agora (caixas eletrônicos, impressão em dinheiro), computadores financeiros e sistemas internacionais de transferência financeira em troca de alguns ativos reais, tais como direito em alguma parte do ouro histórico asiático, dizem as fontes.

Essas negociações estão em andamento, sendo que uma coisa que agora já foi decidida é que as Nações Unidas mudarão sua sede de Nova York para o Laos. “Somente aqueles com energia elevada e que estão prontos para ajudar a humanidade em seu avanço, na limpeza da poluição neste planeta e na criação de um novo mundo de paz e harmonia para todos os seres vivos poderão frequentar esta nova sede - em outras palavras, todos os novos membros que realmente representem os habitantes deste mundo”, disse uma fonte.

O governo dos EUA obteve um financiamento para funcionar até sexta-feira, 15 de Fevereiro, para que alguns grandes anúncios relacionados a esses e outros assuntos possam ser feitos no próximo e prolongado final de semana, comemorativo ao aniversário de George Washington, segundo fontes do Pentágono e da CIA.

No entanto, ainda existem algumas questões difíceis que precisam ser negociadas o quanto antes, dizem fontes das sociedades secretas Asiáticas e Ocidentais. Uma questão, diz respeito à prisão de Meng Wanzhou, Diretora Financeira da empresa chinesa Huawei Technologies. Acontece que a verdadeira razão pela qual a comunidade de inteligência Ocidental ordenou sua prisão não foi por fraude, mas sim porque a Huawei estava avançando numa velocidade alucinante no lançamento da tecnologia sem fio 5G, embora tenha sido descoberto por cientistas que a mesma danifica cérebros humanos e cause perturbação em sistemas vivos naturais.

Os idiotas dos serviços de inteligência Ocidentais, tão acostumados a mentir para o público, deveriam ter dito isso em primeiro lugar, em vez de dizer que foi porque ela “teria burlado as sanções norte americanas ao Irã”. Essa foi uma estúpida desculpa pública, uma vez que o embaixador na China, recentemente demitido, John McCallum, observou: "O Canadá não assinou essas sanções ao Irã".

Na verdade, na semana passada, a Alemanha, a França e o Reino Unido estabeleceram um novo instrumento financeiro de propósito especial para permitir que empresas e países contornem as sanções impostas pelo governo do presidente dos EUA, Donald Trump.

Este anúncio é importante porque é o primeiro sistema apoiado pelo Ocidente que circula pelo sistema de transações internacionais SWIFT, controlado por cabalistas. O sistema SWIFT, agora, está exigindo que as pessoas registrem um "número de identificação fiscal" pessoal (a marca da besta) para que possam enviar dinheiro, através, dele.

Na semana passada, os controladores do antigo sistema financeiro enfrentaram muitas outras derrotas. Uma das maiores foi o fracasso da tentativa de roubar os recursos petrolíferos da Venezuela, colocando um de seus lacaios no poder. Os venezuelanos perceberam isso, quando o chamado "líder da oposição" Juan Guaidó revelou suas verdadeiras cores, na semana passada, prometendo "privatizar" (ou seja, entregar à máfia khazariana) os recursos petrolíferos da Venezuela, os maiores do mundo.

Uma tentativa da cabala de derrubar o governo do Zimbábue (e roubar ouro, diamantes, metais raros e outros recursos), aumentando os preços do petróleo, também, fracassou na semana passada.

Na mesma semana passada, em outro sinal de que a velha ordem estava em pânico com a perda de controle, o Senado dos EUA numa votação de 68 a 23, votou contra a retirada das tropas norte-americanas da Síria e do Afeganistão. De fato, os senadores estavam votando contra a perda de receita do petróleo sírio e da heroína afegã pela cabala, apontam fontes da CIA e do Pentágono.

Tanto o Zimbábue quanto a Venezuela foram alvos porque foram pioneiros na emissão de uma moeda baseada em ativos do mundo real e não em ilusão, como tem sido o caso da moeda do banco central do G7, observam fontes do Pentágono. "A era das moedas apoiadas por ativos começou", dizem elas.

Fontes do Pentágono, também, estão dizendo que: "O golpe fracassado na Venezuela pode ter sido uma jogada para expor Neocons, enquanto pressionavam a China por um acordo comercial".

De qualquer forma, dizem as fontes: "Podemos esperar por mais surpresas, depois que Trump fizer seu discurso do Estado da União, em 05 de Fevereiro, mesma data de início do Ano Novo chinês".

Fontes da CIA também estão falando sobre o genro de Trump, “o tempo de Jared Kushner, na Casa Branca, pode ser encerrado”. Tanto a CIA quanto o MI6 acreditam que Kushner... é um agente não registrado de uma potência estrangeira. Especialistas em contraespionagem dos EUA negaram a Kushner qualquer permissão de segurança nesta base, uma negativa que simplesmente foi rejeitada por alguém agindo “em nome do Presidente”. Agora os Democratas pediram uma investigação especial que, provavelmente, revelará que Kushner é tão criminoso quanto seu pai, que recebia sob a mesa, dezenas de milhões em dinheiro na cidade de Nova York e, agora dezenas de milhões em subornos por representar o Estado Sionista de Israel na Casa Branca.

O presidente Donald Trump está furioso com seus chamados chefes de inteligência, particularmente o Diretor de Inteligência Nacional, Dan Coats, que continua a alimentar a história da interferência eleitoral russa, com falso testemunho ao Congresso.

Robert David Steele, ex-espião recomendado para o Prêmio Nobel da Paz em 2017, desmantelou Coats, num novo artigo que aponta que China, Irã e Rússia gastaram no máximo “1% de 1% do que o Sionista Sheldon Adelson e tantos outros pagaram. Israel, não a Rússia, é a potência estrangeira que administra as eleições dos EUA”.

Enquanto Steele se refere a essas pessoas como Sionistas, muitos delas são de fato satanistas. Cada vez mais desses grupos estão sendo expostos ao público. No Brasil, por exemplo, o mundo agora está descobrindo que o "líder espiritual João de Deus" estava mantendo jovens garotas como escravas sexuais, vendendo seus filhos e depois assassinando-as como uma forma de descarte, após 10 anos de escravidão nesse regime  de “criação".

Seria apreciável pensar que pelo menos as crianças foram adotadas em lares felizes, todavia, infelizmente, muitas delas foram, provavelmente, assassinadas para coleta de sangue e "Adrenocromo". Fontes do Vaticano nos alertaram na semana passada para um site obscuro que pretende vender esta substância. Aqui está parte o que diz:

"O composto Adrenocromo (C9H9NO3) é sintetizado pela oxidação da adrenalina, proveniente do sangue de crianças humanas. O Adrenocromo é o produto mais puro no mercado, colhido sob condições estritamente regulamentadas de nossa cadeia de fornecimento internacional de doadores infantis. O sangue de crianças e de virgens, em particular, há muito tempo se converte pelas suas propriedades vivificadoras - tanto como oferta de sacrifício, quanto como substância a ser ritualmente absorvida. É um poderoso elixir psicotrópico rejuvenescedor, extraído da glândula pineal de doadores infantis."

Os comentários do Governador Democrata da Virgínia, Ralph Northam, apoiando a morte de bebês após o terceiro trimestre, depois de extraídos dos ventres de suas mães devem ser vistos nesse contexto. Não me surpreenderia se Northam, que era um “neurocirurgião pediátrico”, ganhasse dinheiro vendendo Adrenocromo.

Tenham certeza de que a Sociedade Dragão Branco - SDB e seus aliados continuarão a caçar e prender ou eliminar todas essas escórias, até que nenhuma delas fique livre ou viva nesse planeta. É claro que, para não nos tornarmos aquilo que estamos combatendo, a SDB prefere julgamentos públicos, baseados em evidências do que o assassinato extrajudicial. Para esse fim, estamos pressionando para que julgamentos tipo Nuremberg comecem o quanto antes, a fim de separar os verdadeiros criminosos, que estão além da verdade e da reconciliação. Só, então, poderemos começar uma maravilhosa nova era, na qual todas as crianças, criaturas frágeis e todos os outros possam se sentir seguros e amados.

Lido em: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2019/02/benjamin-fulford-atualizacao-semanal.html

Discurso de Bolsonaro em Davos e a Lama da Vale

Carta Capital

(Destaques em rosa são de Jomarion deste blog)

O desastre da Vale, em Minas Gerais, já está sendo descrito como tragédia anunciada, pois inúmeros foram os avisos, manifestos, relatórios e pareceres indicando a possibilidade de ruptura da barragem. De nada adiantou. Como as barragens da Vale em Brumadinho, outras inúmeras barragens correm risco de romperem a qualquer momento e levarem consigo a vida de muitas pessoas. O dano social de um episódio como esse é imensurável.

A tragédia, porém, não é isolada. Em realidade, desde que o ano iniciou, não há um dia em que alguma notícia não nos surpreenda negativamente. E essa sucessão de fatos está intimamente conectada com o governo eleito em novembro de 2018.

A análise do momento de luto pelo qual o Brasil passa não pode, portanto, ignorar o primeiro discurso de Jair Bolsonaro para o mundo capitalista ocidental, em Davos. Bolsonaro tinha 40 minutos de fala, dos quais usou menos de 7. Em seu discurso, afirmou que gastou menos de 1 milhão de dólares nas eleições e tinha apenas 8 segundos de tempo de televisão, “sendo injustamente atacado a todo tempo”, mas mesmo assim obteve vitória.

Talvez a narrativa que melhor retrate a realidade não seja bem essa. Os mais de três milhões de brasileiros impedidos de votar, a prisão e o completo isolamento do candidato favorito para o pleito e a disseminação de notícias falsas podem, de algum modo, ter auxiliado o candidato eleito. Ainda assim, há um fato que não podemos desconhecer: ele foi eleito.

Bolsonaro afirmou, também, que “assumiu” o Brasil “em uma profunda crise ética, moral e econômica”. Afirmação verdadeira, que pode ser confirmada tanto por escândalos envolvendo governos anteriores, quanto pela recente notícia de que sete servidores da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) que passaram pelo gabinete do deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) fizeram transferências bancárias para uma conta mantida pelo ex-policial militar Fabrício José Carlos de Queiroz, seu motorista. Ou então pela notícia de que, tão logo a investigação veio a público, foi editado o Decreto nº 9.690, que aumenta o número de pessoas que podem atribuir sigilo aos dados que antes poderiam ser solicitados pela Lei de Acesso à Informação, de 2011. O retrocesso impressiona. A profunda crise ética, moral e econômica, portanto, está bem longe de ser superada.

O Presidente também afirmou em Davos que “somos o país que mais preserva o meio ambiente”. Seria cômico, se não fosse trágico. Tão trágico, que seu discurso foi desmentido em poucos dias pelo desastre anunciado. O rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, deixando um legado que tende a ultrapassar 400 mortos e não foi acidente.

Tinha sido anunciado. Em 21 de novembro de 2018, o Brasil de Fato fez reportagem demonstrando que o “Relatório de Segurança de Barragens (RSB) de 2017, divulgado pela Agência Nacional de Águas (ANA)” deu conta de que “45 barragens foram consideradas vulneráveis e sob risco de rompimento em 2017.

Em 11 de dezembro de 2018, o Conselho Estadual de Política Ambiental aprovou a ampliação de duas minas em Brumadinho e Sarzedo, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, apesar dos protestos que denunciavam o risco. Em 14 de dezembro, nova matéria denuncia a atividade predatória do capital, ignorando deliberadamente o risco na exploração das barragens. Como refere o Movimento dos Atingidos por Barragem, Brumadinho é “tragédia anunciada”. Tragédia, aliás, que revela descaso para com o ambiente e que pode se repetir em grande quantidade, sendo já cogitada como o maior acidente de trabalho na nossa história e um dos maiores do século, em termos mundiais.

Até agora, foram contabilizados mais de 100 mortos, mas a lista de trabalhadores desaparecidos anunciada pela Vale tem 413 nomes. Tudo indica, portanto, que os números oficiais não dão conta da extensão e da gravidade da tragédia. A maioria dos atingidos foram trabalhadoras e trabalhadores da própria Vale, que estavam no ambiente de trabalho quando soterrados pela lama. Ainda assim, o Presidente da República, que exalta a democracia em seu discurso em Davos, mas governa por decretos, expediu um decreto criando o “Conselho Ministerial de Supervisão de Respostas a Desastre, para atuar no desastre de barragens em Brumadinho”, sem chamar pessoa alguma do mundo do trabalho, para dele participar. Aliás, não há mais Ministério do Trabalho, extinto por medida provisória por esse mesmo Presidente, o que já diz muito sobre o que realmente importa para o atual governo.

Outro exemplo do cuidado que o atual governo tem com o meio ambiente, é a liberação, no último dia 10 de janeiro, pelo Ministério da Agricultura, do registro de produtos comerciais com agrotóxicos. A permissão envolve a liberação da comercialização de substâncias como o Metomil, o Imazetapir e o Sulfoxaflor, notadamente prejudiciais à saúde humana e de uso proibido em vários países.

Na edição do dia 18 de janeiro do Diário Oficial, a Coordenação-Geral de Agrotóxicos e Afins do Ministério da Agricultura publicou lista com mais 131 pedidos de registro de agrotóxicos solicitados nos últimos três meses de 2018.

Bolsonaro referiu, ainda, em seu discurso em Davos, que irá “defender a família e os verdadeiros direitos humanos; proteger o direito à vida e à propriedade privada”. Resta, no entanto, a dúvida sobre o que seriam os verdadeiros direitos humanos e a que vidas estaria se referindo o Presidente. Certamente não se refere às vidas e aos direitos das trabalhadoras e trabalhadores, não apenas daqueles soterrados na tragédia da Vale; de todas e todos os trabalhadores, pois já declarou sua intenção de aprofundar a “reforma” trabalhista e mesmo de propor alteração constitucional para extinção da Justiça do Trabalho.

A “reforma trabalhista” realizada pela Lei 13.467 já é extremamente destrutiva e terá efeitos concretos inclusive na vida das pessoas atingidas por essa tragédia.

Como bem refere Jorge Luiz Souto Maior, os trabalhadores e trabalhadoras “têm sido vítimas de enormes ataques desferidos pelos mais diversos agentes públicos nos últimos anos” e a tragédia de Brumadinho apenas desvela ainda mais a perversidade da “reforma” trabalhista, cujo aprofundamento o Presidente pretende, pois se trata de um acidente do trabalho e, como tal, em razão do que dispõe a Lei 13.467/2017, “pode resultar em uma diminuição do potencial jurídico punitivo dos culpados e da eficácia reparatória das vítimas”.

Corroborando essa denúncia, a Vale realizou reunião com a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, e com procuradores que atuam nas áreas ambiental e de direitos humanos, para discutir “acordos extrajudiciais” para as famílias das pessoas, cujas vidas foram ceifadas. A intenção declarada pelo presidente da empresa é “de acelerar ao máximo o processo de indenização e atendimento às consequências do desastre”. Da reunião, não participaram pessoas ligadas ao mundo do trabalho. A Vale afirma que estão “preparados para abdicar de ações judiciais”, o que em bom português significa evitar ações trabalhistas e limitar os valores a serem pagos, muito provavelmente pretendendo, em tais acordos, a abusiva e ilegal cláusula de quitação de contrato.

E não é apenas a classe trabalhadora que parece estar alijada de qualquer prática de proteção da vida e dos “verdadeiros” direitos humanos. Há poucos dias, o Deputado Federal Jean Wyllys anunciou sua renúncia ao mandato e disse que iria embora do país, em razão das ameaças que vem sofrendo, através das redes sociais, mas também por e-mail e por telefone, há mais de ano. Há cinco investigações sobre as ameaças e Jean Wyllys tem escolta policial desde março do ano passado. Ainda assim, não há notícia de que a maioria dos responsáveis tenha sido identificada. O anúncio do Deputado Federal, que deveria impressionar e causar comoção social, pois revela situação incompatível com um Estado Democrático de Direito, não apenas foi recebido com certa apatia, como também não mereceu do atual Ministro da Justiça nada mais do que a manifestação de que a Polícia Federal prendeu um dos autores das tantas ameaças direcionadas ao parlamentar. Pouco. Muito pouco.

Para piorar a situação, Luiz Inácio Lula da Silva, ex-Presidente do Brasil, preso em razão de um processo que ainda não transitou em julgado, quando figurava como favorito no pleito eleitoral de 2018, perdeu o irmão Genival Inácio da Silva, na manhã desta terça-feira (29 de janeiro), e a juíza da Vara de Execuções Penais de Curitiba, Carolina Lebbos, negou a Lula a possibilidade de acompanhar o velório e o enterro, sob o argumento de “impossibilidade logística de proceder-se ao deslocamento” e de “preservação da segurança pública e da integridade física do próprio preso”.

A Lei de Execuções Penais é clara: mesmo presos em regime fechado devem ter o direito de sepultar um parente próximo. No caso de Lula, porém, as regras não são aplicáveis. Nunca foram. Agora, porém, o fato de se tratar de prisão política, cujo objetivo é o silenciamento de uma voz que bem ou mal tem o poder de agitar as massas, não suporta mais disfarces. Já escrevi tantas vezes acerca das críticas que tenho aos governos do PT e a Luiz Inácio Lula da Silva, em particular. Mas proponho um exercício: esqueçamos que o preso é o Lula. Pensemos que se trata de outro ser humano. Negar a possibilidade de acompanhar a despedida de um irmão é ultrapassar todas as barreiras de humanidade construídas durante os últimos séculos, que nos permitem afirmar que vivemos em uma civilização.

Nada justifica isso. Pois o STF, ao ser instado a se manifestar acerca do indeferimento do pedido, proferiu decisão, por seu Presidente, no dia 30 de janeiro, “minutos antes do sepultamento”. Além de intempestiva, a decisão se revelou inócua, pois autorizou Luiz Inácio Lula da Silva a “encontrar exclusivamente com os seus familiares, na data de hoje, em Unidade Militar na Região, inclusive com a possibilidade do corpo do de cujos ser levado à referida unidade militar, a critério da família”. Algo, portanto, praticamente impossível de ser realizado.

É interessante verificar a linha argumentativa utilizada pelo STF. Segundo Dias Toffoli, a medida, inclusive com determinação expressa de vedação do “uso de celulares e outros meios de comunicação externo, bem como a presença de imprensa e a realização de declarações públicas”, teve por objetivo “garantir a segurança dos presentes, do requerente, e dos agentes públicos que o acompanharem”. Nos fundamentos, refere que a tendência é que a “militância petista compareça em grande número ao cemitério para tentar se aproximar de Lula, que, mesmo preso, continua exercendo forte liderança dentro do partido e entre simpatizantes”.

Admite a força social de Lula ao referir que há a “Vigília Lula Livre”, a qual “teve reforço de caravanas de apoiadores durante o Ano Novo, tendo sido estimada a presença de 2 mil pessoas” e que há uma “possível indicação de Lula para o prêmio Nobel da Paz por ter combatido a fome e a miséria enquanto governou o país”. É, portanto, a “alta capacidade de mobilização dos apoiadores e grupos de pressão contrários ao ex-presidente” uma das razões para a decisão proferida. Segundo Toffoli, “é importante que Lula seja mantido a longa distância de aglomerações, já que esse fato pode desencadear crises imprevisíveis”. A decisão fala por si.

Seguindo o exercício proposto, se o preso fosse outro, a decisão não teria como se sustentar, pois as justificativas para negar o direito de velar o irmão morto transitam em torno do fato de que Lula é uma figura pública central para a militância de oposição no país hoje, queiramos ou não. Portanto, a tardia autorização para que o corpo do morto fosse deslocado (minutos antes do horário previsto para o sepultamento) até uma unidade militar, a fim de que fosse visto por Lula, na presença exclusiva de parentes, revela que efetivamente se está diante de uma prisão política, que não se esgotou com o impedimento da concorrência eleitoral.

Se faço referência a esse fato, é porque ele em nada se separa daqueles antes mencionados.

A corrupção escrachada, a absoluta segregação de Lula, o descaso que provoca tragédias avassaladoras, o exílio forçado de um militante LGBT , assim como todas as exceções e violências aos mais básicos direitos fundamentais fazem parte de uma realidade única, escolhida por 57.797.847 de brasileiros e brasileiras nas últimas eleições.

É sobre a sociedade, portanto, que devemos urgentemente pensar.  É com nossos irmãos e amigos que precisamos falar.

A Lei 13.467 (“reforma” trabalhista), aprovada sob a precária gestão de Temer, vem sendo aplicada por juízes e advogados trabalhistas. Basta ver o número de demandas pleiteando dano moral com valor tarifado ou propondo a inconstitucional e incompreensível, senão sob a lógica da renúncia sistemática de direitos irrenunciáveis, ação para homologação de acordo extrajudicial. A “reforma” trabalhista, portanto, só existe como realidade cruel e negadora de direitos fundamentais, porque uma boa parte das juízas e juízes, dos advogados e das advogadas a aplicam.

Do mesmo modo, a exceção que permite desumanidades como a negação do direito fundamental a velar e sepultar o próprio irmão ou a morte de centenas de pessoas por negligência deliberada, não é resultado da atuação de um sujeito ou mesmo de um grupo pequeno de pessoas. Trata-se de algo autorizado nas urnas. Da “participação” do Brasil em Davos, aprendemos que o compromisso com a verdade não é algo que necessariamente está presente nas manifestações públicas, mas também que as mentiras são facilmente desmascaradas, basta olharmos em volta.

Aprendemos, sobretudo, que apenas palavras não são suficientes para alterar a realidade.

Enquanto não rejeitarmos, de modo definitivo e intransigente, a aplicação de regras que negam proteção à trabalhadoras e trabalhadores; a lógica do lucro que impõe miséria e morte; o discurso preconceituoso que exclui; a segregação de seres humanos por interesses políticos, econômicos ou partidários, não conseguiremos alterar a triste realidade em que estamos submersos em nosso país.

Autoria deste artigo: Valdete Souto Severo, Diretora e Professora da FEMARGS – Fundação Escola da Magistratura do Trabalho do RS; Membra da AJD – Associação Juízes para a Democracia; Doutora em Direito do Trabalho pela USP/SP, Juíza do Trabalho.

Lido em: https://www.cartacapital.com.br/opiniao/discurso-de-bolsonaro-em-davos-e-a-lama-da-vale/

5.2.19

Dez distorções sobre a Venezuela que se tornaram 'verdade absoluta'

(E você não vai saber pelo WhatsApp)

Guerra pela democracia ou pelo petróleo?

Dez distorções impostas por analistas que nunca estiveram na Venezuela se tornaram 'base para opinião'

Em 23 de Janeiro de 2019, a Venezuela entrou em uma nova fase de um golpe que se iniciou em 11 de abril de 2002, se intensificou em 2013 depois da morte do Comandante Chávez, e se recrudesceu com a violência opositora das “guarimbas” (manifestações terroristas da direita) em 2014 e 2017.

A guerra híbrida que a Venezuela vive tem a desinformação e a manipulação midiática como uma de suas principais armas de combate. Lemos e escutamos mentiras que analistas que nunca estiveram na Venezuela repetem tantas vezes que se convertem em “realidade” para a opinião pública.

1. A Venezuela tem 2 presidentes

Nada mais longe da realidade. A constituição Venezuelana estabelece em seu artigo 233 como falta absoluta de Presidente os casos de morte, renúncia, destituição pelo Supremo Tribunal Federal, incapacidade física ou mental decretada por uma junta médica, o abandono do cargo ou a revogação popular de seu mandato. Guaidó não tem nenhum argumento Constitucional para se autoproclamar Presidente pois não há falta absoluta do Presidente, que prestou juramento, conforme estabelecido pela Constituição, no artigo 231 no dia 10 de janeiro e perante o Supremo Tribunal Federal. Além disso, de acordo com a mesma Constituição, se houver absoluta falta do Presidente é o Vice-Presidente que deve assumir a presidência e convocar eleições.

2. Guaidó tem o apoio da comunidade internacional

Além da hipocrisia de chamar de comunidade internacional somente o Ocidente, no dia 10 de janeiro, na inauguração de Maduro, houve representações diplomáticas de mais de 80 países, da Rússia à China, passando pelo Vaticano, a Liga Árabe e a União Africana. Esses países continuam mantendo relações diplomáticas com o governo liderado por Nicolás Maduro. Guaidó tem o reconhecimento dos mesmos países que em 10 de janeiro não reconheciam Maduro: os Estados Unidos e o Grupo Lima (exceto o México). Apenas a Geórgia (devido à sua disputa territorial com a Rússia), Austrália e Israel aderiram.

3. Guaidó é diferente da oposição violenta

Guaidó é deputado do Voluntad Popular, partido político que ignorou as eleições presidenciais de 2013 e cujo líder, Leopoldo López, é condenado por ser o autor intelectual de “La salida”, que promoveu as “guarimbas” de 2014, com saldo de 43 mortos e centenas de pessoas feridas.

4. A Assembleia Nacional é o único órgão legítimo

Não é verdade. O artigo 348 da Constituição venezuelana autoriza o Presidente, no Conselho de Ministros, a convocar uma Assembleia Constituinte, e o Artigo 349 define que os poderes constituídos (Assembleia Nacional) não podem de modo algum impedir as decisões da Assembleia Constituinte. A decisão de convocar a Assembleia Constituinte foi um ato de astúcia do chavismo para superar o bloqueio da Assembleia Nacional, que pode ou não gostar, mas foi realizado com estrita adesão à Constituição.

5. Maduro foi reeleito de forma fraudulenta, em eleições sem oposição

Outra mentira que se repete como mantra. As eleições de 20 de maio de 2018 foram convocadas pela mesma Justiça Eleitoral e usando o mesmo sistema eleitoral com o qual Guaidó se tornou deputado. Havia 3 candidatos da oposição que reuniram 33% dos votos e seguiram as regras acordadas na mesa de diálogo realizada na República Dominicana entre o governo venezuelano e a oposição, com o ex-presidente espanhol Zapatero como mediador, que também, subsequentemente, participou como observador nas eleições presidenciais.

6. Na Venezuela não há democracia

Desde 1998, foram realizadas 5 eleições presidenciais, 4 eleições parlamentares, 6 eleições regionais, 4 eleições municipais, 4 referendos constitucionais e uma consulta nacional. 23 eleições em 20 anos. Todos com o mesmo sistema eleitoral, considerado o mais seguro do mundo pelo ex-presidente dos Estados Unidos, Jimmy Carter.

7. Na Venezuela há uma crise humanitária

Sem dúvida alguma que na Venezuela há uma crise econômica no momento, resultado de uma guerra econômica que começa após a morte de Chávez e é agravada pelas sanções do Congresso dos Estados Unidos (dezembro de 2014), a ordem executiva de Obama declarando a Venezuela um perigo para a segurança nacional dos Estados Unidos (março de 2015), prorrogada e ampliada (agosto de 2017) por Trump com sanções que impediram a compra de alimentos e medicamentos. Esta crise levou a uma migração econômica que se destinava a dissimular o exílio político, algo que os dados negam (entre janeiro e agosto de 2018, a Comissão Mexicana de Assistência aos Refugiados recebeu 3.500 solicitações de refúgio de venezuelanos, para um total de 6.523 pedidos. Em refúgio para os cidadãos hondurenhos, quase o dobro).

8. Na Venezuela, os direitos humanos são violados

Vamos analisar os números das repressões de 2017: 131 pessoas mortas, 13 das quais foram baleadas pelas forças de segurança (compostas por 40 membros presos e processados); 9 membros da polícia e da Guarda Nacional Bolivariana mortos; 5 pessoas queimadas vivas ou linchadas pela oposição. O restante dos mortos o foram principalmente enquanto manipulavam explosivos ou tentavam contornar as barricadas da oposição.

9. Na Venezuela não há liberdade de expressão

Basta ver as imagens de Guaidó falando com dezenas de microfones no meio das ruas públicas, ou dando entrevistas à mídia internacional todos os dias para saber que isso não é verdade. Na Venezuela, além disso, diferentemente do México, os jornalistas não são assassinados ou desaparecem por fazer seu trabalho.

10. A comunidade internacional está preocupada com o estado da democracia na Venezuela

A “comunidade internacional”, representada pelos Estados Unidos e pelo Grupo Lima, não está preocupada com os prisioneiros torturados em Guantánamo; ela não está preocupada com os líderes sociais e defensores dos direitos humanos que são mortos todos os dias na Colômbia; ela não está preocupada com as caravanas de migrantes que fogem da doutrina de choque neoliberal em Honduras; ela não se importa com as relações dos filhos de Bolsonaro com as milícias que assassinaram Marielle Franco. Não, ninguém julga as graves violações dos direitos humanos nos países do Grupo Lima e seu aliado, os Estados Unidos. O que está escondido por trás dessa preocupação não é chamado de democracia, é chamado de petróleo, é chamado de ouro, é chamado de coltan.

Katu Arkonada*, Brasil de Fato

*Katu Arkonada é cientista político, autor de livros relacionados à política latino-americana e membro da Rede de Intelectuais na Defensa da Humanidade.

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/02/distorcoes-venezuela-verdade-absoluta.html

"Dejen en paz al pueblo venezolano": Roger Waters lanza un grito contra EE.UU.

El exlíder de Pink Floyd ha instado a los internautas a protestar frente a la misión diplomática estadounidense ante la ONU.

El músico y activista británico Roger Waters ha pedido a EE.UU. que "deje en paz al pueblo venezolano" y ha instado a los internautas a protestar frente a la misión diplomática estadounidense ante la ONU, según se expresó este lunes a través de su página oficial de Twitter.

"Detengan esta última locura del Gobierno de EE.UU., dejen en paz al pueblo venezolano", reza el mensaje de Waters, que subraya que en Venezuela existe una democracia real. Asimismo, el exlíder de Pink Floyd criticó a Washington por intentar destruir el país sudamericano con el objeto de que "el 1% pueda saquear su petróleo".

Waters concluye su publicación, en la que utiliza el 'hashtag' #STOPTRUMPSCOUPINVENEZUELA ('Detén el golpe de Estado de Trump en Venezuela', en inglés), con un rotundo "EE.UU., ¡fuera las manos de Venezuela!". El mensaje viene acompañado de un cartel en el que se insta a realizar una "manifestación de emergencia" este lunes a las 15:00 (hora local) frente a la misión diplomática de EE.UU. ante las Naciones Unidas, en Nueva York.

El 3 de febrero el presidente de EE.UU., Donald Trump, declaró que la intervención militar en Venezuela era una "opción" para resolver la situación que afronta la nación latinoamericana. Asimismo, reveló que su homólogo venezolano, Nicolás Maduro, solicitó reunirse con él pero lo rechazó argumentando que ya existe "un caballero joven y enérgico [y] otras personas" que han mostrado realmente "la democracia en acción".

Por su parte, el canciller de Venezuela, Jorge Arreaza, dijo que las recientes declaraciones del inquilino de la Casa Blanca confirman que "Trump está al frente del golpe de Estado violando la Carta de Naciones Unidas".

Lido em: https://actualidad.rt.com/actualidad/304517-roger-waters-pronunciarse-situacion-venezuela

Sabrina Bittencourt, que denunciou João de Deus, comete suicídio

 

(Jomarion... a provável causa do suicídio é a perseguição sofrida pelas “redes podres” e  poderosas infiltradas em Governos, Corporações e Entretenimento) 

A ativista tinha 38 anos e morava em Barcelona (Carta Capital)

Ameaçada de morte, Bittencourt vivia fora do Brasil sob proteção de organismos internacionais que prestam esse tipo de serviço a ativistas diversos.

Sabrina Bittencourt, a ativista que desmascarou os abusos sexuais de João de Deus e do guru Prem Baba, cometeu suicídio no sábado 2. A morte de Bittencourt, que tinha 38 anos, foi confirmada em nota por Maria do Carmo Santos, presidente da ONG Vítimas Unidas.

“O grupo Vítimas Unidas comunica com pesar o falecimento de Sabrina de Campos Bittencourt ocorrido por volta das 21h deste sábado, 02 de fevereiro, na cidade de Barcelona, na Espanha, onde vivia. A ativista cometeu suicídio e deixou uma carta de despedida relatando os porquês de tirar sua própria vida. Pedimos a todos que não tentem entrar em contato com nenhum integrante da família, preservando-os de perguntas que sejam dolorosas neste momento tão difícil. Dois dos três filhos de Sabrina ainda não sabem do ocorrido e o pai, Rafael Velasco, está tentando protege-los. A luta de Sabrina jamais será esquecida e continuaremos, com a mesma garra, defendendo as minorias, principalmente as mulheres que são vítimas diárias do machismo”.

Antes de cometer suicídio, Bittencourt escreveu um post de despedida no Facebook: “Marielle me uno a ti. Eu fiz o que pude, até onde pude. Meu amor será eterno por todos vocês. Perdão por não aguentar, meus filhos.”

Nascida em uma família mórmon, a ativista foi abusada desde os quatro anos de idade por integrantes da igreja frequentada pela família. Aos 16, ficou grávida de um dos estupradores e abortou. Bittencourt dedicou a vida a militar por vítimas de abuso e a desmascarar líderes religiosos, entre eles Prem Baba e João de Deus.

Em dezembro do ano passado, a ativista concedeu uma entrevista a Fred Melo Paiva, editor de CartaCapital, no qual relata a sua história de vida e a sua atuação nas denúncias de líderes religiosos que cometem abuso.

Ela prometia desmascarar outras 13 lideranças neste ano...

Bittencourt é a mulher por trás das centenas de denúncias de abuso contra João de Deus e Prem Baba. Sob sigilo, prepara o material a desmascarar outros 13 gurus espirituais brasileiros.

(Jomarion: Também veio dela a denuncia/bomba de trafico internacional de crianças (até de bebes) para “pedofilia” e “canibalismo” bem como  aliciamento de adolescentes e mulheres para redes de exploração sexual ligadas a João de Deus, a noticia chegou as mídias tradicionais e logo a seguir foi abafada)

Filha de imigrantes uruguaios e espanhóis, ela é uma ativista reconhecida internacionalmente, experimentada em agruras diversas.

Envolveu-se na busca por crianças desaparecidas no Brasil, lidou com jovens carentes acometidos de problemas renais, trabalhou com crianças cegas, surdas e mudas em países da África, defendeu indígenas ameaçados no México.

Foi eleita por unanimidade para um posto de direção no Partners of the Americas, uma das maiores organizações de voluntários do mundo. Especializou-se no então nascente conceito do empreendedorismo social, aquele que permitiu ao Terceiro Setor livrar-se do assistencialismo e ganhar dinheiro para o financiamento de suas atividades.

Em 2013, assoberbada por mais de 30 projetos sociais em quatro continentes, foi atingida por uma amnésia que lhe apagou 11 anos de memórias. Virou, por isso, personagem do Fantástico.

Bittencourt é uma das criadoras do “movimento” COAME , sigla para Combate ao Abuso no Meio Espiritual, plataforma que concentra denúncias de violações sexuais cometidas por padres, pastores, gurus e congêneres.

Craque na lida com o mundo virtual das redes e com o modus operandi do ativismo real, atraiu mulheres dispostas a contar suas experiências de assédio com Prem Baba e João de Deus. Com o imprescindível apoio das Vítimas Unidas de Roger Abdelmassih, de ativistas espalhados pelo mundo e de jornalistas brasileiros que investigavam tanto o incensado guru quanto o poderoso curandeiro, organizou depoimentos, investigou crimes paralelos, articulou e segue articulando com imprensa e promotores.

Aprendiz de Chico Xavier, João de Deus está preso desde o domingo 16, e contra ele se acumulam até o momento 506 denúncias.  Dono de sete fazendas, atuante no garimpo de pedras preciosas, teve sua casa em Abadiânia (GO) revirada pela Polícia na quarta-feira 19. Foram encontradas uma quantidade vultosa de dinheiro vivo e armas ilegais.

Localizada no meio do caminho entre Brasília e Goiânia, a pequena cidade de Abadiânia é a “cidade de João de Deus”. Com pouco mais de 15 mil habitantes, tudo nela gira, ou girava, em torno da Casa Dom Inácio de Loyola, onde o médium João Teixeira de Faria supostamente operava milagres em “cirurgias” toscas que abdicavam de anestesia.

Com a prisão de João de Deus, os moradores de Abadiânia temem ver a localidade transformada em cidade fantasma, afetando seus negócios. Culpam Sabrina pelo repentino ocaso. Ela diz: “Não tem um Cristo lá que não sabia dos malfeitos do médium. São coniventes”.

Localizada no meio do caminho entre Brasília e Goiânia, a pequena cidade de Abadiânia é a “cidade de João de Deus”. Com pouco mais de 15 mil habitantes, tudo nela gira, ou girava, em torno da Casa Dom Inácio de Loyola, onde o médium João Teixeira de Faria supostamente operava milagres em “cirurgias” toscas que abdicavam de anestesia.

Com a prisão de João de Deus, os moradores de Abadiânia temem ver a localidade transformada em cidade fantasma, afetando seus negócios. Culpam Sabrina pelo repentino ocaso. Ela diz: “Não tem um Cristo lá que não sabia dos malfeitos do médium. São coniventes”.

Ameaçada de morte, Bittencourt vivia fora do Brasil sob proteção de organismos internacionais que prestam esse tipo de serviço a ativistas diversos. Mudava de casa a cada 10 ou 12 dias... e de país sem registrar o ingresso na fronteira.

A seguir, trechos do depoimento da ativista a CartaCapital. A íntegra está na edição impressa de número 1035, nas bancas até a sexta-feira 28.

Abusada pelos religiosos

“É algo endêmico essa absurda quantidade de líderes de várias religiões que abusam de crianças, jovens e, principalmente, mulheres. Desde os quatro anos fui abusada diversas vezes pelos mórmons da igreja que frequentávamos, contra os quais não foi tomada nenhuma providência. O meu caminho foi traçado a partir da dor do outro e da minha dor. Eu sabia desde sempre que tinha privilégios que outros não tinham. Então, para poder me curar dessas dores, fiz trabalho social intensamente por 20 anos.”

modus operandi das denúncias

“As coisas que faço são muito organizadas. As denúncias contra Prem Baba e João de Deus deram certo porque fui vendo as variáveis de cada um dos grupos. O que interessa para as vítimas? Falar. Aos policiais? Descobrir outros crimes, entre aspas, mais importantes. Para os jornalistas, o furo. Então vou pegando as informações de pessoas de grupos vulneráveis, organizo. Marco o ritmo, o tom e o código ético de como tratar as vítimas daquele líder espiritual.”

Treze novos abusadores

“Jamais imaginei que a partir do lance do Prem Baba eu ia conseguir receber 103 relatos de 13 líderes espirituais diferentes a partir de um único post no Facebook. Com João de Deus, estamos tratando de uma elite, de celebridades, de pessoas que viajam para a Índia, que podem ficar três meses em Abadiânia apenas sendo voluntária. Estrategicamente, vou apresentando os mais favorecidos. Agora, quando consigo mostrar para a sociedade que mesmo João de Deus, que há 40 anos é o intocável, que já mandou matar uma porrada de gente, que é multimilionário, e mesmo assim a gente conseguiu desmascarar, aí as mulheres que são abusadas por pastores e padres, mulheres negras de uma camada menos favorecida, elas vão criar coragem para falar.”

(Jomarion: Algumas mídias disseram que ela estava com câncer, mas poucos acreditam que isto a levou ao suicidio, pelo seu perfil de ativista). 

Lido em: https://www.cartacapital.com.br/sociedade/sabrina-bittencourt-que-denunciou-joao-de-deus-comete-suicidio/

4.2.19

Mourão e Bolsonaro não se entendem... não se falam... enquanto o capitão está no WhatApp o vice olha ao longe...

Família Bolsonaro delega a Olavo de Carvalho o papel de enquadrar Mourão

Há um padrão na família Bolsonaro: se agem como leões com Venezuela e Cuba e como gatinhos mansos com os EUA, repetem esse modelo com Mourão. O general está livre, leve e solto, falando pelos cotovelos, contradizendo o chefe. O papel de enquadrá-lo fica delegado ao guru Olavo de Carvalho (Pragmatismo Político)

Bolsonaro e Mourão não se falam desde as eleições

Há um padrão nos Bolsonaros — posto que se trata de um clã no poder — que se repete tanto para efeito externo quanto interno.

Se agem como leões com Venezuela e Cuba e como gatinhos sabujos com os EUA, repetem esse modelo com o vice Mourão.

O general está livre, leve e solto, falando pelos cotovelos, contradizendo o chefe (ao menos pro forma) em temas-chaves da administração.

Garantiu ao embaixador da Palestina que não há plano sobre Jerusalém, defendeu que Lula deveria ir ao funeral do irmão por “questão humanitária”, afirmou que “aborto deve ser uma decisão da mulher” etc etc.

O papel de tentar enquadrar Mourão fica delegado ao guru Olavo de Carvalho, em vídeos e postagens constrangedores, e aos milicianos virtuais paranoicos que vivem de lamber o saco de Jair.

O desencontro e a bateção de cabeça são evidentes e você não precisa ser um astrólogo como Olavo para ver que isso não vai acabar bem.

Ao Globo, Mourão fez uma revelação inacreditável — mesmo em se tratando desse circo — sobre o nível de desentendimento da dupla: “As únicas vezes que o presidente conversou comigo foram durante a campanha eleitoral.”

Você não precisa ser um picareta especializado em cursos sobre gestão para saber que não tem como um time dar certo jogando dessa maneira.

A pergunta óbvia é a seguinte: por que Bolsonaro não telefona para Mourão e tenta combinar qualquer coisa?

Primeiro, porque Bolsonaro, acuado pelo escândalo do filho Flávio, não tem ideia de para onde vai.

Depois, porque capitão não manda em general. Como todo falastrão, ele tem medo.

Por medo, ele se deixa montar, fisicamente, por seu segundo.

Porque sabe que terá novamente a sensação de quando foi assaltado em 1995: “Mesmo armado, me senti indefeso”.

Kiko Nogueira, DCM

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/02/fbolsonaro-olavo-de-carvalho-enquadrar-mourao.html

General Mourão rebate ofensas de Olavo de Carvalho

 

Em tom de deboche, General Mourão reage aos xingamentos do guru de Jair Bolsonaro: “Quem se importa com as opiniões do Olavo?”

Guru de Jair Bolsonaro, o autoproclamado filósofo Olavo de Carvalho dedicou boa parte de sua semana para atacar o general Hamilton Mourão, vice-presidente da República.

Primeiro, Olavo divulgou um vídeo de 15 minutos no Youtube com críticas diretas aos militares que compõem o governo Bolsonaro. Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional, também foi alvo dos ataques.

A princípio, Olavo irritou-se porque Mourão repudiou publicamente as ameaças de morte que motivaram o deputado Jean Wyllys (PSOL) a declinar do mandato. “Ameaçar um deputado é um perigo para a democracia”, afirmou o vice-presidente.

“Fui vítima da campanha difamatória mais cruel de toda a história humana contra um cidadão privado e nenhum militar nunca se manifestou a respeito”, reclamou Olavo.

“Ameaçar um sujeito que se tornou o símbolo do movimento que elegeu o atual presidente da República não é um perigo para a democracia general?”, questionou o filósofo, referindo-se a si próprio.

Olavo criticou Augusto Heleno por dar entrevista a jornalistas que, segundo ele, mentem contra as Forças Armadas e o presidente da República.

“Você não tem vergonha, Heleno? Mourão, você não tem vergonha de puxar o saco desse Jean Wyllys e nada fazer em minha defesa?”, disparou.

O jornalista finaliza a gravação dizendo que está a ponto de desistir de falar da política brasileira por causa dos ataques que sofre.

Mais críticas

No dia seguinte, Olavo usou as redes sociais para afirmar que a postura de Mourão diante dos jornalistas brasileiros representa a “falsa esperteza de um covarde”.

Não satisfeito, nesta quarta-feira o filósofo voltou a atirar contra o vice-presidente por conta de um encontro com autoridades palestinas.

“Enquanto os israelenses estavam socorrendo as vítimas da tragédia de Brumadinho, o Mourão estava trocando beijinhos com a delegação palestina, prometendo que a nossa embaixada NÃO vai mudar para Jerusalém”, bradou Olavo.

A comitiva palestina veio na tentativa de driblar as relações que o Brasil tem feito com Israel para convencer o governo a não transferir a embaixada brasileira para Jerusalém.

Em resposta, Mourão tranquilizou os líderes palestinos e assegurou que, “por enquanto”, o governo brasileiro não irá transferir a embaixada.

Olavo, ainda sobre o assunto disse: “Se dependermos de tipos como Paulo Chagas e Mourão, em menos de um ano a quadrilha petista estará de volta ao poder, amparada nos serviços secretos da Rússia e da China.”

Segundo Lauro Jardim, colunista de O Globo, Mourão reagiu com desdém aos ataques feitos por Olavo de Carvalho.

“Quem se importa com as opiniões do Olavo? Aliás, ele atacou o general Heleno também”, disse o vice-presidente.

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/01/general-mourao-rebate-ofensas-de-olavo-de-carvalho.html

A "Lava Ajuda" de Israel e o uso político da tragédia em Brumadinho

 

Militares israelenses desembarcando em Brumadinho... Se aproveitando da tragédia para “aparecer” na mídia internacional e fazer média com o governo sionista além de subestimar a capacidade de nossos bombeiros (Jomarion)

Diante da tragédia em Brumadinho (MG), expressões de solidariedade vêm dos lugares mais distantes. Lamentavelmente, as vidas humanas ceifadas pela ganância do capital também despertam oportunismo. Caso do Estado de Israel, cuja violação de direitos humanos fundamentais é praxe. Frente ao espetáculo midiático em torno da ação dos seus mais de 130 soldados na região desde a última segunda-feira (28), pode ser vista por pessoas bem intencionadas com bons olhos. Natural.

Contudo, não é o caso.

Nada mais fake do que a “ajuda humanitária” oferecida pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, anunciada por Bolsonaro em declaração à mídia brasileira em 26 de janeiro – dia seguinte à ruptura de quatro barragens de rejeitos na região.

Ao contrário da propaganda que vem sendo feita, essa oferta israelense não tem nada de nobre, sequer é necessária. Visa transmitir ao mundo imagem positiva diante das denúncias do contínuo apartheid, colonização e ocupação desumanos a que estão submetidos os palestinos todos os dias, há mais de 70 anos. Nos territórios invadidos em 1967 – Gaza, Cisjordânia e Jerusalém Oriental –.

A ocupação israelense ceifou quase 300 vidas palestinas somente em 2018 e coloca 2,5 milhões de pessoas necessitadas de assistência humanitária, além de 1,6 milhão em situação de insegurança alimentar, segundo relatório da Coordenação de Assuntos Humanitários da Organização das Nações Unidas de dezembro de 2018 (confira clicando aqui).

A ação israelense, repleta de “segundas intenções”, é denominada Aid Washing – em português, algo como “lavar de ajuda”. Por essa razão, tem motivado indignação e repúdio. Sem contar que a presença israelense se dá em violação a lei federal (nº 1.079/1950), que determina que o Presidente da República precisa da anuência do Congresso Nacional ao trânsito de tropas estrangeiras em território nacional. A autorização dada por Bolsonaro, passando ao largo do Legislativo, portanto, constitui crime de responsabilidade passível de impeachment.

É a primeira vez que Israel recorre a Aid Washing no Brasil, mas não é novidade no mundo. Entre os exemplos recentes, ação em setembro de 2017 durante o terremoto na Cidade do México que deixou mais de 300 mortos e, em julho de 2018, no resgate dos meninos tailandeses presos em caverna nesse último país – ambas tragédias que causaram comoção mundial, como essa da ruptura das barragens em Brumadinho. Relações públicas a serviço de encobrir crimes contra a humanidade e ampliar seus acordos com os governos cúmplices do apartheid na Palestina, que em nada beneficiam a sociedade local, seus trabalhadores e trabalhadoras.

Israel não é o único na história a usar tragédias: estudos demonstram que o regime de apartheid na África do Sul, que perdurou de 1948 a 1994, fez muita propaganda na intenção de vender imagem positiva ao mundo, antes de a campanha internacional de boicote se consolidar e mesmo na busca por contrapor-se a essa ação poderosa de solidariedade.

Segundo reportagem publicada pela BBC em 1º de dezembro de 2017, a África do Sul realizara o primeiro transplante de coração do mundo em 1967, que serviu à campanha de relações públicas para encobrir a segregação que os negros enfrentavam no país. “No livro, ‘Cada Segundo Conta: A Extraordinária Corrida pelo Primeiro Transplante de Coração Humano’, publicado em 2006, o escritor sul-africano Donald McRae destaca que, minutos após ser informado do transplante, em 3 de dezembro de 1967, o primeiro-ministro John Vorster escreveu um memorando interno ao seu gabinete: ‘Nós podemos associar esse momento histórico da medicina a uma imagem positiva do país, após toda essa propaganda contrária a nós pelo mundo’(…).”

Documentário intitulado “Terra, paz e propaganda” demonstra que, ao lado dos investimentos militares, com a ajuda de bilhões de dólares do imperialismo estadunidense, Israel conta com fortes inversões em relações públicas. Somente em ajuda militar, os Estados Unidos, ainda durante o Governo Obama em 2016, anunciaram o montante recorde de US$ 38 bilhões por dez anos.

Sem eficácia
Tecnologias como as que foram trazidas para Brumadinho são desenvolvidas com tais recursos. Não obstante, como se destinam à limpeza étnica e à manutenção da ocupação ilegal na Palestina, não tem eficácia para salvar vidas. Ao portal Folha/UOL de 28 de janeiro,
o tenente-coronel Eduardo Ângelo, comandante das operações de resgate, afirmou que os equipamentos israelenses trazidos a Brumadinho “não são efetivos para esse tipo de desastre”. Ele acrescentou: “O ministro de Israel se pronunciou a respeito das dificuldades que eles tiveram.

O imageador que eles têm pega corpos quentes, e todos os corpos [na região] são frios. Então esse já é um equipamento ineficiente.” Do alto da arrogância e falta de sensibilidade de quem representa um projeto colonial, o embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley, também à mídia, desqualificou a declaração, dizendo que “há pessoas com ciúmes”. E completou: “Quem estiver frustrado com a melhora no relacionamento entre Israel e Brasil, que se acostume e ‘engula o chapéu’.”

Causa estranheza que o Governo de Minas e a Presidência da República saúdem a vinda israelense como necessária nesse momento, ao mesmo tempo em que recusam ajuda local, seja de bombeiros voluntários de outros estados, como São Paulo, seja de efetivo das Forças Armadas Brasileiras. É o que vem ocorrendo, conforme reportagem da Agência Estado de 28 de janeiro.

Segundo a notícia, militares das Forças Armadas estão de prontidão desde dia 25 em Belo Horizonte “para serem empregados, em um primeiro momento, na tentativa de salvamento de pessoas que poderiam estar em áreas isoladas ou em meio à lama por causa do rompimento da Barragem em Brumadinho, e depois para auxiliar no resgate de corpos, para diminuir o sofrimento dos que estão em busca de seus parentes”.

Contudo, segundo a matéria, o Governo de Minas não os requisitou, afirmando que há pouco espaço para manobra, a área é restrita e o risco de contaminação, elevado. “Penso que já deveriam ter usado (o pessoal das três Forças). Eu penso que a ajuda dos homens do Exército, da Marinha e da Aeronáutica é muito importante nesta hora. Eles têm experiência. O momento é de unir forças”, declarou ainda à Agência Estado o deputado Fábio Ramalho (MDB-MG).

Logo após a visita do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu ao País, a “ajuda” a Brumadinho, ao que tudo indica, vai ao encontro da aproximação explicitada pelos representantes sionistas e por Bolsonaro, como amplamente anunciado já durante a campanha eleitoral.

Esse governo declara abertamente seu amor por Israel e promete mais acordos bilaterais. Assim, a ação traduz-se também em publicidade para a venda ao Brasil de mais tecnologias testadas sobre as “cobaias” humanas que Israel converte os palestinos cotidianamente.

Na contramão do que reivindica o movimento de BDS (boicote, desinvestimento e sanções), que traz as reivindicações básicas ao fim da ocupação, entre elas que se cumpra o legítimo direito de retorno dos milhões de refugiados palestinos às suas terras. E algo bem distante da verdadeira solidariedade internacional – expressa às vítimas de Brumadinho também por palestinos em todo o mundo.

Lido em: https://www.cartacapital.com.br/opiniao/israel-ajuda-fake-e-uso-da-tragedia-em-brumadinho/

Benjamin Fulford - Ultimo Boletim - 29.01.19

 

TENTATIVA DE SE APODERAR DO PETRÓLEO VENEZUELANO PELA CABALA FALHA... A FALÊNCIA DA CORPORAÇÃO DOS EUA SE APROXIMA... E REDES PEDÓFILAS EXPOSTAS

.A batalha pelo planeta Terra está se intensificando, na medida em que a conspiração satânica dominante, perigosa e literalmente lutando por sua vida, está encurralada. Ela (cabala) está lutando desesperadamente para permanecer no poder, roubando as reservas de petróleo da Venezuela, porque estará condenada, se perder o controle do sistema financeiro e, portanto, sua capacidade de contratar proteção.

Cada vez mais denunciantes estão se expondo e confirmando que ela realmente tortura e assassina crianças e que continuam tentando assassinar a maioria da população da Terra.  Por exemplo, o jornal britânico “The Guardian”, agora, está confirmando o que há muito temos relatado, de que o HIV/AIDS, foi deliberadamente disseminado, numa tentativa de despovoar a África.

Anos atrás, relatamos que um tal de Dr. Michael Meiring, contou que ele, juntamente com o pioneiro da vacina contra a poliomielite Dr. Jonas Salk, participaram da disseminação do HIV, inserindo-o em vacinas contra poliomielite, aplicada em 2 milhões de africanos.

A geografia inicial da rota de fuga do HIV/AIDS na África corresponde precisamente à geografia da campanha de vacinação contra a pólio. Não iremos entrar novamente em detalhes nesse assunto, todavia, asseguramos que o ebola, a SARS, a gripe aviária, etc. também foram deliberadamente espalhados como parte dessa agenda de despovoamento.

Também, estamos ouvindo de mais denunciantes, que descrevem como os membros da elite dominante Ocidental sacrificam crianças como parte de sua adoração a Baal, de outra forma conhecido como Moloque, Set, Satanás, etc.  Vamos discutir algumas das últimas e horríveis revelações abaixo, todavia, primeiro vamos dar uma olhada na luta de poder global em andamento.

Em sua última cartada, a satânica máfia khazariana agora está tentando preservar o seu controle do sistema financeiro baseado no Petrodólar, aproveitando-se das reservas petrolíferas da Venezuela. 

O autodescrito satanista Leo Zagami está conclamando todos os maçons a seguirem o "líder da oposição venezuelana, também Maçom, Juan Guaido" e aceita-lo como Presidente, lutando assim pela "Maçonaria e Cristianismo", contra o Papa “comunista”  Francisco e os "Jesuítas comunistas". (Jomarion... k k k k... igualzinho ao Brasil de agora)

As reservas venezuelanas são avaliadas em 303 bilhões de barris de petróleo, consideradas as maiores reservas de petróleo do planeta e seus esforços para a remoção desse petróleo do sistema de petrodólares da máfia khazariana é o verdadeiro motivo por trás da tentativa da derrubada do presidente Nicolas Maduro.

De fato, a tentativa falha da derrubada de Maduro pela máfia khazariana soa como um tipo de momento, algo parecido com a “queda do Muro de Berlim”. Como fontes do Pentágono explicam, “o golpe Neocon contra Maduro fracassou, na medida em que os militares americanos, o Vaticano,  México, UE,  África do Sul, Rússia, China, Irã, Turquia, Índia, Cuba, Nicarágua, Bolívia e outras nações não concordam”. Além disso, “o Brasil e Colômbia se recusam a invadir ou permitirem o uso de suas bases.

Não há reconhecimento da ONU do fantoche Guaido e, até mesmo a Organização dos Estados Americanos falhou (16 de 34) em obter votos suficientes”. Também deve ser notado que a Rússia enviou bombardeiros nucleares para proteger a Venezuela e guarda-costas de elite para proteger Maduro.

A propósito, toda essa operação, foi executada pelos criminosos e condenados... Elliott Abrams, pelo Senador Marco Rubio e pelo ministro satanista de Israel, Benjamin Netanyahu.

Este movimento contra a Venezuela acontece quando a União Europeia, reconhecidamente antidemocrática, dá outro golpe no sistema de petrodólares khazariano, ao acusar a Arábia Saudita como país financiador do terrorismo. Este anúncio acontece quando a UE criou um veículo de propósito especial para evitar as sanções conduzidas por khazarianos contra o Irã.

Isso nos leva à prisão da CFO da Huawei, Meng Wanzhou “por cometer fraude” mentindo aos bancos americanos sobre os laços de sua empresa com uma empresa de telecomunicações que fez negócios no Irã “em violação as sanções ao Irã”. O escravo sionista do Canadá, o Primeiro-Ministro Justin Trudeau foi forçado a demitir o embaixador do Canadá na China por ter dito a verdade mencionando, entre outras coisas, que o Canadá nem mesmo apoiava as "sanções do Irã" às quais a prisão estaria supostamente vinculada.

Como veem essa discussão, também, é realmente sobre o controle do sistema financeiro internacional. Os chineses, por meio da Huawei, vêm construindo um sistema internacional de pagamentos que não depende do sistema SWIFT, controlado pelos khazarianos e é sobre isso que trata essa luta - não as "sanções contra o Irã".

Enquanto isso, o governo corporativo dos EUA parece ter roubado as restituições do contribuinte para financiar três finais de semanas, até a paralisação do governo, em 15 de Fevereiro. Especulamos que este seja o caso, porque o anúncio de um retorno temporário ao trabalho pelo governo coincidiu com um anúncio de que os reembolsos de impostos seriam menores do que as pessoas poderiam esperar.

Fontes do Pentágono têm uma versão diferente, dizendo: “Trump, apenas, interrompeu a paralisação até 15 de Fevereiro para que possa fazer o discurso do Estado da União, expor a Suprema Corte como implacável, pagar grandes júris e confirmar juízes e o Procurador-geral, William Barr, na medida em que o FBI possa emitir mais mandados e depois declarar uma emergência nacional”.

Os militares dos EUA parecem pensar que Trump seja seu salvador, no entanto, a menos que ele use sua declaração de emergência nacional para anunciar um jubileu e uma grande campanha para ajudar o planeta - semelhante em escala ao projeto chinês OBOR - tudo o que realmente estará fazendo é tentando preservar o falido governo corporativo dos EUA.

Falando em falência, fontes do Pentágono observam que, “incapazes de obter resgate de contribuintes irados da Califórnia e outros contribuintes, o agente Rothschild, Roger Kimmel se demitiu do conselho da Pacific Gas and Electricity, na medida em que a concessionária se encaminha para um processo de bancarrota”. Esperançosamente os procedimentos de falência exporão o uso da empresa de armas de energia dirigida para promover políticas equivocadas da genocida Agenda 21.

De qualquer forma, apesar da turbulência nos EUA e do ataque à Venezuela, o mundo está se encaminhando numa boa direção, enquanto os EUA esvaziam suas campanhas militares em todo o mundo. Nessa frente, o último movimento foi um acordo de paz alcançado no Afeganistão. Além disso, parece que uma longa guerra de guerrilha nas Filipinas está acabando.

A paz mundial é um pré-requisito para a reinicialização do sistema financeiro, de forma que esses são sinais muito bons.

Cultos satânicos e redes pedófilas

Outro bom sinal é o aumento de membros do culto satânico fazendo revelações sobre o culto de que fazem parte. Abaixo, estão duas dessas revelações. A primeira vem de um denunciante da Família Real Europeia que, recentemente, entrou em contato com esse escritor. Aqui está o que ele falou:

"Satanás" é um título oculto - não é uma pessoa ou coisa. Os elementos satânicos são componentes de um culto que levam para uma falsa realidade suas crenças incomuns. Quando essa falsa realidade acaba, Satanás, simplesmente, deixa de existir. Na Física, isso é chamado de mudança de paradigma. Eu vasculhei todo esse tópico na arqueologia forense dos khazarianos. Ela remonta aos cultos babilônicos de Baal e aos sacrifícios humanos, principalmente de crianças. Transmutou-se no que, agora, é abertamente conhecido como a Igreja Católica - um ritual de sangue quase altamente higienizado - o culto de Baal, ou para quem o sino toca. As origens dos Jesuítas, também, remontam de lá. Uma referencia das evidências está do incidente de Fukushima, quando o Jesuíta (o papa negro Peter Hans Kolvenbach) proclamou-se Satanás. É um alto título de igreja negra, muito parecido com o Papa. Eu não permito que esse absurdo me ameace; eles são criminosos psicóticos, nada mais.

Costumo ficar acima disso para me preservar, no entanto, houve um episódio muito incomum que me deparei, enquanto estava revisando algumas evidências de alto nível do que foi dito acima - um ritual satânico na Austrália assistido pela polícia, entre as pessoas, houve uma mulher grávida, que teve seu osso esterno arrancado pela virilha e o filho dissecado e comido e, depois uma fileira de crianças drogadas que desfilou foram, não menos que decapitadas numa habitual orgia sexual encharcada de sangue, como aconteceu na inauguração do World Trade Center. O 11 de Setembro foi um sacrifício de sangue para invocar esse conceito bizarro de anticristo ou segunda vinda - tudo messiânico. Fiquei muito angustiado com todo esse e realmente muito doentio caso.

Ao longo dos anos, houve alguns incidentes semelhantes, na medida em que tive de examinar muito - cenários de casos semelhantes- para projetar esse sistema financeiro. Em todo estes casos, outra pequena pepita foi o LHC CERN, que retornou a mensagem “Tekel”. Essa é uma antiga frase babilônica “Meme tekel Parsin”, ou “a escrita está na parede” e remonta a Nabucodonosor. Eu entendo que quando isso foi aprendido pelos elementos satânicos de alto nível das várias classes dominantes ao redor do mundo, levantaram suas mãos porque os sistemas financeiros que os protegiam, os sustentavam, estavam acabando. No manifesto, tem havido muita menção às palavras da PNL “Mudança Quântica/Quantum Shift”, que se refere a este incidente e à rápida adoção de toda a revolução tecnológica DLT, incluindo o novo sistema financeiro mundial ”.

Outra revelação que, na semana passada, foi encontrada numa discussão, numa sala de bate-papo:

Venho de uma rica família da indústria automobilística, todavia, fui exilado por não ser de sua espécie. Não tenho medo, pois, tenho fundos suficientes para durar para sempre, ou até me matar. Mas antes disso, gostaria de explicar a vocês quem poderia estar interessado, como ricos pedófilos que podem comprar indivíduos ou grupos de crianças. Os serviços oferecidos, também, incluem a destruição de provas, proteção policial, educação sexual de crianças antes da compra e envio por toda a Europa. É a “pedo Amazon” para o classe superior. A principal instalação de agrupamento e alojamento opera a partir de minha família no Cantão. Bellinzona é onde encontrarão a capital de organizações criminosas pedófilas. É dirigida por alguns judeus e outros. Graças a todos vocês, aprendi a verdade sobre os judeus.

Aqueles a quem essa pessoa se refere como "judeus", é claro que realmente não são judeus, mas membros do culto de Baal se passando por judeus. Eles também se disfarçam como muçulmanos, como na Família Real Saudita ou de Cristãos, como na família Bush, etc. Entretanto, seu tempo está acabando.

Autor: Benjamin Fulford 

Veja mais artigos do Benjamim Fulford Aqui

Lido em: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2019/01/benjamin-fulford-atualizacao-semanal_29.html

A Exploração do "Menino Drag"

 

Desmond é um artista drag de 11 anos que se tornou um queridinho da mídia tradicional. No entanto, depois que um vídeo dele se apresentando em um “clube gay” para receber dinheiro apareceu na Internet, um lado negro foi exposto. Será que Desmond está sendo explorado?

Desmond Napoles (também conhecido como Desmond is Amazing) é um artista drag de 11 anos que chegou à fama devido às suas aparições na televisão, revistas de moda e eventos relacionados aos LGBT. Ele se tornou um queridinho da mídia quando um vídeo dele dançando em uma parada do orgulho gay (com 8 anos) se tornou viral.

De acordo com seu site oficial, Desmond é um “garoto drag, performer, premiado ativista LGBT, jovem gay, modelo editorial, orador público, fundador de sua própria casa drag, designer de moda, musa e ícone”.

No entanto, apesar desses títulos elevados, muitos consideram que o trabalho de Desmond é abuso infantil e exploração por manipuladores adultos sem escrúpulos. A controvérsia em torno de Desmond chegou a outro nível quando um vídeo dele dançando em uma boate gay por dinheiro surgiu online, provocando um debate amargo na Internet e na mídia.

No centro de tudo isso está uma criança de 11 anos que foi exposta ao mundo drag desde que era um bebê.

Napoles se identifica como gay e afirma que ele se assumiu desde muito cedo. Os pais de Napoles afirmaram que com dois ou três anos de idade, eles entendiam que ele era um “provável gay” e o expuseram a uma variedade de cultura gay, incluindo mostrar a ele performances drag e levá-lo a paradas de orgulho.

Os pais de Napoles afirmaram que ele era "abertamente gay" quando entrou no jardim de infância. A mãe de Napoles relata que ele começou a realizar performances drag quando tinha dois anos quando assistiu RuPaul's Drag Race. De acordo com os pais de Napoles, ele é considerado autista sua atividade drag o ajuda a aliviar os sintomas do distúrbio do autismo. 

Desmond está "se expressando" ou está sendo explorado? Um olhar para sua "carreira" fornece as respostas.

Aqui estão alguns exemplos:

Um Vídeo do YouTube com um assassino condenado

Em 25 de dezembro de 2017, Desmond apareceu em um vídeo no YouTube com Michael Alig...

A maioria das pessoas conhece Michael Alig por um motivo mais obscuro: o horrível assassinato de Angel Melendez em 1996, pelo qual ele cumpriu 17 anos de prisão por homicídio.

Na noite de 17 de março de 1996, Alig e seu colega de quarto, Robert D. "Freeze" Riggs, assassinaram Melendez depois de uma discussão no apartamento de Alig sobre muitas coisas, incluindo uma dívida de drogas de longa data. Alig alegou muitas vezes que estava tão drogado com drogas que a sua memória dos acontecimentos não é clara. 

De acordo com Riggs, ele bateu em Melendez um total de três vezes na cabeça com o martelo. Então Alig pegou um travesseiro e tentou sufocá-lo. Enquanto Melendez estava inconsciente, Riggs foi para a outra sala; quando ele voltou, notou uma seringa quebrada no chão. Riggs alegou que Alig estava derramando "algum produto químico ou limpador" na boca de Melendez, em seguida, passou fita adesiva nele com a ajuda de Riggs. Após a morte de Melendez, Alig e Riggs não sabiam o que fazer com o corpo. Eles inicialmente deixaram na banheira, que eles encheram de gelo. 

Depois de alguns dias, o corpo começou a se decompor e ficou mal cheiroso. Depois de discutir o que fazer com o corpo de Melendez e quem deveria fazê-lo, Riggs foi até a Macy's comprar facas e uma caixa. Em troca de 10 sacos de heroína, Alig concordou em desmembrar o corpo de Melendez. Ele cortou as pernas, colocou-as em um saco de lixo, cortou a cabeça e colocou em outra bolsa, e enfiou o resto em uma caixa. Depois, ele e Riggs jogaram a caixa no rio Hudson. 

Alig foi liberto da prisão em 2014. Três anos depois, ele foi preso por invadir e fumar metanfetamina fora da Suprema Corte do Bronx em fevereiro de 2017. Poucos meses depois, Desmond se senta ao lado dele.

A Mídia Tradicional

2018 foi um grande ano para Desmond, já que ele fez várias aparições na grande mídia.

Desmond foi apresentado no Good Morning America e no Today Show.

Ele também foi destaque em várias revistas de moda (fazendo poses do “um olho”).  Como afirmado em artigos anteriores, o "sinal do um olho" é usado para   representar o controle da elite.

As contas de rede social de Desmond também são cheias de simbolismo. As contas são de propriedade da mãe.

Desmond em um outdoor na Times Squares (abaixo)

Desmond Dançando por Dinheiro

Como se a agenda dele não estivesse cheia o suficiente, Desmond também se apresenta em vários locais por dinheiro. Em dezembro passado, um vídeo de Desmond dançando na boate gay 3 Dollar Bill, no Brooklyn, apareceu na internet e causou indignação. Vestido com um top e maquiagem completa para se parecer com Gwen Stefani, Desmond dançou enquanto homens adultos jogavam dinheiro no palco... não muito diferente de uma stripper.

Desmond coleta dinheiro durante performance em boate gay de Nova York.

A filmagem causou muita controvérsia, já que muitos acharam que nenhuma criança deveria estar se apresentando em uma boate... diante da reação, a mãe de Desmond levou o assunto para a mídia social para justificar a performance.

Como você pode ver, a mãe afirma que está preocupada com o bem-estar da sua criança de 11 anos e que os comentários foram homofóbicos.

Ela ainda questiona...E se fosse uma menina pequena? que estivesse dançando na frente de homens heterossexuais? A indignação provavelmente teria sido dez vezes maior. Em outros posts, a mãe enfatiza o fato de que Desmond é autista, para justificar seu trabalho.

Haus of Amazing  - uma rede social para crianças trans

Recentemente, Desmond também fez notícia por um novo projeto “inovador”: Haus of Amazing, uma rede social na qual crianças drag podem compartilhar e se conectar.

O site diz: “visto que a casa drag é restrita a membros com 20 anos ou menos, os membros podem se comunicar de forma livre e franca com seus pares sem a interferência frequente dos adultos”.

Ao lado uma postagem do IG promovendo a rede social

Existe uma chance de que tal site atraia adultos “amantes de garotos”... porque existem outros “meninos drag” lá fora e seus atos são ainda mais perturbadores. Aqui está um exemplo. 

Queen Lactatia 

Queen Lactatia, um menino canadense de 10 anos chamado Nemis Quinn Mélançon-Golden, também está sendo fortemente promovido na grande mídia. Eu não descreverei sua vida inteira. Você só precisa ver algumas postagens nas mídias sociais para entender que há algo terrivelmente errado acontecendo aqui.

Queen Lactatia posando com o vencedor  do Ru Paul's Drag Race… que está nu

CONCLUSÃO

Apesar de tudo mencionado acima, a grande cobertura da mídia de Desmond Is Amazing é esmagadoramente brilhante. Eu não encontrei uma fonte de mídia que sequer mencionasse algumas das coisas questionáveis associadas ao seu ato. Muito pelo contrário, todos os artigos e reportagens que encontrei celebram a “ferocidade” de Desmond e pintam seus pais como santos. Por que a cobertura em torno dele é tão "orwelliana"?  Desmond não é simplesmente um “menino que gosta de se vestir de drag”.

Desmond está sendo usado pela elite para impulsionar várias agendas, como a confusão de gêneros, a sexualização de crianças e a normalização da pedofilia. Para isso, ele está sendo empurrado para um mundo que deveria ser reservado exclusivamente para adultos que consentem. Qualquer outra coisa é abuso infantil.

(Jomarion... prefiro não comentar!)

Fonte: The Vigilant Citizen

Lido em: https://danizudo.blogspot.com/2019/01/a-exploracao-do-menino-drag-desmond-is.html

Lobista da Vale que atua no governo Bolsonaro retirou de MP itens para segurança nas barragens

Relator do Código de Mineração, Leonardo Quintão (MDB) elaborou a proposta apresentada no Congresso no escritório de advocacia Pinheiro Neto, que tem como clientes mineradoras como a Vale e a BHP. Sem se reeleger, ele passou a atuar com Onyx Lorenzoni (DEM/RS), na Casa Civil.

Principal nome da bancada da mineração, o deputado Leonardo Quintão (MDB/MG), retirou da medida provisória (MP) que criou a Agência Nacional de Mineração (ANM) dois dispositivos que aumentariam a fiscalização da barragem de rejeitos, como a de Brumadinho, que rompeu na última sexta-feira (25), causando 65 mortes até a última contagem, na noite desta segunda-feira (28).

O governo propôs na época que o novo órgão pudesse credenciar empresas e técnicos a emitirem laudos sobre a segurança e estabilidade das barragens, como forma de contornar a falta de pessoal e verbas para fiscalização, e a criação de uma taxa que financiaria as atividades da agência e que teria, entre suas atribuições, custear vistorias técnicas presenciais nos diques.

Financiado por empresas do setor de mineração, Quintão não foi reeleito, mas já atua como articulador do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM/RS), no Senado e será oficializado a partir de fevereiro secretário especial do governo Jair Bolsonaro (PSL/RJ).

Relator do Código de Mineração, Quintão teve mais de 40% da sua campanha em 2014 financiada por empresas de mineração e elaborou a proposta apresentada no Congresso no escritório de advocacia Pinheiro Neto, que tem como clientes mineradoras como a Vale e a BHP.

O novo código criou a Agência Nacional de Mineração (ANM). Segundo reportagem do Valor Econômico, a autorização para que a futura agência pudesse credenciar pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas, para expedição de laudos, pareceres ou relatórios que demonstrem o cumprimento dos requisitos e das exigências para mineração, “inclusive quanto a segurança e a estabilidade de barragens de mineração”, desapareceu da MP.

O relator retirou ainda as referências a fiscalização das barragens e fechamento de minas. Dois anos após o rompimento da barragem da Samarco em Mariana (MG), a MP teve removidas todas as citações à fiscalização dessas construções.

Lido em: https://www.revistaforum.com.br/lobista-da-vale-que-atua-no-governo-bolsonaro-retirou-de-mp-itens-para-seguranca-nas-barragens/

Fascistas entram em Colapso

 

"Fascistas do 4º Reich entram em colapso, na medida em que a detenção em massa de criminosos de guerra continua".

Benjamin Fulford – 21.01.2019 

A remoção do Fuhrer George Bush Sr. expôs uma nova leva de fascistas assassinos em massa nos EUA e no Japão para serem presos  ou mortos repentinamente, na medida em que a guerra contra a satânica máfia khazariana continua.

No Japão, o Primeiro-Ministro Shinzo Abe e seu regime fascista, estão caminhando para tribunais de crimes de guerra. Para começar, a polícia francesa acusou Tsunekazu Takeda, chefe do Comitê Olímpico do Japão, de corrupção. Este é apenas o começo de seus problemas legais. Takeda é filho do príncipe Tsuneyoshi Takeda, primo do Imperador Hirohito, responsável pela instalação da famigerada unidade 731 de guerra biológica, segundo fontes da polícia militar norte-americana no Japão. O regime de Abe, também, foi pego tentando montar seu próprio laboratório de armas biológicas, disfarçado de faculdade veterinária, dizem as fontes.

Além disso, os custos projetados das Olimpíadas de Tóquio de 2020 triplicaram para mais de US$ 30 bilhões, devido ao pagamento de propinas para gangues e políticos, dizem as fontes. Uma das principais maneiras de lavar esse dinheiro é haver funcionários do governo dizendo aos bandidos onde os locais dos Jogos Olímpicos serão edificados para que possam comprar os terrenos e vendê-los ao governo com uma enorme margem de lucro, dizem fontes de gângsteres japoneses. O dinheiro, assim, obtido é dividido entre políticos corruptos e gângsteres. Outra parte do dinheiro vai para a "segurança" olímpica, ou para pagamentos de gângsteres por “serviços de guarda”, dizem as fontes.

Isso, para compensar a perda dos fundos que obtiveram na chamada "limpeza" de Fukushima. Qualquer jornalista que realmente for a Fukushima com seu próprio contador Geiger será forçado a admitir que existe muito pouca radiação. O dinheiro alocado para tal “limpeza” é colocado em lixeiras e transportado de volta para Tóquio para pagamentos de subornos, dizem as fontes. Abe e seu grupo precisa ir para a cadeia ou para o inferno o mais rapidamente possível.

Enquanto isso, nos EUA, o promotor especial Robert Mueller, filho do chefe da Gestapo, Heinrich Mueller, segundo fontes da CIA, mesmo que os crimes do pai não sejam os do filho, Robert Mueller será indiciado por seu envolvimento no encobrimento de 11 de Setembro, bem como por sua participação na falsa caça às bruxas russas nos Estados Unidos, dizem as fontes.

Fontes da Agência de Inteligência da Defesa (DIA) dizem que: “Militares americanos, juntamente com chineses e russos, assumiram todas as contas globais, incluindo as contas do Vaticano e do Federal Reserve, para efetivamente começarem acionando a Redefinição Global da Moeda. ”A primeira parte disso, envolverá o pagamento de correntistas “Tier One”, dizem as fontes. "A primeira leva é composta por proprietários da conta e por certos soberanos-chaves que, praticamente, serão pagos para ‘saírem do caminho’ e pararem de interferir ou atrasar o processo de redefinição global. Basicamente, isso é algo como um círculo completo de carma. Significa que a oferta feita ao Vaticano, ao FED e aos Jesuítas, é para levar ouro ou [suborno ou morte]”, disse uma fonte.

O restante do restabelecimento financeiro, ainda, está sendo debatido, embora, haja um amplo acordo para o estabelecimento de uma futura agência Ocidental de planejamento para trabalhar em harmonia com o projeto chinês One Belt One Road (OBOR), disseram fontes da família real européia. Ela terá um orçamento inicial de cerca de US $ 300 bilhões, dizem. Além disso, a China concordou em comprar cerca de US $ 1 trilhão em exportações dos EUA, a fim de impedir a fuga de empregos e de dinheiro da economia dos EUA, concordam várias fontes.

Um sinal visível dessa redefinição é o fato de que um projeto de lei foi introduzido no Congresso dos EUA para remover os EUA das Nações Unidas e expulsar a ONU dos EUA. Lembrem-se de que a ONU é uma corporação privada e não genuinamente representativa dos povos do mundo. As partes saudáveis ​​da ONU serão levadas para um substituto para a ONU sediada na Ásia - possivelmente no Laos, segundo fontes da Sociedade Secreta Asiática.

O saneamento da ONU, também, começou com uma investigação de corrupção na OMS – Organização Mundial de Saúde (WHO - World Health/Harm Organization), envolvendo o uso indevido de fundos para o ebola e para fazer coisas como pagar despesas de viagem de namoradas. A OMS. Também, está sendo acusada de racismo desenfreado e sexismo. Na medida em que essas investigações prosseguem, o mundo saberá sobre seu papel em falsificar ou realmente causar pandemias ao promover campanhas de vacinação e vendas farmacêuticas em troca de pagamentos.

O encontro de cúpula entre Trump e o norte-coreano Kim Jong Un está planejado para o final de Fevereiro, após o feriado do Ano Novo Lunar Asiático e, provavelmente tratará da recuperação financeira e questões como o regime fascista no Japão e na reunificação coreana, dizem fontes do Pentágono e da Sociedade Secreta Asiática.

No Ocidente, a limpeza da cabala satânica deve estar quase concluída no momento em que esse encontro acontecer, dizem as fontes. Nos EUA, em particular, a paralisação do governo está preparando o caminho para um grande expurgo. “Depois que a paralisação passar de 30 dias, Trump pode demitir funcionários federais em agências opressoras como a TSA, IRS, e  corruptas como o FBI, DOJ, CIA, Departamento de Estado, funcionários do Estado profundo ou mandarins do Serviço Executivo Sênior (SES) instalados pelo [ ex-presidente dos EUA Barack] Obama ”, observam fontes do Pentágono.

Além disso, “com o fato dos tribunais federais ficarem sem fundos em 18 de Janeiro, os tribunais militares poderão começar a sério”, observam as fontes.  O expurgo do governo dos EUA continua com a demissão do congressista Tom Marino, logo após a reeleição por causa de seu envolvimento na crise dos opiáceos que assola os EUA, segundo as fontes.

Além disso, o FBI reformado começou a sondar a corrupção estrangeira no Congresso, dizem as mesmas fontes. Isso já começou a dar frutos na forma do cancelamento de várias delegações do congresso (codels), "começando com a viagem da presidente da Câmara, Nancy Pelosi, e Adam Schiff para Bruxelas, Egito e Afeganistão", disseram

"Aparentemente, a função das delegações congressionais (congressional delegations – codels) era receber ordens e subornos de globalistas em Bruxelas, incitar a irmandade muçulmana no Egito e voltar para Israel, através, do Sinai e prolongar o tráfico de drogas no Afeganistão", disseram as fontes.

As viagens para Israel deveriam propiciar subornos às codels, para que pudessem lutar para proteger os pagamentos de transferências dos EUA para Israel e proteger o Primeiro-Ministro adorador de satanás, Benjamin Netanyahu. Felizmente, os subornos não puderam ser pagos e agora os israelenses, finalmente, estão se movendo para indiciar seu ministro no crime. De acordo com a imprensa israelense, o Procurador-Geral de Israel, Avichai Mendelblit, indiciará Netanyahu no próximo mês.

Enquanto isso, os perdedores reunidos em Davos, nesta semana, poderão contemplar seus fracassos, tanto no serviço para a humanidade, quanto na proteção do meio ambiente. Na semana passada, um relatório divulgado pelo Instituto de Finanças Internacionais, mostra que o sistema babilônico de escravidão por dívida, colocou uma dívida de 318% sobre o PIB de US $ 244 trilhões para a humanidade. Tudo isso enquanto 46% das pessoas do mundo vivem com menos de US $ 5,50 por dia e as 6 pessoas mais ricas, possuem tanto quanto os 50% dos mais pobres.

E, claro que, enquanto os super-ricos roubam do restante de nós, os mais pobres dos pobres são forçados a roubar da natureza, resultando no que está se tornando o pior evento de extinção na história deste planeta. Já chega.

Tradutor: Cândido Pedro Jorge.

Lido em: https://benjaminfulfordtranslations.blogspot.com/2019/01/brasileiro-benjqmin-fulford-21012019.html

Dívida Global atinge US$ 244 trilhões enquanto 46% da população vive com US$ 5,50 por dia

 

O mutuário é servo do seu credor... e uma das principais formas que a elite global mantém o resto de nós subjugados é através da dívida global de US$ 244.000.000.000.000 (Trilhões) que foi acumulada. Todos os dias, parte do fruto do nosso trabalho vão enriquecer alguém da elite. Uma parte dos impostos que são deduzidos do seu contracheque é usada para pagar juros da dívida do governo.

Uma parte dos lucros que sua empresa faz provavelmente vai para o serviço de algum tipo de dívida comercial. E a maioria dos americanos está continuamente fazendo pagamentos em suas hipotecas, seus empréstimos para pagar a formação universitária, para financiar automóveis e seus saldos de cartão de crédito.

Mas a maioria das pessoas nunca pára para pensar em quem está se tornando excessivamente rico no outro lado dessas transações. Escusado será dizer que não são os 46% da população global que vive com pouco mais de $ 5 dólares diários.

O mundo nunca viu nada como essa montanha de dívidas antes, e um dos temas centrais do The Economic Collapse Blog é que toda essa dívida acabará destruindo nossa sociedade planetária (pois vem sendo criado com esse fim). De acordo com o Instituto de Finanças Internacionais o montante total da dívida global é  “mais de três vezes o tamanho da economia global”

A dívida do mundo está pairando perto de um recorde de US$ 244 trilhões, o que representa mais de três vezes o tamanho da economia global, segundo uma análise do Institute of International Finance (IIF).  O rátio da dívida global em relação ao PIB excedeu 318 por cento no terceiro trimestre do ano passado, apesar de um ritmo mais forte de crescimento econômico, de acordo com um relatório do IIF de Washington divulgado na terça-feira.

Mas não é como se todo esse gasto tivesse tirado bilhões de pessoas da pobreza. De fato, 46% da população do mundo está “vivendo com menos de US$ 5,50 por dia”, segundo o Banco Mundial …

Mais de 1,9 bilhão de pessoas, ou 26,2% da população mundial, estavam vivendo com menos de US$ 3,20 por dia em 2015. Cerca de 46% da população mundial vivia com menos de US$ 5,50 por dia.

A desigualdade global continua piorando a cada ano que passa, e isso ocorre porque o sistema financeiro global é literalmente projetado para canalizar o máximo possível de riqueza para o topo da pirâmide. Claro que as coisas poderiam ser muito diferentes. Na verdade, não precisamos ter um sistema baseado em dívidas que sistematicamente torne os ricos ainda mais ricos e escraviza a camada mais pobre da população.

Um dos grandes segredos sobre os quais ninguém deveria falar é o fato de que os governos não precisam realmente pedir dinheiro emprestado e pagar elevados juros. Por exemplo, o governo dos EUA poderia começar a emitir “notas dos Estados Unidos” sem dívidas amanhã mesmo (basta eliminar o FeD, um “pseudo” banco central, que é controlado pela banca privada internacional), e isso realmente aconteceu por um breve período de tempo sob o presidente John F. Kennedy nos anos 60, pouco antes de ele ser assassinado.

É altamente imoral para nós tomarmos emprestados trilhões de dólares que esperamos que as gerações futuras paguem, e é por isso que eu tenho sido um grande defensor de fechar o sistema de Reserva Federal baseado em dívida e acabar com a moeda baseada em dívida conhecida como “ Notas da Reserva Federal ”.

(Jomarion...dar um reset no sistema financeiro atual é urgente... é a única coisa que salvaria o planeta do colapso... mudar o sistema financeiro para outro e redistribuir a renda mundial com todos os habitantes da Terra)

Mas atualmente, apenas uma pequena minoria da população parece se importar. Somos literalmente escravos da dívida (pela ignorância e omissão) e a maioria dos americanos aparentemente abraçou sua escravidão. Eu realmente gosto do que Devvy Kidd teve a dizer sobre isso em seu último artigo …

O americano médio é um escravo da dívida já no nascimentoE no momento em que ele morre, sua dívida terá aumentado exponencialmente, passando assim uma dívida ainda maior e uma maior escravização para a próxima geração.  Este é um círculo vicioso que já dura há pouco mais de 100 anos.

Uma elite muito pequena tornou-se incrivelmente rica e as massas tornaram-se escravizadas por dívidas privadas e governamentais . 

Para a maioria das pessoas, será impossível libertar-se dessa enorme pedra de dívida em volta do pescoço. Em vez disso, eles vão aumentar a dívida assumindo mais dívidas.

Acordem!

Pelo menos os “coletes amarelos” na França estão dispostos a tomar uma posição contra a tirania sistemática que está se espalhando por todos eles. Nos Estados Unidos hoje em dia, a maioria das pessoas não se importa muito com nada, a menos que de alguma forma remeta a bolha de entretenimento (zumbis) irracional que a maioria dos americanos sempre se acercou.

Adivinha quem produz todo esse entretenimento sem sentido? É produzido por corporações de mídia gigantes que são de propriedade dos mesmos elitistas globais que controlam nossa gigante montanha de dívidas. O sistema de nossa escravidão é muito mais sofisticado do que em épocas anteriores da história humana, mas ainda é profundamente insidioso.

Há mais uma coisa que gostaria de mencionar hoje. Em muitas ocasiões anteriores, tenho discutido como a elite bancária transformou Wall Street no maior cassino do planeta, e é verdade que algumas pessoas ganharam muito dinheiro naquele cassino. Mas muitos outros foram profundamente queimados e perderam tudo. Aqui está apenas um exemplo …

Eu tinha desistido do day-trading em novembro, mas ainda estava usando um sistema de swing que quase nunca se perdeu (realmente), até que eu fui completamente atropelado na semana passada. Literalmente, cada movimento que fiz estava errado e consegui acabar com toda a minha conta de jogo. Eu quero ser claro, não estamos sem dinheiro nem nada perto disso (ainda posso reivindicar o status de milionário), mas porcaria, eu dizimei minha conta como algo estúpido.

Então, eu estou aqui para lhe dizer que as histórias assustadoras que você ouve de idosos que param de negociar? Elas são verdade Negociação é um jogo perdido. É só jogatina.

A maioria das pessoas que afirmam ser vencedores simplesmente ignoram suas perdas e fingem que está tudo bem. Com certeza, algumas pessoas realmente conseguem ganhar a vida com isso e são boas para elas. Mas as probabilidades estão maciçamente contra você (como em Las Vegas). O sistema é projetado para levar seu dinheiro enquanto você está estressado, adivinhando, nervoso, irritado, deprimido ou acima de tudo – desesperado.

O jogo é literal e insidiosamente manipulado contra nós, e precisamos perceber o que estamos enfrentando. Mexer com o sistema atual não vai consertar nada. Precisamos abandonar esse sistema atual e recomeçar do zero, mas provavelmente será preciso um colapso terrível antes que a maioria das pessoas comece a entender isso.

Sobre o autor: Michael Snyder é um escritor nacionalmente sindicalizado, personalidade de mídia e ativista político. Ele é autor de quatro livros, incluindo Get Prepared NowThe Beginning Of The End  e Living A Life That Really Matters.  Seus artigos são publicados originalmente no  The Economic Collapse BlogEnd Of The American Dream e The Most Important News. A partir daí, seus artigos são republicados em dezenas de outros sites proeminentes. Se você gostaria de republicar seus artigos, sinta-se à vontade para fazê-lo. Quanto mais pessoas virem essa informação, melhor, e precisamos acordar mais pessoas enquanto ainda há tempo.

A Matrix (O Sistema de Controle Mental)

 “A Matrix é um sistema de controle, NEO. Esse sistema é o nosso inimigo. Mas quando você está dentro dele, olha em volta, e o que você vê? Empresários, professores, advogados, políticos, carpinteiros, sacerdotes, homens e mulheres… As mesmas mentes das pessoas que estamos tentando despertar. 

Mas até que nós consigamos despertá-los, essas pessoas ainda serão parte desse sistema de controle e isso as transformam em nossos inimigos. Você precisa entender, a maioria dessas pessoas não está preparada para ser desconectada da Matrix de Controle Mental. E muitos deles estão tão habituados, tão profunda e desesperadamente dependentes do sistema, que eles vão lutar contra você para proteger o próprio sistema de controle que aprisiona suas mentes …”

Lido em: https://thoth3126.com.br/divida-global-atinge-us-244-trilhoes-enquanto-46-da-populacao-vive-com-us-550-por-dia/

Entenda sobre Venezuela

 

Analistas avaliam o que está por trás da crise na Venezuela  (Sputnik)

"O Abraço da Anaconda"

A Venezuela vive uma verdadeira crise política. Analistas avaliam o papel dos EUA nessa crise, bem como as possíveis consequências dessa situação para a Venezuela.

Enquanto o presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, se proclamou presidente encarregado da Venezuela, vários países, incluindo os EUA e Brasil manifestaram seu apoio a Guaidó e à oposição venezuelana desconsiderando Nicolás Maduro. A Sputnik falou com vários analistas que deram sua opinião em relação à situação venezuelana.

"Maduro não conseguiu repetiu os sucessos de Chávez [ex-presidente venezuelano Hugo Chávez]. Há uma grande quantidade de pessoas que vive abaixo do limiar da pobreza e realmente está nas ruas. Por isso é possível deter os líderes da revolução parlamentaria, mas isso poderia provocar uma guerra civil, essa é a questão principal", disse o cientista político Vladimir Kireev ao serviço russo da Rádio Sputnik.

Comentando o reconhecimento norte-americano do presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, como presidente do país, desconsiderando Maduro, o analista declarou que "os EUA usam o mecanismo das 'revoluções coloridas' para derrubar governos, sejam legais ou ilegais, mas para realizar seus interesses geopolíticos e defender seus interesses econômicos, eles derrubam governos a torto e a direito".

"Todas as justificações – direitos humanos ou nível de vida – são apenas uma questão formal. Sabemos que os EUA, Washington, apoiam sistemas políticos que não têm nada a ver com a democracia e sistemas políticos com nível de vida muito baixo, sistemas que estão nas mãos de grupos criminosos e mafiosos – isso não os embaraça [aos EUA]", sublinhou o analista.

Segundo Kireev, "os americanos através da sua diplomacia e inteligência […] controlam a América Latina, enquanto a Venezuela é um ponto crítico, uma dor de cabeça [para os EUA], porque é um grande país com posição antiamericana".

O especialista considera que a situação atual é muito arriscada porque Maduro e seus aliados não têm tido sucessos na política econômica como teve o governo de Chávez.

"Embora seja possível dizer que a lei e alguma justiça estejam do lado de Maduro, não estou certo que ele vá perder o poder, mas acredito que existe esse risco", revelou ele.

Quanto à proposta da UE de realizar novas eleições justas na Venezuela, segundo Kireev, Maduro teria chances de ganhar novas eleições porque a sociedade está dividida em duas partes, porque Maduro ainda tem um grande apoio na sociedade.

"Ele poderia ganhar [as novas eleições], mas a outra parte da sociedade que está irritada não desaparecerá. Se Maduro vencer, essa parte irá desestabilizar a situação", explicou ele.

Entretanto, Kireev sublinhou que a transformação do país em mais uma colônia dos EUA não é do interesse da Venezuela, porque a América do Norte "se comporta de forma bruta na América Latina, defende ali seus interesses, apoia grupos criminosos e [as ações da América do Norte] nunca levam ao aumento da qualidade de vida das pessoas".

"Os latino-americanos compreendem de forma consistente que é melhor viver sem os EUA. Mas é muito difícil para mim dizer se desta vez a sociedade venezuelana conseguirá evitar esse, digamos, abraço de anaconda norte-americana", disse o analista.

O cientista político Ildus Yarulin, em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, declarou que os norte-americanos estão tentando retirar a Venezuela do controle da Rússia e da China e submetê-la totalmente.

"Acredito que será realizado um trabalho sistemático para destruir as relações entre a Venezuela e seus aliados, um apoio ao golpe. Também é um bom pretexto para [o presidente dos EUA Donald] Trump lidar com os problemas internos. Além disso, a situação na Venezuela poderia levar a um brusco aumento dos preços do petróleo", considerou ele, sublinhando que o aumento dos preços do petróleo tornará a produção de petróleo de xisto nos EUA mais rentável.

Na quarta-feira (23), Guaidó se proclamou "presidente encarregado" da Venezuela. Os EUA, a União Europeia e uma série de países da América Latina, inclusive o Brasil, manifestaram apoio a Guaidó e à oposição venezuelana. Rússia, Cuba, México, Bolívia, Nicarágua, Turquia e Irã apoiam a permanência de Maduro.

Moscou declarou que seu posicionamento sobre o reconhecimento de Nicolás Maduro como presidente legítimo da Venezuela não mudaria, assinalando que a postura dos países ocidentais mostra a forma como eles encaram o direito internacional, a soberania e a não interferência nos assuntos internos dos outros países.

Lido em: https://br.sputniknews.com/americas/2019012413176738-crise-venezuela-maduro-juan-guaido-proclamou-presidente/

Exembajadora Argentina

"No hay ningún golpe de Estado que se haya hecho en América Latina sin la participación de EE.UU.

El Gobierno argentino de Mauricio Macri fue uno de los primeros en salir a reconocer públicamente a Juan Guaidó como "presidente encargado" de Venezuela, una decisión que ha compartido con otros países de la región como Brasil, Chile, Paraguay, Colombia, entre otros. 

Al respecto, Alicia Castro, la exembajadora de Argentina en Venezuela y Reino Unido, señaló en diálogo con RT que Macri "ha sido muy irresponsable" al tomar esa decisión porque "ha colocado en un muy mal lugar a la Argentina", opinó.  

Para Castro, desde el retorno de la democracia, su país tiene una extensa trayectoria diplomática basada en el respeto a la política interna del resto de las naciones, y eso ha sido "desdeñado" por el gobierno de Cambiemos, cuyas relaciones exteriores, según la exembajadora, son "pésimas". 

"Las relaciones exteriores de la Argentina han sido guiadas por ciertos principios y ciertos valores que tienen que ver con la democracia, con los principios de no intervención, de no injerencia, de libre determinación de los pueblos y de resolución pacífica de las controversias", dijo Castro.

El grupo de Lima y EE.UU.

"Todo esto ha sido desdeñado por Macri, por Bolsonaro y otros presidentes de los que llamamos el cartel de Lima, con una verdadera irresponsabilidad. Es como si ignoraran los dramáticos resultados que han tenido los golpes de Estado propiciados por Estados Unidos", explicó la exdiplomática.  

En relación a ello, la exfuncionaria del gobierno de Cristina Kirchner repasó las distintas experiencias de gobiernos de facto en la región, y la influencia que ha tenido la Casa Blanca en cada uno: "No hay ningún golpe de Estado que se haya hecho en América Latina sin la participación, directa o indirecta, con financiamiento, de los EE.UU.", señaló. 

"Nicaragua, Honduras, Chile. La Escuela de las Américas, que fueron maestros de los torturadores de la dictadura en Argentina. Ninguno de los golpes ha dado beneficios para la región", estimó Castro. 

A continuación se refirió a la crisis que atraviesa Venezuela, y la comparó con otros casos recientes en los que la Casa Blanca ha jugado un rol clave. "Podemos ver muy claramente las intenciones de EE.UU., que no son precisamente propiciar la democracia.

Quieren aprovecharse del petróleo en Venezuela".

Para Alicia Castro, el gobierno de Donald Trump está aplicando "una matriz muy parecida" a la que aplicaron los EE.UU. en Oriente Medio, con Irak, Afganistán, Libia, y ahora Siria: "Tratan de demonizar al mandatario, luego le inventan y financian una oposición interna, fabrican escenas de violencia, y hacen una gran prensa internacional de ello para justificar una intervención. Luego dirán que se equivocaron o que mintieron"... “EE.UU están entusiasmados con intervenir en nuestro continente".

La exembajadora reconoció que hay muchos países de la región que están en crisis además de Venezuela. "Uno de ellos es la Argentina, con una crisis económica, social y cultural formidable. Eso no significa que vayamos a proponer un golpe de Estado. La crisis de Venezuela deben resolverla los venezolanos", indicó. 

Por último, Alicia Castro dejó clara su posición respecto a la legitimidad del gobierno de Nicolás Maduro, ya que, de acuerdo a su visión, las observaciones internacionales sobre las elecciones de 2018 "fueron múltiples", y todas "saludaron su funcionamiento y no hubo impugnaciones".

"Es decir, Maduro es el presidente electo constitucional que se expresa a través del voto. Eso es la democracia. [Los opositores] no quieren diálogo, quieren golpe", concluyó. 

Lido em: https://actualidad.rt.com/actualidad/303378-exembajadora-argentina-venezuela-golpe-estado

Prisões de membros Illuminati, da Cabala e Deep State para breve

Acusações dos Illuminati, reações; a missão expandida dos trabalhadores da luz; sintomas de intensificação de energia, os papas, pedofilia no sacerdócio; assistência extraterrestre passada, atual e futura

Com saudações amorosas de todas as almas nesta estação, Eu Sou Mateus. A combinação de respostas positivas e negativas a vibrações sempre crescentes tem mantido o campo de energia do potencial da Terra em demasiada turbulência para que qualquer atividade atinja um momento imparável.

No entanto, correntes de energia em torno do esforço para acusar todos os membros Illuminati, Cabala, Deep State, etc… têm ganhado força de forma consistente e, das múltiplas atividades nos bastidores para acabar com o controle de seu mundo pelas trevas, parece que as acusações criminais contra os servidores das trevas serão as primeiras a serem concretizadas. 

Se o atual ritmo de fortalecimento continuar, as ações já em andamento podem se tornar conhecidas mundialmente em alguns meses. Indivíduos bem conhecidos (artistas, políticos, banqueiros, religiosos, etc) sendo acusados ​​de crimes contra a humanidade serão um choque para a maioria das pessoas, e é razoável antecipar as reações que vão desde “notícias falsas” até negação veemente, muita raiva e medo. 

Os membros Illuminati, Cabala, Deep State, Khazares, de baixa patente, tentarão pular do barco em vez de afundar com ele, indivíduos indevidamente acusados ​​vão querer provar sua inocência e, se houver uma forte resistência em alguns setores, muito provavelmente tropas militares serão chamadas para manter o interesse público em segurança. A confusão será geral e disseminada até que a sociedade planetária entenda o impacto benevolente de longo alcance do (expurgo dos seres à serviço das trevas) que está acontecendo.

Queridos, antes de muito mais acontecer, sua missão como trabalhadores da luz chegará a um ou dois níveis. Seu destemor, discernimento e coragem podem acalmar as pessoas ao seu redor, e isso será imensamente útil, mas você também precisará ser mentor.

Os povos precisarão ser informados de que a remoção daqueles indivíduos de suas posições influentes está levando a um novo mundo mais pacífico com sábios e honrados líderes e ao fim do estado de guerra generalizada, ao fim da corrupção, da decepção e do empobrecimento da maioria das pessoas. Você pode substanciar suas explicações, referindo-se a pessoas que duvidam de informações pertinentes compiladas por pesquisadores e publicadas na Internet ou em outro lugar, e se os indivíduos acreditam que a comunicação telepática é real, informe-os sobre informações canalizadas de fontes confiáveis.

Alguns de vocês estão perguntando se as ondas de energia que chegam podem estar causando as condições que estão ocorrendo e, em caso afirmativo, o que você pode fazer para aliviar o desconforto. Em mensagens anteriores falamos longamente sobre esse assunto importante, mas vale a pena repetir e oferecemos uma versão condensada dessa informação.

Os sintomas primários do ajustamento dos corpos à energia intensificadora são fadiga, fraqueza e sensação geral de desconforto; episódios de lapsos de memória, dores de cabeça, alterações de humor, dores musculares e nas articulações, zumbidos nos ouvidos, visão turva, cólicas, náuseas e coceira não são incomuns. Para diminuir seus efeitos, durma o suficiente, pratique exercícios adequados à idade e beba muita água. 

Evite açúcar, álcool, exceto uma quantidade razoável de vinho tinto, e alimentos com aditivos químicos. De todos os alimentos, frutas e vegetais têm mais luz, e se você for financeiramente capaz, escolha produtos orgânicos. Se a sua dieta não for vegetariana ou vegana, escolha frutos do mar certificados sem impurezas e ovos, e laticínios e carne de animais que não receberam antibióticos ou hormônios de crescimento.

Reduzir o estresse mental e emocional é de suma importância – o estresse é a causa de todos os desconfortos – mas não tome medicamentos como soníferos, para se animar ou se acalmar. O que será mais útil para você na redução do estresse é tão único quanto cada um de vocês são, mas as sugestões a seguir podem aumentar suas vibrações, portanto sendo benéficas para todos. 

Mude os seus pensamentos e sentimentos negativos para positivos. Evite situações que drenem sua energia. Sinta-se grato pela bondade em sua vida. Deixe de lado a amargura e perdoe aqueles que você sente terem lhe ofendido. Esteja em meio a natureza sempre que puder. Passe algum tempo com os animais. Reserve tempo para solidão e introspecção. Medite. Ouça sua música favorita. Leia poesia edificante ou prosa. Assista a divertidos programas de TV. Anote a fonte da frustração, depois solte a emoção que lhe prende.  Comunique-se com pessoas afins. Sorria frequentemente e amem-se tanto quanto nós amamos vocês.

Alertamos que os sintomas mencionados acima também podem indicar o início de uma doença.  Se uma condição persistir, consulte um especialista de saúde, de preferência um que tenha uma abordagem holística para diagnóstico e tratamento. Quanto mais consciente, mais você se importa em mente, corpo e espírito, mais Luz absorve; a Luz aumenta suas vibrações e isso permitirá que você se ajuste mais facilmente aos surtos de energia que estão por vir.

Quem manda nos líderes políticos?

“GRANDES” figuras da humanidade (e idolatrados pela massa de ignorantes), religiosos (“pastores”), políticos, esportistas, jornalistas, ARTISTAS, “filantropos”, enfim, pessoas “celebridades importantes”, em sua maioria são indivíduos SEM ALMA, mas com mensagem muito sedutoras para a imensidão de DISTRAÍDOS e IGNORANTES.

Durante séculos papas eram membros das famílias mais ricas, os precursores dos Illuminati. Eles controlavam as massas através da “pseudo infalibilidade papal” e das “leis de Deus”, enquanto as famílias dos papas obtinham mais riquezas através do dízimo, impostos e “servidão a Deus” dos povos que eles manipulam.

Crentes devotos providenciavam o trabalho virtualmente livre que erigia prédios opulentos nos terrenos do Vaticano e mestres pintores, escultores e criadores de vitrais e intricados murais de azulejos produziam a arte que decora tão grandiosamente os edifícios das igrejas. Mesmo que os papas durante esses anos e no decorrer dos séculos não tenham sido pedófilos, certamente não queriam que ninguém soubesse que a pedofilia era excessiva na hierarquia católica.

Quando as primeiras acusações foram feitas, os infratores alegaram inocência e esse foi o fim; mas à medida que a luz se intensificava, também a determinação de mais e mais indivíduos abusados ​​se manifestava. Quando as mesmas reivindicações contra adultos em posições de confiança na sociedade secular levaram a admissões e condenações, as acusações contra os sacerdotes não podiam mais ser varridas para debaixo do tapete. 

Embora o reconhecimento papal tenha sido dado a essas ofensas de longa data, a extensão dos atos inconcebíveis que ocorreram e ainda ocorrem intramuros no Vaticano ainda está por ser revelada. Na medida em que será muito chocante para o público (a massa ignorante) em geral como será o anúncio das acusações criminais, revelar a verdade de que o Vaticano é a sede internacional do satanismo será ainda mais chocante.

“Eu não acho que Matthew tenha uma boa noção do que pode acontecer quando os ETs entrarem neste mundo e tentar fazer mudanças. Uma vez que eles causem mudanças com suas tecnologias, dependeremos deles. Uma vez que essa dependência tenha sido estabelecida, o controle (continuará) ocorrendo. Temos um planeta de muitos recursos e provavelmente esses recursos são valiosos para civilizações externas. 

A cabala são os bandidos e podemos livrar o mundo deles ao longo do tempo, à medida que mais e mais pessoas se tornarem conscientemente iluminadas. Nós não precisamos de fontes externas para isso, particularmente quando essas fontes externas estão interessadas em nosso planeta para negociação e lucro. Minha intuição me diz que qualquer fonte externa que visite nosso mundo não será boa para nós a longo prazo ”.

Em numerosas mensagens falamos sobre a importância de confiar em sua intuição, orientação para a mente consciente a partir do nível da alma, onde a verdade é conhecida. Este é um caso em que a crença está bloqueando a consciência intuitiva – o que se acredita, se surge de fato real, uma falsidade ou mera suposição, é a realidade do indivíduo.

Dissipar as preocupações daquela querida alma que escreveu é necessária porque ela não está sozinha em ser cautelosa com outras civilizações, e tripulações em espaçonaves que cercam a Terra não podem pousar e seres extraterrestres já infiltrados vivendo em seu meio não podem se apresentar de público até que a sociedade da Terra esteja pronta para cumprimentá-los sem medo.

Então, vamos abordar as duas questões que são relevantes aqui. Uma é o desejo de Gaia (da consciência da Terra) de que a vida em seu corpo planetário esteja de acordo com sua visão de que todos que vivem pacificamente em harmonia com a Natureza e compartilham a abundância do mundo. O outro é uma lei universal: nenhuma civilização pode impor suas idéias à outra (Lei de Não INTERFERÊNCIA), por mais benéficas que sejam, a qualquer outra civilização. 

Conseqüentemente, os acordos de pré-nascimento foram feitos pelas almas que escolheram viver na Terra para que pudessem completar as lições cármicas de terceira densidade e as miríades de almas que os ajudariam a se iluminar para poderem co-criar o mundo que eles, os povos querem – é o mesmo mundo que Gaia quer para eles. 

Deus autorizou civilizações avançadas em consciência espiritual e conscientemente elevadas para ajudar sua família da Terra a livrar o planeta do controle e exploração pela escuridão que os impediu de manifestar esse tipo de mundo justo e ideal.

É tarde demais para pensar que você pode livrar o mundo da cabala sozinho. A enorme luz irradiada das civilizações nos anos 80 – alguns anos atrás, interrompeu a escuridão penetrante da cabala que controlava a vida em seu mundo. Membros dessas civilizações que se ofereceram para ir à Terra ancoraram essa luz e geraram a sua própria, trazendo assim à luz as atividades hediondas há muito escondidas da cabala. 

Tripulações em seus céus impediram a detonação de ogivas nucleares lançadas pela cabala e estão reduzindo os elementos tóxicos em seus chemtrails. Alguns dos muitos extraterrestres que vivem entre vocês frustraram os esforços da cabala para iniciar pandemias (potentes vírus criados artificialmente como Ebola, HIV e inúmeras novas cepas de gripes), alguns expuseram suas outras atividades ilegais e imorais, alguns estão trabalhando para arrancar da cabala seu controle da economia e sistema financeiro global,

Extraterrestres conscientes e evoluídos também implantaram uma grade de Luz ao redor do planeta que impede a entrada de qualquer fonte com baixas vibrações. Portanto, atualmente apenas seres com altas vibrações podem vir à Terra, e aqueles que estão esperando para se juntar a você não têm intenção ou interesse em lucrar com a exploração dos recursos do seu mundo ou para continuar a controlar a população planetária.

Sim, suas tecnologias (usadas à serviço da evolução e da Luz) realmente mudarão o planeta. Com uma rapidez que vai surpreender vocês, eles vão desmaterializar o lixo nuclear; eliminar a toxicidade em seu solo, águas e atmosfera; transformar desertos em terras aráveis; e expandir as florestas tropicais; e seus cientistas trabalharão lado a lado com os extraterrestres em todos esses empreendimentos.

A população da Terra não quer e nem precisa se tornar dependente de outras civilizações alienígenas, e depois que os ajudantes visitantes ensinam o uso de suas tecnologias e as entregarem a vocês, eles voltarão para seus sistemas estelares, planetas de origem e ao convívio de suas famílias.

Sinta-se grato por essas “fontes externas” de ajuda chegando! Enquanto seus governos negam a sua existência, sua indústria de entretenimento lhes dá uma “realidade” criando filmes com criaturas monstruosas que os comerão, aniquilarão ou escravizarão. Isso é mais do que suficiente para a sociedade superar sem acrescentar preocupações de que pessoas de outros mundos pretendem lucrar com seus recursos naturais – é isso que a própria cabala vem fazendo há milênios. Outras civilizações têm ajudado os povos da Terra em uma miríade de caminhos por milênios, porque as almas que incorporam lá são membros amados da família universal.

Dizemos adeus por enquanto, queridos irmãos e irmãs, mas em todos os momentos em que nós e todos os outros seres de Luz neste universo estamos apoiando vocês com o poder do nosso amor incondicional.

Matthew Ward

Tradução e edição: Thoth3126@protonmail.ch

Fontes: www.thoth3126.com.br  e  https://www.matthewbooks.com/

Lido em: https://thoth3126.com.br/prisoes-de-membros-illuminati-da-cabala-e-deep-state-para-breve/

Profecias de João de Jerusalém, dito Profeta dos Templários

 

(Destaques e grifos são de Jomarion deste blog)

Eu vejo e sei.

Os meus olhos descobrem no Céu o que será e atravesso o tempo num só passo.
Uma mão me guia para o que não vedes nem sabeis.

Mil anos terão passado e Jerusalém não será mais a cidade dos Cruzados de Cristo.
A areia terá enterrado sob os seus grãos as muralhas dos nossos castelos, as nossas
armaduras e os nossos ossos. Ela terá sufocado as nossas vozes e as nossas preces.

Os Cristãos vindos de longe como peregrinos ali, onde estavam o seu Direito e a
sua Fé,  não ousarão aproximar-se do Sepulcro e  das Relíquias senão escoltados
por Cavaleiros Judeus, que terão aqui, como se o Cristo nunca tivesse sofrido na
Cruz, o seu Reino e o seu Templo.

Os Infiéis serão uma multidão inumerável que se espalhará por toda a parte
e a sua fé ressoará como um tambor de um extremo ao outro da Terra.

Eu vejo a Terra imensa.

Continentes que Heródoto não nomeou, nem nos seus sonhos, e mais além das grandes
florestas de que fala Tácito, serão acrescentados, lá longe no fim  dos mares ilimitados
que começam após as Colunas de Hércules.

Mil anos terão passado desde o tempo em que vivemos e por toda a parte os feudos se
reunirão em grandes reinos e vastos impérios.
Guerras, tão numerosas como as malhas da cota que portam os Cavaleiros da Ordem,
se entrecruzarão, arruinarão os reinos e os impérios, e tecerão outros.

E os servos, os vilões, os pobres sem lar se revoltarão mil vezes, queimando as colheitas,
os castelos e  as cidades,  até que sejam queimados vivos e  os sobreviventes obrigados a
voltar aos seus covis.
Eles terão se acreditado Reis.

Mil anos terão passado e o Homem terá conquistado o fundo dos mares e dos céus
e será como uma estrela no firmamento.
Ele terá adquirido o poder do Sol e  se tomará por Deus,  levantando sobre a Terra
imensa mil Torres de Babel.

Ele terá construído muros  sobre as ruínas daqueles  levantados pelos Imperadores
de Roma, e eles separarão, numa nova vez, as Legiões das Tribos Bárbaras.
Mais além das grandes florestas, haverá um Império.
Quando os muros se afundarem, o Império não será mais que uma água lamacenta.
Os povos serão mais uma vez misturados.

Então começará o Ano Mil que vem após o Ano Mil.
Eu vejo e sei o que ele será.
Eu sou o escriba.

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil, o Homem estará diante da
entrada sombria de um labirinto obscuro.

E eu vejo no fundo dessa noite na qual ele vai entrar, os olhos vermelhos do Minotauro.
Guarda-te do seu furor cruel, tu que viverás o Ano Mil que vem após o Ano Mil.

QUANDO COMEÇAR O ANO MIL QUE VEM APÓS O ANO MIL…

UM

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
O ouro estará no sangue
De quem olha as estrelas e conta os lucros.
Quem entrar no Templo avistará os mercadores.
Os Soberanos serão cambistas e usuários.
O Gládio defenderá a Serpente.

Mas o fogo alastrará.
Cada cidade será Sodoma e Gomorra.
E os filhos dos filhos tornando-se a nuvem ardente,
Levantarão os velhos estandartes.

DOIS

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
O Homem terá povoado os Céus e a Terra e os Mares
Com as suas Criaturas.
Ele ordenará.
Ele quererá os poderes de Deus.
Ele não conhecerá qualquer limite.

Mas cada coisa retornará.
Ele titubeará como um rei ébrio.
Galopará como um cavaleiro cego
E a golpes de espora adentrará a sua montada na floresta.
No final do caminho estará o abismo.

TRÊS

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Se levantarão em todos os lugares da Terra as Torres de Babel.
Assim será em Roma e assim será em Bizâncio.
Os campos ficarão vazios
E não haverá justiça em parte alguma.

Mas os Bárbaros ocuparão a cidade
E não haverá mais pão para todos.

E as manipulações deixarão de resultar
Quando as pessoas sem futuro alimentarem os grandes incêndios.

QUATRO

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
A fome encherá o ventre de tantos homens
E o frio gelará tantas mãos
Que eles desejarão viver em outro mundo
E verão os mercadores de ilusões propondo a poção
(narcotrafico)

Mas ela destruirá os corpos e apodrecerá as almas.  (Drogas)
E aqueles que misturaram a poção ao seu sangue  (Injetam nas veias)
Serão como a besta selvagem caída na armadilha.
E matarão e violentarão e espoliarão e roubarão
E a sua vida será um apocalipse a cada dia.

CINCO

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Cada um procurará desfrutar de tudo o que puder.
O homem repudiará a sua esposa tantas vezes quantas se casar
E a mulher irá pelos caminhos perdidos
(fúteis) tomando daí
Quanto lhe der prazer.
Parirá sem dar o nome do Pai. 
(mães solteiras)

Mas nenhum Mestre guiará o Menino.
E cada um entre os demais estará só.
A Tradição estará perdida. A Lei será esquecida
Como se o Anúncio não tivesse sido feito,
E o Homem tornar-se-á selvagem.

SEIS

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
O pai buscará o prazer com a sua filha,
(incesto)
O homem com o homem, a mulher com a mulher, (transgeneros)
O velho com a criança impúbere,  (pedofilia)
E isso perante os olhos de todos. (filmes, TV, mídia, internet)

Mas o sangue se tornará impuro.
O mal se espalhará de leito em leito.
(DSTs)
O corpo acolherá todas as putrefacções da terra,
Os rostos serão corroídos, os membros descarnados.
O amor será uma grande ameaça para aquele que não se conhecem
Senão pela carne.

SETE

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Aquele que falar de Juramento e de Lei não será ouvido,
Aquele que pregar a Fé do Cristo perderá a sua voz no deserto.
Mas por toda a parte se estenderão as águas poderosas das religiões infiéis.

Os falsos messias reunirão os homens cegos
E o infiel armado será como nunca antes tinha sido.
Ele falará de injustiça e de direito e a sua fé ardente e cortante
Se vingará da Cruzada.

OITO

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
A fama dos assassinos correrá como a tempestade sobre a Terra.
(noticiário)
Os bárbaros serão misturados com os soldados das últimas legiões.
Os infiéis viverão no coração das Cidades Santas.
Cada um será mais bárbaro que o outro, infiel e selvagem
E não terá nenhuma ordem nem regra.

O ódio se espalhará como a chama na floresta seca.
Os bárbaros massacrarão os soldados.
Os infiéis degolarão os crentes.
A selvajaria será de cada um e de todos e as cidades perecerão.
(violência urbana)

NOVE

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Os homens se julgarão entre si segundo o seu sangue e a sua fé.
Ninguém escutará o coração sofredor das crianças,
Serão abandonadas como passarinhos
E não haverá ninguém para as proteger da mão dura enluvada
. (abuso e tráfico)

O ódio inundará as terras que se acreditavam pacíficas  (Brasil neste momento pós eleições)
E ninguém será poupado, nem os velhos, nem os feridos.
As casas serão destruídas ou assaltadas,
Uns usurpando o lugar dos outros,
Cada um fechando os olhos para não ver as mulheres violadas. 
(estupros e feminicidis)

DEZ

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Cada um saberá o que existe em todos os lugares da Terra.
(Noticias em tempo real)
Se verão crianças com os ossos aparecendo através da pele...
Cujos olhos estão cobertos de moscas... perseguidas como a um rato.

Mas o homem que a veja afastará o olhar
Porque não se importa senão consigo.
(individualismo extremo)
Ele só dará um punhado de grãos como esmola
Quando estiver seguro de ter os sacos cheios,
E o que der com uma mão recuperará com a outra.

ONZE

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
O Homem fará mercado com tudo.
Cada coisa terá o seu preço,
A árvore, a água e o animal.

Verdadeiramente nada será dado e tudo será vendido.
Então o Homem não será mais que o peso da carne.

Trocará o seu corpo como um quarto de carne.
Venderá os seus olhos e o seu coração.
 (comercio de órgãos)
Nada lhe será sagrado, nem a sua vida, nem a sua alma.
Os seus despojos serão disputados como uma carcaça a esquartejar.

DOZE

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
O Homem terá modificado a face da Terra.
Julgar-se-á o Mestre e o Soberano das florestas e dos rebanhos.
Terá cruzado a terra e o céu
E traçado o seu sulco nos rios e nos mares.

Mas a Terra estará nua e estéril.
O ar será ardente e a água fétida.
A vida fenecerá porque o Homem esgotará a riqueza do mundo.

E o Homem estará só como um lobo
No ódio a si mesmo.

TREZE

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Também a própria criança será vendida.
(trafico de crianças)
Alguns se servirão dela como de uma quintana * (escrava sexual)
Para gozar da sua pele jovem.
(pedofilia e abuso)
Outros a tratarão como um animal servil
Esquecendo a fraqueza sagrada da criança
E seu mistério.

Ela será como um sapato que se usa,
Como um cordeiro degolado que se abate.
E o Homem não será mais que barbárie.

(*) Nota V.M.A. – A quintana era aquela espécie de (manequim estofado de que os cavaleiros se serviam para treinar à espada) ou à lança (cf. Larousse).

QUATORZE

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
O olhar e o espírito dos homens serão prisioneiros.
Eles serão ébrios e o ignorarão.
Tomarão as imagens e os reflexos pela verdade do mundo.
Será feito com eles o que se faz com a carneirada. 
(controle do rebanho)

Então os carniceiros virão.
Os repaces os enganarão para melhor os guiar para o abismo
E os lançar uns contra os outros.
Serão esfolados para ficar com a sua lã e a sua pele.
E se o Homem sobreviver estará despojado da sua Alma.

QUINZE

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Reinarão os Soberanos sem crença.
Mandarão nas multidões humanas inocentes e passivas,
Esconderão os seus rostos e guardarão os seus nomes secretos.

(sociedades secretas e lojas ocultas)
E as suas fortalezas estarão perdidas nas florestas
Mas decidirão da sorte de tudo e de todos.

Ninguém participará das assembleias da sua Ordem.
Cada um será um verdadeiro escravo mas que se acredita homem livre e cavaleiro.

Serão os únicos a ser enviados às cidades selvagens e às fés heréticas,
Mas logo serão vencidos e queimados vivos.

 DEZESSEIS

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Os homens serão tão numerosos sobre as terras
Que se parecerão a um formigueiro
onde se crava um bastão.
Agitar-se-ão e a morte os esmagará com o seu tacão como a insectos enlouquecidos
Por grandes movimentos empurrando uns contra os outros.

As peles escuras se mesclarão às peles brancas,  (miscigenação)
A Fé do Cristo àquela da Infidelidade.
Alguns pregarão a paz jurada
Mas por toda a parte será a guerra das tribos inimigas.

DEZESSETE

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Os homens quererão transpor todos os limites.
A mulher terá os cabelos grisalhos de uma velha.
(pintados de branco)
O caminho da Natureza será abandonado
E as famílias serão como grãos separados que nada pode unir.

Esse será então um outro mundo
Onde cada um errará sem freio como um cavalo embalado
Indo em todos os sentidos sem direcção.
Infeliz do cavaleiro que cavalgar tal montada,
Ela não terá estribos e o atirará no fosso.

 DEZOITO

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Os homens não se submeterão mais à Lei de Deus
Mas quererão guiar a sua vida como uma cavalgadura.
Eles irão escolher as suas crianças no ventre das suas mulheres

(eugenia e programação genética)
E matarão aquelas que não desejam.

(para se obter uma criança perfeita muitos fetos se perderão)
Mas o que será o homem que se toma assim por Deus?

Os Poderosos se apoderarão das melhores terras e das mais belas mulheres.

Os pobres e os fracos serão como gado.
Cada casebre tornar-se-á mirante,
O medo será em cada coração como um veneno.

DEZENOVE

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Uma Ordem Negra e Secreta terá surgido.
O ódio será a sua lei e a sua arma o veneno.
Desejará sempre mais ouro e estenderá o seu reino por toda a Terra.

E os seus servidores estarão unidos entre si por um beijo de sangue.
Os homens justos e os fracos sofrerão a sua regra.

Os Poderosos se porão ao seu serviço.
A única lei será aquela ditada na Sombra.
O veneno será vendido até nas igrejas
(alienação?)
E o mundo marchará com o escorpião sob os seus calcanhares.

VINTE

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
A maioria dos homens ficará parada de braços cruzados.
(desemprego massivo e global)
Muitos caminharão sem meios de olhos vazios
Por não terem mais forja onde bater o metal
(robotização e inteligência artificial)
Nem mais campo para cultivar.

Eles serão como um grão sem raiz,
Errantes e desnudos, humilhados e desesperados.
Frequentemente sem ligações, os mais jovens e os mais velhos
Não terão senão a guerra por salvação
E logo combaterão entre eles e odiarão a sua vida.

VINTE e UM

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
As águas enfermas do céu e da Terra
Atingirão o Homem e o ameaçarão.

Ele desejará fazer renascer o que destruiu e proteger quanto subsiste.
Terá saudades dos dias do Passado
Mas será demasiado tarde.

O deserto consumirá a Terra e a água estará cada vez mais no fundo.
Em certos dias ela cairá em toda a parte como um dilúvio
E no dia seguinte faltará na Terra.

E o vento estremecerá os corpos dos mais fracos.

VINTE e DOIS

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
A terra tremerá em muitos lugares e as cidades se afundarão.
Tudo quanto tenha sido construído sem ouvir os Sábios será ameaçado e destruído.
A lama submergirá as cidades e o solo se abrirá sob os palácios.
O Homem se obstinará porque o orgulho é a sua loucura.
Ele não entenderá o aviso repetido da Terra.

Mas o incêndio destruirá as novas Romas
E nos escombros acumulados
Os pobres e os bárbaros pilharão, malgrado as Legiões,
As riquezas abandonadas.

VINTE e TRES

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
O Sol queimará a Terra.
O ar não será mais o véu que protege do fogo.
Ele não será senão uma cortina esburacada
E a luz ardente queimará as peles e os olhos.

O mar se elevará como a água que ferve
E as cidades e os rios serão engolidos
E continentes inteiros desaparecerão.
Os homens se refugiarão nas alturas
E logo esquecendo reconstruirão quanto sobreviveu.

VINTE e QUATRO

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Os homens saberão tornar vivas as miragens.
Os sentidos serão enganados e eles acreditarão que tocam no que não existe.

(realidades e ambientes virtuais)
Eles seguirão por caminhos que só os seus olhos vêem
E assim o sonho poderá tornar-se vivo.

O Homem não saberá mais separar o que é do que não é (fakenews)
E perder-se-á em labirintos falsos.
Aqueles que souberem fazer nascer as miragens
Rirão do homem ingénuo ao enganá-lo,
E muitos homens se tornarão cães de fila.

VINTE e CINCO

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Os animais que Noé tinha embarcado na sua Arca
Não estarão mais nas mãos do Homem
Serão como bestas transformadas segundo a sua vontade.
E quem se apiedará do seu sofrimento vivo?
O Homem terá feito de cada espécie o que quis
E terá destruído inumeráveis.

Que acontecerá ao homem que tenha alterado as Leis da Vida?
Que tenha feito do animal vivo um torrão de argila?
Será ele o igual de Deus ou o filho do Diabo?

 VINTE e SEIS

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Temer-se-á pelo filho do Homem.
A peste e o desespero o envolverão.
Não desejará senão para si e não para o próximo ou para o mundo.
Será acossado pelo prazer e por vezes venderá o seu corpo.
Mas mesmo aquele que é protegido pelos seus
Sofrerá a ameaça de ver o seu Espírito morto.

Viverá no jogo e na miragem que o guiarão,
Porque não terá mais Mestre nem ninguém
Que o ensinem a esperar e a agir.

 VINTE e SETE

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
O homem se acreditará Deus ainda que seja igual a quando nasceu.
Agirá sempre dominado pela cólera e pela inveja.
O seu braço estará armado do poder em que se ampara
E o Prometeu cego poderá destruir tudo à sua volta.

Será um anão como alma mas terá a força dum gigante.
Avançará em largas passadas ignorando o caminho a seguir.
A sua cabeça estará pesada de sabedoria
Mas não saberá por que vive e por que morre.

Será sempre como o louco que esbraveja ou como a criança que choraminga.

VINTE e OITO

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Países inteiros serão despojos da guerra
(Síria, Venezuela, países africanos)
Além do limés * romano e mesmo sobre o antigo território do Império.
Os homens dessas mesmas cidades se degolarão.
Aqui será a guerra entre tribos e lá entre crentes.

Os Judeus e os filhos de Allah não deixarão de se confrontar
E a terra do Cristo será o seu campo de batalha.

Mas os infiéis quererão em toda a parte defender a pureza da sua fé
E não haverá em face deles senão dúvida e poder.
Então a morte avançará em toda a parte como o estandarte dos tempos novos.

(*) Nota V.M.A. – O limés é o conjunto de fortificações mais ou menos contínuo que marcava outrora os limites do Império Romano (cf. Larousse).

VINTE e NOVE

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Multidões de homens serão excluídos da vida humana.
Eles não terão nem direitos, nem teto, nem pão.
 
(a massa dos pobres)
Estarão nus e não terão senão os seus corpos para vender.
Serão expulsos para longe das Torres de Babel da opulência.

Agitando-se como um remorso e uma ameaça,
Eles ocuparão países inteiros e proliferarão.
 
(refugiados)
Escutarão as prédicas da vingança
E se lançarão ao assalto das Torres orgulhosas.
Será chegado o tempo das invasões bárbaras.

 TRINTA

Quando começar o Ano Mil que vem após o Ano Mil
O Homem será atirado no labirinto obscuro.
Terá medo e fechará os olhos por não mais saber ver.
Desconfiará de tudo e receará a cada passo.
Mas será impelido adiante por nenhuma paragem lhe ser permitida.
A voz de Cassandra soará em toda a parte alta e forte
E não será ouvida.

Porque ele quererá possuir sempre mais e a sua cabeça estará perdida nas miragens.
Aqueles que forem os seus mestres o enganarão
E não terá senão maus pastores.

QUANDO FOR PLENO O ANO MIL QUE VEM APÓS O ANO MIL (haverá um grande despertar)

TRINTA e UM

Quando for pleno o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Os homens terão finalmente aberto os olhos.
Não estarão mais fechados nas suas cabeças e nas suas cidades.
Ver-se-ão e ouvirão de um ponto ao outro da Terra.
Saberão que o que golpeia a um fere ao outro.

Os homens formarão como que um corpo único
De que cada um será uma parte ínfima.
E juntos constituirão o coração
E haverá uma língua que será falada por todos
E nascerá enfim o Grande Humano.

TRINTA e DOIS

Quando for pleno o Ano Mil que vem após o Ano Mil
O Homem terá conquistado o céu.
Criará estrelas no grande mar azul sombrio
E navegará nessa nave brilhante
Novo Ulisses companheiro do Sol para a Odisseia celeste.

TRINTA e TRES

Quando for pleno o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Os homens poderão mergulhar nas águas.
O seu corpo será novo e eles serão como peixes
E alguns voarão mais alto que os pássaros
Como se a pedra não caísse.

Eles se comunicarão entre si
Por o seu espírito estar tão aberto que recolherá todas as mensagens.
E os sonhos serão partilhados
E eles também viverão tanto tempo como o mais velho dos homens,
Aquele de que falam os Livros Santos.

TRINTA e QUATRO

Quando for pleno o Ano Mil que vem após o Ano Mil
O Homem saberá qual é o espírito de toda a coisa.
Na pedra ou na água, no corpo do animal ou no olhar de outro
Ele perceberá os segredos possuídos pelos Deuses antigos.
Atravessará porta após porta no labirinto da vida nova.

Criará com o poder e a alegria de uma fonte.
Ensinará a Sabedoria à multidão de homens
E as crianças conhecerão a Terra e o Céu mais que nenhuma outra antes delas.
E o corpo do Homem será engrandecido e hábil
E o seu Espírito terá envolvido todas as coisas e as possuirá.

 TRINTA e CINCO

Quando for pleno o Ano Mil que vem após o Ano Mil
O Homem não será mais o único soberano porque a Mulher empunhará o Ceptro.
Ela será a Grande Mestra dos tempos futuros
E o que pensar imporá aos homens.
Ela será a Mãe desse Ano Mil que vem após o Ano Mil.

(Reinado da energia feminina ou da Deusa)

Derramará a doçura terna de Mãe após os dias do Diabo.
Será a beleza após a fealdade dos tempos bárbaros.
O Ano Mil que vem após o Ano Mil mudará presto
E se amará e se partilhará,
Se sonhará e se dará vida aos sonhos.

 TRINTA e SEIS

Quando for pleno o Ano Mil que vem após o Ano Mil
O Homem conhecerá um segundo nascimento.
O Espírito dominará as hostes dos homens
Que comungarão em Fraternidade.
Então se anunciará o fim dos tempos bárbaros.

Esse será o tempo de um novo vigor da Fé
Depois dos dias negros do começo do Ano Mil que vem após o Ano Mil.
Começarão os dias felizes,
O homem reencontrará o caminho dos homens
E a Terra será ordenada.

 TRINTA e SETE

Quando for pleno o Ano Mil que vem após o Ano Mil
As vias irão de um lado ao outro da Terra, e do Céu ao outro lado.
As florestas serão novamente densas
E os desertos terão sido irrigados.
As águas serão novamente puras,
A Terra será como um jardim.

O Homem protegerá tudo o que vive,
Purificará o que conspurcou
E será sábio pensando nos vindouros.

 TRINTA e OITO

Quando for pleno o Ano Mil que vem após o Ano Mil
Cada um será como um passo regulado.
Saberá tudo do mundo e do seu corpo,
Cuidará da doença antes dela aparecer.
Cada um será médico de si e dos outros,
Pois compreendeu que deve ajudar para sobreviver.

E o Homem após os tempos de isolamento e de avareza
Abrirá o seu coração e a sua bolsa aos mais desmunidos.
Se sentirá Cavaleiro da Ordem Humana
E assim será num Tempo Novo que começará.

 TRINTA e NOVE

Quando for pleno o Ano Mil que vem após o Ano Mil
O Homem terá aprendido a dar e a partilhar.
Os dias amargos de solidão terão passado.
Acreditará novamente no Espírito
E os bárbaros terão adquirido o direito de cidadania.

Mas isso virá depois das guerras e dos incêndios,
Isso surgirá dos escombros enegrecidos das Torres de Babel.
E terá sido necessário pulso de ferro
Para se ordenar a desordem
E o Homem encontrar o bom caminho.

 QUARENTA

Quando for pleno o Ano Mil que vem após o Ano Mil
O Homem saberá que todos os seres vivos são portadores da Luz
E que são criaturas a respeitar.
Terá construído novas cidades
No céu, sobre a Terra e sobre o mar.

Conservará a memória do que foi
E saberá ler o que será.
Não mais terá medo da sua própria morte
Porque terá vivido em sua vida muitas vidas,
E saberá que a Luz jamais se extinguirá.

**************************************************************************

Sobre Jean de Mareuil dito Jean de Vézelay:

No contexto dos santos e profetas da Ordem do Templo ou mesmo afiliados dela, aparece o nome de Jean de Mareuil, dito Jean de Vézelay ou João de Jerusalém, Profeta dos Templários que teria escrito em francês medieval 40 premonições, entre 1117 e 1119, data da sua morte, quando se encontrava como peregrino junto aos cruzados em Jerusalém.

O profeta João teria nascido na França em 1042 e acompanhado os cruzados à Terra Santa, onde chegou em 1099. Já no final da sua vida, escreveria aí os seus vaticínios, num estilo simples, anunciando de forma apocalíptica eventos que anteviu num horizonte temporal vindo do milênio em que viveu até ao milênio seguinte, que se iniciou no ano 2000.

Abraçou a vida religiosa de São Bento, dos beneditinos de Mosteiro de Vézelay, França. Muito viajado, há também notícia de ter feito várias peregrinações a Santiago de Compostela e se deslocado a Bizâncio, onde integrou a Cruzada a Jerusalém, segundo M. Galvieski[1].

Esse professor Galvieski diz ter descoberto por acaso o manuscrito original das Profecias de João de Jerusalém nos inícios de 1942, na biblioteca pública da comunidade judaica de Varsóvia, pouco antes de ser saqueada pelos nazistas, mas não informa se chegou a copiar o documento. A única verdade provada é que o gueto de Varsóvia foi completamente saqueado e arrasado pelos nazistas, indo o saque para à Alemanha de Hitler.

Ainda segundo o professor Galvieski, entre os finais de 1992 e os inícios de 1993, ele tornaria a descobrir o documento das profecias, dessa feita na Rússia, nos arquivos do Mosteiro da Saint Trinité de Saint Serge em Zargorsk, perto de Moscou.

Por Vitor Manuel Adrião – Site Lusofia  (Portugal)

[1] Juan de Jerusalén, Las profecias de los templarios. Introdução, notas, textos e epílogo de M. Galvieski. Ed. Tikal, Girona, 1996.

[2] Le Livre des Prophéties – Le troisiéme millénaire révélé – de Jean de Jerusalem, traduit par M. Galvieski, qui a découvert le manuscrit du Livre des Prophéties. Ed. J. C. Lattés, 1994.

Lido em: https://lusophia.wordpress.com/2018/04/15/profecias-de-joao-de-jerusalem-dito-profeta-dos-templarios-por-vitor-manuel-adriao/

Crise entre Olavo de Carvalho e "Bolsonários"

 

Deputados do PSL na China mandam recado para Bolsonaro sobre Previdência

Os ataques de Olavo de Carvalho e de seus seguidores nas redes sociais aos parlamentares do Partido Social Liberal que viajaram à China a convite daquele país abriram uma crise no governo Bolsonaro.

O bombardeio dos seguidores bolsonaristas – que...  insuflados por Carvalho, acusaram a comitiva do PSL de querer “vender o Brasil para a China” e de serem “comunistas infiltrados na direita” – deixou os onze parlamentares do partido com o sentimento de terem sido atirados “na fogueira” para encobrir o que consideram um escândalo: o pedido do filho do presidente Jair Bolsonaro, Flávio Bolsonaro, ao Supremo Tribunal Federal, para ter foro privilegiado no caso em que seu motorista e assessor na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, Fabrício Queiroz, é investigado pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), de movimentar 1,2 milhão de reais de forma atípica.

“É muita coincidência que o ataque aos parlamentares do partido tenha ocorrido justamente no dia em que o Flávio tomou aquela decisão escandalosa de ir pedir ao ministro Luiz Fux que lhe desse foro privilegiado”, me disse o advogado Cleber Teixeira, integrante da comitiva e futuro chefe de gabinete do deputado eleito Alexandre Frota, também do PSL.

O advogado afirmou que o clima entre os deputados da comitiva era de revolta e indignação. “Durante anos eles combateram o PT e a esquerda pelos crimes que cometeram”, disse Teixeira, por telefone, por volta das 5 horas da manhã em Pequim. “Foram todos eleitos com a bandeira da direita, todos defenderam Bolsonaro e agora são acusados dessa forma? Que absurdo é esse?” A indignação dos parlamentares era ainda maior pelo fato de filhos do presidente – o deputado Eduardo Bolsonaro, eleito por São Paulo, e o vereador Carlos Bolsonaro, do Rio de Janeiro – terem “debochado” da comitiva.

Carlos chegou a postar uma montagem com a deputada eleita Carla Zambelli segurando uma bandeira chinesa. “Isso aqui não é brincadeira”, afirmou Teixeira, inflamado. “Essa gente está brincando com coisa séria. A China tem uma oferta de investimentos de em torno de 30 bilhões de reais em infraestrutura do Brasil, e essa direita chucra, seguidora de Olavo de Carvalho, fica falando essas irresponsabilidades na rede”, afirmou.

Em seguida, Teixeira fez um alerta para o risco de este tipo de comportamento atrapalhar o governo na votação de reformas. “Imagina se estes parlamentares decidirem não votar com o governo?”, questionou ele. “Porque os parlamentares votam nas propostas de um governo em que confiam. Eles foram eleitos com a bandeira da transparência e agora o Flávio não quer que o investiguem?

Não é obstruindo uma investigação que ele vai provar sua inocência.” Lembrou ainda que tanto Bolsonaro quanto seus filhos foram críticos aos pedidos de foro privilegiado feitos por Aécio Neves e outros políticos, e que agora pedem o mesmo benefício. “Não estou dizendo que ele seja culpado. Pelo contrário. Mas quem não deve, não teme”.

Teixeira afirmou ainda que, se os parlamentares não se sentirem confortáveis com o comportamento do Executivo, podem não votar as reformas. “Eles não darão carta branca a um governo em que não confiam.” E foi além. Disse que o presidente Jair Bolsonaro deveria controlar os filhos dele. “Todos nós respeitamos o Jair, mas não vamos aceitar esses ataques dos filhos dele. Isso não é uma monarquia. Ele não é rei e os filhos dele não são filhos do rei.”

O advogado se mostrou indignado com Olavo de Carvalho. Disse que Bolsonaro deveria controlar também os ataques do guru da extrema direita aos parlamentares do PSL. “Quem vai garantir os votos que ele precisa no Congresso? Os deputados da sua base ou Olavo de Carvalho? O Fernando Henrique perdeu a reforma da Previdência [em 1998] por um voto. Quantos votos Bolsonaro tem aqui na China?”, perguntou. Afirmou que não se tratava de uma ameaça, mas sim da necessidade de o governo entrar na defesa de seus parlamentares.

Desde o início da confusão, o presidente Jair Bolsonaro não se manifestou a favor da comitiva do PSL da China. Durante visita à embaixada do Brasil, em Pequim, os parlamentares decidiram deixar clara sua indignação com o caso. A senadora Soraya Thronicke, do Mato Grosso do Sul, ligou da embaixada para o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, que também vinha se mantendo em silêncio, e, irritada, pediu que ele se posicionasse em defesa da comitiva. Ele não se manifestou oficialmente. O chanceler foi indicado para o cargo por Olavo de Carvalho, de quem é um fiel seguidor.

Na quinta-feira, o ministro da Economia, Paulo Guedes, já havia se encontrado com o embaixador da China para discutir investimentos do país asiático no Brasil. Na próxima semana, Bolsonaro viaja para o Fórum Mundial de Davos e está previsto um encontro com o presidente da China. “Quero ver se o Olavo de Carvalho vai chamar Bolsonaro de comunista”, disse Teixeira.

Embora os parlamentares do PSL não tenham ido à China em missão oficial, já que só tomarão posse no dia 1º de fevereiro, a intenção deles, segundo a deputada Carla Zambelli, era mostrar que o governo Bolsonaro não tinha restrições de comércio com a China, além de conhecer as possibilidades de investimento. A China compra a maior parte da produção de soja brasileira, além de minério de ferro e petróleo. “Se a China parar de importar soja do Brasil, muitos estados brasileiros vão quebrar”, disse o advogado.

Afora isso, disse Teixeira, a direita sempre criticou a esquerda pelo “viés no comércio exterior”, ao “priorizar” negócios com Cuba e Venezuela. Na visão dos deputados da comitiva, afirmou ele, a direita acha importante que se faça comércio com todos os países. “Essa gente não entendeu que agora acabou essa história de direita e esquerda. O presidente tem que governar para todos, para o bem do Brasil. Não pode se dar ao luxo de eliminar um parceiro da importância da China por questões ideológicas.”

Desde que chegaram em Pequim, os parlamentares foram massacrados por integrantes de grupos de WhatsApp e de outras redes sociais bolsonaristas. O incentivador mais popular dos ataques foi Olavo de Carvalho, que chamou os parlamentares de “jumentos” por demonstrarem interesse num software de reconhecimento facial chinês – o que, segundo o ensaísta, permitiria que os brasileiros fossem espionados pelo país asiático.

Um dos ataques mais violentos partiu de Marcello Reis, do Revoltados On Line, movimento que surgiu para pedir o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Ex-marido de Zambelli, Reis acusou-a e aos outros parlamentares, num vídeo postado na quinta-feira, de defenderem os “interesses dos comunistas”. Na tarde desta sexta-feira, dia 18, ele postou um novo vídeo. Acusou o empresário Vinícius Aquino, de 28 anos, amigo do deputado eleito Alexandre Frota e dono da marca Pixuleco, de ser um infiltrado do MDB na bancada do PSL. Da China, Aquino respondeu, neste sábado, ao vídeo de Reis. Indignado, disse que nunca trabalhou no governo Temer, e que fora sim, em missão à China, no ano passado, com parlamentares de vários partidos, quando era filiado ao MDB, do qual afirmou ter se desfiliado.

Para o advogado e futuro chefe de gabinete... Cleber Teixeira, o fogo amigo está acontecendo porque o governo não tratou logo de pôr fim à polêmica, por estar “interessado em abafar o caso do motorista de Flávio Bolsonaro.” E voltou novamente as baterias contra os filhos do presidente.

Disse que Eduardo tenta se impor como líder da bancada, mas “liderança não se impõe, se conquista”. Acusou ainda Eduardo Bolsonaro de querer desmoralizar seus correligionários, ao chamá-los de “favelados” por terem tido poucos votos, ao passo que ele e Joice Hasselmann tinham sido os mais bem votados, ele com 1,8 milhão de votos e ela com 1 milhão. “Ele esquece que agora cada parlamentar tem o mesmo peso. Cada parlamentar é um voto”.

Com a voz cada vez mais alterada, Teixeira me disse que, ao contrário do que Eduardo costuma falar, os deputados ajudaram a eleger Bolsonaro. “Não foi o Bolsonaro que os elegeu. Quando Bolsonaro estava numa cama de hospital, essa turma estava nas ruas fazendo campanha para ele.”

“Está na hora de o governo sair em defesa dos deputados na China abertamente, já que estão lutando pelos interesses do país. Deveria exigir que parem com essa palhaçada. Isso aqui não é para brincadeira.” E concluiu. “Bota tudo isso na minha conta porque os deputados não vão ter coragem de falar como estou falando.”

O presidente do PSL, o deputado pernambucano Luciano Bivar, é um homem de fala mansa e cabeça fria. Conversei com ele por telefone, na tarde desta sexta-feira. Ele estava em Nova York tratando dos direitos de publicação do seu primeiro romance, que pretende lançar nos Estados Unidos, já que a história se passa em Manhattan. O título será Cinquenta formas de amar, uma é matar.

Ele saiu em defesa dos colegas que estavam na missão chinesa. Disse que o comércio bilateral é normal entre países, e não via razão para os ataques feitos por Carvalho e seus seguidores. Depois, rindo, contou que brincou com alguns deputados que “Carvalho perde o amigo, mas não perde a piada.” Perguntei o porquê dessa observação. “Porque só pode ser piada o que ele está falando. Ele sabe perfeitamente bem que o Brasil é um país soberano e que não há qualquer chance de se vender para a China.” E reforçou a importância das relações com o parceiro comercial, de grande importância para o Brasil.

Sem se exaltar, reclamou das “pedras que estavam sendo atiradas nos colegas” e disse que as “pessoas estavam cegas.” Ele não vê crise no partido, mas criticou o que chamou de direita radical. “O partido é grande, temos a ala radical e ala racional.” Os racionais, ele disse, sabem que as relações comerciais com a China não irão afetar a ideologia liberal do governo Bolsonaro. “A China, em certos aspectos, é mais liberal até que o Brasil”, opinou.

Ler na íntegra este artigo no link abaixo:

Lido em: https://piaui.folha.uol.com.br/deputados-do-psl-na-china-mandam-recado-para-bolsonaro-sobre-previdencia/?doing_wp_cron=1547898884.1023418903350830078125

Site Francês de Ativista Gay Pede que a Heterossexualidade Seja Banida

 

O site francês de esquerda “Mediapart” publicou um artigo pedindo a proibição da heterossexualidade porque incentiva a “homofobia” e o “racismo”.  O artigo de opinião, escrito por Mérôme Jardin, um ativista gay, assume a forma de uma longa frase que culpou a heterossexualidade por quase todos os males do planeta.

“A heterossexualidade não é uma orientação sexual, mas um sistema de dominação gerando e alimentando o sexismo, homofobia, transfobia, bifobia e outras opressões como racismo, profissionalismo ou classismo”, afirma o artigo, acrescentando que a heterossexualidade é culpada pelo “feminicídio” de mulheres, e que “uma mulher morre a cada três dias nas mãos de seu companheiro”, além de todos os estupros e suicídios de pessoas LGBT.

O artigo absurdo continua a comparar a heterossexualidade com a negação do Holocausto, acrescentando que as pessoas heterossexuais só começaram a apoiar os direitos dos homossexuais quando "esfregamos seus narizes nos horrores que criaram".

Também alegou ridiculamente que a heterossexualidade era a culpada pela epidemia de AIDS porque levou ao “abandono dos gays, bis e trans”.

O artigo conclui afirmando que “é urgente que a heterossexualidade seja banida”. Uma ironia por trás do artigo é que Jardin também é membro do CCIF (Collective Against Islamophobia).  Alguém se pergunta como sua opinião será recebida entre a população muçulmana da França, que atualmente está em quase 9%.

Fontes:
- Infowars: LEFTIST FRENCH WEBSITE CALLS FOR HETEROSEXUALITY TO BE 
LEFTIST FRENCH WEBSITE CALLS FOR HETEROSEXUALITY TO BE

Lido em: https://www.anovaordemmundial.com/2019/01/agenda-gay-site-frances-de-esquerda-pede-que-a-heterossexualidade-seja-banida.html

Homem Trans dá à luz...

 

Homem transgênero dá à luz, contraria prognósticos dos médicos e faz desabafo: "ainda somos humanos"

A história de um homem transgênero que engravidou e teve medo de ficar em um hospital de São Francisco por não saber como seria tratado foi destaque da série Extreme Love, da We TV. As informações são do Daily Mail.

Wyley Simpson e seu namorado Stephan Gaeth, ambos com 27 anos, compartilharam a incrível história de sua gravidez acidental.

“Provavelmente eu sou o único homem transgênero que está esperando um filho...  afirmou Wyley em um vídeo antes de dar à luz. “Como serei tratado como um indivíduo transexual no hospital?”, questionou.

“Tudo bem, isso não é algo que você vai ver todos os dias, um homem tendo um parto mas, ao mesmo tempo, ainda somos humanos e quero que as pessoas nos chamem pelos pronomes corretos e nos respeitem”, argumenta.

Wyley é um homem trans e sua transição começou em 2012, quando passou a tomar testosterona. “Sempre me senti desconfortável com o corpo feminino que nasci, me sentia diferente e estava preso em algo que não via como sendo eu”, afirma o jovem.

Ele removeu os seios em 2013 e finalmente começou a se sentir quem era. “Todos podiam ver o quanto eu estava feliz e o quanto eu podia ser eu mesmo”.

Por ser um trans gay, Wyley sempre viu dificuldade em encontrar um parceiro que aceitasse sua transexualidade, mas tudo isso mudou quando conheceu Stephan em um aplicativo de relacionamentos e eles afirmam ter sido amor à primeira vista.

“As pessoas com quem me relacionei no passado não me aceitaram por ser quem eu sou. Stephan sabia desde o início que sou transgênero... mas essa gravidez definitivamente não foi planejada”, admite.

O casal já havia conversado com médicos sobre as chances de ter um bebê e os profissionais de saúde afirmaram que Wyley não poderia engravidar por causa da testosterona. O inesperado aconteceu.

“Eu comecei a sentir enjoo e descobri que estava de 11 semanas. Quando vi o resultado positivo, fiquei nervoso, emocionado, comecei a chorar, não sabia o que fazer, pensar ou dizer”, revela Wyley.

A gravidez teve algumas complicações, mas Wyley deu à luz um menino por meio de cesariana. “Quase três dias de trabalho de parto e agora estamos com nosso bebê. Amo meu marido demais. Nunca conheci alguém mais forte”.

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/01/homem-trans-da-a-luz-gravidez.html

Jomarion... prefiro não comentar... lamentável...   (20.1.19)

Notícia Urgente...

 

Em nota oficial, Itamaraty (ministro Ernesto Araújo) acusa governo venezuelano de Nicolás Maduro de "narcotráfico" e "tráfico de pessoas" (Revista Fórum)

Jomarion... O nosso chanceler debilóide/ultradireita/fundamentalista declara perseguição e intervenção na Venezuela... isto pode levar a uma guerra mundial... (destaques em rosa são deste blog)

Em uma linguagem nunca usada na diplomacia brasileira, o Itamaraty divulgou nota na noite desta quinta-feira (17) sobre a reunião do ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo com opositores do governo venezuelano em que faz acusações ao presidente do país, Nicolás Maduro.

“O sistema chefiado por Nicolás Maduro constitui um mecanismo de crime organizado. Está baseado na corrupção generalizada, no narcotráfico, no tráfico de pessoas, na lavagem de dinheiro e no terrorismo”, diz a nota, publicada às 20h01 no site oficial do Ministério das Relações Exteriores.

O texto diz ainda que o governo Jair Bolsonaro (PSL) terá “papel-chave na mudança do cenário venezuelano (???). “O Brasil tudo fará para ajudar o povo venezuelano a voltar a viver em liberdade e a superar a catástrofe humanitária que hoje atravessa”.  O encontro com os líderes da direita venezuelana aconteceu um dia depois da visita do presidente da Argentina, Mauricio Macri, a Jair Bolsonaro (PSL). Em discurso, Macri criticou duramente Maduro e deu sinais de uma intervenção no país vizinho.

(Dois presidentes imbecis e debilóides não cuidam de seu país e de seu povo... preferem invadir a Venezuela... porque os EUA pediram)

Alinhado à postura intervencionista dos Estados Unidos, Bolsonaro afirmou que a “solução” para a crise na Venezuela virá “em breve”.

Ele recebeu em Brasília o presidente do Tribunal Supremo de Justiça da Venezuela em exílio, Miguel Ángel Martins, e o assessor de Assuntos Institucionais da Organização dos Estados Americanos (OEA), Gustavo Cinose, e disse que vai atuar para levar de volta a “democracia” ao país vizinho.

Na reunião, teria sido discutida uma suposta ofensiva internacional para derrubar o atual governo venezuelano.

Reunião com forças políticas democráticas venezuelanas (na verdade “golpistas” que querem derrubar Maduro)

O Ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo realizou hoje reunião com as principais forças políticas democráticas venezuelanas. O encontro incluiu sessão que contou também com a presença de representantes de países do Grupo de Lima e dos EUA.

O Ministro reuniu-se separadamente com o Presidente do Tribunal Supremo de Justiça da Venezuela e outros Magistrados do mesmo Tribunal, bem como com representante do Secretário-Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA).

A reunião teve por objetivo analisar a situação na Venezuela decorrente da ilegitimidade do exercício da presidência por Nicolás Maduro (uma grande mentira desde que Maduro foi eleito em eleições livres e legais) e da manifestação do Presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, de sua disposição de assumir a Presidência da Venezuela interinamente, seguindo a Constituição venezuelana. Teve igualmente por objetivo discutir ideias de ação concreta para restabelecer a democracia na Venezuela.

O papel-chave do Brasil, sob a liderança do Presidente Bolsonaro, na mudança do cenário venezuelano, onde pela primeira vez em muitos anos ressurge a esperança da democracia, foi reconhecido por todos os líderes venezuelanos. (outra mentira deslavada, o povo que votou em Maduro ainda está com ele, os refugiados que se voltaram contra Maduro  foram vitimas de lavagem cerebral pela CIA e MIDIA, e são vitimas de pobreza extrema provocada pelo embargo dos EUA).

De acordo com as lideranças venezuelanas (então não são dados confiáveis), hoje na Venezuela 300.000 pessoas correm o risco de morrer de fome. Mais de 11.000 recém-nascidos perdem a vida anualmente por falta de atendimento primário pós-natal. O déficit de medicamentos é de 85%. Os líderes venezuelanos enfatizaram que se trata de um genocídio silencioso, perpetrado pela ditadura de Maduro contra seu próprio povo.(a mesma frase usada pelos americanos, quando invadiram a Síria e destruíram o pais, estas guerras, entre outras coisas, visam "comercio milionário de armas).

O sistema chefiado por Nicolás Maduro constitui um mecanismo de crime organizado. Está baseado na corrupção generalizada, no narcotráfico, no tráfico de pessoas, na lavagem de dinheiro e no terrorismo.(se algum brasileiro acreditar nisto, estará dando um atestado de burrice para si mesmo!).

O Brasil tudo fará para ajudar o povo venezuelano a voltar a viver em liberdade e a superar a catástrofe humanitária que hoje atravessa. (seria melhor que este governo cuidasse do Brasil e do povo brasileiro)

Lido em: https://www.revistaforum.com.br/em-nota-oficial-itamaraty-acusa-governo-venezuelano-de-nicolas-maduro-de-narcotrafico-e-trafico-de-pessoas/

La serie animada rusa 'Masha y el Oso' (Masha e o Urso) entra en el Libro Guinness como el video más visto de YouTube

 

El récord fue alcanzado por el episodio 17 de la serie.

El episodio 17 'Masha más gacha', de la serie de dibujos animados rusa 'Masha y el Oso', es ahora oficialmente el video de dibujos animados más visto en la historia en Internet.

El Libro Guinness de los Récords le ha otorgado este reconocimiento, después de que acumulara 3.300 millones de visitas en el canal Get Movies del servicio YouTube (actualmente suma más de 3.400 millones de visualizaciones).

Según detalló el servicio de prensa de la compañía productora, Animakkord, en declaraciones a la agencia TASS, el citado capítulo forma parte del 'top 5' de los contenidos más vistos en YouTube durante el tiempo de existencia de dicha plataforma de videos.

El estreno del primer episodio 'Masha y el Oso' tuvo lugar en enero del 2009. Además de Rusia, la serie se emite en Francia, Suiza, Canadá, Alemania, Italia y otros países (Brasil, EUA...).

Lido em: https://actualidad.rt.com/actualidad/302561-record-dibujos-animados-masha-oso

Benjamin Fulford e a Frequência 11

Trump discursou 9 minutos e 11 segundos, será um prelúdio para libertar a verdade sobre o 11 de setembro?

Jomarion... no boletim abaixo vemos uma “frequência 11” muito forte

Agora que os cabalistas e satânicos khazarianos caíram, autoridades do segundo escalão, como a Juíza da Suprema Corte (Supremo Tribunal) Ruth Bader Ginsburg, o chefe do Banco Mundial Jim Yong Kim, e Serena Rothschild (viúva de Jacob Rothschild) estão sendo removidas enquanto a guerra continua.

Ginsburg “desapareceu e pode estar morta ou internada em algum hospital de Nova York, já faltando duas semanas em seções de alegações orais na Suprema Corte (no Supremo Tribunal) e, talvez, durante todo o mês de Janeiro, sem provas de que esteja viva, preparando terreno para o Presidente dos EUA, Donald Trump, nomear outro Juiz”, dizem fontes do Pentágono.

Jim Yong Kim, um nomeado por Clinton, foi forçado a renunciar como presidente do Banco Mundial por causa da corrupção, dizem fontes da Família Dragão. Em particular, investigadores estão se concentrando no envolvimento de Kim no Haiti e com a corrupção de Clinton, relacionado ao terremoto de 2010, artificialmente induzido no Haiti, dizem fontes da CIA.

Serena Rothschild era a viúva (ou esposa) do ancião sionista, Barão Jacob Rothschild e mãe de Nathaniel Rothschild. Tudo o que sabemos é que morreu “depois de uma breve enfermidade”. Sabemos que Jacob Rothschild já está morto, no entanto, parece que estão sendo feitas tentativas para fazer parecer que ainda esteja vivo, a fim de impedir que seu filho Nathaniel, de mentalidade progressista, venha assumir o ramo Britânico desta, ainda, poderosa família.

De qualquer maneira, com os tribunais militares dos EUA em andamento, muitos corretores e financiadores de poder mais proeminentes serão removidos nos próximos dias e semanas, disseram fontes do Pentágono.

Entre os que devem cair em breve, estão a chefe do FMI, Christine Lagarde e financistas de alto escalão da KKR, Henry Kravis e George Roberts, dizem as fontes. Além disso, o Primeiro-Ministro do Japão, Shinzo Abe, o Presidente da França, Emmanuel Macron, a Primeira-Ministra do Reino Unido, Theresa May e o assassino em massa, Benjamin Netanyahu, de Israel, também cairão, dizem fontes do Pentágono.

A KKR e seu funcionário, o General David, “traidor” Petraeus estão sendo acusados nos tribunais militares dos EUA por seus papeis de criação e armamento do Daesh (não desejamos insultar a Deusa chamando-os de ISIS), dizem as fontes. Relações públicas da KKR não responderam a um questionamento sobre o assunto, no momento em que este boletim estava sendo divulgado.

Por sua vez, fontes militares francesas dizem que Emmanuel Macron será em breve afastado por um governo militar que prenderá os cabalistas que sequestraram a democracia francesa nos últimos 11 anos. Depois disso, irão restaurar a verdadeira democracia para a República. Viva a França!

Ações para a prisão de Shinzo Abe levarão mais tempo, entretanto o trabalho preliminar já começou, já que a polícia francesa indiciou Tsunekazu Takeda, presidente do Comitê Olímpico do Japão, por acusações de suborno.
https://www.france24.com/pt/20190111-japan-olympic-committee-chief-takeda-indicted-france-corruption-tokyo-2020

No entanto, essa história pode ser vista como uma retaliação francesa pela prisão e maus-tratos ao ex-Presidente da Nissan, Carlos Ghosn. De acordo com fontes de Direita japonesas, Takeda é um membro da Família Imperial Japonesa que esteve envolvido na escolha dos Jogos Olímpicos no Japão, em 2020 como recompensa por seu envolvimento no Tsunami de Fukushima e ataque nuclear de 11 de Março de 2011 e por assassinato em massa. Abe, seu gabinete e o clã Iwasaki Mitsubishi, serão todos afastados, como resultado de suas cumplicidades com essas ações que culminaram nesse assassinato em massa, dizem as fontes.

Segundo fontes do MI6, Theresa May está sendo afastada por seu papel na tentativa de sabotar o Brexit e entregar o controle da Inteligência Britânica às famílias de gângsteres que controlam a UE.  Além disso, o governo dos EUA tornou público que não mais reconhece a UE como sendo um governo legítimo, ao rebaixar seu status diplomático. 

https://www.dw.com/en/trump-administration

Também, a chefe do FMI, Christine Lagarde, está sendo alvo dos EUA, por causa de seu esforço para posicionar algum SDR (Special Drawing Right) como uma alternativa ao dólar americano, disseram fontes da CIA. Em vez disso, um embaixador da família Dragão, disse que o FMI será liquidado. Lagarde já havia implorado aos chineses por uma chance de transferir o FMI para a Ásia, que foi recusado, observou a fonte.
https://www.reuters.com/article/us-imf-china-lagarde-idUSKBN1A922L

O FMI tem um histórico infeliz de forçar os países pobres a empobrecer seu próprio povo para entregar recursos às corporações controladas pela máfia khazariana.

(Jomarion... está acontecendo na Argentina, aconteceu no passado no Brasil e o processo foi sustado por Lula, mas, agora voltará com tudo com o “presidente armado”, que está sorrindo para o mundo anunciando a “reforma da previdência” alegando que o dinheiro das pensões e aposentadorias é a causa principal da crise brasileira, direitos e recursos serão retirados e o “povo pobre e carente” será convidado a pagar uma “previdência privada” que será oferecida pelos bancos da elite, aqueles que tem lucros de mais de 1000% ao ano. 

De qualquer forma, parece que, na medida em que a rede de arrastão se aproxima, os banqueiros, novamente, começaram a cair dos edifícios.
https://www.dailymail.co.uk/news/article-6568369/Man-jured-falling-height-inside-Canary-Wharf-shopping-centre.html

Os serviços secretos britânicos dizem que banqueiros estão sendo mortos, como uma forma de encobrimento de pistas de provas que levem às pessoas idosas que tiveram sequestrado o dinheiro de seus  seguros.

Falando em pistas de provas, o contador forense Kenneth Boyd investigou como pessoas como o Secretário de Comércio de Trump, Wilbur Ross, o Secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, o Príncipe Charles, o ex-Ministro das Finanças, James Sassoon e várias mega-corporações usam paraísos fiscais para evitar impostos e o restante de nós somos obrigados a pagar.

https://www.ais-cpa.com/tax-avoidance-by-numbers-the-paradise-papers/

O arrastão, também, está se aproximando do estado pária de Israel e de seu Primeiro-Ministro adorador de Satanás e criminalmente acusado, Benjamin Netanyahu, dizem as fontes do Pentágono. Nessa frente, o grande kahuna, 11 de Setembro, está sendo levado adiante. O discurso de Trump em 8 de Janeiro, teve exatamente 9 minutos e 11 segundos de duração (9/11 ou 11/9). Este é um prelúdio para Trump declarar uma emergência nacional e liberar todos os arquivos do 11 de Setembro, dizem as fontes.

Além disso, um “projeto anti-BDS elaborado por Israel, para fornecer US $ 38 bilhões em ajuda e punir o discurso político, foi derrotado duas vezes no Senado (56-44 e 53-43. São necessários 60 votos), enquanto esforços estão em andamento para expurgar do Congresso cidadãos israelenses e traidores”, dizem fontes do Pentágono. (BDS = Boicote, Desinvestimento e Sanções).

Além disso, o boicote global contra Israel está-se intensificando, “enquanto o Banco HSBC se desfaz do comerciante de armas Elbit Systems, de Israel, a Airbnb banida das listagens dos Bancos Ocidentais e o Brasil não vai poder transferir sua embaixada para Jerusalém”, dizem as fontes.

O escravo neoconservador de Netanyahu, John Bolton, “teve suas asas cortadas” pelo presidente turco, Recep Erdoğan e pelo militar norte-americano de alto escalão, General Joseph Dunford, quando, na semana passada, tentou impedir a retirada militar americana da Síria.

Enquanto isso, o ex-procurador-geral norte Americano, Jeff Sessions, o General James Mattis e o General John Kelly estão administrando os tribunais militares com apoio de inteligência do ex-Almirante Mike Rogers e o ex-Chefe da Agência de Inteligência de Defesa Mike Flynn que, atualmente, lida com a KKR e Petraeus, mencionados acima, dizem as fontes.

Com o governo dos EUA agora fechado pela quarta semana consecutiva e sem fim à vista, o mundo inteiro pode ver que os dias da Corporação dos EUA estão contados. Dmitry Rogozin, chefe da Corporação Russa  Roscosmos, cancelou sua planejada visita em fevereiro à NASA (“Not A Space Agency”), pelo facto da “segunda guerra civil americana” estar em andamento. Além disso, o fato de que o dinheiro da NASA ter sido cortado pela paralisação foi, sem dúvida, um fator na visita cancelada.
https://tass.com/science/1039354

Como resultado da paralisação, significa que, na medida em que cada vez mais guardas prisionais não são pagos, controladores de tráfego aéreo invocam atestados médicos e, quando os benefícios alimentares acabam para os 44 milhões de americanos que dependem deles, o alarme de que o caos está chegando aos EUA é acionado.  Para os poucos consumidores remanescentes do Kool-Aid, que ainda acreditam que a paralisação do Governo dos EUA é para financiar um muro já financiado, gostaríamos de lembrá-los de que os EUA têm um déficit comercial acumulado de mais de US $ 11 trilhões e um déficit governamental de mais de US $ 11 trilhões. São US $ 22 trilhões mais passivos não financiados de US $ 210 trilhões, contra um PIB de US $ 19 trilhões.

Então, aquele que estiver ganhando US $ 19.000 por ano e tem dívidas de US $ 243.000, não seria conveniente declarar falência para não permanecer um escravo da dívida, decorrente de seu empobrecimento, pelo resto de sua vida?

A Sociedade Dragão Branco / White Dragon Society (SDB/WDS) e seus aliados estão oferecendo uma alternativa à interminável escravidão por dívidas. Nossa proposta é, imediatamente, eliminar com um evento singular toda dívida do setor público e privado. Então, redistribuiríamos os bens roubados pelos bancos centrais de propriedade privada fraudulentos para o povo. Estimamos que isso significa um pagamento único, equivalente a US $ 400.000 para cada homem, mulher e criança nos EUA. Além disso, uma vez libertados da escravidão pela dívida, o povo americano poderia usar suas fazendas, recursos, pessoas, fábricas, know-how e habilidades tecnológicas superiores para criar uma era de prosperidade sem precedentes.

No que diz respeito ao resto do mundo, uma vez que o Ocidente tenha nacionalizado seus bancos centrais e removido o elemento criminoso do sistema bancário, seria possível realizar uma campanha multimilionária para acabar com a pobreza e a destruição ambiental.  Isso poderia ser feito sem dívidas ou impostos, se uma estrutura de governança meritocrática adequada fosse implementada.

O projeto chinês “One Belt One Road”, 60 vezes maior que o Plano Marshall, é um exemplo do tipo de projeto que o Ocidente, também, precisa iniciar. Quando a elite da velha guarda se encontrar em seu bacanal de Davos, em 22 de Fevereiro, vamos ver se oferecem algo que chegue perto do plano da SDB, de gastar trilhões de dólares por ano para ajudar a salvar o planeta. Se não for, então é hora de tirá-la do controle do sistema financeiro. A humanidade precisa ser livre para criar um futuro ideal para nossos planos.

Artigo de 14 de janeiro de 2019. A tradução foi feita para o Português do Brasil.

Fontes: https://benjaminfulford.net  e  www.oevento.pt

Lido em: https://www.oevento.pt/2019/01/14/benjamin-fulford-khazarianos-de-segundo-escalao-removidos/

O mundo pós-humano que está sendo preparado pelos ultra-ricos

 

Os ultra-ricos preparam um mundo pós-humano. Uma elite ínfima – porém poderosa ao extremo – crê que o planeta tornou-se inviável e quer isolar-se após o “Evento” (Douglas Rushkoff)

No ano passado, fui convidado a fazer conferência num resort superluxuoso para um público que, imaginei, seria de aproximadamente cem banqueiros de investimento. Era de longe a maior remuneração que jamais me foi oferecida por uma palestra – metade do meu salário anual como professor – tudo para fornecer algumas dicas sobre o tema “o futuro da tecnologia”.

Nunca gostei de falar sobre o futuro. A sessão de perguntas e respostas sempre acaba mais como um jogo de salão, em que me pedem para opinar sobre as últimas tendências da tecnologia como se fossem dicas precisas para potenciais investimentos: blockchain, impressão 3D, CRISPR. As audiências raramente estão interessadas em aprender sobre essas tecnologias ou sobre seus impactos potenciais, além da escolha binária entre investir nelas ou não. Mas o dinheiro chama; por isso, entrei no show.

Ao chegar, fui introduzido no que ma pareceu ser a sala reservada principal. Mas, ao invés de receber um microfone ou ser conduzido a um palco, simplesmente me sentei numa mesa redonda e minha audiência começou a chegar: cinco sujeitos super-ricos – sim, todos homens – do alto escalão do mundo dos fundos hedge. Depois de um pouco de conversa, percebi que eles não tinham interesse nas informações que eu havia preparado sobre o futuro da tecnologia. Haviam preparado suas próprias perguntas.

Começavam com aparente ingenuidade. Ethereum ou Bitcoin? A computação quântica é real? Mas, lenta e seguramente, concentraram-se em suas verdadeiras preocupações.

Qual região seria menos impactada pela crise climática que vem aí: Nova Zelândia ou Alasca? O Google está realmente construindo um “lar” para o cérebro de Ray Kurzweil e sua consciência viverá durante a transição, ou ele morrerá e renascerá inteiramente novo? Finalmente, o executivo-chefe de uma corretora explicou que havia quase concluído a construção de seu próprio sistema subterrâneo de abrigo e perguntou: “Como faço para manter a autoridade sobre minha força de segurança após o evento?

O Evento (*). Esse era o eufemismo que usavam para o desastre ambiental, a agitação social, a explosão nuclear, o vírus incontrolável ou os hackers-robôs que destroem tudo.

(O Evento não é isto... mas vai parecer... leia nota de OBS de Jomarion no final deste artigo)

Essa única pergunta os ocupou pelo resto do tempo. Sabiam que guardas armados viriam para proteger seus complexos das multidões enfurecidas. Mas como pagariam os guardas, já que o dinheiro não teria valor? O que evitaria que os guardas escolhessem os próprios líderes? Os bilionários consideravam usar fechaduras de combinação especial que só eles conheciam para guardar sua provisão de comida. Ou fazer com que os guardas usassem colares disciplinares de algum tipo, em troca de sua sobrevivência. Ou talvez construir robôs para servir de guardas e trabalhadores – se essa tecnologia fosse desenvolvida a tempo.

Foi quando me bateu. Para esses senhores, essa era uma conversa sobre o futuro da tecnologia. Seguindo as dicas de Elon Musk colonizando Marte, Peter Thiel revertendo o processo de envelhecimento, ou Sam Altman e Ray Kurzweil inserindo suas mentes em supercomputadores, eles estavam se preparando para um futuro digital que tinha muito menos a ver com tornar o mundo um lugar melhor, do que com transcender inteiramente a condição humana e isolar-se do perigo hoje real das mudanças climáticas, aumento do nível do mar, migrações em massa, pandemias globais, pânico e esgotamento de recursos. Para eles, o futuro da tecnologia tem a ver com uma única coisa: escapar.

Não há nada de errado com avaliações loucamente otimistas de como a tecnologia pode beneficiar a sociedade humana. Mas o movimento atual de uma utopia pós-humana é outra coisa. É menos uma visão da migração da humanidade para um novo estado do ser do que uma busca de transcender tudo o que é humano: corpo, interdependência, compaixão, vulnerabilidade, complexidade. Como filósofos da tecnologia vêm apontando há anos, a visão transhumanista reduz muito facilmente toda a realidade a dados, concluindo que “humanos não passam de objetos processadores de informação”.

É uma redução da evolução humana a um videogame em que alguém vence encontrando a saída de emergência e deixando alguns de seus melhores amigos pelo caminho. Serão Musk, Bezos, Thiel… Zuckerberg? Esses bilionários são os vencedores presumíveis da economia digital – o mesmo cenário de sobrevivência do mais apto que alimenta a maior parte dessa especulação.

Claro que nem sempre foi assim. Houve um breve momento, no início dos anos 1990, em que o futuro digital parecia aberto a nossa invenção. A tecnologia estava se tornando um playground para a contracultura, que via nela a oportunidade de criar um futuro mais inclusivo, igualitário e pró-humano. Mas os interesses de lucro do establishment viram somente novos potenciais para a velha exploração, e muitos tecnólogos foram seduzidos pelos unicórnios das bolsas de valores.

O futuro digital passou a ser compreendido mais como ações futuras ou mercadorias futuras – algo a ser previsto e em que apostar. Assim, quase todos os discursos, artigos, estudos, documentários ou documentos técnicos eram considerados relevantes apenas na medida em que apontavam para um símbolo de corporação global. O futuro tornou-se menos uma coisa que criamos através de nossas escolhas ou esperanças pela humanidade, do que um cenário predestinado no qual apostamos com nosso capital de risco, mas ao qual chegamos passivamente.

Isso liberou todo mundo das implicações morais de suas atividades. O desenvolvimento da tecnologia tornou-se menos uma história de florescimento coletivo do que de sobrevivência pessoal. Pior, como vim aaprender, chamar atenção para isso era ser involuntariamente considerado um inimigo do mercado ou um rabugento antitecnológico.

A esta altura, o invés de tecer considerações éticas sobre empobrecer ou explorar muitos, em nome de poucos, a maioria dos acadêmicos, jornalistas e escritores de ficção científica passou a se dedicar a enigmas muito mais abstratos e fantasiosos: é justo um operador nos mercados financeiros usar drogas inteligentes? As crianças devem receber implantes para línguas estrangeiras? Queremos que veículos autônomos priorizem a vida dos pedestres, em detrimento dos passageiros? Devem as primeiras colônias de Marte ser administradas como democracias? Mudar meu DNA prejudica minha identidade? Os robôs devem ter direitos?

Fazer esse tipo de pergunta, embora filosoficamente divertido, é um substituto pobre para o exame dos verdadeiros dilemas morais associados ao desenvolvimento tecnológico desenfreado, em nome do capitalismo corporativo. As plataformas digitais já tornaram um mercado explorador e extrativista (pense na Walmart), em um sucessor ainda mais desumanizador (pense na Amazon). A maioria de nós tornou-se consciente desse lado sombrio na forma de empregos automatizados, trabalho temporário e o fim do varejo local.

Porém, os impactos mais devastadores desse capitalismo digital que avança recaem sobre o meio ambiente e os pobres do mundo. A produção de alguns de nossos computadores e smartphones ainda usa redes de trabalho escravo. Essas práticas estão tão profundamente arraigadas que uma empresa chamada Fairphone, fundada a partir do zero para produzir e comercializar telefones éticos, verificou que era impossível. (Agora o fundador da empresa se refere a seus produtos como telefones “mais justos”)…

Enquanto isso, a mineração de metais raros e o descarte de nossas tecnologias altamente digitais destroem habitats humanos, substituindo-os por depósitos de lixo tóxico - recolhido por crianças camponesas e suas famílias, que vendem materiais utilizáveis de volta aos fabricantes.

Essa externalização — “fora da vista, fora da mente” — da pobreza e do veneno não desaparece apenas porque cobrimos nossos olhos com óculos de realidade virtual e ficamos imersos numa realidade alternativa. Quanto mais ignoramos as repercussões sociais, econômicas e ambientais, mais elas se tornam problemáticas. Isso, por sua vez, motiva ainda mais privação, mais isolacionismo e fantasia apocalíptica – e tecnologias e planos de negócios mais concebidos em desespero. O ciclo se retroalimenta.

Quanto mais comprometidos estamos com essa visão de mundo, mais passamos a ver os seres humanos como problema e a tecnologia como solução. A própria essência do que significa ser humano é tratada menos como uma característica do que como defeito intrínseco, um bug. As tecnologias são declaradas neutras, a despeito dos preconceitos nelas incorporados. Quaisquer que sejam os comportamentos ruins que induzam em nós, eles seriam apenas um reflexo de nosso próprio núcleo corrompido. É como se alguma selvageria humana inata fosse a culpada pelos nossos problemas. Assim como a ineficiência de um mercado de táxi local pode ser “resolvida” com um aplicativo que leva motoristas humanos à falência, as incômodas incoerências da psiqué humana podem ser corrigidas com um upgrade digital ou genético.

Em última análise, segundo a ortodoxia tecnosolucionista, o futuro humano chegará ao climax se inserir nossa consciência num computador ou, talvez anda melhor, aceitar que a própria tecnologia é nossa sucessora na evolução. Como os membros de um culto gnóstico, ansiamos por entrar na próxima fase transcendente de nosso desenvolvimento, eliminando nossos corpos e deixando-os para trás junto com nossos pecados e problemas.

Nossos filmes e programas de televisão encenam essas fantasias por nós. Seriados de zumbis mostram um pós-apocalipse em que as pessoas não são melhores que os mortos-vivos – e parecem conhecê-los. Pior, esses filmes convidam os espectadores a imaginar o futuro como uma batalha de soma zero entre os humanos remanescentes, onde a sobrevivência de um grupo depende da morte de outro.

Mesmo Westworld – baseado num romance de ficção científica em que robôs correm descontroladamente – encerrou sua segunda temporada com a revelação definitiva: os seres humanos são mais simples e previsíveis do que as inteligências artificiais que criamos. Os robôs aprendem que cada um de nós pode ser reduzido a apenas algumas linhas de código e que somos incapazes de fazer escolhas intencionais. Caramba, naquela série até mesmo os robôs querem escapar dos limites de seus corpos e passar o resto de suas vidas numa simulação de computador.

A ginástica mental requerida por essa profunda inversão de papéis entre humanos e máquinas depende do pressuposto subjacente de que os humanos são péssimos . Vamos mudá-los ou nos afastar deles para sempre.

Então, temos bilionários da tecnologia lançando carros elétricos ao espaço – como se isso simbolizasse algo mais que a capacidade de um bilionário promover-se na corporação. E se poucas pessoas conseguem escapar e de alguma forma sobreviver numa bolha em Marte – a despeito de nossa incapacidade de manter tal bolha até mesmo aqui na Terra, em qualquer dos dois testes multibilionários feitos na Biosfera – o resultado será menos a continuação da diáspora humana que um salva-vidas para a elite.

Quando os financistas de fundos hedge perguntaram sobre a melhor maneira de manter a autoridade sobre suas forças de segurança depois do evento, sugeri que sua melhor aposta seria tratar muito bem essas pessoas, desde já. Deviam envolver-se com suas equipes de segurança como se estas fossem formadas por membros de suas próprias famílias. E quanto mais eles pudessem expandir esse espírito de inclusão para o resto de suas práticas de negócios, gerenciamento da cadeia de suprimentos, esforços de sustentabilidade e distribuição de riqueza, menor a chance de haver um evento, em primeiro lugar. Toda essa magia tecnológica poderia ser aplicada desde já, para fins menos românticos, porém muito mais coletivos.

Eles ficaram pasmos com meu otimismo, mas na verdade não o aceitaram. Não estavam interessados em como evitar uma calamidade; estavam convencidos que já fomos longe demais. Apesar de toda a sua riqueza e poder, não acreditam que possam afetar o futuro. Eles estão simplesmente aceitando o mais sombrio de todos os cenários e, em seguida, trazendo todo o dinheiro e tecnologia que podem usar para isolar-se – especialmente se não conseguirem um lugar no foguete para Marte.

Felizmente, aqueles de nós sem dinheiro para considerar a negação de nossa própria humanidade têm disponíveis opções muito melhores. Não precisamos usar a tecnologia de modo tão antissocial e atomizante. Podemos nos tornar os consumidores e perfis individuais em que nossos dispositivos e plataformas desejam nos transformar, ou podemos nos lembrar que o humano verdadeiramente evoluído não caminha sozinho.

Ser humano não tem a ver com sobrevivência ou saída individual. É um esporte coletivo. Seja qual for o futuro dos humanos, será de todos nós.

Douglas Rushkoff | Tradução: Inês Castilho (Outras Palavras)

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/01/mundo-pos-humano-ultra-ricos.html

Jomarion... (*) “O Evento” é um acontecimento mundial profetizado e muito aguardado. Ele será precedido por um “clarão solar” e um dos objetivos do “Evento” é a paralização do sistema financeiro (controlado pela Elite Global) para reajustá-lo para outro sistema mais justo e que atenda as necessidades de TODOS os habitantes da Terra.  Este acontecimento vai parecer uma grande crise global (econômica, social, politica, cultural) mas a intenção é melhorar a vida da população da superfície e realizar grandes e incríveis mudanças.

Veja o vídeo: https://www.youtube.com/watch?time_continue=2&v=bKlVyUWHvvI

16.1.19

O Humanismo Acabou?

Intelectuais se reúnem (na Espanha) para debater se a era do Humanismo está chegando ao fim (Revista Forum)

Wilson Ramos

“A era do Humanismo está chegando ao seu fim?”. A partir deste questionamento do filósofo camaronês Achille Mbembe, intelectuais e pensadores latino-americanos e europeus se reunirão em Sevilha, na Espanha, para debater os direitos humanos. O seminário “¿La era del Humanismo está llegando a su fin?” será realizado nos próximos dias 15, 16 e 17 de janeiro.

O evento homenageia os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, completados no dia 10 de dezembro de 2018. O contexto político internacional atual exige ampla reflexão sobre essas questões e o Brasil também merece estar no centro das discussões.

O mundo inteiro, nos países com institucionalidade mais estabelecida, percebe o que está acontecendo no Brasil. É impressionante para quem está fora do país ver a quantidade de artigos e análises em cada um dos jornais sobre o que se passa no Brasil. A articulação de setores de direita que se estabeleceu tem deixado a mídia internacional apreensiva quanto à eventual implantação de políticas fascistas pelo governo de direita no Brasil”, analisa Wilson Ramos Filho, o Xixo, advogado, professor e presidente do Instituto Defesa Classe Trabalhadora (Declatra). Ele será mediador de uma das mesas de debates.

Para o advogado, o seminário foi pensado para discutir a questão dos direitos humanos em termos gerais. “Não só aqueles direitos considerados de primeira geração, como civis e políticos, mas, fundamentalmente, os direitos de segunda e terceira gerações, ou seja, econômicos, sociais e também os direitos das coletividades. Desde o governo Temer, vários desses direitos têm sido atacados, como por exemplo com a reforma trabalhista. E agora, com a posse do novo governo, vemos populações marginalizadas sendo alvo de ataques violentos por parte da direita, sejam as populações LGBTI, sejam as indígenas ou de maioria negra. O mundo todo está preocupado com isso”, avalia.

Contexto

Devido ao contexto internacional atual torna-se imprescindível debater a questão. “Pela própria organização dos temas se percebe que os direitos humanos são considerados como um todo indivisível. Não é possível ter direitos sociais e direitos políticos se não houver o mínimo de equidade social. A ideia é debater direitos humanos no mundo inteiro, porque não é só no Brasil que se assiste a um crescimento da direita”, destaca.

No entanto, segundo ele, no Brasil é mais do que necessário discutir por conta da urgência e da contemporaneidade do tema. “É bastante inspirador para que pensemos no que está ocorrendo no Brasil e no que pode vir a ocorrer em outros países que estão sob o mesmo ataque das políticas ultraliberais”, ressalta o advogado.

Avanços e retrocessos

Wilson Ramos fala sobre os principais avanços e retrocessos no momento em que a Declaração Universal dos Direitos Humanos completa 70 anos. “Ao longo do século XX, o mundo capitalista mais desenvolvido experimentou momentos de fascismo explícito, como nos casos da Itália e da Alemanha, ou de fascismo velado ou mitigado, como nos casos da ditadura na Espanha e em Portugal. Ao final da Segunda Guerra Mundial, tendo em vista os horrores praticados no período anterior, houve um certo consenso universal de que os direitos das pessoas deveriam ser respeitados e haveria, inclusive, uma jurisdição universal no sentido de que o violador de direitos humanos pudesse ser perseguido pela justiça em qualquer lugar onde estivesse”, diz.

Por isso, em sua avaliação, os temas em debate no seminário demonstram um pouco da surpresa ao constatar que boa parte das populações de cada país considera razoável a violação dos direitos dos coletivos mais vulneráveis. “Os intelectuais que estarão reunidos em Sevilha pensam de modo diverso: a resistência deve ser absoluta contra essas políticas de violação dos direitos humanos”, acrescenta.

Para o advogado e um dos moderadores do seminário, o neoliberalismo é antidemocrático por definição. “Na medida em que pretende privilegiar somente uma pequena parcela da população, que é detentora dos meios de produção e do poder político, em detrimento das grandes maiorias, é profunda e substancialmente antidemocrático. As políticas que na Europa são chamadas de austeridade e que no Brasil são consideradas ultraliberais estão em frontal oposição ao que foi construído ao longo do século XX, sob o conceito genérico de direitos humanos. As políticas neoliberais são incompatíveis com os direitos humanos”, completa.

E-book

Carol Proner, jurista, professora de Direito Internacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e membro da Associação dos Juristas pela Democracia, revela que, durante o seminário, será lançado o e-book “70º Aniversario de la Declaración Universal de Derechos Humanos”, da coleção Perspectivas Iberoamericanas sobre a Justiça, com organização do Instituto Joaquín Herrera Flores e Instituto Iberoamericano de la Haya.

“O e-book é o motivo do seminário. Nele podem ser encontrados 70 artigos”, explica Carol. A organização é da própria Carol e de Héctor Olasolo, Carlos Villán Durán, Gisele Ricobom e Charlotth Back.

Em relação ao evento, Carol lembra que o filósofo Achille Mbembe sustenta a ideia de que o Humanismo está chegando ao fim, tema central do seminário. “Para ele, nós estamos vivendo o fim do Humanismo, que teve sua origem com o consenso universal da Declaração dos Direitos Humanos de 1948, após a Segunda Guerra Mundial. Na opinião dele, o mundo vai viver agora outro tempo, no qual os direitos humanos já não são considerados necessários, outros valores são prevalentes, no caso as razões pragmáticas de um neoliberalismo sem limites, pós-democrático”, conta.

Ela explica que o seminário tem como objetivo discutir essas questões, através dos tópicos:

1) Universalismo dos Direitos Humanos – A declaração é considerada o marco de um consenso universal. Como entender o multiculturalismo e os enfrentamentos entre culturas a partir dos valores consagrados em seus 30 artigos?

2) Interdependência dos direitos humanos – A interdependência, indivisibilidade e inter-relação dos direitos civis, políticos, econômicos, sociais e culturais foram reconhecidas na Conferência de Viena de 1993 como de caráter obrigatório. Em sua opinião, este compromisso foi alcançado na prática? 

3) Instrumentalização do discurso dos direitos humanos – Até que ponto as intervenções humanitárias e a própria racionalidade neoliberal utilizam um discurso ambíguo e ambivalente dos direitos humanos para outros fins?

4) Direitos humanos e resistência ao neoliberalismo – Em que medida os direitos humanos são instrumentos de resistência frente ao avanço do neoautoritarismo político e econômico contemporâneo?

“O seminário conta com convidados professores, catedráticos de universidades europeias e latino-americanas, muitos brasileiros também. Uma participação extremamente qualificada, não só de juristas, mas sociólogos, economistas, cientistas políticos, antropólogos, pessoas de diversas áreas”, acrescenta. Entre elas, a ex-presidenta do Brasil Dilma Rousseff, o magistrado espanhol Batasar Garzón; a presidenta da Fundação José Saramago, Pilar del Río, entre muitos outros.

“Todos estão preocupados com o fim do Humanismo e das democracias em geral, além do aumento do autoritarismo e das soluções políticas conservadoras e autoritárias como forma de gerir o mundo cada vez menos humano”, destaca Carol Proner, que também é diretora do Instituto Joaquín Herrera Flores, com sede no Rio de Janeiro e também em Sevilha.

Organização

O seminário “A era do Humanismo está chegando ao seu fim?” é uma promoção do Instituto Joaquín Herrera Flores, com apoio de inúmeras entidades, como Declatra, Universidade Internacional de Andalucia, Unesco e Fundação José Saramago.

Lido em: https://www.revistaforum.com.br/intelectuais-se-reunem-para-debater-se-a-era-do-humanismo-esta-chegando-ao-fim/

Jomarion... mais armas... mais mortes... mais caos... alguém ainda duvida que a cabala escura está do comando do Brasil?

 

Decreto de Bolsonaro: mais armas trarão mortes e força às facções, dizem analistas

(Destaques no texto, são de Jomarion)

Sob o argumento de dar ao cidadão o direito de ter uma arma de fogo para se defender, o presidente Jair Bolsonaro assinou nesta terça-feira um decreto que flexibilizou o acesso a armamentos, medida que pode resultar em mais homicídios e o fortalecimento de facções criminosas.

Na visão de analistas ouvidos pela Sputnik Brasil, o decreto assinado por Bolsonaro está cercado de muitas dúvidas, e os resultados da medida por ora são muito incertos.

Segundo o decreto, estão mantidos os requisitos do Estatuto do Desarmamento para se ter uma arma de fogo, como ser maior de 25 e sem antecedentes criminais, a Polícia Federal deixou de ser a autoridade máxima quanto à possibilidade de autorizar o pedido de posse.

No mesmo documento, está estabelecido que pessoas morando em áreas urbanas com índices anuais de mais de 10 homicídios por 100 mil habitantes, segundo dados de 2016 apresentados no Atlas da Violência 2018, podem ter a posse de até quatro armas de fogo. Também está estabelecido o mesmo para agentes de segurança (mesmo os inativos), militares, agentes penitenciários, entre outros.

Na prática, o decreto abre o caminho para toda a população se armar, já que todos os estados e o Distrito Federal têm índices superiores a 10 homicídios por 100 mil habitantes. Segundo o Atlas da Violência de 2018, o país registrou 62.517 homicídios em 2016, uma média de 30,3 mortes por 100 mil habitantes.

Para o advogado criminalista Breno Melaragno, professor de Direito Penal da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) e presidente da Comissão de Segurança Pública da seção fluminense da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ), a decisão de Bolsonaro atende a uma promessa de campanha, mas abre margem para problemas.

"A crítica da ampliação a gente vê em relação a um possível aumento de violência doméstica e de acidentes. Digo isso como uma opinião pessoal, muito própria minha, pelo que eu observo em relação à violência doméstica e em relação aos acidentes com arma de fogo", declarou Melaragno à Sputnik Brasil.

Quem também vê mais riscos do que benefícios é o senador João Capiberibe (PSB-AP), que já esteve envolvido em discussões no Congresso Nacional sobre o armamento de servidores públicos. À Sputnik Brasil, o parlamentar considerou "lamentável" o decreto de Bolsonaro, e apresentou argumentos para ver a decisão como temerária.

"Essa atitude do presidente de liberar a posse de armas às pessoas, para tentarem se defender, para quem tem em média 60 mil homicídios por ano, evidente que esta taxa de homicídio vai disparar... Vivemos de fato uma guerra urbana. Existem territórios em que o Estado não consegue de fato impor a sua autoridade há muito tempo, e não são poucos os territórios em que o Estado está completamente ausente. E essa medida é uma ação que vai trazer consequências trágicas, mais ainda do que as que nós já estamos vivendo no presente", avaliou.

Para o senador, o crime organizado deverá sair fortalecido com a flexibilização prevista no decreto, já que, na sua opinião, a maior quantidade de armas nas casas dos brasileiros acabará de uma forma ou de outra nas mãos de facções criminosas, apontadas por especialistas como as grandes vilãs por trás da violência desenfreada no país.

"Acho que isso vai facilitar enormemente os que mais são interessados em se armar, [como] as milícias, os agentes do crime organizado, os foras-da-lei, eles vão deixar de contrabandear arma e vão comprar arma, porque vai ser liberado e o decreto do presidente Bolsonaro  atende ao lobby dos fabricantes de armas, tal qual nos Estados Unidos", acrescentou.

Já Melaragno – que, embora reticente quanto aos riscos de maior violência doméstica e acidentes, se diz favorável quanto o armamento da população diz respeito ao direito de exercício da legítima defesa, de sua integridade física, da família, e até mesmo da propriedade – crê que é preciso aguardar. Risco mesmo é uma eventual flexibilização ainda maior, e que trate do porte (transitar com arma fora de casa).

"Aí seria algo extremamente perigoso no meu ponto de vista. Armar a população em geral a ponto em que os requisitos para se andar com uma arma de fogo na rua sejam flexibilizados, aí eu sou radicalmente contra. Isso envolveria homicídios em brigas de trânsito, em discussões em bares e restaurantes, seria algo extremamente perigoso. O Brasil, apesar de ser um país violento, ele não tem a tradição e cultura de armas como tem os Estados Unidos e outros países. Seria uma mudança muito radical e muito perigosa ao meu ver", concluiu.

Lido em: https://br.sputniknews.com/brasil/2019011513118167-decreto-bolsonaro-consequencias/

Caso Battisti... a mídia mente... desligue a TV...

O que a grande mídia não publica sobre Cesare Battisti

Por trás da eventual deportação de Cesare Battisti há uma trama mal-disfarçada entre os governos Temer e Bolsonaro. Mas não só isso!

No momento em que escrevo estas linhas, o escritor Cesare Battisti, de 63 anos, foi capturado na Bolívia enquanto exercia o direito mais fundamental de todo ser humano: o de preservar, por qualquer meio, sua vida e sua liberdade.

Cada dia que Battisti sobreviveu à caçada policial foi um desgosto para Jair Bolsonaro, impedido de pôr em prática sua concepção ditatorial que encara o cargo de Presidente da República como uma carta branca para qualquer tipo de arbítrio.

Em abril deste ano, o então candidato do PSL, em conversa com o embaixador da Itália, lançou uma de suas típicas bravatas: “No ano que vem, vou mandar um presente para vocês: o Cesare Battisti!”. O assunto só voltou à tona por conta dessa promessa descabida.

Battisti, ex-ativista de esquerda condenado (injustamente, conforme explicarei logo adiante) a prisão perpétua pelo Judiciário da Itália, mora no Brasil desde 2004. É casado com brasileira e tem um filho brasileiro. Sempre respeitou as leis deste país e exerceu dignamente sua profissão.

A questão judicial envolvendo sua permanência no Brasil foi definitivamente resolvida em dezembro de 2010, quando o presidente Lula, exercendo um poder a ele atribuído pelo Supremo Tribunal Federal (STF), tomou a decisão de rejeitar o pedido de extradição feito pelas autoridades italianas.

Sabe-se lá quais foram as obscuras negociatas de bastidores entre Michel Temer e o atual presidente que levaram o impostor em final de mandato a usar a extradição de Battisti como um agrado ao seu sucessor, como se fosse um desses brindes de fim de ano.

O fato é que, em outubro, Temer revogou a decisão de Lula em favor de Cesare Battisti, num ato que foi definido com muita clareza pelo jornalista Josias de Souza, blogueiro da Folha de S.Paulo e figura totalmente insuspeita de esquerdismo:

Quando o assunto é cadeia, Michel Temer vira um presidente paradoxal. Denunciado duas vezes (corrupção passiva e obstrução de justiça), investigado em outros dois inquéritos (corrupção e lavagem de dinheiro), Temer pega em lanças no Supremo pela prerrogativa de livrar corruptos da cadeia. Com o mesmo ímpeto, ele guerreia pelo direito de extraditar o condenado Cesare Battisti para um cárcere na Itália.

Sejam quais forem os motivos da decisão de Temer, ela abriu o caminho para que o juiz Luiz Fux inaugurasse prematuramente as perseguições políticas da era Bolsonaro ao determinar, na quinta-feira dia 13 de dezembro, a prisão de Battisti, que desde então havia conseguido se manter em liberdade, driblando os policiais mobilizados por sua captura.

Curiosamente, foi o mesmo Fux quem, na década passada, quando o caso tramitava no STF, deu a liminar que travou a extradição, gerando o impasse que culminou com decisão do STF de delegar a Lula a palavra final. Segundo Fux, não se trata de uma incoerência e sim de levar em conta que as “conjunturas sociais” de hoje são bem diferentes daquelas vigentes em 2010.

Assim funciona o STF: uma ministra (Rosa Weber) que mantém Lula na prisão apesar de se dizer favorável à sua soltura, um ministro (Fux) que admite mudar suas próprias decisões de acordo com os ventos da política.  Diante de tudo isso, é importante que os brasileiros realmente comprometidos com a democracia e com os valores humanistas básicos tomem posição em solidariedade a Cesare Battisti neste momento crucial em que se colocam em jogo, ao mesmo tempo, seu destino pessoal e nosso destino coletivo como país (supostamente) civilizado.

Apresento aqui, de forma resumida, cinco razões em favor de que Cesare Battisti possa permanecer no Brasil com sua família, tranquilamente, como lhe é de direito:

1º) O mais importante: Battisti é inocente. O episódio da sua condenação, na Itália, é um escândalo comparável à farsa judicial armada por Sergio Moro contra o ex-presidente Lula. O italiano foi preso, no final dos anos 1970, por sua participação num grupo de extrema-esquerda, e condenado a uma pena de treze anos por vários delitos políticos, como subversão. Fugiu da cadeia poucos meses depois e reapareceu na França, onde obteve asilo político. Só então, as autoridades judiciais italianas, como uma espécie de vendeta (vingança), decidiram acusá-lo pelo assassinato de quatro homens (três deles, fascistas envolvidos em diversos tipos de violência). Sem qualquer prova, somente com base em delações premiadas de ex-companheiros que dessa forma conseguiram aliviar suas penas, Battisti foi condenado a prisão perpétua. Para saber mais sobre o assunto, recomendo o excelente livro de Carlos Lugarzo, “Os Cenários Ocultos do Caso Battisti” (Geração Editorial, 2012).

2º) Vamos falar claro: Battisti está sendo perseguido porque é um homem de esquerda. O caso é de alto interesse à ascendente extrema-direita italiana, doidinha para faturar politicamente com o show da extradição. Não por acaso, o político italiano que já está com as malas prontas para viajar ao Brasil e levar o prisioneiro à Itália, algemado, é o vice-primeiro-ministro Matteo Salvini, um notório fascista conhecido pelo seu ódio aos imigrantes. No Brasil, a polêmica em torno do assunto acompanha, em linhas gerais, a clivagem ideológica existente no país. A extradição de Battisti, desde o início, é uma bandeira dos reacionários dos mais diversos matizes, enquanto a esquerda, em geral, tomou partido em sua defesa (com a triste exceção da revista Carta Capital, que optou por engrossar o coro dos linchadores do escritor). Entregar Battisti à Itália favorece a campanha para desmoralizar a gestão presidencial de Lula e significa, na prática, o sinal de largada para um grande pogrom contra os partidos de esquerda, os movimentos sociais e todos aqueles que Bolsonaro chama de “os vermelhos”.

3º) Ao pressionar o Brasil, por diferentes meios e até os dias de hoje, o governo da Itália põe em jogo a soberania política do nosso país. Chegou ao ponto de ameaçar com um boicote à Copa do Mundo de 2014, depois voltou atrás e, no final das contas, isso não fez a menor diferença. Na longa novela do Caso Battisti, não faltou nem mesmo um deputado italiano, Ettore Pirovano, que, em 2009, ao criticar o ministro da Justiça Tarso Genro por sua recusa em conceder a extradição, recorreu ao infame preconceito existente na Europa contra as mulheres brasileiras. “O Brasil é mais conhecido por suas dançarinas do que por seus juristas”, ironizou o parlamentar, do partido neofascista Liga do Norte. Entende-se, aí, o que quis dizer por dançarinas.

4º) A extradição de Battisti é uma completa aberração do ponto de vista jurídico. Como bem lembrou o jornalista Celso Lungaretti no seu blog Náufrago da Utopia, “a sentença que a Itália quer fazer valer não só prescreveu em 2013 (trocando em miúdos: também está extinta), como se trata de uma condenação à prisão perpétua, ao passo que as leis brasileiras proíbem a extradição de quem vá cumprir no seu país de origem uma pena superior a 30 anos de reclusão”.

5º) Finalmente, a extradição de Cesare Battisti representa uma grave violação ao princípio da segurança jurídica. A decisão de Lula, que negou o pedido de extradição em 2010, foi confirmada no ano seguinte pelo STF. Sim, depois de tudo, o decreto de Lula ainda foi submetido ao STF, que o aprovou no dia 11 de junho de 2011, por seis votos contra três. Os seis juízes que votaram a favor da decisão de Lula e pela rejeição das queixas da Itália foram Fux (impressionante!), Levandowski, Marco Aurélio, Carmen Lúcia, Ayres de Brito e Joaquim Barbosa. Em suma: assunto encerrado, julgado em todas as instâncias possíveis muito além do que seria imaginável. Desde então, Battisti já não é mais um refugiado político, e sim um imigrante com residência permanente, condição que mantém até o presente momento. Aceitar sua prisão e entrega a um governo estrangeiro significa admitir que as garantias jurídicas já não valem mais nada no Brasil, que qualquer cidadão ou cidadã pode a qualquer momento ser vítima do arbítrio do Estado, exatamente como ocorreu durante os 21 anos da ditadura militar – os tempos da tirania, que os fascistas estão tentando implantar novamente, mas não conseguirão.

Leia também:
Cesare Battisti, criminoso ou refugiado político?
Prisão de Battisti era ilegal e sem fundamento, afirma jurista Dalmo Dallari
Caso Cesare Battisti: uma decisão difícil, mas sensata

*Igor Fuser é doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (USP) e professor de Relações Internacionais na Universidade Federal do ABC (UFABC). Este artigo foi elaborado para o projeto Jornalistas pela Democracia.

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/01/grande-midia-publica-cesare-battisti.html

Mídia: Ivanka Trump pode ser a nova presidente do Banco Mundial

 

Uma lista de candidatos para a presidência do Banco Mundial foi divulgada pelo Financial Times após o atual chefe da instituição, Jim Yong Kim, ter anunciado a intenção de deixar o cargo em 1º de fevereiro, após mais de seis anos no posto.

Tradicionalmente, o Banco Mundial é liderado por um indicado dos EUA, já que o país é o maior acionista da instituição. De acordo com o Financial Times, o Departamento do Tesouro dos EUA já recebeu "um número significativo de recomendações" e deu início ao "processo de revisão interna" para decidir quem será o candidato.

Os que constam da lista, segundo o jornal, incluem David Malpass, subsecretário do Tesouro para Assuntos Internacionais, Nikki Haley, que serviu como enviada dos EUA para as Nações Unidas em 2017-2018, Mark Green, chefe da Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional e por último, mas não menos importante, a filha de Donald Trump, Ivanka.

Ivanka Trump é consultora sênior do presidente. Conhecida pela marca de roupas que levava seu nome, a filha de Donald Trump fechou a grife em julho sob o pretexto de concentrar esforços na sua função na Casa Branca. A imprensa especulou, no entanto, que as vendas da marca sofreram um rápido declínio depois que seu pai se tornou presidente.

Ela também foi fundamental no lançamento da Iniciativa Financeira de Mulheres Empreendedoras do Banco Mundial (We-Fi), que busca mobilizar US$ 1 bilhão em financiamento de doadores para pequenas e médias empresas de propriedade de mulheres em países em desenvolvimento.

O FT relata que outras alternativas são o ex-ministro da economia da Nigéria, Ngozi Okonjo-Iweala e o ministro das finanças da Indonésia e ex-gerente diretor do Grupo Banco Mundial, Sri Mulyani.

Lido em: https://br.sputniknews.com/americas/2019011213095280-ivanka-trump-banco-mundial-nomeacao/

Banco Mundial: ex-executiva (Karen Hudes) denuncia elite global

 

Ex-executiva e jurista do Banco Mundial revela como uma pequena elite global domina o mundo através do sistema financeiro internacional

Karen Hudes é graduada da Yale University – Law School, e doutorada como Bacharel em Economia na University of Amsterdam, trabalhou no departamento jurídico do Banco Mundial durante 20 anos. Como uma ‘Top consultora jurídica’, ela tinha posição e tem informações suficientes para obter uma visão geral de como a ELITE (sionistas khazares, nazistas, bilderberg, illuminati, nobreza negra europeia, etc…) domina o mundo. 

Assim, o que ela conta não é apenas mais uma ”teoria da conspiração”, de algum maluco qualquer.

De acordo com essa especialista em direito internacional, citada por agências por expor a realidade, a elite tem usado um núcleo firme de instituições financeiras globais e grandes corporações para dominar o planeta. 

Citando um estudo suíço explosivo publicado em 2011 na revista "Plos One" sobre a existência de uma estrutura em rede de controle de grandes corporações e conglomerados transnacionais  que afeta a concorrência no mercado mundial e a estabilidade financeira global. 

(Saiba mais aqui: https://thoth3126.com.br)

Karen Hudes, ex-executiva do Banco Mundial revela em entrevista como a elite global controla o planeta através do sistema financeiro mundial.

O controle corporativo global dessa rede, afirmou Karen Hudes, que um pequeno grupo de empresas, instituições financeiras e na maior parte dos bancos centrais dos países chamados de primeiro mundo (membros do G-8), têm enorme influência na economia internacional através dos bastidores. 

“O que está realmente acontecendo é que os recursos do mundo estão sendo dominados por esse seleto e pequeno grupo”, disse a especialista com experiência de 20 anos dentro do Banco Mundial, acrescentando que eles são os “ladrões corruptos no poder”. Eles TAMBÉM dominam e controlam todos os principais meios de comunicação.

“Eles foram autorizados a fazê-lo”, disse ela. mencionado um estudo suíço sobre o assunto, que foi conduzido por uma equipe do Instituto Federal Suíço de Tecnologia de Zurique.

Os pesquisadores estudaram a relação entre 37 milhões de empresas e investidores em todo o mundo e descobriram que há uma “super entidade” de apenas 147  empresas muito unidas e que detém o controle de 40% dessas megacorporações que controla  toda a economia mundial.

Mas as elites globais não só controlam estas megacorporações. Segundo Hudes, eles também controlam e dominam organizações governamentais e assim, controlam as finanças de quase todas as nações do planeta. Estas organizações são o Banco Mundial, o FMI e os bancos centrais de todos os países, como o Federal Reserve dos EUA, que controlam toda a impressão de dinheiro dos EUA e também controlam a sua circulação internacional. 

BIS – O “BANCO CENTRAL” dos bancos centrais

O ápice desse intrincado sistema é o Banco de Compensações Internacionais (BIS). O Banco central dos bancos centrais com sede na Suiça.”Uma organização internacional  imensamente poderosa de que a maioria nem sequer ouviu falar, mas que secretamente controla a emissão de moeda em todo o mundo. Essa organização se chama BIS [Banco de Compensações Internacionais], e é o banco central dos bancos centrais.

Localizado em Basileia, na Suíça, mas tem filiais em Hong Kong e Cidade do México.

É essencialmente um banco central do mundo financeiro, com imunidade completa de impostos e (…) sobre as leis internacionais. Hoje, 58 bancos centrais mundiais são pertencentes ao BIS, e tem muito mais poder na economia dos Estados Unidos (ou na economia de qualquer país) do que qualquer político, jurista ou governante.

A cada dois meses, os banqueiros centrais se reúnem em Basileia para “Reunião de Cúpula da Economia Mundial ‘. Durante essas reuniões, decisões que afetam cada homem, mulher e criança no planeta são feitas, e nenhum de nós tem uma palavra a dizer no que é decidido por essa elite. O Banco de Compensações Internacionais é uma organização que foi fundada pela elite global, que opera em benefício dos mesmos, cujo principal objetivo é ser um dos pilares do sistema financeiro global unificado que vai ser IMPLANTADO.”

 Segundo Hudes, a principal ferramenta para escravizar nações inteiras e governos é a DÍVIDA. “Eles querem que sejamos todos  e cada qual ser humano vivo no planeta, escravos de dívidas, querem ver todos os nossos governos e países escravos da dívida, e querem que todos os nossos políticos sejam viciados em contribuições financeiras gigantes que eles precisam canalizar para suas (seus bolsos,ops…) campanhas. 

Como essa elite também é dona de todas as grandes corporações de mídia do planeta, e assim controla a informação, eles nunca são revelar o segredo de que há algo, FUNDAMENTALMENTE errado com a maneira DE COMO o nosso sistema financeiro mundial funciona”, disse ela.

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Fontes: https://actualidad.rt.com/  e  www.thoth3126.com.br

Lido em: https://thoth3126.com.br/banco-mundial-ex-executiva-denuncia-elite-global/

13.1.19

Porque a paranóia dos evangélicos com Israel?

*... o "evangélico médio" não entende quais as razões atuais que para que a embaixada não fique em Jerusalém...  "Há uma confusão generalizada sobre o moderno Estado de Israel e os judeus dos tempos bíblicos, e esses evangélicos de hoje não conseguem distinguir uma coisa de outra"... *

Como o apoio evangélico ajudou a aproximar Israel e governo Bolsonaro

Uma questão distante do cotidiano da maioria dos brasileiros tem ganhado espaço central na agenda do novo governo: a transferência da embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém.

Se a promessa do presidente Jair Bolsonaro se concretizar, o Brasil abandonará uma posição histórica de busca por equilíbrio no trato do conflito entre israelenses e palestinos para ficar ao lado de Estados Unidos e Guatemala, únicos dois países que transferiram suas embaixadas, ambos em maio de 2018, reconhecendo assim Jerusalém como capital de Israel. A cidade é considerada sagrada por judeus, cristãos e islâmicos, e reivindicada como capital também pelos palestinos.

O que está por trás de um movimento tão radical pelo novo governo?

Bolsonaro tem argumentado que deseja "aprofundar relações" com Israel e defende que o povo israelense tem direito de definir onde fica sua capital. Assim como se viu nos Estados Unidos, porém, os maiores interessados na mudança têm outros motivos para pressionar governo: a transferência é demanda prioritária de lideranças evangélicas que entendem que o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel atende preceitos bíblicos.

O grupo tem peso no eleitorado que conduziu Bolsonaro ao Palácio do Planalto e representação crescente no Congresso (serão 84 deputados e sete senadores a partir de fevereiro) segundo cálculo do DIAP (Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar).

"Grande parte dos evangélicos são favoráveis à mudança da capital. Então, nós estamos atendendo um anseio de grande parte da população, não é da minha cabeça, não é algo pessoal meu", disse o próprio Bolsonaro em entrevista ao canal SBT na última quinta-feira.

Benjamin Netanyahu foi o primeiro chefe de Estado israelense a visitar o Brasil. "A decisão (de mudar a embaixada) está tomada, está faltando apenas definir quando que ela será implementada", disse ainda.

Diante das promessas de Bolsonaro, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, visitou o Brasil no fim de dezembro e prestigiou a posse presidencial - foi a primeira vez que um chefe de Estado israelense veio ao país.

'Israel e o Retorno de Cristo'

Estudiosa da relação entre política e religião, a professora da Universidade do Norte do Texas Elizabeth Oldmixon explica que o apoio de lideranças evangélicas a Israel decorre de sua crença de que "a promessa bíblica de Deus, de dar a Terra Santa ao povo judeu é literal e eterna".Para esses cristãos, adeptos do "dispensacionalismo", o retorno dos Judeus à Terra Santa - ou seja, o estabelecimento de Israel - é necessário para a volta de Cristo.

"Quando a segunda vinda (de Cristo) ocorrer, haverá uma tribulação marcada por guerras e desastres naturais durante os quais Cristo derrotará o mal, e o povo judeu aceitará a Cristo como o Messias", ressalta a professora ao explicar a crença de parte dos evangélicos em artigo sobre o tema.

A questão nos Estados Unidos é especialmente importante para evangélicos brancos, destaca Oldmixon. Segundo o centro de pesquisa Pew Research Center, esse grupo perfaz um quinto do eleitorado americano e um terço dos que simpatizam com o Partido Republicano, do presidente Donald Trump. Na eleição de 2016, ele recebeu 81% dos votos desse segmento.

Não à toa, a cerimônia de abertura da embaixada dos Estados Unidos em Jerusalém, em 14 de maio, aniversário de 70 anos da criação de Israel, contou com sermões de dois importantes pastores evangélicos americanos. Robert Jeffress, da Primeira Igreja Batista de Dallas, fez a oração de abertura, enquanto John Hagee, do ministério Cristãos Unidos por Israel, realizou a de encerramento.

Lideranças querem mudança até abril

Lideranças evangélicas ouvidas pela BBC News Brasil defendem a transferência da embaixada brasileira até abril, mês em que se iniciam as celebrações pela independência de Israel. O deputado federal Sóstenes Cavalcante (DEM-RJ), pastor na Assembleia de Deus Vitória em Cristo, disse que a mudança é agenda prioritária. Se não se concretizar até abril, ele promete pressão política e mobilização popular.

"A nossa motivação é (mais) um princípio de fé, do que de questões políticas. Para nós, que acreditamos de verdade na Bíblia, quem abençoar Israel será abençoado nas mesmas bênçãos", explicou.

A pastora Jane Silva, presidente da Comunidade Brasil-Israel, está confiante que o governo Bolsonaro reconhecerá em breve Jerusalém como capital de Israel. Ela contou, inclusive, já ter um possível endereço para a embaixada brasileira na colônia Germânica, área nobre da cidade, que pretende indicar para o governo.

"É uma propriedade alugada hoje por outra instituição internacional e que será desocupada. Um local vip, de fácil acesso, bom de estacionamento", contou.

A pastora entende que a mudança da embaixada não será determinante para a vinda de Cristo, já que isso dependeria, na sua leitura bíblica, do retorno de todos os judeus à Israel, mas considera decisão fundamental para que o Brasil seja "abençoado".

"No máximo em abril eu acredito que haverá a troca (da embaixada). É uma promessa de campanha, ele não tem como voltar atrás", disse também.

Jane Silva mantém permanente articulação com congressistas brasileiros. No ano passado, produziu uma comanda em homenagem ao país com a assinatura de 70 parlamentares - uma para cada ano da existência de Israel. Bolsonaro, então deputado federal, assinou por 1955, ano de seu nascimento, enquanto presidente da Câmara, Rodrigo Maia, firmou pelo ano inaugural de Israel, 1948.

Meses depois, em agosto, a pastora estava ao lado de um dos filhos do presidente, o deputado Eduardo Bolsonaro, no momento em que ele entregou uma chave simbólica do Brasil ao congressista israelense Robert Ilatov, em mais uma celebração dos 70 anos de Israel, dessa vez em Belo Horizonte.

A proximidade com Israel e a defesa da troca de embaixada, porém, não é consenso entre todos os grupos evangélicos do Brasil. Magno Paganelli, que acaba de concluir uma tese de doutorado na USP sobre o turismo pentecostal em Israel, ressalta que "essa atenção a tudo quanto envolva Israel é mais pronunciado entre as igrejas que chamamos neopentecostais, surgidas desde o final da década de 1970".

Nesse grupo, ele destaca em especial a Universal do Reino de Deus, Plenitude do Trono de Deus, e Renascer em Cristo. Já as mais antigas, como metodistas, presbiterianas e batistas, dão "atenção moderada" a essa questão.

Segundo Paganelli, o "evangélico médio" não entende quais as razões atuais que para que a embaixada não fique em Jerusalém.  "Há uma confusão generalizada sobre o moderno Estado de Israel e os judeus dos tempos bíblicos, e esses evangélicos de hoje não conseguem distinguir uma coisa de outra", afirma.

"O que grande número desses evangélicos sabe, e ainda parcial e enviezadamente, é que Israel foi escolhido por Deus no passado e que há promessas para se cumprirem na vida do Israel étnico, ou seja, os judeus que creem no Messias. Quantos judeus messiânicos há em Israel hoje? Não se sabe porque o número é pequeníssimo. Aí está, a meu ver, parte da confusão feita por evangélicos brasileiros e norte-americanos que se encantam por tudo o que tem a marca judaica acriticamente", acrescenta.

Jerusalém é considerada sagrada por judeus, cristãos e islâmicos

Apesar da proximidade do novo governo com Israel, ainda há ceticismo tanto aqui quanto lá sobre a perspectiva da mudança se concretizar.

Na avaliação do professor Arie Kacowicz, especialista em América Latina do Departamento de Relações Internacionais da Universidade Hebraica de Jerusalém, a transferência da embaixada não ocorrerá porque o Brasil tem interesses econômicos e relações com os países árabes e com o Irã.

Historicamente, governos brasileiros têm sucessivamente renovado seu apoio por negociações que estabeleçam dois Estados, um israelense e um palestino. Durante a administração de Michel Temer, o país apoiou resolução da ONU contra a transferência da embaixada americana.

"O Brasil se manteve equidistante entre Israel e seus vizinhos. Acho que isso (o reconhecimento de Jerusalém como capital israelense) não vai acontecer. Será uma mudança radical na política externa brasileira (caso ocorra)", respondeu Kacowicz à reportagem, por email.

A viabilidade da medida é vista com ressalvas mesmo dentro do Palácio do Planalto. À BBC News Brasil, o ministro da Secretaria de Governo, general da reserva Carlos Alberto dos Santos Cruz, disse que possíveis consequências práticas dessa decisão podem impedir a transferência.

Analistas internacionais acreditam que a mudança poderia levar a retaliações comerciais de países árabes contra o Brasil, que é líder na exportação de carne halal no mundo, comprada e consumida por países muçulmanos. Além disso, veem risco de ataques extremistas às embaixadas brasileiras no exterior.

"São coisas que seriam levantadas e consideradas, na avaliação da concretização da ideia (de mudar a embaixada). Tudo isso pode até inviabilizar (a transferência). Então, eu acho que o pessoal tem que ter um pouco mais de calma. Entre a ideia e a realidade, você tem uma distância bastante longa", respondeu Santos Cruz, ao ser questionado sobre esses riscos.

Mariana Schreiber - @marischreiber Da BBC News Brasil em Brasília

Lido em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-46790185

12.1.19  ****************************************************************************************************************

Funcionários do Banco do Brasil se revoltam com 'promoção' do filho de Mourão

Funcionários do Banco do Brasil – incluindo bolsonaristas – fazem queixas e piadas com a situação na rede interna de comunicação do banco. Para eles, Código de Ética barraria promoção do filho de Mourão

O governo que se elegeu com a promessa de ser antissistema emplacou mais uma ação típica do problemático sistema político brasileiro: o nepotismo. Antônio Mourão foi nomeado assessor especial da presidência do Banco do Brasil.

Filho do vice-presidente da República, Hamilton Mourão, é funcionário do BB há 18 anos e ocupava um cargo de assessor empresarial cujos salários giram em torno de R$ 12 mil a R$ 14 mil, de acordo com a jornada de seis ou oito horas, respectivamente.

Promovido a executivo no banco, o filho de Mourão passou a receber R$ 36 mil. O general participou da posse do novo presidente da instituição, Rubem Novaes (Jomarion... não deixem de ler a próxima matéria na sequencia, sobre Rubem Novaes), na segunda-feira (7). No mesmo dia começaram a circular os rumores da nomeação do filho.

Os funcionários do BB estão indignados e manifestam seu descontentamento na rede interna de comunicação da empresa.  “A indignação nem é tanto pelo salário, que triplicou, mas pelo fato de o filho do Mourão não ser bom o suficiente para o cargo”, afirmou em off um bancário à RBA. “Tinha gente muito mais qualificada.”Além das queixas, piadas com a situação são recorrentes. Uma delas diz que a CASSI  (plano de assistência à saúde dos empregados do BB) está suspendendo exames de DNA pelos próximos anos com a preocupação de que apareçam muitos outros filhos do Mourão.

Em outra, os bancários comentam que no TAO (sistema do BB por meio do qual os bancários declaram suas habilidades como proficiência em línguas, MBA etc) agora vai poder constar o item “filho do Mourão” como “nova habilidade” dentre os critérios para buscar uma promoção.

A esposa de Antônio também trabalha no banco como caixa e os bancários acompanham atentamente o futuro da colega para verificar se também será promovida em função do parentesco com o vice de Jair Bolsonaro.

Wagner Nascimento, diretor da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), explica que os processos seletivos no banco são bastante complexos.

“Isso é uma conquista dos trabalhadores, do movimento sindical, que sempre defendeu critérios muito claros, justamente para evitar nepotismos ou outros tipos de favorecimentos.”

De acordo com o dirigente, que é coordenador da comissão de funcionários responsável pelas negociações com o banco, a indignação dos bancários está relacionada principalmente ao salto muito grande entre as funções.

“A informação é de que ele sequer concorria, dentro do processo seletivo, para um cargo desses, justamente por não ter pontuação, não ser público-alvo diante do cargo tão inferior que tinha até agora.”

Antônio Mourão está no BB desde janeiro de 2001. Apesar de seu pai dizer que era perseguido em outros governos, foi promovido oito vezes durante a carreira e nos últimos 11 anos fez parte da diretoria de Agronegócios, área na qual deve acompanhar o presidente Rubem Novaes. Antonio é formado em Administração de Empresas e possui pós-graduações em Agronegócios e em Desenvolvimento Sustentável.

código de ética do Banco do Brasil é mencionado pelos trabalhadores como um impedimento para a promoção.

O item 4.2, por exemplo, que trata do conflito de interesses, informa em um dos trechos: Declarar-se impedido de conduzir assuntos ou negócios com agente público com poder decisório no âmbito dos órgãos e entidades do governo, com o qual tenha relação de parentesco, em linha reta ou colateral, por consanguinidade ou afinidade, até 3º grau. E continua: São considerados parentes: Consanguíneos – pai, mãe, filho(a), avô(ó), neto(a), bisavô(ó), bisneto(a), irmão(ã), tio(a) e sobrinho(a). Afinidade – sogro(a), genro, nora, madrasta, padrasto, enteado(a), cunhado(a); do cônjuge.

Wagner esclarece que, no entanto, a promoção trata de uma livre nomeação que é prerrogativa do cargo de presidente da instituição.

“Não estão burlando nada, mas claro que os bancários, que sabem como é preciso preencher uma série enorme de requisitos para avançar no plano de carreira do BB, não estão nada satisfeitos com a situação, que tem outros componentes tão ou mais graves e que estão sendo muito comentados pelos funcionários”, afirma, mencionando superintendentes nomeados para vice-presidências do banco sem sequer terem passado antes pelo cargo de diretor.

“No caso do superintendente da regional Bahia, ele agora será vice-presidente da Diretoria de Varejo, e chefe do seu antigo chefe. Fica a questão: estará preparado para o cargo sem ter passado pelo trâmite normal da carreira do banco?”

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/01/funcionarios-do-banco-do-brasil-filho-mourao.html

Novo presidente do Banco do Brasil ridiculariza as mulheres e minimiza 1964

(Destaque especial aos posts do facebook desta criatura grotesca, debochando das mulheres, do povo brasileiro, dos politicos, etc.)

Presidente do Banco do Brasil nomeado por Jair Bolsonaro ridiculariza mulheres e chama golpe de 1964 de “movimento”. Rubem Novaes também foi o responsável por promover o filho de Mourão

O novo presidente do Banco do Brasil, o economista Rubem Novaes, é um homem alinhado a seu superior hierárquico (Bolsonaro).

Seu histórico de postagens nas redes sociais mostra deferência a várias das bandeiras defendidas pelo presidente Jair Bolsonaro: misoginia, antipetismo, fake news e teorias exóticas sobre aquecimento global e política. É ver para crer.

No que se refere especificamente à sua área de atuação – a economia – Novaes é um liberal convicto, que acredita no Estado Mínimo e acha que o Bolsa Família torna as pessoas acomodadas e faz com que seus beneficiários percam o desejo de procurar emprego.

Veja, abaixo, algumas das pérolas que, pelo menos até a publicação desta reportagem, estavam à disposição de todos que têm olhos para ver, na página pessoal do presidente do BB no Facebook. (Jomarion... postei só as mais leves, mas tem muito mais e piores...)

Jomarion... este é o nível das postagens do Presidente do Banco do Brasil

Filho de Mourão

Uma das notícias mais comentadas da última terça-feira (8) foi a promoção de Antônio Hamilton Rossell Mourão para um cargo que lhe renderá um salário mensal de mais de R$ 36 mil no Banco do Brasil.

A ascensão do filho de Mourão foi considerada inusual por funcionários e ocorreu um dia depois da posse do novo presidente do banco, Rubem Novaes.

Segundo o estatuto do BB, o presidente tem direito a nomear três assessores especiais. Pela tradição, ele se cerca de especialistas na área jurídica, de comunicação e do agronegócio.

Na última segunda (7), Rubem Novaes afirmou que a instituição vai “reverter o quadro e fazer brasileiros se sentirem honrados” com uma gestão “eficiente, transparente e honrada”.

Vinicius Segalla, CartaCapital

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/01/novo-presidente-do-banco-do-brasil-mulheres.html

Jomarion: Uma pessoa como esta não tem moral, educação e preparo para ser o gestor do Banco do Brasil e muito menos integrar qualquer governo. Lamentáve!

11.1.19

Pastor X Astronauta

Pastor Silas Malafaia ataca ministro Marcos Pontes

(Motivo: Teoria da Evolução)

Malafaia se mete em discórdia ministerial: pastor evangélico não gostou de resposta de Marcos Pontes a Damares Alves e decidiu dar 'lição' ao ministro da Ciência e Tecnologia

Líder da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, o pastor Silas Malafaia tomou partido na polêmica envolvendo dois ministros do governo Bolsonaro.

Malafaia não gostou do comentário de Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia) em resposta a Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos).

“São muitos anos e décadas de estudo para formar a teoria da evolução. Não se deve misturar ciência com religião”, disse Marcos Pontes à rádio CBN após Damares Alves criticar a “invasão” da teoria da evolução nas escolas e, consequentemente, a perda da influência evangélica no ambiente educacional.

Malafaia usou as redes sociais para se manifestar. “Um aviso ao ministro Marcos Pontes […] se a teoria da evolução fosse verdade comprovada, se chamaria lei da evolução. As leis da ciência são verdades comprovadas que não mudam. As teorias são verdades relativas q podem mudar a qualquer hora”, disparou o pastor.

“Se a criação é uma teoria, a da evolução é pior ainda. Existem mais evidência na natureza para a criação do que para a evolução. Submeta as 2 as seguintes leis e você verá. As leis da biogêneses,causa e efeito, 1ª e 2ª lei da termodinâmica. O RESTO É CONVERSA!”, bradou o religioso.

Silas Malafaia participou ativamente da campanha de Jair Bolsonaro (PSL) para a Presidência da República e tentou emplacar, sem sucesso, o nome de Magno Malta para um ministério no governo.

UM AVISO AO MINISTRO MARCOS PONTES SOBRE A EVOLUÇÃO > Se a teoria da evolução fosse verdade comprovada , se chamaria lei da evolução. As leis da ciência são verdades comprovadas que não mudam . As teorias são verdades relativas q podem mudar a qualquer hora.  (Silas Malafaia (@PastorMalafaia 10 de janeiro de 2019)

A teoria da evolução tem mais de religião do que de ciência, como não tem comprovação, você precisa acreditar nela, com um detalhe, tem que ter mais fé do acreditar na criação. Tudo veio do nada, passou por processos que ninguém sabe. Só kkkkk ... ( Silas Malafaia (@PastorMalafaia 10 de janeiro de 2019)

Teoria da Evolução

A teoria da evolução das espécies tem como principal articulador o naturalista britânico Charles Darwin (1809-1882). Darwin afirmou que os seres vivos, inclusive o homem, descendem de ancestrais comuns, que modificam-se ao longo do tempo. Assim, as espécies existentes foram evoluindo de espécies mais simples que viveram antigamente.

A seleção natural foi o princípio utilizado por Darwin para defender a sua teoria. Desse modo, somente as espécies adaptadas às pressões do ambiente, são capazes de sobreviver, se reproduzir e gerar descendentes.

A influência atual dos estudos sobre a evolução pode ser percebida em todas áreas da biologia, destacando-se a citologia, que estuda as células, e a sistemática, responsável pela classificação biológica. O neodarwinismo é a teoria aceita pela ciência para explicar a evolução das espécies.

O Neodarwinismo ou Teoria Sintética da Evolução surgiu no século XX e caracteriza-se pela união dos estudos de Darwin, principalmente a seleção natural, com as descobertas na área da genética.

Diante de mais uma polêmica criada por membros do alto escalão do governo Bolsonaro, uma frase de Darwin descreve bem figuras como Damares, Malafaia e outros fundamentalistas que apoiam e integram a atual gestão:

“A ignorância frequentemente gera mais confiança do que o conhecimento: são os que sabem pouco, e não aqueles que sabem muito, que afirmam de uma forma tão categórica que este ou aquele problema nunca será resolvido pela ciência”.

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/01/pastor-silas-malafaia-ministro-marcos-pontes.html

10.1.19

O Próximo nos Tribunais Militares

(Fala do BRASIL e BOLSONARO)

 
 

"EX-LÍDER DA MAIORIA NO SENADO DOS EUA, HARRY REID, PRÓXIMO CABALISTA A SER EXECUTADO COM A INSTALAÇÃO DOS TRIBUNAIS MILITARES"

Benjamin Fulford - 07.01.2019

Sobre o BRASIL... foi solicitado que enviássemos o seguinte aviso ao Presidente Jair Bolsonaro, do Brasil: “Se você destruir até um metro quadrado da Amazônia para substituí-lo por fazendas de soja para alimentar porcos chineses, você e todos os membros do seu gabinete serão caçados...

O vilão e traidor do Bundy Ranch, o ex-líder da maioria no Senado, Harry Reid, vai se juntar a John McCain e George Bush Sr. e será executado por traição, disseram fontes do Pentágono. Como McCain, Reid oficialmente irá morrer de câncer e ser autorizado, como os homens condenados, a ter o direito a algumas últimas palavras, dizem as fontes. Reid escolheu falar mal do presidente dos EUA, Donald Trump.

https://www.dailykos.com/stories/2019/1/2/1823124/-Terminally-Ill-Harry-Reid-Minces-No-Words-About-Himself-Nor-Donald-Trump?detail=emaildkre

Enquanto figuras públicas importantes como Reid estão sendo autorizadas a morrer "naturalmente", outras serão executadas por injeção letal, dizem fontes do Pentágono. As fontes, também, confirmam que os tribunais militares já começaram e que a justiça militar é rápida.

Enquanto isso,
a paralisação do governo dos EUA, agora entrando em sua terceira semana, provavelmente levará à declaração de lei marcial, dizem as fontes. O cenário que se desdobra, verá a intervenção militar depois que guardas prisionais não remuneradas e a segurança aeroportuária abandonarem seus postos de trabalho, na medida em que os beneficiários do vale refeição começarão os tumultos contra a fome. Os militares dos EUA estão totalmente financiados para o próximo ano e, por isso, não há necessidade de se preocuparem com um motim de soldados não pagos.

https://www.nbcnews.com/news/us-news/hard-digest-inmates-eat-holiday-steak-during-shutdown-while-prison-n954971
https://www.pennlive.com/news/2019/01/airport-security-screeners-calling-in-sick-amid-the-government-shutdown.html
https://www.wtrf.com/news/funding-for-food-stamps-program-running-out-as-shutdown-lingers-on/1688602045


A propósito, “A Cúria Romana terá que gerir suas criações - trusts, fundações, C Corps, S Corps, LLCs e assim por diante. Agora, para seu crédito, a Cúria pesou e liquidou uma grande quantidade de corporações municipais envolvidas em atividades criminosas. Isso inclui a CORPORAÇÃO DOS ESTADOS UNIDOS (UNITED STATES, INC.), que foi submetida ao Capítulo 7, Falência Involuntária. Agora, estas criações estão no processo de 'desocupar' as instalações, tendo que fechar e deixar  DC por 90 dias ”, conforme a juíza Anna Von Reitz relatou sobre a situação.

https://www.paulstramer.net/2019/01/the-kingdom-of-dead.html

Como um sonho que se tornou realidade para muitos, também, estamos vendo movimentos para abolir o Internal Revenue Service – IRS (Imposto de Renda) e virar a placa indicativa do Federal Reserve Board para o Departamento do Tesouro dos EUA, dizem as fontes. Entre outras coisas, isso significa que os impostos de renda serão abolidos e substituídos por um imposto sobre vendas de itens não essenciais, dizem. Alguma confirmação independente disso pode ser encontrada aqui:

https://prepareforchange.net/2019/01/06/h-r-24-and-h-r-25-bills-submitted-to-us-116th-congress-2019-2020-call-for-a-full-audit-of-the-fed-system-abolishing-the-irs-by-repealing-all-taxes/

As forças armadas dos EUA, também, estão se preparando para negociações de sistemas financeiros com a China enviando tropas para a África e o Brasil a fim de aproveitar os principais recursos e barganhar os chips (coltan para dispositivos móveis, soja, etc.), disseram as fontes.

Com essas fichas em mãos, Trump se encontrará com o Vice-Premier Chinês e o especialista em finanças Wang Qishan em Davos, no dia 22 de Janeiro. Lá, a Redefinição Global da Moeda será decidida, dizem as fontes. Embora muitos detalhes ainda não tenham sido resolvidos,
China,  EUA e a Realeza Europeia concordaram em criar uma futura agência de planejamento com um orçamento muito maior do que a ONU, FMI e o Banco Mundial, de acordo com dados da Família Real Europeia e fontes da Sociedade Secreta Asiática.

Fontes da família real europeia acrescentam que também foi alcançado um acordo para nacionalizar todos os principais bancos centrais que atualmente são de propriedade privada, incluindo o Banco do Japão e o Banco da Inglaterra. 
A falência da Corporação dos EUA também significará que os detentores de fundos de prosperidade, reivindicações agrícolas, etc. receberão apenas uma fração do que lhes é devido, disseram uma fontes da Família Real Europeia.

Outro fato  digno de nota é que o encontro de Trump/Wang ocorrerá logo após a “Superlua de Sangue e do Lobo” (Blood Wolf Moon) que ocorre nos dias 20 e 21 de janeiro. Como já observamos,
os governantes secretos da Terra usam movimentos planetários para cronometrar movimentos importantes. Os nativos americanos chamam a lua cheia de Janeiro de Lua do Lobo, porque é quando os lobos famintos se aproximavam dos assentamentos humanos. O fato de que também seja um eclipse lunar, ou uma lua de sangue e uma superlua, é um sinal de que algum tipo de grandes movimentos estão sendo planejados.

https://www.techtimes.com/articles/236825/20181227/rare-super-blood-wolf-moon-to-coincide-with-total-lunar-eclipse-this-january.htm

Há muito tempo, os maçons da China vêm dizendo que uma guerra limitada pode ser necessária, antes que um acordo final seja alcançado. Talvez seja por isso que todos os grupos de porta-aviões dos EUA, obsoletos e vulneráveis como estão, estão atracados em seus portos de origem. Neste contexto, também é interessante notar o aumento do tilintar de sabres recentemente sobre Taiwan.

Também,
é possível que haja um expurgo de funcionários de alto escalão que estão bloqueando a Redefinição Global da Moeda/Global Currency Reset (RGM/GCR). Pessoas como o presidente Emmanuel Macron, da França, o Primeiro-Ministro Shinzo Abe, do Japão, e Benjamin Netanyahu, de Israel, surgem como possibilidades. Macron está sob cerco de manifestantes patrióticos de coletes amarelos que pedem uma revolução e a nacionalização do Banco da França. Abe está sob ataque por vender recursos de água do Japão para corporações criminosas. Netanyahu está enfrentando acusação por múltiplos crimes.

Além disso, o colapso do dólar americano, do yuan chinês, da libra esterlina e do dólar australiano e um aumento súbito do preço do ouro e do iene em 02 de Janeiro, seguido de um contra-ataque no dia seguinte, nos dá uma dica de jogadores secretos por trás da RGM/GCR. Basicamente, as famílias reais asiáticas que controlam a maior parte do ouro do mundo fizeram um movimento contra o pessoal do petróleo que, então, revidou no dia seguinte.
O fato de o índice NASDAQ ter fechado ao preço satânico de 6.666 dólares (US $ 6.665,94) naquele dia obviamente não foi por acaso.

De qualquer maneira, o Ocidente continuará a se livrar de seus senhores criminosos, em preparação para a redefinição planetária. Nesta frente, estamos vendo um grande despejo de documentos secretos do 11 de Setembro, ostensivamente pelo grupo de hackers “Dark Overlord”, todavia, mais provavelmente pela NSA. Fontes do Pentágono dizem que os documentos estão sendo liberados desta maneira para dar uma “negação plausível” a Trump.

https://www.zerohedge.com/news/2019-01-05/criminals-who-run-deep-state-will-be-exposed-kim-dotcom-teases-next-round-leaks

“Como um sapo sendo lentamente fervido em água, Trump faz um longo jogo para apaziguar Israel na Síria e, com a mudança a Embaixada dos EUA para Jerusalém, até que os Sionistas tenham terminado com as revelações do 11 de Setembro”, foi como uma fonte do Pentágono descreveu a situação. 
Relacionado a isso, um grande movimento foi a súbita e incomum renúncia da semana passada do Sultão Muhammad V, o Rei da Malásia.


https://www.theguardian.com/world/2019/jan/06/sultan-muhammad-v-steps-down-as-malaysias-king

Fontes da CIA na Ásia, dizem que a renúncia aconteceu devido a seu envolvimento no escândalo de apropriação indébita do 1MDB da Malásia envolvendo o Goldman Sachs, o ex-Primeiro-Ministro da Malásia, Najib Razak e muitos outros. Este escândalo não é apenas sobre roubo de fundos do governo da Malásia, mas, também, está ligado ao sequestro e assassinato em massa de passageiros dos voos Malaysia Air 370/17 e chantagem nuclear contra 58 líderes mundiais na Holanda, em Março de 2014.
Também, haverá revelações sobre Fukushima. Importantes fontes de Inteligência Britânicas dizem que os esforços do Reino Unido para realização dos julgamentos relacionados ao ataque nuclear de 11 de Março de 2011 foram interrompidos por “agentes Jesuítas”.

Uma fonte, que diz ter sido envenenada pelos jesuítas e quase morreu em consequência disso, afirmou que “os primeiros-ministros britânicos e irlandeses, David Cameron e Theresa May, atuando numa joint venture criminal com Enda Kenny e Leo Varadkar, foram fundamentais neste caso.”George W. Bush estava profundamente envolvido nesse ataque, junto com ex-jesuíta de alto nível Peter-Hans Kolvenbach, acrescentaram as fontes e que o então Presidente dos EUA, Barack Obama, não esteve envolvido, disseram.

Além do 11/09, do 03/11 e dos voos 370/17 da Malaysian Air, em breve, o público mundial, também,  começará a ouvir sobre o sacrifícios humanos e outros horrores realizados pela elite mundial. Por exemplo, aqui está uma resposta enigmática dada a nós por um rei europeu quando perguntado sobre sacrifícios humanos:

“As atividades do Culto Satânico do Nono Círculo ao redor do mundo são uma imensa fonte de vergonha . Mais uma vez, sou de opinião que é uma rede de compromisso humano da máfia de Khazariana, para ser guardada numa caixa e retirada no último minuto quando necessário. Em todo e qualquer culto, todos são vítimas. Isso é extremamente sério e precisa ser tratado por equipes forenses altamente qualificadas. Um capítulo muito sombrio na história da humanidade”.

Uma vez que os governantes psicopatas do Ocidente sejam finalmente derrubados e forçados a enfrentar seus crimes, a humanidade definitivamente entrará numa idade de ouro. Por exemplo, foi anunciado que “a fotossíntese foi hackeada” para permitir um aumento de 40% na produção agrícola sem a necessidade de destruir mais a natureza virgem para dar lugar a fazendas.


https://www.npr.org/sections/thesalt/2019/01/03/681941779/scientists-have-hacked-photosynthesis-in-search-of-more-productive-crops

RECADO a BOLSONARO:

Neste contexto, também nos foi solicitado que enviássemos o seguinte aviso ao Presidente Jair Bolsonaro, do Brasil: “Se você destruir até um metro quadrado da Amazônia para substituí-lo por fazendas de soja para alimentar porcos chineses, você e todos os membros do seu gabinete serão caçados e mortos”. Se Bolsonaro for inteligente, pode descobrir que a natureza virgem pode coexistir com alta densidade populacional e prosperidade.

Uma vez que o novo sistema financeiro esteja em andamento, os militares dos EUA serão reimplantados como uma força de proteção planetária, onde um de seus principais postos de trabalho será proteger a vida natural remanescente neste planeta. Eles, é claro, também estarão sempre presentes para proteger os fracos e os pobres dos agressores e da exploração.

Finalmente, citando Jornada nas Estrelas (Star Treck), eles serão autorizados a “explorar novos e estranhos mundos, a buscar novas vidas e novas civilizações e irem com ousadia aonde ninguém jamais foi”. 

Benjamin Fulford

Lido em: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2019/01/benjamin-fulford-ex-lider-da-maioria-no.html

8.1.19

Mais Disruptores Endócrinos (DE)

 

Estudo PROVA que os Produtos Químicos Presentes em Xampus e Cremes Dentais Alteram os Hormônios Sexuais em Adolescentes

Uma nova pesquisa da Universidade da Califórnia, em Berkeley, revelou que muitos produtos convencionais como xampus, sabonetes e dentifrícios estão cheios de produtos químicos desreguladores endócrinos, ou DEs, que danificam os hormônios no desenvolvimento de crianças.

As meninas,
segundo o estudo, estão atingindo a puberdade muito antes do normal como resultado da exposição a esses DEs. E os meninos, além disso, descobriram que, de maneira semelhante, estão experimentando reduções nos níveis de testosterona pelo simples uso de produtos contaminados.

Publicado na revista “Human Reproduction”, o artigo foi compilado a partir de dados coletados como parte do “Centre for the Health Assessment of Mothers and Children of Salinass” (CHAMACOS), que acompanhou 338 crianças desde a pré-adolescência até a adolescência para avaliar o impacto das exposições de vários impactos ambientais.

O que eles determinaram é que, nos últimos 20 anos, a idade média na qual as crianças estão atingindo a puberdade está ficando cada vez mais cedo - e um grande culpado são os produtos para cuidados pessoais que contêm substâncias químicas que interferem na expressão normal dos hormônios.

"Sabemos que algumas das coisas que usamos estão entrando em nossos corpos, ou porque elas atravessam a pele ou as injetamos ou as ingerimos inadvertidamente", afirmou Kim Harley, principal autora do estudo e professora associada adjunta na Escola de Saúde Pública de Berkeley.

"Precisamos saber como esses produtos químicos estão afetando nossa saúde". Produtos químicos presentes em produtos de cuidados pessoais causam câncer de ovário em meninas e câncer testicular em meninos.

Enquanto a idade média para as meninas atingindo a puberdade é normalmente por volta de 11 anos, a exposição a DEs presentes em produtos de cuidados pessoais está reduzindo a média para oito - ou até mais cedo. Os cientistas descrevem este fenômeno negativo como puberdade "precoce", que é conhecida por causar problemas sociais e aumentar a probabilidade de jovens se envolverem em comportamentos de risco.

Entre os DEs que causam isso estão os ftalatos, os parabenos e os fenóis, três produtos químicos de produtos de higiene pessoal comuns que são conhecidos por imitar hormônios no corpo humano. Quando esfregados na pele ou usados ​​por via oral, os produtos que contêm esses produtos químicos podem lixiviá-los para o corpo, fazendo com que adolescentes de ambos os sexos amadureçam cedo demais.

"Enquanto mais pesquisas são necessárias, as pessoas devem estar cientes de que existem produtos químicos em produtos de cuidados pessoais que podem estar prejudicando os hormônios em nossos corpos", acrescentou Harley. Este mesmo estudo também descobriu que os DEs podem danificar os hormônios das crianças que são expostas a eles no útero - o que significa que eles não estão diretamente expostos aos produtos, mas transmitidos por suas mães.

Os desreguladores endócrinos também estão ligados ao autismo em crianças

Como já relatamos anteriormente, os DEs também foram ligados a outro fenômeno generalizado que está interferindo no desenvolvimento normal da infância: o autismo.

Uma coorte de pesquisadores de algumas das principais escolas do país analisou amostras de sangue e urina de 175 mulheres grávidas e acompanhou-as por até cinco anos. O que eles descobriram é que a exposição aos DEs aumentou a prevalência de traços comportamentais autistas em crianças, começando no útero e se estendendo até a primeira infância.

Surpreendentemente, os cientistas descobriram uma média de 44 DEs diferentes em cada uma das mulheres grávidas, revelando o quão proeminentes esses produtos químicos são em produtos de cuidados ao consumidor, bem como no meio ambiente. Estes incluem produtos químicos como retardadores de chama bromados; ácido perfluorooctanessulfônico, um produto químico refrigerante; e beta-hexaclorociclohexano, um pesticida químico usado na agricultura convencional.

"Com as taxas de autismo subindo nos Estados Unidos entre 2002 e 2012, parece que os americanos estão alheios ao efeito que esses produtos químicos têm no corpo humano, especialmente no desenvolvimento da mente", explicou o próprio LJ Devon.

"Desde que os meninos são quatro vezes mais propensos do que as meninas a desenvolver comportamentos autistas, os cientistas concordaram que vários hormônios-chave conhecidos por controlar o desenvolvimento do cérebro masculino estão sendo interrompidos por produtos químicos presentes no ambiente".

Leia também: Produtos de Higiene Para Bebês Contém Substância que Pode Causar Danos ao Esperma, Câncer e Asma

[ESTUDO] Químicos Presentes em Pasta de Dente, Protetor Solar e Sabonete Podem Causar Infertilidade

Fontes:
- Notícias Naturais: Estudo PROVA que os Produtos Químicos Presentes em Xampus e Cremes Dentais Alteram os Hormônios Sexuais em Adolescentes
News Target: Study PROVES chemicals in shampoo and toothpaste are altering sex hormones in adolescents
SCMP: Study links early puberty in girls to chemicals in shampoo, toothpaste and soap – even if only used by mother in pregnancy
Natural News: New study links endocrine-disrupting chemicals to autistic behavior

Lido em: https://www.anovaordemmundial.com/2019/01/estudo-prova-que-os-produtos-quimicos-presentes-em-xampus-cremes-dentais-alteram-os-hormonios-sexuais-em-adolescentes.html#more

Novo presidente da APEX mal fala inglês e é tratado como "mico" do governo Bolsonaro

 

Diplomatas e servidores estão constrangidos com a falta de preparo do novo presidente da APEX nomeado há uma semana. Alecxandro Carreiro está sendo tratado como mais um mico pago pelo governo Bolsonaro

Alecxandro Carreiro, novo presidente da Apex, está sendo tratado por diplomatas de diversos níveis e servidores da empresa como mais um mico promovido pela equipe do governo Bolsonaro.

Empossado há menos de uma semana, Carreiro mal fala inglês e tem um currículo sofrível. Ele é formado em Comunicação Social numa universidade abaixo da crítica e nunca teve experiência em comércio exterior.

Tempos atrás, Carreiro se aventurou como empresário, ao fundar uma consultoria para prestar assessoria a municípios. Não deu certo. No ano passado, a Receita Federal deu baixa na empresa por inaptidão.

Diplomatas importantes defendem a demissão imediata do presidente da Apex, sob argumento de que é melhor reconhecer o erro agora do que tê-lo de exonerar depois de uma eventual gafe internacional de grande repercussão.

Fã de Trump e Bolsonaro

O nome de Alecxandro Carreiro foi sugerido a Bolsonaro por Ernesto Araújo, atual ministro das Relações Exteriores.

Na Apex, quase ninguém conhecia o atual chefe, a não ser de postagens em redes sociais. Numa delas, Carreiro segura uma faixa grande (ver abaixo) em que aparecem imagens de Bolsonaro e Donald Trump com a bandeira brasileira ao fundo.

Carreiro também exibe, em outra postagem, foto de uma farda do Exército com a inscrição “Alex”. O orçamento da Apex supera R$ 650 milhões por ano.

APEX

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) é uma empresa vinculada ao Itamaraty.

A missão da Apex é promover as exportações dos produtos e serviços do Brasil, contribuir para a internacionalização das empresas brasileiras e atrair investimentos estrangeiros para o país.

A Apex trabalha para aumentar o número de empresas exportadoras, agregar valor à pauta de produtos exportados, consolidar a presença do país em mercados tradicionais e abrir novos mercados no exterior para os produtos e serviços nacionais.

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/01/presidente-da-apex-governo-bolsonaro.html

8.1.19

Direita ou Esquerda?

Como funciona este Jogo?

Dois polos ideológicos, como num jogo, sendo que o juiz (no meio) manipula o jogo para favorecer elites e grupos.

Geralmente o juiz advoga para a Elite Globalista dominante (illuminati, maçons, cabala escura, máfia khazariana ou  como queiram chamar).

É o governo oculto ou estado profundo que “manda” na humanidade há 13 mil anos.

Eles apoiam ora a “direita” ora a “esquerda” conforme o momento e o interesse deles.

Dividir para governar... dividir para implementar guerras e experimentar jogos de poder e manipulação global.

Eles planejaram e executaram a 1ª Guerra e a 2ª Guerra Mundiais e tiraram muito proveito da Revolução Francesa e da Revolução Russa espoliando fortunas dos imperadores e nobres e distribuindo entre famílias de “novos ricos”.

Quando alguém descobre o jogo e tenta reverter ou revelar é trucidado pela mídia e pela história oficial.  (Dica: Assistir a série russa “Trotski” na Netflix)

Eles detém as riquezas do mundo (muita riqueza por sinal) e mantém o povo pobre e ignorante, como um gado controlado por mídia, celular e redes sociais hoje em dia (no passado controlaram pela religião que ainda é bastante forte) e no futuro que se avizinha o controle será por nanochips implantados dentro do corpo (marca da besta).

Em volta dos globalistas, uma elite menor (famílias poderosas, donos de mídias, energia, bancos, corporações estratégicas) dá sustentação a seus projetos e governos.

Este seleto grupo (chamado de cabala escura ou arcôntica) programou o planeta no modo “pirâmide” e reina absoluta em seu topo.

Quem manda neste grupo (acima do topo da pirâmide) são entidades malignas e poderosas chamadas “arcontes” que controlam aqueles que nos controlam (Vaticano, bancos e sistema financeiro, indústria do entretenimento, coorporações (energia, tecnologias, alimentos e farmacêuticas), midia, etc.

Arcontes não vivem na 3ª Dimensão. Segundo David Icke, o teórico mais respeitado das conspirações, eles estão baseados em Saturno ou Júpiter.

Então, qual o melhor governo para o mundo ou para um pais?

O melhor governo é aquele que olha para todos, é amoroso e construtivo, planeja distribuição de renda, acesso a educação, cuidados, lazer, cultura, liberdade de expressão e religião, etc.

Este tipo de governança tem sido tentada na forma de:

Socialismo

Democracia popular

Democracia liberal

Social democracia

Socialismo liberal

Democracia social

Comunismo

Mas nunca “capitalismo” que provou ser o pior aliado dos governos do mundo, ele mantém 1% dos humanos como “donos” do resto, 9% são poupados e ajudados para manter o sistema funcionando, mas nunca funcionou e nunca vai funcionar, pois a esmagadora maioria fica à margem do desenvolvimento e regalias.  

Estes governos (baseados no mercado) também chamados “liberais” (liberação só para os mercados) precisam de religião para controlar o gado cada vez mais revoltado e informado e muita tecnologia de controle, (Google, Facebook, WhatsApp, etc) para manter o gado estável, todos com seus celulares, entregando suas vidas para centrais de monitoramento e controle global.

Há também os governos teocráticos ou baseados em dogmas religiosos. Estes nunca deram certo na História e são os mais perigosos, são os chamados “fundamentalistas”. (Dica: Serie “Handmade Tales” O Conto da Aia)

A Elite globalista (illuminati, maçons, khazarianos, cabala escura) analisa constantemente o panorama mundial e de acordo com seus interesses financia golpes, revoluções “coloridas”, tomadas de poder, eleições fraudadas ou manipuladas e uma “guinada à direita” ou “a esquerda” para aquecer o jogo global e impedir o despertamento da humanidade.

Reflexão

Pergunta: O que acontece com a Espiritualidade Benevolente? Porque não nos esclarecem e ajudam? Porque não abrem o jogo e revelam tudo, como vêm prometendo em mensagens e canalizações?

Respostas: Ninguém sabe ao certo... há segredos obscuros nas hierarquias espirituais e universais... dizem que não interferem porque temos “livre arbítrio”... os bebês humanos já nascem com livre arbítrio, mas, será correto deixar que façam o que quiserem e provavelmente se matem?

Muitos acreditam que todos que estão neste planeta/matrix estão aqui por escolha... vieram para  “jogar”  um jogo  violento, humilhante, cheio de dores e mortal”. (Dica: Para aqueles que tem estomago ver a série “WestWorld”).

Até os “deuses” apreciam este jogo, segundo reza a lenda indiana da “LILA” -  o jogo de apostas dos deuses - que tem a Terra como tabuleiro e os humanos como peças, lembrando um “reality show”.

(Dicas: Ler o Bhagavad Gita o épico indiano, assistir filmes épicos como  BahuBali e Senhor dos Aneis e as acessiveis novelas bíblicas que mostram como os deuses e reis se divertiam).

Ocorre que o ser humano está “cansado” e pedindo para sair. Como sair?

Amigos espirituais benevolentes, do outro lado do véu, estão acenando com outras propostas e incentivando outras escolhas. Mas, sabemos que as mudanças em nossa linha de tempo são demoradas, lentas, graduais e somos um coletivo, e como tal, precisamos tomar as decisões coletivamente.

O Caso do Brasil

O jogo global acaba de dar uma virada preocupante no Brasil. Um governo formado por militares defasados, parados no tempo, saudosos dos anos 60, assumem o governo que pode ser o maior retrocesso de nossa história.

Para eles, o Brasil está ocupado por comunistas, socialistas e esquerdistas... eles têm uma visão anacrônica da realidade brasileira e mundial e se alinharam rapidamente com o time de “ultra direita” que flerta com o fascismo e com o sionismo de Israel.

Este tipo de guinada joga o país na mão da elite global que vem tentando detonar a III Guerra Mundial.

Eles não tiveram sucesso na Coréia do Norte, foram derrotados na Ucrânia, estão abandonando a Síria, amargaram muitas perdas na ultima década e agora estão preparando o palco na Venezuela.

A cabala trevosa está comemorando a vitória de Bolsonaro mais que ninguém.

Eles estão se articulando para invadir a Venezuela (depois que destruíram sua economia com embargos e boicotes econômicos)... usaram a mídia para espalhar mentiras e convencer a população que o governo é do mal e vão forçar um golpe para destituir Nicolau Maduro (assim  como fizeram com Dilma, Cristina Kirschner  e outros que governaram para o povo).

Evangélicos fundamentalistas (os "crentes sem noção") se apossaram de ministérios importantes e estão alinhando BRASIL com ISRAEL (na verdade à Netanyahu que não representa a totalidade dos judeus) e aos EUA, se autoproclamando TRIUNVIRATO SAGRADO.

Estes religiosos fanáticos, que elegeram Bolsonaro, afirmam que BRASIL é um anagrama de ISRAEL e que a letra B de Brasil,  que não se alinha ao E de Israel, é devido a uma corruptela de tradução... mas, é só fechar o E e fazer um B.

Esses grupos temem e odeiam a Rússia (que para eles ainda é comunista e má) e tentarão detonar a III Guerra com a Rússia.

A intenção e a pressa de iniciar uma III Guerra Global, é para cumprir o “Apocalipse Bíblico”.

Israel está recebendo dinheiro para reconstruir o III Templo em 3 anos e depois disto nele o Messias (ou melhor o Anti-Messias) reinará.

Mas, a profecia também diz que Israel será varrido do mapa... (provavelmente pelo exercito da Rússia, o maior e mais bem equipado exercito deste mundo, que no entanto não ataca ninguém, só protege e busca de fato a Paz Mundial.)  

Lembro também que o líder russo Vladimir Putin (Pleiadiano) é o único líder planetário com reconhecimento na “Confederação Galáctica” a qual deveríamos pertencer.

Como vemos, o Brasil, por ignorância, pode ter entrado na maior “furada” de sua história, recusando o BRICS e os “do bem”. Uma intervenção na Venezuela está sendo preparada pelo Brasil e EUA.

A elite podre está rindo e adorando a idéia de atear fogo no mundo começando pela America Latina, burra e alienada.

Lamentável!

Mas, tudo pode ser mudado, se as pessoas acordarem coletivamente e reverterem o quadro... ou um intervenção das forças da luz acontecer e esclarecer tudo.

Por Jomarion - www.jomarion.webnode.com

6.1.19

INFORMANTES

(Imagem do site “Sementes das Estrelas”)

Abaixo, nomes e  dicas para se inteirar das revelações sobre o lado oculto do mundo, programa espacial secreto, conspirações, etc... (Jomarion)

COBRA

Corey Goode

Benjamin Fulford

David Icke

David Wilcock

Alex Collier

NESARA/GESARA

Ufologia Digital

ZAP / POOFness

ETs & ETc...

João Marcelo / ETs & ETc...

Documentário: THRIVE (A verdade do Mundo)

Documentário - "No meio de nós" (Pozati Filmes) 

Snowden - Filme e documentário completos (dublado e legendado)

COBRA - PORTAL 2012: O Movimento da Resistência

COBRA - PORTAL 2012: As Forças da Luz e as forças das trevas

Bob Dean encontra a Hierarquia da Confederação Intergaláctica

Bob Dean: Ex-Militar EUA revela a verdade sobre ET's.

A Verdadeira História da Matrix baseada na atualização do COBRA em Abril de 2015

Arizona Wilder - Confissão de uma Illuminati vítima de controlo da mente

Sírius - Documentário Completo (Legenda em Português)

Livro Sociedades Secretas (Jan Van Helsig)

Discurso do Ex-Ministro Canadense sobre os Ovnis

Colapso econômico mundial simplificado

Anônimos

As Sereias

Uma Nova Era

The Disclosure Project Completo - Traduzido/Legendado

The Disclosure Project

TOP SECRET KGB UFO / ET VIDEO!

Kennedy denuncia as sociedades secretas

Alex Collier - Sobre O 30 de Dezembro de 2013

Alex Collier - Aliança Galáctica vs Reptilianos de Orion 3

Alex Collier - Aliança Galáctica vs Reptilianos de Orion 11

Alex Collier - Aliança Galáctica vs Reptilianos de Orion 12

Livro "Os Deuses do Eden" indicado pelo Alex Collier. Download: Aqui

Bases na Lua e em Marte

2012 - Uma Mensagem de Esperança / A Message of Hope

2012 - Uma Mensagem de Esperança II / A Message of Hope II

2012 - Uma Mensagem de Esperança - Começou a Revolução

UFO 2012 OVNIs Melhores Aparições Filmadas

Alerta Urgente: Alex Collier em Conferencia Do Projeto Camelot

Alex Collier - O lado oculto da lua

Zeitgaist 1 - O Filme

Reunião para possível Divulgação Extraterrestre

Reunião para possível Divulgação Extraterrestre - Vídeo de Apresentação.

Resumo da audição sobre revelação Extraterrestre, em Washington-DC

O Caso Roswell

Alex Collier - "Defendendo Solo Sagrado" - Livro Traduzido

*************************************************

Lido em: https://www.sementesdasestrelas.com.br/

As Pedras Guias da Georgia - Guidestones

 

Dez Mandamentos para a Nova Ordem Mundial

As Pedras Guia da Geórgia (Georgia Guidestones) é um monumento em granito localizado num cume no condado de Elbert, estado norte-americano da Geórgia. O monumento fica a 72 quilômetros de Atlanta, no estado da Geórgia, e são visíveis da Rodovia 77 (Highway 77). O granito da região é um dos melhores de todo o mundo, clima moderado e a posição geográfica (ponto mais elevado do condado) foram essenciais para a sua construção.

As Pedras Guia da Geórgia, também conhecidas como “Stonehenge Americano”, medem 19 pés e 3 polegadas (5,88 metros), utilizam 951 pés cúbicos (26,93 m3) de granito e todas as seis pedras juntas pesam mais de 119 toneladas. Nas pedras estão gravadas dez frases em oito idiomas: árabe, chinês, espanhol, hebraico, híndi, inglês, russo e suhaíli. No topo estão gravadas pequenas mensagens em línguas antigas: babilônio, grego clássico, sânscrito e em hieróglifos egípcios.

Entre os idiomas escolhidos para as mensagens foram ignoradas línguas faladas por bilhões de pessoas como alemão, francês, grego, japonês, italiano e português. A escolha dos idiomas mostra a preocupação em balancear regiões e religiões para o entendimento das mensagens. Por isso, estão incluídos o hebraico, com apenas 11 milhões de falantes, e o suhaíli, principal idioma banto com 50 milhões de falantes na África oriental, mas que não chega nem perto do total de falantes do português — sexta língua mais falada no mundo (280 milhões de falantes) — excluído das inscrições possivelmente pela proximidade lingüística ao idioma espanhol, uma das oito escolhidas.

As dez frases escritas em cada um das oito línguas modernas são:

1 – Manter a humanidade abaixo de 500 milhões de habitantes em um balanço constante com a natureza.

2 – Controlar a reprodução de maneira sábia — aperfeiçoando as condições físicas e a diversidade.

3 – Unir a humanidade com um novo (e único) idioma vigente.

4 – Controlar a paixão / fé / tradição — e todas as coisas com razão moderada.

5 – Proteger povos e nações com leis e cortes justas.

6 – Permitir que todas as nações regulem-se internamente, resolvendo disputas externas em uma corte mundial.

7 – Evitar leis insignificantes e governantes desnecessários.

8 – Balancear direitos pessoais com deveres sociais.

9 – Valorizar a verdade / beleza / amor — procurando a harmonia com o infinito.

    10 – Não ser um câncer na terra — Deixar espaço para a natureza.

A história sobre a construção do local começou em junho de 1979, quando um bem-vestido e articulado senhor chamado Sr. Christian (Cristão) procurou pelos escritórios da empresa Elberton Granite Finishing o custo de se construir um grande monumento. A empresa Elberton foi contrata para realizar a obra por essa pessoa misteriosa, sob o pseudônimo de R. C. Christian. Especula-se que as iniciais R e C significam a ordem Rosa-Cruz, fraternidade que teria suas origens no personagem mítico do século XIV Christian Rosenkreutz, chamado também de Irmão.

O Sr. Christian/Cristão disse que representava um pequeno grupo de americanos leais que vivem fora da Geórgia e que desejavam permanecer no anonimato para sempre. Ele contou aos construtores que os patrocinadores tinham planejado o monumento por anos e que os dez pontos das Pedras Guia eram um apelo a todos os povos para preservar a humanidade e o planeta. O local escolhido deveria ser remoto e longe dos turistas das cidades locais. Além da fartura de excelente granito (um dos materiais mais usados para lápides), clima e localização, o Sr. Christian disse que a escolha era também pessoal. Sua bisavó tinha nascido na Geórgia.

As Pedras Guia da Geórgia foram inauguradas em 22 (numero mestre) de março de 1980 (dia do Equinócio de Primavera no Hemisfério Norte, um dia sagrado em ocultismo e para as sociedades secretas como a SKULL and BONES), com a presença de 100 pessoas.  A identificação da propriedade do terreno onde se encontram os monumentos de pedra é obscura. No registro de imóveis do condado de Elbert indica que o próprio condado teria comprado o terreno de cerca de 2 hectares onde está localizado o monumento em 1º de outubro de 1979 por US$ 5 mil.

Nos últimos anos rituais de diversos tipos de diversos grupos foram feitos no local, incluindo casamentos e reuniões de nativos, cristãos, pagãos, entre outros. Pessoas chegam ao monumento para meditar, visitar, fazer turismo, tentar decifrá-lo e até depreciá-lo. Em 2008, as pedras foram pichadas com a frase “Morte a Nova Ordem Mundial”, “A elite quer matar 80% da humanidade”, “Não ao Governo Mundial” e “Jesus prevalecerá”.  A data de inauguração lembra o mesmo número contido no símbolo da Sociedade SKULL AND BONES.  Lembrar que a data nos EUA o mês vem primeiro, depois vem o dia: 3/22 é 22 de março !

As quatro pedras exteriores são orientadas pela migração anual do Sol pelos Equinócios e Solstícios. Na coluna do centro há um furo onde a estrela POLARIS pode sempre ser vista, se as condições de tempo permitirem. A estrela POLARIS é a estrela mais brilhante (alpha) da Constelação da Ursa Menor e popularmente conhecida como Estrela Polar — chamada assim por estar muito próxima ao Pólo Celeste Norte. A estrela foi escolhida para simbolizar constância e a orientação com as forças da natureza. Há também nas pedras da Geórgia um entalhe que faz uma janela que se alinha com os solstícios e equinócios (eventos que marcam os inícios das estações). Esta janela faz com que o sol brilhe para indicar o meio-dia em uma linha curvada.

Além das inscrições das dez frases existe uma tábua de instruções cravada no chão próxima ao monumento. A tábua identifica a estrutura, características astronômicas, patrocinadores (identificados na tábua apenas como “Um pequeno grupo de americanos que procuram a idade da razão”) e as línguas usadas nas Pedras Guia da Geórgia. O mais intrigante são os dados de uma cápsula de tempo enterrada sob a tábua com espaço para preenchimento de quando a data foi/será enterrada e quando deve ser reaberta. A cápsula foi ou será enterrada conforme a instrução da tábua “a seis pés abaixo deste ponto”. Cápsula do tempo é um recipiente completamente fechado para guardar mensagens e objetos para ser encontrados por gerações futuras.

Os críticos do monumento afirmam que as Pedras são “Os Dez mandamentos do Anticristo”. Segundo eles, as pedras foram construídas por sociedades secretas satânicas com o objetivo de implementar a Nova Ordem Mundial. O ativista político John Conner conclamou a destruição das Pedras da Geórgia, e que o entulho deveria ser usado em outras obras. Já entre os que defendem as Pedras Guia da Geórgia está a viúva do ex-Beatle John Lennon. Yoko Ono disse que as mensagens inscritas são “Um importante chamado ao pensamento racional”.

O primeiro “mandamento” é o que mais chama a atenção dos críticos. Vários defensores de um Governo Mundial defendem a redução da população mundial e o controle da natalidade. Os mesmos grupos são acusados de fomentar a histeria do Aquecimento Global para incluir mais e mais taxas para concluir seu objetivo de acabar com a soberania dos países. Este “mandamento” além de “pedir” uma redução dos atuais 6,7 bilhões de seres humanos para apenas 500 milhões, pede que isto seja feito em harmonia com a natureza. Algumas perguntas ficam no ar? Quem serão os escolhidos para ficar no grupo dos 500.000.000? Como a população será reduzida para ficar em “harmonia” com a natureza? As mesmas pessoas e grupos que pedem um governo mundial não são as mesmas pessoas que pedem investimentos e novos impostos para combater o Aquecimento Global? Os outros “mandamentos” não são menos aterrorizantes.

O segundo mandamento pede o controle da reprodução, com a intromissão do governo mundial na esfera mais íntima e pessoal — a concepção. Controlar a reprodução de maneira sábia significa uso da inteligência de políticas de restrição ao número de filhos, incentivo ao aborto, esterilização em massa, além do claro pedido de reintrodução da eugenia - aperfeiçoando as condições físicas - (Jomarion... e a ideologia de gênero para formar famílias sem filhos).

O terceiro  sugere a criação de um novo idioma, que poderá ser seguido por apenas uma religião, uma moda, um povo. Não é de se espantar que o novo prédio que está sendo construído no lugar das Torres Gêmeas do World Trade Center fossem renomeados de Freedom Tower (Torre da Liberdade).  A inscrição na pedra diz que o autor é R.C. Christian, que é um pseudônimo. R.C. Christian poderia ser uma referência à Ordem Rosa Cruz, (ou a sociedades secretas) que existe desde o século XIV a.C. A (re)fundação desta ordem na Europa é atribuída à Christian Rosenkreutz – sendo a tradução para o português Christian Rosa Cruz.

O quarto mandamento pede o domínio da razão sob todas as formas abstratas. O controle da fé, tradição, paixão foi testado em regimes autoritários, onde o Governo controlará tudo e a todos, inclusive garantirá que os seus sentimentos sejam supervisionados em nome do bem comum (redes sociais a serviço da Nova Ordem já entregam o “perfil” das pessoas para governos e coorporações).

O quinto e o sexto mandamento pedem a proteção de povos e nações em cortes mundiais, com direito a autonomias insignificantes. Para os críticos das pedras os exemplos destas “proteções” e “liberdades” já ocorrem nos países que foram invadidos para a própria proteção (para roubar riquezas, oprimir e submeter povos que atrapalham seus planos).

No sétimo, aparentemente a burocracia é o que deve ser combatida. Entretanto, esta pode significar a solicitação de um Governo Mundial para combater os gastos desnecessários de leis, governos, e, conseqüentemente, emissão de monóxido de carbono!

O oitavo mandamento é bastante claro. Todos os governos autoritários se definiram como agentes do bem-estar social. O balanceamento entre os direitos pessoais e deveres sociais indicam que há uma desproporção e, logicamente, a balança penderá para o seu dever com a sociedade. Não espere que eles admitam que você paga impostos em excesso e que seus direitos pessoais serão aumentados. O aumento dos deveres sociais significarão trabalhos forçados, campos de concentração e aumentos de taxas para tornar a sociedade mais “justa”.

O Nono paragrafo prega a harmonia com o infinito e está relacionado com o seu dever com a natureza. Mesmo que os maiores expoentes da luta pela natureza gastem em média 20 vezes mais de energia elétrica em suas mansões é o cidadão comum que terá de economizar luz, água e será sobretaxado para ajudar a combater as mudanças climáticas. Deve-se valorizar a verdade, mas qual verdade? Deve-se valorizar a beleza? Mas qual beleza eles se referem? A beleza dos padrões da eugenia que levou a morte milhões de pessoas indefesas?

O último e décimo mandamento faz um elo com o primeiro. A idéia é que nós seres humanos somos o câncer do planeta e que devemos ser reduzidos em quantidade para que a “natureza” tome conta. O ser humano visto como um mal a ser aniquilado é transmitida diariamente para conquistar corações e mentes. O propósito é que aceitemos que devemos ser eliminados para que uma pequena elite controle todo o planeta numa ditadura global que trará escravidão para quem sobreviver em nome da harmonia com o planeta.

Não é o fato de negar a necessidade de preservar o planeta, mas combater os falsos ambientalistas. Estes são pessoas e grupos que utilizam algo que ninguém deseja para chantagear a sociedade com taxas para realizar uma ditadura global, na qual os verdadeiros defensores do meio-ambiente se arrependerão por ter ajudado aqueles que, na verdade, utilizam essa bandeira para fins egoístas.

Para chegar ao ponto de equilíbrio com o planeta planejado por esses grupos é necessário que a população se reduza dos atuais 7 bilhões para apenas 500 milhões. Isto significa que eu, você, seus amigos, parentes e conhecidos teremos poucas chances de entrar no seleto grupo da harmonia, que se fosse realmente bom não seria gravado com pedras de fazer túmulos e, muito menos, pediria o abatimento de mais de 6.000.000.000 de seres humanos. Todos os pontos das pedras guias não foram feitos para você. São instruções de como o governo mundial vai controlar todos os detalhes de sua vida, restringindo ao máximo a sua privacidade através de autoridades inacessíveis e sem lugar para fugir. Lembre-se: de boas intenções o inferno está cheio.

Você deve estar se perguntando por que nunca tinha ouvido falar de um monumento como esse construído na maior economia do mundo. Uma obra que conclama a redução drástica da população, clama por uma nova religião, um governo mundial baseado na histeria ambientalista e no abusivo jogo de palavras que sugere harmonia, mas oferece escravidão. Em toda a história humana os tiranos chegaram ao poder prometendo um futuro melhor que jamais chegou, em troca pedem mais sacrifício e menos liberdade em nome da harmonia e das futuras gerações.

Se você nunca ouviu falar nas Pedras Guia da Geórgia é porque a grande mídia tem distrações elaboradas a desviar a sua atenção como um novo reality show ou as declarações da sensação do último campeonato de qualquer esporte.

Quando você ouvir a frase “Desenvolvimento Sustentável” você deverá substituir o termo “sustentável” para compreender o que se destina. Qual é o verdadeiro significado da Stonehenge norte americana, e porque a sua mensagem é importante? Porque confirma o fato de que existe um grupo interessado em:

(1) Reduzir significativamente a população do mundo.
(2) Promover o ambientalismo exacerbado.
(3) Formar um governo mundial.
(4) Promover uma nova religião.

Certamente, o grupo que encomendou as “Pedras Guia da Geórgia” atua para criar uma nova ordem mundial, um novo sistema econômico mundial, e um novo mundo religioso. Por trás desses grupos, no entanto, estão obscuras forças materiais. Sem a compreensão da natureza dessas forças obscuras é impossível compreender o desenrolar dos acontecimentos mundiais.

O fato de a maioria dos americanos nunca sequer ter ouvido falar das Pedras da Geórgia (Georgia Guidestones) e da sua mensagem para a humanidade reflete o grau de controle que existe hoje sobre o que pensa o povo americano.

Tradução, edição e imagensThoth3126@protonmail.ch

Do site https://thoth3126.com.br

Lido em: https://verdademundial.com.br/2018/12/as-pedras-guias-da-georgia-dez-mandamentos-para-a-nova-ordem-mundial/

Ano de 2019 – Benjamin Fulford

Muitos sinais indicam que 2019 será um ano de grande avanço na batalha contra os servidores das trevas e adoradora de satanás. 

Muitos sinais indicam que 2019 será um ano de grande avanço na batalha contra os servidores das trevas e adoradores  de satanás. Não só as detenções em massa dos membros da cabala, Deep State, khazares, nazistas, etc… começarão, mas também parte dos promotores de assassinatos em massa do establishment das grandes indústrias farmacêuticas estão  finalmente sendo retirados de circulação. 

Outro sinal óbvio de que não se trata mais de negócios, como sempre, vem do fato de que os militares dos EUA estão sendo removidos da Síria, do Afeganistão, Iraque e de outros lugares. E desta vez a paralisação do governo dos EUA pode resultar em procedimentos formais de falência contra o governo corporativo ilegal que ocupa e controla Washington, DC desde 1871.

Vamos começar com as retiradas dos militares dos EUA de diversos locais, uma vez que este fato marca uma das maiores mudanças desde o final da Segunda Guerra Mundial, quando a economia de guerra perpétua dos grandes conglomerados de empresas aeroespaciais e fabricantes de armas que compõe o Complexo Militar Industrial dos EUA, começou. 

Fontes do Pentágono dizem que a visita do presidente norte-americano, Donald Trump, no dia de Natal, às forças militares no Iraque, anuncia uma retirada do país. Isto segue os anúncios de retirada do Afeganistão e da Síria, bem como um cessar-fogo no Iêmen. Também notamos que quase todas as frotas navais capitaneadas por porta aviões dos EUA estão agora em repouso em seus portos de origem.

Ainda mais drasticamente, essas fontes dizem: “A missão do novo secretário de Defesa em exercício, Patrick Shanahan, será trazer a público a força espacial, e finalmente trazer as tropas norte americanas para casa, liberar as tecnologias extraterrestres desenvolvidas e mantidas em segredo, fechar bases militares no exterior, transformar “espadas em arados para produzir alimentos  e reduzir o desperdício, enquanto construímos um exército mais letal ”. Isso significa paz na Terra e boa vontade para todos em um sentido muito real nesta temporada de férias.

As fontes do Pentágono também dizem que a longa paralisação do governo dos EUA “facilita a prisão de Deep-Staters (membros do Estado-Profundo) muitos ainda infiltrados no governo”. Além disso, a primeira autoridade sênior a ser julgada publicamente em Nuremberg 2.0 (Tribunais Militares) será o ex-diretor da CIA John Brennan”, dizem as mesmas fontes do Pentágono.’

Há também muita especulação sobre a família BUSH/CLINTON (nazistas e criminosos) e seu escravo Barack H. Obama, já que todos aparentemente desapareceram da opinião pública desde o início da paralisação do governo dos EUA. Nós todos queremos vê-los enfrentar um julgamento público pelos tribunais militares pelos seus muitos crimes contra a humanidade e por traição contra os interesses dos EUA e seu povo. Entre outros assassinato em massa no Haiti, no Japão e em outros lugares e a venda de recursos de urânio dos EUA para a Rússia em troca de subornos. Espero que isso esteja em todas as telas de TV e monitores do mundo neste começo do ano de 2019.

Outra coisa que precisamos ver é uma derrubada final da União Europeia (uma instituição criada para implantar um governo estilo fascista NWO-Nova Ordem Mundial), que é estruturada exatamente como a União Soviética foi, com apenas um parlamento com carimbo de borracha e votos secretos para um único candidato a posições de topo.

Nesta frente, fontes do Pentágono dizem que a chanceler alemã Angela Merkel está sendo forçada a retirar as tropas alemãs do Afeganistão, enquanto o presidente escravo dos judeus khazares Rothschild, o francês Emmanuel Macron está sendo forçado a retirar as tropas francesas da Síria. Isso removerá seu controle restante do dinheiro do petróleo e da heroína e do ópio e apressará a queda de seus regimes criminosos, disseram fontes da CIA.

Também houve mais sinais de que grandes mudanças ocorrerão depois do mês de maio. Como notamos na semana passada, o Japão terá um novo imperador em maio, e o primeiro-ministro resignado da Bélgica foi convidado pelo rei a permanecer até maio. Agora acontece que Israel também terá um novo governo em maio.

 A renúncia de membros do governo israelense na semana passada significa que o assassino em massa e satanista, o judeu khazar Benjamin Netanyahu finalmente enfrentará a tão esperada justiça.

Altos agentes da inteligência britânica e membros da família (reptiliana) real britânica dizem que esses eventos estão acontecendo porque as agências de inteligência mundiais estão-se preparando secretamente para derrubar o governo corporativo mundial nos últimos anos. Eles usaram como referência principal um estudo do Instituto Técnico de Zurique que descobriu “o GNCC, ou Rede Global de Controle Corporativo”.

“A super-estrutura desse arranjo é o TRIUNVIRATO das Corporações do Distrito de Colúmbia (Washington D.C.), da Cidade de Londres (City) e da Santa Sé (Vaticano). Não é de admirar porque muitas vezes ouvimos falar de assuntos discutidos nas ruas, bares e restaurantes de Londres de frequentadores desta elite – a diplomacia e a discrição necessária são difíceis de encontrar entre aqueles motivados pela ganância pessoal e corporativa -, isso é o melhor deles, ou é percebível nos detalhes”, observou uma fonte da família real britânica.

O plano de ação para derrubar este triunvirato foi elaborado pelo National War College dos Estados Unidos, disseram as fontes. “A liquefação é o método mais eficaz de nivelar qualquer super-estrutura, como descrito acima”, disse a fonte da família real britânica. Foi isso que levou à decisão de fechar temporariamente o governo dos EUA, acrescentou.

Essa fonte também disse que foram as famílias reais (reptilianas em sua totalidade) europeias e asiáticas que decidiram remover os judeus khazares Rothschilds e outras dinastias da “elite bancária internacional” do controle do sistema financeiro global. “Os Soberanos Chefes de Estado terão que ser extremamente aptos e capazes para conseguir isso, e é em parte porque a abdicação do imperador aconteceu no Japão”, disse ele. Foi também por isso que a Rainha da Holanda, o Rei da Espanha, o Rei da Bélgica, o “Papa Maledict” (Bento XVI), o Emir do Qatar e outros governantes vitalícios abdicaram, elaboraram fontes da CIA.

De acordo com o membro da família real, “o novo governo global – isto é, a aliança de todos os Chefes de Estado Soberanos – terá que ser muito mais brilhante e mais forte do que qualquer das atuais corporações do mundo. Eles também terão que ser maciçamente protegidos e imunes a qualquer influência – todos os tribunais diplomáticos precisarão ser tratados com um pente fino – uma limpeza forense total. ”É claro que isso não significa que partes funcionais do sistema bancário mundial serão destruídas”, todas as fontes concordam.

Os oligarcas adoradores de satã também estão condenados porque cometeram um erro fundamental quando decidiram realizar seu plano de eliminar 90% da população mundial, a quem chamavam de “comedores inúteis”. Isso porque as próprias pessoas que eles contrataram para sua proteção pessoal e das suas próprias famílias estavam prestes a ser assassinadas. É por isso que os associados da empresa fornecedora de mercenários Blackwater contrataram recentemente a publicação de um anúncio alertando que “estamos chegando”, segundo um associado da Blackwater. (Mattis is out, and Blackwater is back: ‘We are coming’ https://t.co/jiu7LQQn9u pic.twitter.com/TM8SqIAvSI  — Defense News (@defense_news) 21 de dezembro de 2018)

Como resultado, o movimento dos governos soberanos e das pessoas que eles representam para reafirmar o controle sobre as corporações está se tornando visível para todos. Por exemplo, o governo da Califórnia decidiu processar a empresa Pacific Gas & Energy, controlada pelos judeus khazares Rothschild, por assassinato em massa devido aos recentes incêndios na Califórnia.

Além disso, toda a histeria fabricada nos Estados Unidos está sendo exposta pela própria fraude que ela é, com abertura de processo criminal contra pessoas que usaram o golpe da “interferência da Rússia” para roubar a recente eleição para o Senado no Alabama.

Por sua vez, alguns membros do Vaticano, há muito tempo lutadores solitários contra o uso indevido de vacinas contaminadas para controle de natalidade involuntário, a propagação de câncer e outros propósitos nefastos, convenceu o governo italiano a substituir todo o seu conselho de vacinação depois que ficou demonstrado que nenhuma das vacinas que está sendo administrada no país, tinha os antígenos benéficos que eles foram anunciados como contendo. Além disso, a indústria global de carnes está sendo finalmente atacada publicamente por espalhar o câncer por meio do envenenamento de produtos a base de carne animal com nitritos.

Finalmente, gostaríamos de terminar este relatório final de 2018 com alguns sinais de esperança vindos do mundo natural. Aqui, vemos uma vez que animais criticamente ameaçados estão retornando. No ano passado, por exemplo, os castores retornaram à Itália e à Escócia pela primeira vez em 500 e 300 anos, respectivamente. Enquanto isso, no Japão, o ibis coroado não está mais extinto na natureza. Para mais esperança, dê uma olhada nesta lista de 25 espécies que se recuperaram da ameaça de extinção, variando de águias até pandas

Os fascistas (lembre-se, o fascismo basicamente significa governo das grandes corporações) precisam perceber que seria muito mais lucrativo transformar os humanos “comedores inúteis” em comedores úteis do que matá-los. Eles também precisam entender que a alta densidade populacional é compatível com a natureza virgem, desde que haja um bom governo. Isso pode ser visto em lugares como o Japão e Cuba. Então um Feliz Ano Novo para nós e todo o mundo. Vamos todos trabalhar juntos para fazer de 2019 um dos melhores anos de toda a história humana.

Tradução e edição:  Thoth3126@protonmail.ch

Fonte: https://benjaminfulford.net/  e  www.thoth3126.com.br

Lido em: https://thoth3126.com.br/varios-sinais-de-que-2019-sera-um-ano-de-grande-avanco-na-batalha-contra-as-trevas/

Os disparates começaram... (Jomarion)

Em segundo discurso, Bolsonaro diz que Brasil 'começa a se libertar do socialismo'

 

Quem são os “socialistas”? Você conhece algum? Tem socialistas em sua família? Em seu trabalho? O que eles fazem? São perigosos?

Depois de convocar o Congresso a atuar em favor de sua agenda no primeiro discurso como presidente, Jair Bolsonaro afirmou que começa a colocar em prática o projeto que "a maioria do povo brasileiro democraticamente escolheu". E que sua posse marca o dia em que "o povo começa a se libertar do socialismo”. (Temos um analfabeto funcional na presidência)

"É com humildade e honra (duas qualidades que Bolsonaro não tem e nunca teve) que me dirijo a todos vocês como presidente do Brasil e me coloco diante de toda a nação neste dia como um dia em que o povo começou a se libertar do socialismo, se libertar da inversão de valores (concordo que o mundo precisa parar com a inversão de valores mas isto não compete ao presidente da republica, isto depende de um “acordar” mundial para a degradação da sociedade e não tem nada a ver esquerda, socialismo, direita, religião), do gigantismo estatal e do politicamente correto".

Bolsonaro falou ainda que o Brasil tem riquezas minerais e terras férteis, e que foi eleito com a "campanha mais barata da história". A fala foi seguida de gritos de "eu vim de graça" e "mito" do público presente na Praça dos Três Poderes.

Bolsonaro chamou a sociedade a fazer um movimento contra o que chamou de "ideologias nefastas"...  (está se referindo à ideologia de genero, sobre a qual milhões de pessoas sensatas discordam no mundo inteiro, não é coisa de “bolsonarios”, ele usou isto para se eleger, por tras de Bolsonaro está uma ditadura de direita/evangélica... religião e sexualidade não são assuntos do Estado e sim assunto de “foro íntimo” de cada um).

"Não podemos deixar que ideologias nefastas venham a dividir os brasileiros. Ideologias que destroem nossos valores e tradições, destrói nossas famílias, alicerce da sociedade. E convido a todos para iniciarmos um movimento nesse sentido. Podemos, eu, você e as nossas famílias, todos juntos reestabelecer os padrões éticos e morais que transformarão o nosso Brasil".

O novo presidente encerrou seu discurso ao lado do seu vice-presidente, o general Hamilton Mourão (PRTB), exibindo uma bandeira do Brasil. E repetiu um chavão da campanha e de seus apoiadores.

"Nossa bandeira jamais será vermelha. Só será vermelha se for preciso nosso sangue para mantê-la verde e amarela". 

(Nossa bandeira jamais foi “vermelha”, esta declaração é imbecil, a bandeira do PT é vermelha mas o PT nunca usou sua bandeira para representar o Brasil e sim como um protesto contra injustiças sociais.)

Antes de Bolsonaro, a primeira-dama, Michelle Bolsonaro quebrou o protocolo e falou em libras (a coisa mais ridícula que já vi, ela e sua colega parecendo duas palhaças gesticulando e fazendo caretas em mídia nacional.... afinal o Brasil é um país de surdos? Acordem brasileiros surdos ou não,  isto faz parte de uma encenação) aos apoiadores em frente ao Palácio do Planalto. Ela agradeceu pela saúde do marido e afirmou que os direitos da população surda serão respeitados no novo governo.

Lido em: https://www1.folha.uol.com.br/poder/2019/01/em-segundo-discurso-bolsonaro-diz-que-brasil-comeca-a-se-libertar-do-socialismo.shtml

Bolsonaro reduz salário mínimo, mas garante que perdoará a dívida de R$ 17 bi de ruralistas

 

Ao reduzir o salário mínimo e beneficiar ruralistas, o novo presidente deixa mais uma vez claro que quem está acima de tudo não é Deus, muito menos a família, mas sim o mercado.

O aumento do salário mínimo é o menor em 24 anos

Em vídeo que circula nas redes, Bolsonaro disse não ser justo que o agronegócio seja penalizado com mais impostos.

O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta terça feira, 1º, decreto que reduz salário mínimo para R$ 998, oito reais a menos do que o aumento previsto no orçamento enviado ao Congresso Nacional.
O valor atual é de R$ 954. O ato foi um dos primeiros realizados pelo presidente em seu governo.

Obedecendo as regras estabelecidas no Governo do PT, em 2012, o governo Temer previa aumentar o salário mínimo para R$1.006,00.

Enquanto reduz o salário de milhares de trabalhadoras e trabalhadores brasileiros, Bolsonaro garante que perdoará dívida bilionária de ruralistas.

Pelas contas da Receita Federal, será um impacto da ordem de R$ 17 bilhões aos cofres públicos.

O perdão desse rombo bilionário acumulado por produtores rurais e agroindústrias com o Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural) poderá ser realizado através da aprovação da Lei 9.525/2017. De acordo com o secretário de Assuntos Fundiários no Ministério da Agricultura, o presidente da União Democrática Ruralista (UDR), Luiz Antônio Nabhan Garcia, Bolsonaro garantiu que vai trabalhar para aprovar essa lei, anistiando os ruralistas.

“Conversei com o Bolsonaro esses dias na Granja do Torto e ele garantiu que vai cumprir sua promessa de campanha de que faria tudo para resolver o problema do Funrural, e resolver está muito claro o que é: aprovar a lei que isenta o pagamento retroativo”, disse Garcia ao Valor Econômico, no mês passado.

O deputado Marcelo Freixo (PSOL) criticou a manobra de Bolsonaro. “O orçamento para 2019 previa salário mínimo de R$ 1.006, mas Bolsonaro assinou decreto estabelecendo R$ 998. Esses R$ 8 a menos fazem diferença na vida dos trabalhadores. Ao mesmo tempo, ele anuncia que perdoará a dívida de R$ 17 bilhões de ruralistas com a União”, disse Freixo no Twitter.

Com toda certeza, ao reduzir o salário mínimo e beneficiar ruralistas, o novo presidente deixa mais uma vez claro que quem está acima de tudo não é Deus, muito menos a família, mas sim o mercado.

João Elter Borges Miranda

Lido em:  https://www.pragmatismopolitico.com.br/2019/01/bolsonaro-reduz-salario-minimo-mas-garante-que-perdoara-a-divida-de-r-17-bi-de-ruralistas.html

Netanyahu (um dos grandes da cabala khazariana) diz que evangélicos (fundamentalistas) são os melhores amigos de Israel

(Entre-parenteses são observação de Jomarion)

Em encontro com lideranças cristãs brasileiras na tarde de hoje (30) no Rio de Janeiro, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse que os evangélicos são os melhores amigos de Israel no mundo.

Entre as lideranças presentes no encontro estavam o cardeal-arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta e Silas Malafaia (da Assembleia de Deus), o prefeito Marcelo Crivella e o governador eleito do Rio de Janeiro, Wilson Witzel. (Todos “crentes” sem noção).

“Não temos no mundo amigos melhores do que a comunidade evangélica. E a comunidade evangélica não tem amigo melhor do que o Estado de Israel. Vocês são nossos irmãos e irmãs e nós protegemos os direitos dos cristãos”, disse Netanyahu.

(Fala perigosa e belicosa pois exclui os muçulmanos, os budistas, os indianos e outros.)

O primeiro-ministro destacou que cristãos e judeus têm tradições e heranças comuns e que o cristianismo nasceu do judaísmo.  No encontro com lideranças cristãs, Netanyahu recebeu uma imagem ampliada de um selo comemorativo dos Correios em homenagem a esta  visita,  a primeira de  um premiê israelense ao Brasil.

Segundo Netanyahu, Israel está agarrando as oportunidades do futuro e que o presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, pode se juntar ao seu país para capturar o futuro. “Jair significa aquele que traz a luz [em hebraico]. Temos agora a oportunidade de juntos trazer muita luz para os povos do Brasil e de Israel”. (Quando Obama foi eleito ele falou que o nome significava “raio de luz”... quanta baboseira!)

Mais cedo, em encontro com lideranças judaicas do Brasil, Netanyahu disse que Bolsonaro garantiu a mudança da embaixada brasileira de Telavive para Jerusalém. “Desde o tempo do rei Davi, Jerusalém foi capital do nosso povo, manteve-se capital do nosso povo e permanecerá a capital unida e eterna do povo judeu”, disse o premiê israelense.

Em encontro com jornalistas brasileiros, na manhã de hoje, Netanyahu disse que o Brasil é um dos principais focos da política externa israelense e que, desde 2017, Israel tem buscado ampliar parcerias entre as grandes economias mundiais, como Índia e China, e entre os países árabes. “Países árabes têm buscado Israel porque eles têm medo do Estado Islâmico, do Irã. Israel pode ser um aliado para eles”, disse.

Antes dos encontros, no início da manhã de hoje, Netanyahu visitou o Pão-de-Açúcar com o governador eleito Wilson Witzel. Ontem, ele passeou pela Praia de Copacabana.  Netanyahu deve ficar no Rio durante a virada do ano e viajar para Brasília apenas no dia 1º, para acompanhar a posse de Bolsonaro.

*Jomarion lamenta profundamente que isto esteja acontecendo no Brasil! Em breve Benjamin Fulford deve se pronunciar sobre o Brasil. 

Lido em: https://www.jb.com.br/internacional/2018/12/969049-netanyahu-diz-que-evangelicos-sao-os-melhores-amigos-de-israel.html

Veja como pensa a "ultra direita" religiosa que toma posse do Brasil

Futuro chanceler diz que “Deus está de volta ao Brasil” com Bolsonaro e Olavo de Carvalho

 

Em artigo para a edição do mês de janeiro da revista norte-americana “The New Criterion”, o futuro ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, declara crer que “Deus está de volta ao Brasil e uniu as ideias de Olavo de Carvalho à determinação e ao patriotismo de Jair Bolsonaro para colocar fim ao regime “corrupto e ateu” que, segundo ele, emergiu no Brasil com a Nova República e teve seu auge nos governos do PT, de acordo com informações de O Globo.

O futuro chanceler, que foi indicado por Olavo de Carvalho para o cargo, cita Deus 12 vezes e acrescenta que, com o governo que toma posse em 1º de janeiro, “Deus está de volta, e a nação está de volta: uma nação com Deus”.   “Meus detratores me chamaram de louco por acreditar em Deus e nos atos de Deus na História — mas eu não ligo”, destaca.

Araújo chama Fernando Haddad de “candidato marxista” e critica o ex-presidente Lula e Barack Obama. Para ele, o Brasil “está passando por um renascimento político e espiritual”, sendo o “aspecto espiritual o fator determinante” e o político, “apenas uma consequência”.

Três partidos

“Por 30 anos, o Brasil ficou submetido a um sistema político composto por três partidos”, que teriam atuado de forma orquestrada, diz ele se referindo a PMDB (“Uma frente ampla para a velha oligarquia”), PSDB (“Um desdobramento do PMDB com raízes à esquerda, mas mais bem preparado”) e PT (“Um partido governado por intelectuais marxistas, ex-guerrilheiros de esquerda e membros da burocracia sindical”).

Em relação à política externa, Araújo declara que “o sistema tocou a melodia globalista sem uma falha. O sistema brasileiro auxiliou na transferência de poder dos Estados Unidos para a China; favoreceu o Irã; trabalhou incansavelmente para criar uma nova cortina de ferro socialista sobre a América Latina”.

Lido em: https://www.revistaforum.com.br/futuro-chanceler-diz-que-deus-esta-de-volta-ao-brasil-com-bolsonaro-e-olavo-de-carvalho/

Jomarion... fiquemos atentos. A Globo se dedicou a derrubar Lula e Dilma nas ultimas décadas e conseguiu, só que nunca imaginou que iria entregar o país a “fundamentalistas religiosos” ligados a grupos de ultra direita dos EUA (evangélicos neopentecostais). O mais preocupante é a ligação dessas pessoas a um cara ignorante, violento, perigoso, doutrinador e manipulador de jovens – Olavo de Carvalho. Lamentável!

Frei Beto X Chanceler

Para Frei Betto, Ernesto Araújo é a versão cristã do fundamentalismo islâmico

Frei Betto, teólogo e militante histórico das causas humanistas, acredita que, depois da posse do chanceler Ernesto Araújo como ministro das Relações Exteriores de Jair Bolsonaro, o Brasil estará frente a frente com uma versão cristã do fundamentalismo islâmico.

“Na opinião dele (o ministro), Deus não pode ficar em um só nicho ou cela. Deve abarcar todos, ou seja, o sentimento religioso deve estar acima da racionalidade humana. Mas não qualquer sentimento religioso (como o do Papa Francisco), mas o dele, o do Olavo de Carvalho e do neopentecostalismo conservador”, afirmou o teólogo, segundo informa a coluna de Ancelmo Gois, em O Globo.

Araújo escreveu em um de seus textos no blog “Matapolítica 17”, que todos os setores (ele chama de celas) da atividade humana (diplomacia, economia, política etc) precisam ser permeados por religiosidade.

Lido em: https://www.revistaforum.com.br/para-frei-betto-ernesto-araujo-e-a-versao-crista-do-fundamentalismo-islamico/

29.12.18

A Reinicialização

"CIVILIZAÇÃO OCIDENTAL RUMO A UMA REINICIALIZAÇÃO DURANTE OS FERIADOS DE FINAL DE ANO"

Benjamin Fulford - 24.12.2018

Muitos sinais e confirmações de altas fontes indicam que uma reinicialização da Civilização Ocidental está sendo planejada para 2019. O encerramento do governo dos EUA durante os feriados de final de ano, por exemplo, não tem nada a ver com a construção de um muro e tudo a ver com um reboot financeiro e a aproximação dos tribunais militares.

No entanto, o que está por vir é muito mais do que apenas o cerco dos criminosos que sequestraram e faliram com governo dos EUA - trata-se de um acerto dos problemas que afligem o monoteísmo.
Considerando que hoje é 24 de Dezembro, Véspera de Natal, é um bom momento para lembrar às pessoas da verdade histórica por trás deste feriado.

O fato é que ninguém sabe quando Jesus Cristo nasceu, então, a Igreja Cristã primitiva sequestrou o velho feriado do Ano Novo Solar, substituindo o Sol por Jesus. A coisa é mais ou menos assim: no dia 21 de Dezembro, o Sol se põe em seu ponto mais ao Sul, é o Solstício de Inverno no Hemisfério Norte e Verão no Hemisfério Sul. Por três dias, parece se fixar no mesmo lugar e, em 25 de Dezembro, começa a se pôr mais ao Norte, marcando o nascimento do Ano Novo Solar. Assim, a igreja cristã precisa confessar e dizer às pessoas a verdade sobre o Natal sem de maneira alguma negar os maravilhosos ensinamentos de Jesus Cristo e do Cristianismo.

Por sua vez, os Judeus terão de parar de celebrar o xenófobo Hanukkah e perceberem que é perfeitamente kosher comemorar o Ano Novo Solar (a menos que, de alguma forma, pensem que o Criador não fez o Sol). De qualquer forma, Feliz Natal para os Cristãos e Muçulmanos e Merry Sunmas para todos os outros.

Essas questões, juntamente com as discussões sobre
a atualização dos calendários, de modo a, novamente, colocá-los em sintonia com os movimentos dos céus, em que se baseiam, farão parte de uma ampla e pública discussão, no Ano Novo. Isso porque, nos níveis mais altos do poder mundial, foi tomada a decisão de ir em frente com a reconstrução do templo, em Jerusalém e transformar essa cidade numa zona livre internacional. É por isso que, provavelmente, 2019 será um ano que ficará marcado nos livros de história. 

Em preparação para as próximas e históricas mudanças, tropas dos EUA estão sendo retiradas de várias zonas de conflito, a fim de preparar o caminho para a paz mundial, disseram fontes da CIA. Fontes do Pentágono concordam, acrescentando que O presidente dos EUA, Donald Trump, está se retirando da Síria, Afeganistão, Iêmen e Ucrânia, para acabar com o Estado Profundo e os Sionistas, já que uma redefinição de moeda exige paz e o cessar das hostilidades”. 
Fontes da família real europeia concordam que os preparativos estão em andamento para uma reinicialização do sistema financeiro global.

O atual sistema do dólar americano, do euro e do iene japonês está falido e disfuncional, concordam estas e outras fontes. Isto é especialmente verdadeiro para os Estados Unidos, que já estão falidos há algum tempo, dizem as fontes. É por isso que o atual encerramento do governo dos EUA levará a algum tipo de reorganização do Capítulo 11 da governança dos EUA. Por exemplo, a Realeza Europeia reconhece que os títulos históricos, reivindicações agrícolas e outras reivindicações contra o governo dos EUA devem ser pagos sem, todavia, levar a falência do sistema.

No entanto, as discussões com a Realeza Europeia e os Maçons P2, que controlam o Vaticano, deixam claro que decisões fundamentais ainda não foram tomadas sobre com o que o reboot se assemelhará. 
Porém, está claro, que o sistema atual está sendo desligado. Isso pode ser visto, não apenas, no encerramento do governo dos EUA como, também, no fato de que nenhum título de risco corporativo foi emitido em Dezembro e que os mercados acionários dos EUA caíram mais, desde o choque do Lehman, em 2008.


https://abc7news.com/finance/stocks-headed-towards-single-worst-month-since-2008/4945054/
https://www.zerohedge.com/news/2018-12-16/bond-market-has-frozen-first-time-2008-not-single-junk-bond-prices


Porém, uma coisa que eles concordaram é que uma futura agência de planejamento futuro será estabelecida com um orçamento de vários trilhões de dólares. Os quadros legais e financeiros para esta organização estão sendo negociados nos bastidores, de acordo com a Família Real e fontes Maçônicas P2.
Outra coisa que foi acordada no mais alto nível, inclusive com sociedades secretas asiáticas, é que a criminalidade será erradicada do sistema, especialmente nos EUA.
Nessa frente, fontes do Pentágono dizem que
o número de acusações seladas nos EUA atingiu a marca de 70.000 e que duas enormes barcaças para acomodação de prisioneiros estão sendo enviadas de Nova York e Califórnia para Guantánamo, para acomodar todos os criminosos capturados.

https://www.youtube.com/watch?v=6vxVugybdLs

Um sinal adicional do que está por vir, pode ser visto no fato de que Trump enviou um aviso ao Presidente da Câmara, Paul Ryan, de que “a Ordem Executiva Nacional de Emergência nº 13818, de 20 de Dezembro de 2017, foi prorrogada por um ano, bloqueando propriedades e confiscando bens de pessoas envolvidas em graves abusos dos direitos humanos ou corrupção”, observam as fontes.

Em Israel e na Arábia Saudita, os criminosos responsáveis, também, vão enfrentar a justiça, prometem fontes russas do FSB. Para esse fim,
o Governo Russo forneceu provas detalhadas e abrangentes de que os chamados Capacetes Brancos, faziam parte uma organização criminosa que estava roubando órgãos e saqueando tesouros históricos, fingindo ataques com gás Sarin. Isso significa que o ator George Clooney será uma das muitas “celebridades” que estarão indo para a Baía de Guantánamo.

https://www.rt.com/news/447091-white-helmets-terrorists-russia/

O Primeiro-Ministro e assassino em massa, Benjamin Netanyahu e Mohammed bin "esfole-os vivos" Salman são outros criminosos que enfrentarão justiça, dizem fontes da CIA, do Pentágono e do FSB. Também, estão previstos para serem julgados os criminosos membros das famílias Biden, Pence, Clinton, Bush, Rockefeller, Rothschild, DuPont, Iwasaki e outras que acham que são ricas demais para irem para a prisão, dizem as fontes.

Além disso, fontes do Pentágono dizem que a sentença do ex-Diretor da Agência de Inteligência de Defesa, Mike Flynn, foi adiada para o 13 de Março de 2019, “data da desclassificação do The Foreign Intelligence Surveillance Act -  FISA, instalação dos tribunais militares e de outras bombas da verdade que serão lançadas”.

Para garantir que a remoção de criminosos de alto nível proceda sem problemas, fontes do Pentágono dizem que “Trump pode nomear outro juiz da Suprema Corte para solidificar uma maioria conservadora, na medida em que a odiosa bruxa liberal e oposição ao [Presidente dos EUA, Donald] Trump - Ruth Bader Ginsburg sucumbe ao câncer. Isso é ainda mais crucial do que o caso do [Juíz Brett] Kavanaugh, uma vez que o Presidente da Suprema Corte, John Roberts, foi chantageado para balançar com os liberais e, que, também, pode ser forçado a sair”.

Mensagem para a Ministra Ginsburg: seus objetivos, como direitos iguais para mulheres e minorias, agora, são parte do tecido social, então, por favor, desista graciosamente.
A outra coisa a notar é que, em Dezembro, os Generais Marines, John Kelly e James Mattis anunciaram suas renúncias como Chefe do Gabinete da Casa Branca e Secretário de Defesa, respectivamente. Também, vimos o anúncio de que o Chefe Geral do Exército, Mark Milley, foi nomeado como o próximo Presidente do Estado-Maior Conjunto, para suceder ao General dos Fuzileiros, Joseph Dunford.

A substituição de todos os três Fuzileiros Navais no topo da hierarquia de poder dos EUA, simplesmente, é porque eles cumpriram com o objetivo de serem a ponta da lança, dizem fontes do Pentágono. Agora que uma cabeça de ponte foi estabelecida em Washington, a Marinha e o Exército dos EUA cuidarão das maiores questões organizacionais e de reconstrução que surgirão agora, dizem as fontes.

Além disso, uma fonte do Pentágono disse que Mattis e Kelly querem deixar a Administração, antes que o governo dos EUA esteja formalmente falido. Em vez disso, eles se concentrarão em supervisionar os tribunais militares. Uma vez que o establishment de Washington seja limpo e os criminosos sejam justiçados, ambos estão considerando concorrer a cargos públicos em 2020, diz a fonte.

Também, é bom ouvir que Robert David Steele foi promovido à consideração, como o novo Secretário de Defesa por Gordon Duff, editor-chefe do Veterans Today - um homem que sabe melhor do que a maioria que, virtualmente, todos os Veteranos abominam a guerra e desprezam aqueles que procuram guerra pelo lucro.


https://www.veteranstoday.com/2018/12/21/secretary-of-efficient-defense-or-secretary-of-wasteful-war-robert-david-steele-as-a-candidate-the-only-candidate-with-a-grand-strategy/

É interessante notar que, mesmo que Duff seja visceralmente contrário e Steele que seja um defensor de Trump, Duff ainda quer que Steele mantenha o cargo de Secretário de Defesa do governo Trump. 
Há sérias discussões sobre a implementação de ideias de Steele “sobre tudo estar em código aberto” numa zona experimental (talvez Manchúria), como uma rota para fornecer alta tecnologia militar secreta para a população em geral de maneira responsável.

Steele, quando perguntado sobre sua nomeação, prometeu que, se selecionado, não só permitiria a liberação de tecnologia secreta militar, mas que, também, faria o melhor para implementar a tão esperada e muito discutida revelação do "Programa Espacial Secreto". 
Ainda, não sabemos o exato momento em que todas essas mudanças ocorrerão. Os tribunais militares nos foram prometidos para Janeiro, todavia, a redefinição global da moeda, ainda, é uma incógnita.

No entanto, existem duas dicas de que Maio poderia ser o momento. Primeiramente, o novo Imperador do Japão assumirá o trono, então, como a família real mais antiga da terra, a Realeza Japonesa é dita por outros membros da Realeza como os que colocarão o selo oficial que inaugurará o novo sistema financeiro. A outra dica, essa de menor importância, é que depois que o Primeiro-Ministro da Bélgica renunciou, na semana passada, o rei da Bélgica pediu que permanecesse até Maio em seu cargo.

Lido em: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/12/benjamin-fulford-civilizacao-ocidental.html

Quantos absurdos o STF vai protagonizar só para manter Lula preso?

 

Então advogado, em maio de 2011 o hoje ministro Luís Roberto Barroso subia à tribuna do Supremo Tribunal Federal para sair em defesa da constitucionalidade das uniões homoafetivas. Na ocasião, Barroso fez questão de destacar o caráter contramajoritário do poder judiciário no reconhecimento de direitos cuja institucionalização pelas vias do parlamento se mostra improvável em virtude de sua maioria conservadora.

Ser contramajoritário, como o próprio termo deixa claro, é bater de frente com o conjunto de ideias, posições e concepções prevalecentes. Foi o que Mitterrand fez em 1981 ao abolir a pena de morte na França mesmo com a maioria da população sendo favorável à pena capital. Foi o que fizeram os ministros Hermes Lima, Evandro Lins e Silva e Victor Nunes Leal no período em que ocuparam cadeiras no mesmo STF do ministro Barroso. Os três pagaram o preço pela insolência de não se alinharem ao regime militar.

Hoje, Barroso entende que o juiz deve ouvir o “sentimento social” ao decidir. Julgando que o “sentimento social” é aquele entabulado pela guilhotina do lavajatismo, Barroso achou conveniente sepultar o iluminismo. Com ele, os dizeres dos artigos 5º, inciso LVII da Constituição Federal e 283 do Código de Processo Penal que preveem a presunção de inocência e proíbem a prisão antes de decisão condenatória definitiva.

As contradições entre o Barroso-advogado e o Barroso-ministro foram expostas pelo advogado José Roberto Batochio no plenário do STF. Ao levantar tese que favoreceria o ex-presidente Lula e que já havia sido defendida naquela tribuna por Barroso, o ministro o interrompeu exasperado para afirmar que fora derrotado na época. Demônios do passado costumam ser inconvenientes. Não veem hora nem lugar quando decidem dar seus sustos.

Barroso não está só em sua retórica populista. Fux, seu colega, defende que as decisões do STF devem refletir os “anseios da sociedade”. É improvável que a sociedade concorde que magistrados, já bem servidos de benevolentes soldos, ganhem auxílio-moradia. Isso, contudo, não impediu que Fux com uma canetada permitisse seu regular pagamento, ordem que seria revista somente depois de quatro anos e da sanção do reajuste de 16% dos salários do STF. Até lá, mais de um bilhão de reais foram para os aristocráticos bolsos de nossos juízes.

Na quarta-feira, 19 de dezembro, o ministro Marco Aurélio decidiu liminarmente que todos os presos decorrentes de condenações não-definitivas em segunda instância deveriam ser soltos. Na leva estaria o mais famoso encarcerado do planeta, o ex-presidente Lula. Depois do episódio envolvendo a decisão do desembargador Favreto e o conluio entre os desembargadores Gebran Neto, Thompson Flores e o então juiz Sérgio Moro para mantê-lo preso, ficou bastante claro que, se a decisão for favorável a Lula, o sistema recursal que deve ser aplicado não é o dos códigos de Processo Civil ou de Processo Penal. Muito menos o da legislação especial. É, sim, o da cabeça do juiz que melhor atender à lascívia do lavajatismo em manter o ex-mandatário atrás das grades, já que a decisão foi reformada no mesmo dia, um domingo, com um dos juízes suspendendo suas férias e sem que fosse necessária a interposição de recurso. Incrível.

Há quem acuse Marco Aurélio de ter agido politicamente. É provável que quem faça esse tipo de acusação não tenha visto problema no fato da ministra Carmen Lúcia, quando presidia a corte, ter manipulado a pauta e jogado o julgamento do habeas corpus de Lula para antes do julgamento das ações que iriam analisar a constitucionalidade do  artigo 283 do Código de Processo Penal (que, repita-se, proíbe a prisão antes do trânsito em julgado). Por causa dessa pedalada, Lula está preso até hoje.

Quando Fux, passando o trator por cima de inúmeros precedentes, engabelou o sistema recursal e, no estilo “eu que mando”, derrubou a decisão de Lewandowski que permitiu que a Folha de S. Paulo entrevistasse Lula, provavelmente nenhum dos que ficaram indignados com a decisão de Marco Aurélio o acusou de politizar o judiciário. Creio que já esteja claro que decisão técnica, de acordo com os parâmetros e ritos legais e processuais, é sempre a que mantém Lula preso. Aprendam.

Ame-o ou odeie-o, uma coisa deve ser reconhecida: somente um gigante da envergadura de Lula é capaz de demonstrar a completa disfuncionalidade e o descarado privatismo em que se encontra nosso sistema de justiça – disfuncionalidade que existe unicamente se tivermos como referência o “limitado horizonte jurídico”, expressão usada por Marx em sua crítica ao Programa de Gotha. Limitado sim, pois é inegável que o sistema se encontra plenamente funcional para atender a determinados fins num contexto em que, na queda de braço entre capital e trabalho, aquele está ganhando com sobras. Manter livre a principal liderança capaz de aglutinar forças contra isso é uma ingenuidade que a direita jamais cometeria – diferentemente da esquerda e seu reino de fantasias republicanas.

Episódios como o desta quarta dão a impressão, diria Millôr Fernandes, de que o país vez por outra corre o risco de cair numa democracia. É bom sermos implacáveis agora. Pois a história em seu julgamento será – e irá cobrar a fatura de onde estávamos.

Gustavo Freire Barbosa (Professor e Advogado)

Lido em: https://www.cartacapital.com.br/Justica/quantos-mais-absurdos-stf-vai-protagonizar-so-para-manter-lula-preso/

20.12.18

Entenda o que vai acontecer no Brasil (Governo Militar)

Entrevista com Sergio Amadeu para o "Brasil de Fato"

“Se WhatsApp quer contribuir com democracia, entregue os metadados” 

 

Brasil de Fato: Como você avalia o uso do WhatsApp nas eleições e as maneiras de conter as fake news?

Sergio Amadeu: "O que aconteceu no Brasil foi um processo de desconstrução dos parâmetros de realidade. Isso já havia acontecido na eleição do Donald Trump, nos Estados Unidos. Um grupo novo da extrema-direita norte-americana considera que o capitalismo não se desenvolve corretamente porque existe um predomínio no mundo todo do que eles chamam de “marxismo cultural”.

Eles se colocam em uma posição de lutar contra o sistema e, obviamente, o que eles usam para isso não é razoável e historicamente sustentável, então eles se propõem a destruir o debate e trabalhar com dogmas. Eles fizeram isso numa parte dos EUA, na eleição do Trump, e deu certo.

No Brasil, o que aconteceu foi que durante o processo do golpe foram destruídos os parâmetros da realidade. É óbvio que os políticos são complicados, e que o PT é um partido que tem sim gente que entrou na corrupção. Agora, transformar o PT no partido mais corrupto do Brasil é perder a noção. É só olhar qualquer indicador que se vê que a corrupção é estrutural na elite brasileira e está no judiciário, além de ser alimentada, principalmente, por partidos de direita. O PT resistiu muito contra a corrupção e isso foi invertido.

Quem ajudou nesse processo foi a Globo, o núcleo duro do tucanato, o (Rodrigo) Janot. Eles não perceberam a nova direita que se aproveitava disso melhor que eles. Entraram pelos dutos do WhatsApp usando técnicas de big data para atingir pessoas específicas, com um determinado preconceito. Esse preconceito foi amplificado e as pessoas começaram a receber isso com “carinhas bonitinhas”, mas os textos eram feitos por profissionais através de disparos comprados no exterior.

Se o WhatsApp quer contribuir com a democracia, que ele entregue os metadados dos dois meses em que aconteceram essas eleições. Eu não quero saber o que as pessoas falaram e qual o conteúdo das mensagens, eu só quero os disparos que vieram do exterior. Não entregam porque estão protegendo esse grupo (americano) que assaltou e fraudou as eleições no Brasil, e isso, as pessoas precisam saber. Não estou dizendo que não existe fascismo no Brasil, que não existem grupos de extrema-direita, que não tem o antipetismo. Fizeram uma onda que nunca se viu.

O debate eleitoral foi anulado, ninguém discutiu nada, e fizeram essa ação. É uma situação atípica que vai dar muito trabalho para desconstruir".

Foi preparado um caminho e o Bolsonaro se aproveitou disso?

"Ele tomou a hegemonia. O núcleo duro do golpe não incluía o Bolsonaro. Bolsonaro é um sujeito execrável e não é levado a sério, mas ele mobilizou o fascismo no Brasil. Essa direita norte-americana conhecida como alt-right, ou direita alternativa, tem um projeto de poder mundial através do radicalismo do neoliberalismo, e, do ponto de vista político, do Dark Enlightment, o iluminismo às avessas da obscuridade. Quer destruir os parâmetros da razão.

Falar que o Brasil é socialista? Por que temos direitos? Então quer dizer que Portugal, França, Bélgica, Holanda são socialistas. Os Estados Unidos têm mais direitos que nós. Para falar que a Ku Klux Klan é de esquerda (?) é porque você não quer nem ouvir o seu líder que diz que é da supremacia branca da extrema-direita americana. Esses caras têm um projeto de hegemonia, e usam esse termo inclusive. Tem um livro que sugiro chamado Kill All Normies, da pesquisadora americana Angela Nagel, que fez um levantamento sobre como atua essa direita alt-right.

Não é uma disputa onde um político que mostrasse despreparo e apresentasse dados falsos perderia votos. A realidade tem que ser destruída do ponto de vista simbólico para que eles tenham chance de debate. Para destruir os direitos mínimos que foram alcançados no Brasil, vão ter que convencer as pessoas que isso é bom. Não dá para convencer, porque é ruim, então o caminho é os factoides, com mentiras, ‘kit gay’ e perseguição.

Por que o Moro, que não era do grupo do Bolsonaro, virou? Porque ele se adequa. Ele é uma correia de transmissão para destruir a economia nacional. Agora, ele vai perseguir os sindicatos e as universidades, que são os centros que vão oferecer resistência a essa política de desmonte do país".

O que são as guerras híbridas e o que aconteceu durante a eleição que tem relação com elas?

"O livro Guerras Híbridas mostra com alguns fatos mais recentes, a operação que combina ações militares e não militares, culturais, econômicas e de sabotagem. Isso é muito antigo. Dou uma disciplina chamada ciberguerra, e, nela, usava um texto dos anos 90 lançado pela Rand Corporation, que trabalha para o departamento de Estado e possui textos de estratégia norte-americana. Existe um texto chamado, em tradução livre, No campo de batalha de Atenas. Atenas é a deusa da sabedoria, também armada. Os estrategistas Arquilla e Ronfeldt diziam que existem dois tipos de guerra: a ciberguerra, onde os militares já usavam guerras eletrônicas, e a net war, que é uma guerra híbrida feita pelas redes digitais, que combinam desde sabotagem, até a criação de uma baixa moral na sociedade adversária, mostrando outros valores. Tudo isso já estava colocado como uma estratégia militar.

O texto Cyber Power, do Joseph Nye Jr., traz uma expressão que os estudiosos de relações internacionais gostam muito: o soft power. Ela é sobre o poder dos EUA e a identificação que eles criam. Não é só o hard power, o poder militar, são os dois. Surge, então, a expressão Smart power, que combina os dois conceitos. Nos textos do Joseph Nye Jr., ele mostra que é mais barato para a dominação, a criação de cisões na sociedade que se pretende dominar, estabelecendo primeiro uma ideologia. Isso também seria, mais contemporaneamente falando, um trabalho de guerra híbrida. Os americanos sempre fizeram isso.

Na época que o [Edward] Snowden denunciou o sistema de inteligência norte-americano, a intrusão feita a partir de plataformas, foi perguntado sobre se a NSA interfere em eleições. Ele falou que sim. Eles sempre tem um lado que podem ter mais vantagem e, obviamente, talvez não tenham interferido simplesmente nas eleições de uma maneira mais clássica, mas utilizaram o apoio que o Trump, os trumpistas, e a alt-right têm, que não é nem formal do Departamento de Estado americano.

O departamento trabalhou no “Atlantic Council” orientando com migalhas o (Rodrigo) Janot, o (Sérgio) Moro, para destruir a capacidade econômica brasileira, perseguir só de um lado e fazer justiça seletiva.

O curioso é que eu vi no twitter do Janot ele pregando voto para o Haddad. Ele foi enganado e deve estar chateado porque fez parte do núcleo duro do golpe, e fez a justiça virar seletiva. Eles destruíram o Estado de Direito.

A pessoa mais citada na Lava Jato é o Aécio Neves, que continua senador. A justiça vale para um e não para outro. Por isso Lula precisou ser fraudado e retirado da eleição em um processo ridiculamente insustentável para qualquer jurista sério. O Moro tem a desfaçatez de ir comemorar com o time que ganhou, virando ministro de Bolsonaro.

Toda essa operação é de dominação. Os EUA está rachado também e não é mais uma potência como era. Tiveram uma eleição recente em que o Trump ganhou no Senado e perdeu na Câmara, mas perdeu por pouco porque conseguiu tirar a pauta econômica da discussão. Sabe o que ele discutiu? Os FACTÓIDES. Os imigrantes que vão pular o muro do México. Ele fez uma mobilização militar caríssima. Eles fazem factoides e é o que vão fazer no Brasil, porque não têm como governar sem criar esses castelos de fumaça. A pauta real deles é nefasta.

Moro vai sair com carro de polícia invadindo universidades e sindicatos. Fizeram isso na Lava Jato. Primeiro desmoralizam as pessoas. A única coisa que deu errado foi em Santa Catarina, que o reitor foi tão desmoralizado que se matou.

As operações não tem nenhum fundamento jurídico, mas eu esperava houvesse uma cobertura constitucional no Supremo Tribunal Federal (STF), dizendo que não dá para aceitar esse tipo de aberração.

Colocam militares como assessores do STF e mostram que o Brasil vive uma tutela militar lamentável. Militar, em países democráticos sérios, não se mete em política. Está cheio de militar querendo comandar o país com arma na mão. Isso é medieval e não tem nada a ver com democracia. Então, os militares precisam que abandonar as forças armadas, e não as contaminar.

Vai prevalecer o que o Tocqueville fala: quando se tem uma arma politizada, se tem uma arma fraca. Se tem uma arma cheia de políticos. Os militares contaminam a sociedade com seu autoritarismo e são contaminados pelo jogo político. É lamentável um país, que é a oitava economia do mundo, não estar apostando em suas universidades, em fronteiras tecnológicas e em criar plataformas diferentes das dos norte-americanos nas redes. Mas não, será comandado por pessoas que batem continência para a bandeira americana e que o sonho é comprar um ladrilhado em Miami".

O soft power abre uma nova possibilidade de desestabilizar governos, mais baratas inclusive, mas que não é tosco. É um trabalho muito profissional que tem psicologia das massas, jornalismo da guerra…

"Antes de começar a eleição formalmente, vi um meme chamado “kit vagabundo”, em que mostravam coisas que existem com correlações impróprias. Dizia: “se aquela mulher é vagabunda e tem filho, não tem problema, o governo dá bolsa família”, “se ele não trabalha porque é vagabundo e alcoólatra, não tem problema, o governo dá seguro desemprego”. Se a pessoa está desempregada, é porque é alcoólatra, a mulher está sempre em posição inferior. Foi esse processo de desinformação que enfrentamos na eleição. Esse processo foi realizado por pensadores dessa direita alternativa e foi trabalhado minuciosamente com construção desses perfis.

Já existiam empresas que, para ganhar dinheiro, rasparam o Facebook tentando organizar em segmentos. Quanto mais informações, melhor pode vender esse banco de dados. É muito fácil obter essas informações e depois comprar cadastros e colocar o telefone das pessoas. Então, tinham o número e o perfil de cada pessoa, podendo fazer disparos massivos que certamente não foram pagos pelo comitê de campanha do Bolsonaro, portanto são crimes eleitorais. A Cambridge Analytica já havia sido fechada durante as eleições, mas o banco de dados já poderia ter sido repassado. Pela quantidade de disparos que eu peguei e informei, acredito que eles tenham comprado esses micro segmentos e orientado as pessoas.

A minha tia, que disseminava informações nos grupos pró-bolsonaro, enviava o tipo específico de conteúdo que a sensibilizava. Sempre tem alguém em seu grupo de família que recebe essa mensagem de algum lugar. Uma minoria recebia dos próprios grupos pró-bolsonaro, mas outros eram colocados milimetricamente em grupos de pessoas que não conheciam, e que recebiam esses disparos certeiros. Foi uma campanha de distribuição massiva.

As pessoas distribuíam porque estavam no banco de dados e foram identificadas como propícias a disseminar esse conteúdo. Como nos Estados Unidos, conseguiram transformar pessoas preconceituosas e que tinham irritação com o “politicamente correto” em militantes. Enquanto para se transformarem em militantes as pessoas precisavam ter o mínimo de conhecimento histórico, pegaram um indivíduo irritadiço e o mobilizaram para matar o debate.

Isso pode ser visto como uma estratégia da guerra híbrida mas, ao meu ver, é uma estratégia antiga dos norte-americanos. Tanto que, quem montou o golpe no Brasil não foi a administração Trump, foi a administração Obama. Foi o Departamento de Estado e Justiça que levava o núcleo articulador do golpe para os Estados Unidos".

E não está restrito ao Brasil

Não. Recentemente, em Andaluzia, na Espanha, venceu o Vox (partido da extrema direita), que também pertence a essa direita alternativa que se coloca como anti-sistêmica. Esse conceito é curioso. O Trump, por exemplo, faz parte do capital imobiliário norte-americano. É um antissistema da boca para fora.

Assim como os nacionalistas, com o “Brasil acima de tudo”

“O Brasil acima de tudo” é o Brasil entregue aos norte-americanos. Infelizmente, não temos mais nacionalistas nas forças armadas. Para eles, para o Brasil se desenvolver, é preciso de ordem, mesmo que isso signifique a entrega da Embraer, da base de Alcântara, da Amazônia, que destrua nossa capacidade produtiva, nossas universidades, cortem recursos de pesquisas avançadas, que não existam pessoas da sociologia e política entendendo como funciona o mundo e como são os países que farão acordos comerciais. Os Estados Unidos, para qualquer país do mundo, têm pelo menos 50 grandes pesquisadores que conhecem o país. Mas para Bolsonaro, isso não serve para nada.

Na verdade, estamos em uma situação muito difícil, e precisamos enfrentar esse cenário. Não só com os movimentos sociais e a luta por direitos, mas quem não sabe como ajudar e conhece outras pessoas também com o mesmo interesse, deve montar um coletivo para não deixar que essa nova direita destrua a realidade, com memes e informações mentirosas. Monte um coletivo e coloque na rede um conteúdo consistente e detalhado e destrua essa mentira. Isso é fundamental, porque desmoraliza e passa a mostrar para pessoas que não têm interesse de se misturar com alguém que não tem nenhum compromisso com a verdade e com a ética. Mesmo a classe média mais conservadora não quer isso.

Para manterem a sociedade nesse entorpecimento, precisam destruir a história e trabalhar com dogmas. É necessário montar coletivos de esclarecimento, de reconstituição da verdade. Se trabalhamos com a realidade, é possível a interpretação de várias formas, mas não estão trabalhando com fatos, e sim destruindo toda a história.

Qual a sua elaboração sobre o conceito de fake news e por que ele está contaminado?

Logo após a eleição dos Estados Unidos, Donald Trump falou para a CNN e para os demais que o criticam e cobram suas incoerências, que não ia responder “porque isso é fake news”. Esse termo foi muito usado nas campanhas e ficou comprometido e apropriado por apoiadores de Bolsonaro. Mesmo que fosse fake, ou seja, algo que não é fato, isso é um tipo de estratégia utilizada na eleição. Uma coisa é uma notícia completamente fabricada e mentirosa, outra é uma que possui fundamentos reais com diferentes interpretações.

Posso ter uma opinião, mas não posso tentar transformá-la em realidade contra a própria realidade, e se eu fizer isso, estou fazendo um processo de desinformação. Ao afirmar que uma estatística que aponta 20% é na verdade 80%, o que acontece é um processo de desinformação. Outro exemplo é apresentar notícias verdadeiras fora de contexto.

O processo de desinformação é muito mais complexo e envolve a “modulação da visão”, com a plataforma das redes sociais que possuem algoritmos, que definem quem pode ver suas publicações. Quem me garante que os algoritmos do Facebook não restringiram determinadas publicações de um tipo de política e não de outro? Ele diz que não faz isso, mas não há garantias.

Além disso, as publicações com maior alcance são as com o maior preço de impulsionamento, e quem tem dinheiro para pagar? Os empresários que apoiaram o Bolsonaro, que pagaram e não declararam. O processo de desinformação não abrange só verdade e mentira, e é por isso que não gosto do termo fake news. Quem tem interesse na desinformação e nas notícias falsas como estratégia válida são os grupos de ódio.

Um partido como o PSDB não vai querer se comprometer espalhando uma série de mentiras, mas a campanha da direita alternativa não possui nenhum pudor em fazer isso. Eles quebram a placa da Marielle à luz do dia, tem discursos machistas, racistas, lgbt fóbicos, e não têm nenhum interesse em fazer uma campanha com debate econômico. Querem dizer que a Previdência tem um déficit, mas não querem debater o motivo, que é o valor da aposentadoria de militares e dos juízes. Falar em combater o déficit é uma coisa e não debater é uma forma de desinformação.

Um fato possui um contexto e uma série de elementos que precisamos avaliar. Ele pode ter ocorrido, mas pode não ser relacionado com o contexto em que está sendo utilizado, e é por isso que sou contra as leis de fake news que estão no Congresso, porque vão ser usadas contra os defensores da democracia e contra o bom jornalismo. É assim que o judiciário atua. A lei contra o terrorismo é um exemplo disso, pode ser usada contra os movimentos sociais, assim como a lei contra o crime organizado. É preciso saber que vai ter promotor e juiz que são da elite e vão ser seletivos. Destruíram o Estado Democrático de Direito.

Nina Fideles e Mayara Paixão

Edição: Mauro Ramos

Destaques no texto são de Jomarion

Lido em: https://dialogosdosul.operamundi.uol.com.br/brasil/54292/se-whatsapp-quer-contribuir-com-democracia-entregue-os-metadados-diz-sergio-amadeu

19.12.18

Descoberta Câmara secreta na Grande Pirâmide

 

Câmara secreta da Grande Pirâmide egípcia pode conter trono com metal ‘extraterrestre’

No início de novembro de 2017, a revista científica Nature publicou um artigo dedicado à descoberta de um enorme espaço vazio no interior da Grande Pirâmide de Gizé no Egito.  Desde então, cientistas estão se questionando qual poderia ter sido a função desta cavidade secreta no interior da grande pirâmide de Gizé.  O grande espaço vazio poderia conter um trono de ferro de origem extraterrestre, que o faraó teria utilizado antes de falecer, segundo a RT.

cavidade, de pelo menos 30 metros de comprimento, tornou-se a primeira estrutura interna encontrada nesta construção antiga, em 2017, desde o século XIX.

O especialista italiano, Giulio Magli, professor de arqueoastronomia na Universidade Politécnica de Milão, formulou uma das primeiras hipóteses: o grande espaço vazio poderia conter um trono de ferro de origem extraterrestre, que o faraó teria utilizado antes de falecer, segundo a RT.

O cientista afirma que o trono talvez tivesse cumprido a função de “transporte” para a vida após a morte. “Há uma possível interpretação, que está bem de acordo com o que sabemos sobre religião funerária egípcia, tal como se vê nos Textos das Pirâmides. Os textos dizem que o faraó, antes de chegar às estrelas do norte, teria que passar as portas do céu e se sentar em seu trono de ferro”.

Magli descarta que se trate de uma cavidade projetada para diminuir o peso da estrutura maciça. “A área recém-descoberta não tem a função prática de aliviar o peso, porque o teto da galeria já estava construído com uma técnica de suporte por este mesmo motivo”.

O possível trono de ferro na Grande Pirâmide de Gizé talvez fosse parecido com o da mãe do faraó Quéops, a rainha Hetepherés, que a Universidade de Harvard conseguiu reconstruir. Embora possa ser um trono semelhante, especialistas asseguram que o da Pirâmide de Gizé estaria coberto com finas folhas de ferro meteorítico.

“Claro que não seria ferro fundido, que não era utilizado naquele tempo, mas sim o raro ferro caído do céu sob a forma de meteoritos de ferro […] (distinguível devido à alta porcentagem de níquel)”, que também é citado nos textos, afirma Magli em seu estudo.

Os egípcios já utilizaram este curioso material anteriormente para desenhar dispositivos diferentes, em particular a famosa adaga de Tutancâmon, fabricada há mais de 3,3 mil anos.

A Grande Pirâmide de Gizé, construída por volta de 2570 a.C., está situada nos arredores da capital egípcia, Cairo. É a mais antiga das sete maravilhas do mundo e a única que se conservou até hoje.

************************************************************************************************

Excerto do post A conexão Terra, Marte e Maldek e as Pirâmides em Marte do blog do Thoth23

“Em março de 1995, uma equipe científica alemã descobriu uma “porta”  misteriosa na grande Pirâmide em GIZÉ, com alças feitas de um metal desconhecido, QUE está no final de um estreito corredor (8 pol x 8 pol – 20 cm x 20 cm) 200 pés (60 metros) que atravessa o corpo da pirâmide  da parede sul da conhecida Câmara da Rainha. Uma proposta para colocar uma câmera de fibra ótica por baixo da porta foi misteriosamente arquivada sob o pretexto de que nada de importância seria lá encontrado.

No entanto, em março daquele ano (1995), o egípcio Farouk El Baz, um cientista e ex-consultor da NASA foi escolhido para liderar uma equipe programada para  começar a trabalhar no mês seguinte com equipamentos projetados pela empresa  Spar Aerospace, que constrói os braços hidráulicos utilizados pelos ônibus espaciais da NASA.

A informação que vazou para a mídia dos EUA é de que MAIS nove câmaras e túneis  tinham sido identificados e que os sensores tinham pego indicações em todos eles, da presença de objetos metálicos em seu interior.(O que quer que se encontrou lá dentro provavelmente foi mantido em segredo, assim como a verdade de nossa história planetária que vem sendo manipulada e controlada desde tempos imemoriais…)”. 

****************************************************************************************************************************

Edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Fonte 1: https://br.sputniknews.com/

Fonte 2: www.thoth3126.com.br

Lido em: https://thoth3126.com.br/descoberta-camara-secreta-na-grande-piramide-que-pode-conter-trono-alien/

Em posse com Moro, novo presidente do TCU agradece a Lula e é aplaudido

 

O ministro José Múcio Monteiro tomou posse nesta terça (11) como presidente do TCU (Tribunal de Contas da União). Em seu discurso de posse, ele agradeceu ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pela indicação para integrar a corte, em 2009.

A referência ao ex-mandatário, condenado e preso pelo caso do tríplex do Guarujá, foi seguida de aplausos de parte da plateia, composta por autoridades diversas, servidores do tribunal e ex-integrantes do governo do petista, como a ex-ministra Miriam Belchior, o ex-presidente do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento e Social) Luciano Coutinho e o ex-advogado geral da União Luís Inácio Adams.

Presente ao evento, o ex-juiz e futuro ministro da Justiça Sergio Moro, que sentenciou Lula em primeira instância, não se manifestou, assim como outros integrantes já anunciados do governo de Jair Bolsonaro, como Paulo Guedes, indicado para chefiar a pasta da Economia.

​O agradecimento a Lula se deu nos minutos finais da fala de Múcio, quando ele se referia a pessoas que foram importantes em sua trajetória.

“A gratidão é a memória do coração, já disse Santo Agostinho. No campo político, preciso agradecer Roberto Magalhães, que me iniciou na política, ao povo de Pernambuco, que me deu cinco mandatos, e ao ex-presidente Lula, que me fez ministro”, declarou.

Órgão ligado ao Congresso, o TCU é responsável por fiscalizar as finanças do governo federal e julgar as contas do presidente da República.

Nesta terça, também tomou posse como vice-presidente e corregedora do tribunal a ministra Ana Arraes.

Os dois terão mandato de um ano, podendo ser reconduzidos aos cargos por mais um.

Múcio fez carreira na política, tendo exercido cinco mandatos como deputado federal. Passou pelos extintos PDS e PFL (hoje DEM), PSDB e, por último, PTB, pelo qual foi ministro das Relações Institucionais de Lula entre 2007 e 2009.

O petista o indicou a ocupar a vaga que cabe ao Palácio do Planalto no tribunal. A indicação foi aprovada pelo Congresso.

Participaram da posse o presidente da República, Michel Temer, os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, do Senado, Eunício Oliveira, e do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, além da procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, que está em Brasília, não compareceu.

Lido em: https://www1.folha.uol.com.br/poder/2018/12/em-posse-com-moro-novo-presidente-do-tcu-agradece-a-lula-e-e-aplaudido.shtml

13.12.18

Em diário, atirador de Campinas cita perseguição e massacre de Realengo

 

*Jomarion.... meu comentário sobre a frequência 11:11 em Campinas foi confirmado com a referencia feita pelo atirador ao “Massacre do Realengo”... comentado por mim com detalhes na época... em ambos os ataques os perpetradores foram controlados mentalmente pela elite satânica global... eu escrevo sobre as “tragédias no 11:11” desde 2004.

*Comentário postado ontem na Pagina Inicial deste blog:

"Terça Feira, Dia 11 de Dezembro de 2018  Tragédia 11:11 em Campinas... atirador armado com 2 armas (com 11 balas em cada uma, somando 22 balas) pretendia matar 22 pessoas... 22 é numero mestre na frequencia 11:11... lamentável."

A seguir  artigo da Folha de hoje – dia 12 de dezembro

Anotações em forma de diário apreendidas na casa de Euler Fernando Grandolpho, 49, atirador que matou cinco pessoas e feriu três na catedral de Campinas (SP), apontam que ele se sentia perseguido e fazem possíveis referências a massacres no Ceará e em Realengo, no Rio de Janeiro.

A Polícia Civil tentará com esse material identificar as motivações dele para abrir fogo contra fiéis no final de uma missa na igreja no começo da tarde de terça-feira (11).  O atirador se matou após o ataque —ele portava uma pistola 9 mm e mais um revólver calibre 38— as duas armas estavam com as suas numerações raspadas.

Entre os objetos apreendidos no quarto do atirador, que morava com seu pai em um condomínio de Valinhos (SP), estão também um tablet, dois computadores, dois gravadores, uma câmera fotográfica e um celular. 

"Passei com o meu cão em frente uma construção ao lado de uma casa q. os moradores tem uma veterinária e uma delas gritou com 'as paredes': 'e aí Ceará', sobre o massacre ocorrido dias atrás. Ok. Hj, 31/01/18 passei por lá e falei alto com o celular desligado na orelha E AÍ REALENGO", escreveu Euler.

A referência (1ª) provável é à chacina ocorrida no dia 27 de janeiro deste ano em uma casa de shows de Fortaleza onde 14 pessoas foram assassinadas. O crime teria sido fruto da disputa por territórios de tráfico de drogas entre o PCC (Primeiro Comando da Capital), o CV (Comando Vermelho) e o GDE (Guardiões do Estado).

Já a menção a Realengo é uma possível referência ao que ficou conhecido como massacre de Realengo, quando 11 crianças foram mortas e outras 11 ficaram feridas na Escola Municipal Tasso da Silveira, na zona oeste do Rio, em 2011. O atirador era o ex-aluno Wellington Menezes de Oliveira, que invadiu duas salas do 8º ano atirando com dois revólveres. 

(Jomarion... ambos foram “controlados” para executar estas pessoas como um “sacrifício”... próprios da elite satânica).

Em outro trecho do diário, Euler escreve: "170 km/h foi condenado a 9,5 anos, qual será a pena p/ os viados que estão "ouvindo minha casa", me perseguindo etc, etc, etc... há + de 10 anos?...

(Jomarion... comentário típico de quem está sob possessão e controle mental para executar matanças aparentemente inexplicáveis)

O atirador também faz menção a crimes cometidos, segundo ele, “com naturalidade”. “Agora estão em pânico, espalham pela cidade o que estão prestes a acontecer... diz trecho do diário. 

O conteúdo dos equipamentos eletrônicos apreendidos na casa de Euler está sendo analisado pela polícia de Campinas. “Os materiais podem ajudar a responder a única pergunta que falta ser respondida, que é por quê o atirador fez o que fez?, afirmou o delegado Hamilton Carriolla Filho, do 1º DP de Campinas.

(Jomarion... a resposta está nas teorias de conspiração e agendas da cabala erscura)

Outro ponto que será priorizado pela polícia é tentar identificar a origem das armas que estavam com Euler- uma pistola CZ75S, de fabricação checa, e um revólver calibre 38, que não foi usado contra as vítimas.  

“Vamos tentar recuperar a numeração das armas [que estão raspadas] para verificar se foram roubadas de algum colecionador, atirador esportivo, ou ainda se são produto de contrabando”, afirmou o delegado. Acrescentou que identificaram o número de lote da munição usada contra as vítimas, de calibre 9 milímetros. “Infelizmente as munições são antigas e não poderemos rastear de onde vieram”, lamentou. 

RECLUSO E SOLITÁRIO

A Polícia Civil afirmou na tarde desta quarta que Euler era uma pessoa reclusa, solitária, que não tinha condições financeiras para comprar as armas utilizadas na chacina.

 “Vamos apurar se ele fez tratamento [psiquiátrico] ou se foi internado por conta de alguma psicose. O que por hora posso falar é que ele tinha uma personalidade diferente. Era uma pessoa muito introvertida, ninguém sabia o que ele pensava, nem a família”, afirmou o delegado titular do Deinter 2, José Henrique Ventura. 

Segundo ele, Euler tinha “mania de perseguição”. “Ele anotava sobre tudo que o incomodava, era uma característica dele”. O atirador tinha o hábito, segundo a polícia, de ligar para o telefone 190, da Polícia Militar, para reclamar de vizinhos.  Ele chegou a registrar um boletim de ocorrência, em maio de 2012, contra uma pessoa que teria jogado uma garrafa pet contra ele.  

Ler na integra: https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2018/12/em-diario-atirador-de-campinas-cita-perseguicao-e-massacre-de-realengo.shtml

12.11.18

Receita de caos:

Bolsonaro afasta partidos e militariza governo

(Carta Capital)

Eleito pelo WhatsApp, amparado por ministros blogueiros, um filósofo de Facebook e os três filhos escolados no Twitter, o youtuber Jair Bolsonaro prepara-se para o inevitável desembarque na realidade.

Egresso de pelo menos quatro anos em que labutou no mundo virtual, a vender como lebre da antipolítica o gato que cumpriu sete mandatos de deputado federal, parece agora armar-se para uma guerra na fronteira de sua bolha. Acercou-se de dois “superministros”, um deles Super Moro, cujos poderes já se mostraram de fato especiais. E convocou os quartéis: até o fechamento desta edição, contavam-se nove os militares chamados ao entorno do presidente, incluindo o vice, general Hamilton Mourão.

O último a juntar-se à tropa foi o também general Carlos Alberto dos Santos Cruz, que ocupará a Secretaria de Governo. Entre outras atribuições, fará a articulação política com o Congresso Nacional. A não ser que pretenda lançar-se à tarefa munido de fuzil e baioneta, é bastante provável que o general venha a confirmar a regra: de onde menos se espera é que não vem nada mesmo.

“É uma pessoa que fala mais de um idioma, tem uma vivência fora do Brasil muito grande, é combatente também”, disse Bolsonaro ao justificar a escolha de Santos Cruz para o trato com parlamentares falantes do português e residentes no Brasil, ao que tudo indica destituídos de qualquer intenção de fundar um movimento guerrilheiro.

 “Vamos mostrar como vai ser daqui para a frente. Diferentemente do que aconteceu nas últimas três décadas, o toma lá dá cá, não vai ter cargos (em troca de apoio). Foi essa prática que trouxe o Brasil para o momento que está hoje. Estamos criando uma nova forma de relacionamento (com o Congresso), inventando uma fórmula.”

O Einstein que nos fala é Onyx Lorenzoni – DEM (Jomarion uma re-edição de Mussolini, inclusive na aparência), coordenador da equipe de transição do próximo governo e futuro ministro-chefe da Casa Civil. Ele próprio já atropelado pelo andar da carruagem que passa por cima dos partidos e suas lideranças.

A fórmula que se inventa estaria na medida da superficialidade dos 280 caracteres permitidos no Twitter: para evitar o toma lá dá cá, excluem-se os partidos políticos e seus líderes das negociações de apoio, e recorre-se diretamente às bancadas (BBB) aquelas da Bíblia, do Boi e da Bala. O resto do serviço ficaria terceirizado às redes sociais. “Hoje há um instrumento que é a internet”, descobriu a pólvora o senador eleito Flávio Bolsonaro, ao revelar a tática em entrevista para o portal UOL. “Sem dúvida, um forte instrumento de pressão.” Eis a reinvenção da roda, a bem da verdade uma roda que por décadas rodou quadrada, a obrigar as alianças estapafúrdias do “presidencialismo de coalizão”. Tampouco se pode acusar Bolsonaro de não botar em curso aquilo que prometeu quando travestido de antipolítico. O problema reside em algo prosaico: a realidade.

“Bolsonaro cumpriu sete mandatos como deputado federal, mas tudo que fez foi falar aquelas grosserias, não entende absolutamente nada do funcionamento do Congresso, por incrível que pareça”, diz Renato Lessa, mestre e doutor em Ciência Política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ), professor titular de Teoria Política da Universidade Federal Fluminense (UFF) e investigador associado do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. Lessa qualifica a estratégia do novo governo para lidar com o Congresso como “infantil”, “uma receita para a confusão”, “um coquetel explosivo que tem todas as chances de dar errado”.

Além disso, partidos são horizontais, capazes de articular várias frentes, enquanto as bancadas são verticais, interessam-se apenas por seus temas. E entre esses não está, por exemplo, a reforma da Previdência. Os integrantes do novo governo parecem não ter noção dos focos de interesse do Congresso.” A fala de Lessa ecoa o senador Eunício Oliveira (MDB) depois de seu primeiro encontro com o futuro ministro da Economia Paulo Guedes, a quem, segundo Eunício, faltava conhecimentos básicos sobre o Orçamento do País: “Esse povo que vem aí não é da política, é da rede social”. Bingo!

A preferência de Bolsonaro pelas bancadas no lugar dos partidos manifestou-se já na montagem de sua futura equipe. Três políticos do DEM foram escolhidos ministros: Onyx, Tereza Cristina (Meio Ambiente) e Luiz Henrique Mandetta (Saúde). Apanhados no varejo, nenhum deles foi indicado pelos líderes do partido. “São quadros qualificadíssimos”, disse o presidente da sigla ACM Neto, “mas escolhas do presidente (da República).” Na verdade, Tereza é escolha da frente ruralista, e Mandetta, da Bancada da Saúde. Em entrevista ao jornal O Globo, até o coordenador da Bancada da Bala e aliado de primeira hora de Jair Bolsonaro, deputado Alberto Fraga (DEM), manifestou desconforto com a estratégia do novo governo.

A ofensiva do presidente esquecido de rasgar a fantasia atinge até os políticos considerados os maiores aliados. Sem ministério, Magno Malta, antes o “vice dos sonhos”, acabou circunscrito à função de puxador de reza quando da eleição de Bolsonaro. Planeja agora “ver as netas crescerem” e “seguir minha agenda de músico”, segundo entrevista ao site Intercept Brasil. Malta tem 27 discos de música gospel, argh! .

Lorenzoni... alvo de processo que investiga o recebimento de 200 mil reais da JBS em caixa 2 de campanha, viu-se ainda ameaçado de degola pela esferográfica do chefe: “Havendo qualquer comprovação ou denúncia robusta contra quem quer que seja no meu governo, e esteja ao alcance da minha caneta Bic, ela será usada”. Santos Cruz também abocanha o programa de concessões e privatizações que antes estava na alçada de outro político de confiança, o ex-presidente do PSL e futuro ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno.

Enquanto malogram os políticos, cresce a influência dos militares, uma ala sob o comando da junta de filhos de Bolsonaro, com acesso irrestrito aos ouvidos de papai. Lotados dentro do Palácio do Planalto, já são três os representantes das Forças Armadas na mesma privilegiada posição, contra apenas dois civis – Bebianno e, a depender da Bic presidencial, Lorenzoni.

“O capital político de Bolsonaro resume-se a esse povo gritando ‘mito’. Collor também era assim, e por isso especializou-se em tirar coelhos da cartola. Mas as pessoas enjoam disso em pouco tempo, e no caso de Bolsonaro é mais fácil que venham com um gambá em vez do coelho”, diz Lessa. “Terão de lidar com Renan, Maia, gente que sabe como a banda toca. Não quero profetizar o caos, mas eles não têm lideranças para fazer qualquer articulação. Onyx pertence ao terceiro escalão do Congresso, e a autoridade de Santos Cruz restringe-se ao mundo militar.”

Diante das agruras mundo real, espera-se apenas que não tenham a ideia de recorrer ao fuzil e à baioneta.

Fred Melo Paiva fred@cartacapital.com.br

Ler este artigo na íntegra: https://www.cartacapital.com.br/politica/receita-de-caos-bolsonaro-afasta-partidos-e-militariza-governo/

11.12.18

Guerra Secreta na SWIFT

 

"DEPOIS DE GEORGE BUSH SÊNIOR SER EXECUTADO, UMA GUERRA SECRETA SE CONCENTRA NA SWIFT"

Benjamin Fulford – 10.12.2018

Desde a morte do Fuhrer nazista do IV Reich, George Bush Sênior, a batalha pelo controle do sistema financeiro mundial e, portanto, do processo de decisão do futuro da humanidade, agora, está centrada no controle da Sociedade de Telecomunicações Financeiras Interbancárias Mundiais  (Society for Worldwide Interbank Financial Telecommunication – SWIFT).

Uma batalha final está se desenrolando entre as 13 linhagens, que tradicionalmente controlam o planeta e os meritocráticos Illuminati Gnósticos, que controlam o Complexo Industrial-Militar dos EUA, concordam várias fontes. A batalha está se encaminhando para um clímax indefinido, agora que George Bush Sênior foi “executado”, como confirmado por fontes do Pentágono e da CIA.

Aqui está o que uma fonte da CIA tinha a revelar:

“Soube por duas fontes que George Bush Sênior, de fato, em 10 de Setembro de 2018, foi acusado de crimes contra a Humanidade, tráfico de crianças, sedição e traição. Supostamente ele negociou um acordo com o tribunal militar, que ouvindo seu caso, condenou-o para ser executado/suicidado, para manter seu legado intacto para sua família e seguidores. Trump assinou a ordem de execução. Dessa forma, então foi um clone que foi executado, já que também temos informações de que ele morreu em Junho (outro clone). Acho que Bush/Xerife, realmente morreu em Janeiro de 1992, engasgando com sushi, depois de ter acabado com Barbara Bush com um pano envenenado (como visto no vídeo postado na semana passada: Tribunais militares estão marcados para começar em 02 de Janeiro de 2019.”

https://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/12/benjamin-fulford-em-movimento-historico.html

Por sua vez, fontes do Pentágono, disseram que o presidente dos EUA, Donald “Trump teve o cuidado de não conceder a Bush um funeral de Estado, já que para o cerimonial desse criminoso foi negado um cavalo e uma urna funerária, como concedido a Reagan”. 
“Ao vencedor pertencem os espólios dos vencidos, cabendo a Trump escolher o ex-Procurador-Geral de Bush, Bill Parr, como seu próximo AG, escolhendo ‘o dia que viverá na infâmia’, 07 de Dezembro [aniversário do ataque a Pearl Harbor] para seu engajamento”, declarou, adicionando, a fonte do Pentágono. 

A fonte da CIA, também, se perguntou se Barr teria “feito algum acordo para evitar os tribunais militares para, depois, ser ‘McCained’? (Ultimamente, este é o termo que está sendo usado para execução/suicídio). Quem sabe ele tenha mudado, como o Senador Lindsey Graham?”. 
A morte de Bush, ex-embaixador dos EUA na China, cujo irmão entregou segredos militares dos Estados Unidos a esse país (como Hillary e Bill Clinton também fizeram), significa que os Estados Unidos e a China também estão confrontando as famílias de linhagem que estão buscando proteção chinesa, de acordo com fontes da Sociedade Secreta Asiática.

Fontes do Pentágono dizem que a prisão do conglomerado chinês da Huawei, Meng Wanzhou, é “derrubar os Clintons e seus laços traiçoeiros com a China, nos anos 90”. Os maçons da China, previamente, haviam admitido a esse escritor que haviam investido pesadamente na eleição de Hillary Clinton como presidente dos Estados Unidos, porque lhes foi prometido um “Estados Unidos da China” incluindo a ASEAN, a península coreana e o Japão.

Anteriormente, a inteligência militar norte-americana, também, havia nos confirmado de que George Bush Sênior forneceu à China a tecnologia necessária para guiar seus mísseis nucleares com precisão. O objetivo de Clinton/Bush da transferência de tecnologia militar para a China era tornar a China, militarmente igual ao G7, de modo que a planejada guerra de fim de ciclo “
Gog versus Magog” fosse suficientemente destrutiva para resultar em seus tempos finais artificialmente planejados.  
No entanto, em vez disso, os fanáticos religiosos por trás desse plano enfrentarão os tribunais militares "a partir de Janeiro de 2019", confirmam fontes do Pentágono e da CIA.

No preparo desses tribunais, fontes do Pentágono dizem que "o Chefe-Geral do Exército, General Mark Milley, foi nomeado como o próximo Presidente do Estado-Maior Conjunto dos Estados Unidos (Joint Chiefs of Staff - JCS) para dar continuidade à proteção de Trump, em seu segundo mandato".

De uma forma rara, "Este anúncio foi feito cedo, como forma de envio de uma mensagem ao Estado Profundo, Uma vez que o presidente anterior do JCS era do Exército, que foi novamente escolhido em detrimento a pessoal da Força Aérea e da Marinha", continuou a fonte. Os oficiais da Força Aérea e da Marinha têm estado fortemente implicados na planejada Terceira Guerra Mundial, sendo por isso que estão perdendo sua vez de comandar todo o JCS, nota da Agência de Inteligência de Defesa.

Para entender que tipo de mudanças mundiais o governo militar dos EUA está esperando, vamos dar uma olhada no que o Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse num discurso proferido no German Marshall Fund, em  04 de Dezembro de 2018.

https://ua.usembassy.gov/remarks-by-secretary-pompeo-at-the-german-marshall-fund/

Nesse discurso, Pompeo disse que precisamos “perguntar se a atual ordem internacional serve o bem de seu povo, da melhor maneira possível. Se não, devemos perguntar como podemos corrigi-lo”. Mais tarde, em seu discurso, deixou claro que as atuais instituições internacionais como o Banco Mundial, o FMI, a União Europeia, a ONU, a União Africana e a Organização dos Estados Americanos estavam todas falhando e precisando de uma reforma profunda e total.

Eis alguns trechos de seu discurso:
“O Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional foram fundados para ajudar a reconstruir territórios destruídos pela guerra e promover investimentos e crescimentos privados. Hoje, essas instituições frequentemente aconselham os países que administram mal seus assuntos econômicos a impor medidas de austeridade que inibem o crescimento e expulsam os atores do setor privado.

Hoje, nas Nações Unidas, as Missões de Manutenção da Paz se arrastam por décadas, não estando mais perto da paz... A ONU foi fundada como uma organização que acolheu nações que amam a paz. Eu pergunto: Hoje, ela continua a servir sua missão com fidelidade? A UE garante que os interesses dos países e de seus cidadãos sejam colocados antes daqueles  dos burocratas aqui em Bruxelas?”

No entanto, as soluções propostas por Pompeo - imitar o que Trump estava fazendo nos EUA e reafirmar o poder dos estados-nação e da liderança dos EUA - ficaram muito aquém do objetivo, quando se tratava de oferecer soluções para os problemas enfrentados pelo mundo Ocidental e pelo planeta como um Todo.

Por exemplo, ele não mencionou que o atual sistema financeiro, controlado por algumas famílias, devastou a classe média no G7 e criou grandes diferenças entre os ricos e os demais, mesmo em lugares como a China. Agora, a situação é tal que 0,1% da população controla mais riqueza do que os 90% restante e Pompeo não propôs um reset ou um jubileu para corrigir essa situação. 
Pompeo, tampouco mencionou o fato de que a humanidade eliminou 60% da vida animal desde a década de 1970 e ofereça qualquer tipo de solução.

https://www.wwf.org.uk/updates/living-planet-report-2018

Na verdade, em 08 de Dezembro, Trump twittou que:
“O Acordo de Paris não está funcionando muito bem para Paris. Protestos e tumultos em toda a França. As pessoas não querem pagar grandes somas de dinheiro, muito para países do terceiro mundo (com acordos questionavelmente efetuados), a fim de, talvez, proteger o meio ambiente”.
Com certeza, o Acordo de Paris baseou-se na ciência fraudulenta de que "o Carbono é o causador do aquecimento global". Não entraremos aqui em detalhes, todavia, atentem para este link como um exemplo notório:

https://wattsupwiththat.com/2018/07/06/friday-funny-scottish-record-high-temperature-caused-by-ice-cream-truck/

No entanto, pelo menos eles estavam tentando. A Sociedade Dragão Branco (SDB) propõe uma alternativa que consiste em criar uma futura agência de planejamento com recursos meritocráticos, para presidir uma campanha de vários trilhões de dólares para parar a destruição ambiental e acabar com a pobreza. Isso também poderia fornecer empregos para os “comedores inúteis” programados para serem assassinados em massa pela facção nazista que Trump assumiu. Gostaríamos de ver o governo militar dos EUA propor algo semelhante e levar a China, a Índia e o resto do mundo, também, a bordo.

De qualquer forma,
a facção do aquecimento global parece estar perdendo a batalha no Ocidente, especialmente na França, sede da facção Rothschild do aquecimento global. Lá, fontes do Pentágono dizem que: "O ex-Chefe de Defesa francês, que foi demitido pelo Presidente Emmanuel Macron, General Pierre de Villiers, é a escolha do povo para o Palácio do Eliseu". Acrescentam ainda que “Marine Le Pen é mais poderosa do que a espada e que se não for Presidente, será um bom Primeiro-Ministro ou Ministro das Relações Exteriores.” 

A luta do governo militar dos EUA contra as linhagens, no entanto, está longe de terminar. Voltando ao discurso de Pompeo e ao topo deste artigo, anotamos que ele disse:
“A América pretende liderar - agora e sempre. Por exemplo, aqui na Bélgica, em 1973, bancos de 15 países formaram a SWIFT para desenvolver padrões comuns para pagamentos internacionais e, agora, é parte integrante de nossa infraestrutura financeira global. A SWIFT recentemente desconectou os bancos iranianos sancionados de sua plataforma por causa do risco inaceitável que eles representam para um sistema - para o sistema como um todo”.

O que ele estava aludindo é que
existe um esforço europeu (linhagem) e chinês para contornar as sanções dos EUA/SWIFT, através da criação de um sistema alternativo internacional de pagamentos. Isso ainda está acontecendo, com países como a Índia, a Rússia e a China saírem da SWIFT, para acabarem com o controle da infraestrutura financeira internacional dos EUA. 
Os EUA têm reagido forçando a mudança de regime nos países europeus que tentam sair da SWIFT, daí (em parte), os problemas na França.

O outro grande campo de batalha é o Japão. No dia 06 de Dezembro, a Softbank Corp. sofreu um desligamento de quatro horas de sua rede de telecomunicações móvel,  bem como nas baseada em linhas. A Softbank tem trabalhado com a Huawei (cujo nome華為, a propósito, significa "para a China") para vender seus telefones e usar seu sistema de pagamentos. Também, existe a suspeita de que a Softbank está usando a Oferta Publica Inicial (Initial Public Offering – IPO) de sua unidade de telecomunicações, marcada para 19 de Dezembro, como uma forma disfarçada de vender a unidade para a China, mais especificamente à Huawei, disseram fontes da CIA.

Por favor, tenha em mente que a Softbank comprou a Fortress Asset Management, dona da Musashi K.K., a empresa cujas máquinas contam com mais de 80% dos votos do Japão. Richard Koshimizu, do Partido Independente do Japão, forneceu evidências detalhadas de que a empresa, fundada pelo avô do Primeiro-Ministro Shinzo Abe, o ex-Primeiro-Ministro Nobosuke Kishi, é usada para roubar as eleições japonesas.

Também, é importante notar que o governo Abe, na semana passada, aprovou uma lei permitindo que os recursos hídricos do Japão sejam privatizados e presumivelmente vendidos com um desconto para a Veolia, uma empresa controlada pela filial francesa da família Rothschild. 
Também, tenham em mente que o CEO da Softbank, Masayoshi Son, recebeu pelo menos US $ 45 bilhões do Príncipe Herdeiro, Mohammed bin Salman,  o (Rothschild) israelense. Alguém quer apostar no Son?

Lido em: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/12/benjamin-fulford-depois-de-george-bush.html

11.12.18

Sim! Tivemos Ditadura

 

Destruição da realidade, fascismo e a Ditadura militar no Brasil

É simplesmente por desconhecer os fatos ou por intencionalmente omiti-los que algumas pessoas afirmam que não houve ditadura no Brasil no período pós 1964.

Esse caldo da ignorância não pode ser tratado como brincadeira ou como um fator decorrente da uma mera burrice humana ou da manipulação. Trata-se de algo preocupante e que está dentro de uma ameaça muito maior.

Para entendermos esse perigo, a dica é a obra How fascism works: the politics of us and them (Como funciona o fascismo)  livro que ainda não tem tradução para o português e escrito pelo filósofo Jason Stanley. A obra referida foi inspirada no livro “1984” de George Orwell, que aponta a destruição da realidade como uma das principais vertentes de regimes totalitários.

A obra de Jason Stanley aponta os 10 (dez) pilares do fascismo:

1 . A destruição da realidade – a verdade é que morre primeiro

2. O culto a um passado mítico

3. A propaganda

4. O anti-intelectualismo

5. A hierarquia, que aqui representa o já dito por Bolsonaro, no sentido de que as minorias devem se adaptar à maioria ou simplesmente sumir

6. A vitimização das maiorias pelas minorias

7. O princípio da lei e da ordem, que permite criminalizar as dissidências 

8. A tensão de caráter sexual 

9. O que o autor denomina de Sodoma e Gomorra, que defende a ideia de que os valores de um determinado grupo são superiores aos de outros

10. O lema de que o trabalho liberta, que acusa os opositores do fascismo de preguiçosos”.

Talvez tenhamos aí uma resposta para tantas falsificações e desmentidos na equipe do novo governo brasileiro.

Nesse panorama, o fascismo precisa desestabilizar as pessoas e desconectá-las da realidade, sendo fácil perceber que, no Brasil atual, tenta-se assassinar os fatos com o intuito de emplacar teorias da conspiração de fácil assimilação, objetivando beneficiar determinados grupos políticos.

Por aqui, os exemplos são muitos: kit gay, ideologia de gênero, doutrinação comunista nas escolas, a ameaça do feminismo, a ameaça comunista do Foro de São Paulo, não houve ditadura no Brasil, a ideia de que os direitos humanos são uma ameaça etc.

Neste artigo, quero fazer um recorte para falar de uma dessas mentiras que afirma que não houve ditadura no Brasil. Talvez isso fosse desnecessário em épocas de estabilidade intelectual, mas, infelizmente, não é o caso.

É fato que a Constituição Federal de 1969 não foi posta democraticamente, uma vez que foi outorgada e imposta de goela abaixo por uma junta militar formada pelos comandantes do exército, da marinha e da aeronáutica.

É também fato que nenhum Presidente militar foi eleito pelo povo brasileiro, em um período em que a população brasileira não exercia plenamente o seu direito de sufrágio, premissa básica de um Estado Democrático de Direito.

Também não custa nada lembrar que, nesse período, o povo não votava para governador do Estado e prefeitos das capitais.

Igualmente, a deposição do Presidente João Goulart, pelo falso argumento de abandono do cargo, não foi só um ato golpista praticado pelo Presidente de Congresso Nacional, mas também, nas palavras de Tancredo Neves, um ato de covardia.

O Ato Institucional n° 5, de 13 de dezembro de 1969, concedeu ao Presidente da República absurdos poderes “sem as limitações previstas na Constituição” para suspender os direitos políticos de quaisquer cidadãos pelo prazo de 10 anos, cassar mandatos eletivos federais, estaduais e municipais (art. 4°), proibir de atividades ou manifestação sobre assunto de natureza política (art. 5º III) etc.

Além disso, todos sabem da existência centros de tortura e de morte para adversários políticos, com condenações e prisões sem contraditório, defesa e mínimo processo legal.

Todos sabem também da censura imposta a jornais, revistas e televisões.

A pergunta que fica é: por que ainda existem pessoas tão desconectadas de uma realidade tão evidente e que ainda insistem em afirmar que isso não foi uma ditadura?

É mais do que simples ignorância e o livro de Jason Stanley pode dar a resposta e, ao mesmo tempo, alertar para grandes tempestades que estão por vir no Brasil.

*Othoniel Pinheiro Neto é Doutor em Direito pela UFBA, Defensor Público do Estado de Alagoas, Professor de Direito Constitucional e colaborou para Pragmatismo Político

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2018/12/destruicao-fascismo-ditadura-militar.html

8.12.18

Vencedores do 'Brasileiros do Ano' homenageiam Lula em cerimônia

 

Doria se irrita e apela...

A cerimônia de entrega do prêmio Brasileiros do Ano da revista Istoé, na última segunda-feira (3), em São Paulo, teve como protagonista o ex-presidente Lula. Apesar de não ter sido premiado este ano (Lula ganhou o prêmio de brasileiro da década pela mesma revista em 2010), o petista recebeu elogios e dedicatórias dos premiados, para a ira de João Doria (PSDB), que também ganhou o prêmio e estava presente na celebração que aconteceu em São Paulo.

O primeiro a homenagear o ex-presidente foi o escritor Geovani Martins, vencedor da categoria “brasileiro do ano na Cultura”. Em sua intervenção, o carioca revelou que um de seus maiores orgulhos é saber que Lula leu na prisão seu livro Sol na Cabeça.

“Eu sou muito agradecido pelo governo do Lula, sempre vou ser agradecido e gostaria que esse recado chegasse a ele”, disse, arrancando aplausos e gritos de “Lula livre” da plateia.

Pouco tempo depois, foi a vez da atriz Jéssica Ellen, que recebeu o prêmio de “brasileira do ano na Televisão”. A jovem disse que se não fosse Lula ela talvez não estivesse naquele evento, mas “limpando o chão”. “Graças a Deus pude estudar e hoje estou tendo essa oportunidade”, revelou.

João Doria um premio pela grosseria

João Doria (PSDB), que ganhou o prêmio “brasileiro do ano em Política”, demonstrou irritação quando foi receber seu prêmio. Depois de fazer alguns agradecimentos, o tucano pediu espaço no microfone para rebater as intervenções pró-Lula e subiu o tom.  “Tenho muito orgulho do juiz Sergio Moro e do ministro Barroso. Delegados e promotores públicos que colocaram o Lula na cadeia, onde deveria estar há muito tempo. Fui eleito duas vezes em São Paulo e vou fazer de tudo para o País derrotar vocês petistas, esquerdistas e vigaristas”, disparou, enquanto parte da plateia seguia gritando “Lula livre”. 

(Jomarion... lamentável que esta cavalgadura vá governar São Paulo... professores e funcionários públicos se preparem... serão tratados como dejetos por este mau caracter que os bolsonaros  ajudaram a eleger... aproveito para comentar as “delações premiadas” de Pallocci, um dos caras mais corruptos e indecentes deste país... repudiar  e resistir é preciso mais que nunca!)

Lido em: https://www.revistaforum.com.br/vencedores-do-brasileiros-do-ano-homenageiam-lula-em-cerimonia-doria-se-irrita/

 7.12.18

Franco-Maçons pedem Paz

"EM MOVIMENTO HISTÓRICO, OS FRANCO MAÇONS P2 - ADORADORES DO SOL NEGRO - PEDEM PAZ"

 

Benjamin Fulford - 03.12.2018

Naquilo que futuros historiadores olharão para trás e verão como um grande evento divisor de águas, os maçons P2 - adoradores do Sol Negro e criadores, tanto do fascismo como do comunismo - estão pedindo a paz, dizem as fontes da Sociedade Dragão Branco – SDB (White Dragon Society – WDS).   Com a remoção da família Rothschild do controle dos bancos centrais, o mundo está prestes a entrar em desconhecidas águas históricas. 
Os Francos-Maçons P2 propõem que o mundo “seja governado por um triunvirato, composto pelos filhos do Sol Negro, os filhos do grande Hórus e os filhos do Dragão”, segundo a proposta transmitida por Vincenzo Mazzara, um dos Cavaleiros Teutônicos e o mais antigo membro P2 a contatar a SDB.

Como “
filhos do Sol Negro” nos referimos aos Francos-Maçons P2, que dão ordens ao Papa e aos 1,5 bilhões de católicos do mundo. Os "filhos do grande Hórus" referem-se ao olho no topo da pirâmide da nota de 1 dólar dos EUA, presumivelmente se referindo aos Francos-Maçons não P2, como o Rito Escocês e o Grande Oriente, que exercem controle em  grande parte do planeta que fala  Inglês e Francês. Os "filhos do dragão" referem-se às sociedades secretas asiáticas que controlam a maior parte do Leste da Ásia.

Neste ponto, a maioria dos leitores, provavelmente e, com razão, está horrorizada com a ideia de três sociedades secretas coniventes continuarem a governar o mundo em segredo. A SDB é claro, quer que tudo seja aberto e com total participação das pessoas. No entanto, a P2 é poderosa e já nos disse com antecedência que iriam demitir o Papa “Maldito” (Bento XVI) e fizeram isso. A P2, também, se gabou à SDB de que era responsável por encenar o tsunami de Fukushima e o incidente terrorista com assassinato em massa nuclear de 11 de Março de 2011. Nesse sentido, o fato de que agora estejam optando pela paz, significa que sabe que a rede, finalmente, está se aproximando dela.

Este movimento, também, está intimamente relacionado com o anúncio de que o Nazista do Quarto Reich, o Fuhrer George H W Scherff (Bush) está morto. Segundo fontes do Pentágono, “enquanto o G20 preparava o mundo para uma redefinição monetária global, o 41º Presidente Bush Sr. expirou em 30/11, porque 11 + 30 = 41.” De fato, Bush pai morreu em Junho, no entanto, o anúncio foi adiado até que todos os preparativos fossem feitos para prender os subalternos nazistas (mafiosos khazarianos) como Hillary Clinton e Barack Obama, disseram as fontes. 
É por isso que o presidente dos EUA, Donald Trump, em 27 de Novembro, retweetou essa famosa imagem com os dizeres: Agora que a conivência da Rússia é uma mentira comprovada, quando começam os julgamentos por traição?

A resposta para essa pergunta, dizem fontes do Pentágono, é que as “prisões em massa podem ocorrer logo após o funeral de Bush, já que a Gitmo (Base Naval de Guantânamo) está sobrecarregada e Trump possa iniciar com os tribunais militares, antes que os novos congressistas tenham tomado posse, em 3 de Janeiro de 2019”. 
O anúncio oficial da morte de Bush pai é importante, porque ao contrário de outros membros de seu grupo, como Hillary Clinton ou Bush Jr., Bush pai tinha muita influência e respeito no topo do complexo industrial militar dos EUA. Com sua morte, eles perderam a última linha de proteção.

Além disso, no que diz respeito a um elogio, uma vez que
os leitores podem descobrir por si mesmos sobre seu envolvimento em coisas como o assassinato de Kennedy, mencionarei apenas alguns fragmentos de inteligência original que disponho de minhas próprias fontes sobre esse homem. 

A primeira (vinda do MI6) é que quando ele foi pescar no Maine, em Julho de 2007 com o Presidente Vladimir Putin, da Rússia, Bush propôs que eles iniciassem uma nova guerra fria, com a Rússia fingindo ser aliada da China. Usando essa guerra fria como camuflagem, o G7, a Rússia e o Japão aumentariam seus orçamentos militares, até que todos se voltassem para atacar a China e dividi-la em seis países. Certamente, até recentemente, essa era a trama sendo seguida com toda a falsa histeria antirrussa na mídia corporativa.

Além disso, Francos-Maçons P2, em 2009 me disseram que Bush era o líder da facção que queria matar 90% da humanidade (os chamados comedores inúteis),  escravizar o restante e criar um paraíso ecológico nazista. 
Enquanto isso, minhas fontes de arquivo X, me disseram que o Bush que morreu, na verdade era o Clone Número 34. Como prova, me foi fornecido um link de um vídeo mostrando o velho Bush engasgando, enquanto supostamente comia sushi, mas que na verdade, estava morrendo, da  mesma  forma  que sua esposa Barbara, com um pano envenenado. Isso foi em 08 de Janeiro de 1992. Rapidamente, foi substituído por um novo clone que já aguardava no quarto dos fundos. Uma rápida troca de clones/duplos. Tudo isso antecipadamente preparado.

https://youtu.be/XnOnDatqENo

Há alguns anos, este escritor solicitou a seus contatos da emissora pública de radiodifusão japonesa, NHK, para obter uma cópia da fita original deste incidente, todavia, aparentemente, ela é mantida a sete chaves.
Como um comentário final, quando este escritor se aproximou de Bush Sr. para uma entrevista, me disseram que ele estava aposentado e não dava entrevistas, mas que "ele sabia e apoiava" o que eu estava tentando fazer. Em outras palavras, ele parece ter mudado de idéia sobre o genocídio e concordado com o plano alternativo de uma enorme campanha para consertar o planeta, seguida pela expansão humana para o Universo.

Isso nos leva de volta às aberturas de paz dos Francos-Maçons P2 mencionadas acima. A P2, agora, diz que seu triunvirato proposto "nos guiaria para a nova era com uma nova e já existente Yalta". Yalta, como devem se lembrar, foi uma conferência em 1945, entre Winston Churchill, Franklin Roosevelt e Joseph Stalin, que decidiu a forma do mundo pós-guerra. 
Essa conferência de Yalta, de acordo com a P2, seria um acordo para financiar um projeto de vários trilhões de dólares, para “construir uma enorme espaçonave, para nos transportar para outros planetas, como parte de um projeto já desenvolvido pela NASA”. Naturalmente, as fontes da Agência de Inteligência de Defesa dos EUA, nos disseram anteriormente que NASA, significa “Not a Space Agency”, então essas afirmações precisam ser tomadas com extremo ceticismo.

Outra coisa que a P2 disse foi que 
o sistema financeiro mundial foi capaz de criar dívidas financeiras de US $ 1,4 quatrilhões, contra o PIB mundial de menos de US $ 100 trilhões. Este é um monstro que nenhum algoritmo de banco central pode controlar; eles o conhecem bem - tanto o FRB, quanto o BCE e, também, os chineses“. Esse é o resultado “de uma guerra financeira devastadora entre a Ásia e o Ocidente, levando â criação contínua de dinheiro novo de uma forma  projetada, apenas, para explodir o sistema financeiro”. Como oferta de paz, a P2 oferece um bônus, apoiado por 46.000 toneladas de ouro.

Apesar desta oferta de paz, o fato é que a P2 e suas sociedades secretas companheiras, têm sido extremamente incompetentes em governar este planeta, tendo presidido a miséria humana, guerras intermináveis e a destruição de grande parte do mundo natural. É por isso que, em vez de aceitar seu "triunvirato", precisamos continuar lutando, até que haja uma rendição total e incondicional.

Nessa frente, uma grande tentativa da máfia khazariana de iniciar uma Terceira Guerra Mundial foi impedida, na semana passada. "Não há nenhum milagre de Hanukkah este ano, depois que uma falsa bandeira israelense contra a Marinha dos EUA, culpando o Irã foi interrompida", disseram fontes do Pentágono. Presumivelmente, isso tem algo a ver com a notícia de que o Vice-Almirante, Scott Stearney, que supervisionou as forças navais americanas no Oriente Médio, foi encontrado morto no sábado num "aparente suicídio".

https://www.cbsnews.com/news/scott-stearney-us-navy-admiral-found-dead-apparent-suicide-2018-12-01/

Este incidente, combinado com miras laser do “Mossad” direcionados a ele, na semana passada, significa que “Trump, agora, pode estar pronto para desclassificar não apenas a FISA, mas, também, os arquivos JFK e 11/09 para acabar com Israel e a cabala de Bush”, dizem as fontes. 
"Israel está contra as cordas porque sua força aérea, mísseis, cúpula de papel e lobby são inúteis, na medida em que a  Assembleia Geral da ONU exige o retorno de Golan", continuam.

Uma mudança de regime é esperada, tanto em Israel quanto em seu estado-cliente, a Arábia Saudita, enquanto os patriotas dos dois países buscam ajuda mundial para remover Benjamin Netanyahu e seu animal de estimação, chamado Mohammed bin Salman, dizem eles. Um sinal disso foi visto quando Trump se recusou a encontrar MBS na recém-concluída reunião do G20. Além disso, a polícia israelense recomendou acusar Netanyahu por múltiplos crimes e sua queda é apenas uma questão de tempo. 
Fontes do Pentágono dizem que o Tribunal Penal Internacional está se juntando aos promotores argentinos, na “investigação de acusações de crimes de guerra contra MBS, a UE e a ONU e isso pode implicar Israel, por terem neutralizado o Iêmen”.


O outro bandido mafioso khazariano que enfrenta sua queda, é o presidente escravo de Rothschild, Emmanuel Macron. Manifestações em massa para expulsar  Macron continuam furiosas em toda a França, com 84% do público apoiando os manifestantes. Os bandidos do regime de Macron estão usando agentes provocadores para criar incidentes violentos, como uma desculpa para declarar a lei marcial. No entanto, manifestantes franceses postaram vídeos que provam que os manifestantes violentos realmente trabalham para a polícia.
https://www.facebook.com/sabrina.tetu.9/videos/10155683128876510/
https://www.youtube.com/watch?v=ZzxxISGPKiw&fbclid=IwAR1FKdZD3EwIUOqIc2r34IiSRLhY3AZncxSfmmqsgm14LK3mghhXC5p8VAI


"Se Macron declarar lei marcial, os militares franceses podem ficar do lado dos coletes amarelos [os manifestantes] para derrubar esse fantoche dos Rothschild", disseram as fontes do Pentágono. Fontes da oposição francesa, por sua vez, dizem que Macron contratou mais de 10 mil mercenários estrangeiros para se proteger e, que os militares franceses vão usar essa incursão estrangeira como pretexto para agir contra ele.

Outro fantoche criminoso de Rothschild a ser removido em breve, é o Ministro das Finanças japonês, Taro Aso, disseram fontes de direita japonesas. Aso enfureceu direitistas, prometendo vender todos os recursos de água do Japão para beneficiar seu genro, Alexandre de Rothschild. "A eliminação de Aso já foi ordenada e se ele já não estiver morto, estará em breve", disse uma fonte de direita próxima à família imperial.

A prisão do Presidente da Nissan, Carlos Ghosn, faz parte da campanha para remover a influência Rothschild francesa daquele país, disseram fontes. Trump disse ao Primeiro-Ministro japonês, Shinzo Abe, no G20, que "defende um Japão forte no reequilíbrio da Aliança Nissan-Renault", disseram fontes do Pentágono. "Como o PIB do Japão é quase o dobro do da França e como a capitalização de mercado da Nissan é quase o dobro do da Renault, a França será forçada a vender ou reduzir sua participação", acrescentam.

Finalmente, também, há uma espécie de batalha esotérica no estilo californiano envolvendo Armas de Energia Dirigida (DEW) acontecendo na Austrália.  A inteligência australiana nos enviou as imagens a seguir do que parece ser um enorme ataque DEW, iniciando incêndios em Queensland.

Definitivamente, as coisas estão esquentando e podemos esperar muito mais, enquanto, a batalha para a libertação da humanidade se enfurece em direção à vitória e à libertação da escravidão da dívida babilônica para uma nova era dourada.

Lido em: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/12/benjamin-fulford-em-movimento-historico.htm

5.11.18

Paulo Guedes deixa 180 milhões de brasileiros fora de sua política econômica

 

Política econômica anunciada por Paulo Guedes foca nos trinta milhões de brasileiros que têm renda segura e vida financeira estabilizada. O que fazer com os 180 milhões que restam?

Na nova politica econômica não há ABSOLUTAMENTE NADA para essa população de adultos, velhos, jovens e crianças, é como se ela não existisse, ou pior anda, um estorvo.

Qual o foco da política econômica de Paulo Guedes? São os trinta milhões de brasileiros que têm renda segura e vida financeira estabilizada, e os demais 180 milhões?

São 60 milhões de desocupados, a soma dos desempregados do mercado formal mais os que desistiram de procurar emprego mais os subempregados mais os autônomos biscateiros. Precisa de confirmação? São 64,3 milhões com ficha suja no SERASA, o pobre só perde o credito quando NÃO tem mais nenhuma renda. Por qualquer lado que se olhe a imensa massa da população brasileira está mal de vida. Qual a mensagem do plano Paulo Guedes para eles? Virem-se, você não estão no radar, não há nenhuma política para os pobres, ao contrário, vamos cortar o máximo em seguro desemprego, bolsa família, aposentadoria por invalidez.

Ministro da Fazenda precisa ter vasta visão de Pais, de Estado, de povo, de geopolítica, não pode ser um mero operador de bolsa, câmbio e juros. Essa pequenez que aflige hoje o mundo econômico brasileiro com colocação de empresários com foco micro em funções que exigem visão macro e especialmente uma noção de Estado, que é muito diferente de mercado.

O Estado inclue a totalidade daquilo que se considera NAÇÃO, inclui a memória do passado, a História do País, a população presente, as gerações futuras, o Estado não é somente um acerto de contas orçamentarias, é muito mais do que isso.

A situação dos pobres para 2019

É visível a olho nu, não é preciso o trabalho profissional do IBGE, para se notar o avanço da miséria, dos desajustes sociais, da desesperança da população brasileira mais carente, desde a classe C que teve no passado emprego e uma perspectiva de melhora de vida, até os muito pobres ou miseráveis, das classes D e E não só em um arco geral, mas especialmente nas faixas mais jovens. Um vasto contingente de 20 milhões de indivíduos entre 14 e 24 anos sem escolaridade adequada, sem treinamento profissional, sem apoio mínimo para ter alguma perspectiva de futuro. Essa população tinha esperança entre 1950 e 1980, hoje não.

Na nova politica econômica não há ABSOLUTAMENTE NADA para essa população de adultos, velhos, jovens e crianças, é como se ela não existisse, ou pior anda, um estorvo.

O “dream team” dos “Chicago boys” do projeto Paulo Guedes é muito mais pro-mercado do que os economistas do Real, que apesar de neoliberais tinham uma certa visão de Pais.

Os “Chicago Boys”, portadores de uma teoria econômica inteiramente superada e desconsiderada nos EUA de hoje, fazem questão de não ter visão social alguma, seu inimigo é exatamente o Estado, um ente que para eles nem deveria existir. São inimigos do Estado, no limite eles pretendem que o País não precise de Estado para existir, tampouco reconhecem diferenças entre os países que desenvolveram um estágio maior de economia de mercado, Inglaterra e EUA e países de outra formação histórica como o Brasil, Índia, Rússia e China, onde o Estado tem uma forte raiz construtiva . O Brasil teve Estado antes de ter povo e o Estado é quem criou o País em 1822. Uma outra trajetória que é muito diferente dos Estados Unidos, onde o povo chegou antes do Estado, são formações diferentes.

A cultura da competição, lastro filosófico do neoliberalismo, tem pés de barro no Brasil. O Plano Real criou toda uma aura de desejada competição no setor bancário, com a vinda de bancos estrangeiros como arautos da concorrência. Nada aconteceu. O mercado bancário nunca foi tão cartelizado como hoje no Brasil, após a liquidação dos bancos estaduais sob o pretexto do “Estado mínimo” e com a esperança de que só com bancos privados haveria mais concorrência.

O mesmo aconteceu no mercado de combustíveis, acabou o tabelamento histórico, sob o pretexto de aumento da competição, com o que se cartelizou o mercado pelo qual os preços sobem quando a cotação internacional do barril e do dólar sobe, MAS os preços não caem na contramão. De Setembro a Novembro o preço da gasolina na refinaria caiu 46 centavos e nas bombas cai no máximo 4 centavos. Essa é a competição neoliberal em terreno construído por outra lógica cultural onde a moldura de regência tem peso essencial.

A regulação do Estado é fundamental nas sociedades que tem histórico de berço onde não existe o DNA de competição pura do estilo inglês e americano. Essa realidade é reconhecida na Europa continental e se projeta para a América Latina. Querer impor a ferro e fogo uma cultura neoliberal de corte anglo-americano, sendo outras as bases culturais, jamais dará certo. O risco é a importação do pior dos efeitos do neoliberalismo selvagem sem nenhum de seus benefícios civilizatórios. Importa-se os defeitos e as qualidades não se impõem por falta de ambiente cultural e aceitação social, os atavismos são terríveis instrumentos da realidade.

O poderoso Estado Americano

A Escola de Chicago foi desmontada duas vezes na história econômica dos EUA. Na sua primeira fase, em 1929, quando seu grande mentor, Irving Fisher, disse duas semanas antes do “crash” de 24 de outubro de 1929 que a “economia americana nunca esteve tão Sólida”. Isso dias antes da maior crise econômica do século até aquela semana. Desmoralizado, Fisher desapareceu do mapa. A segunda Escola, a de Milton Friedman, foi desmontada na crise de 2008, causado pelo “livre mercado” e resolvida pelo Estado, desconstruindo a mística.

Mas é bom frisar que a Escola de Chicago e suas vertentes nunca foram unânimes nos EUA, nem no seu apogeu nos anos 70 e muito menos agora. As escolas de economia da costa leste, chamada de “salt water schools”, especialmente MIT e depois Harvard, têm hoje muito maior prestigio intelectual do que a Escola de Chicago. Incensada por saudosistas brasileiros, nos EUA de hoje ninguém mais leva a sério suas derrotadas lições. Até mesmo a eleição de Trump, no conceito brasileiro um nacionalista econômico, é contraponto às ideias neoliberais.

Na verdade a História dos EUA teve sempre um forte e sólido Estado a amparar a economia.  Hoje todo o setor agrícola americano existe pela mão do Estado através de subsídios em larga escala, seguro agrícola suportado pelo Estado, credito à agricultura dado pelo Estado (Commodity Credit Corp.). O enorme incremento do etanol de milho produzido nos EUA só existiu por causa de um super subsidio do Tesouro americano, sem o que o etanol de milho é inviável economicamente. Mas o Estado americano subsidia por razões estratégicas.

Todo o setor de hipotecas de habitação popular nos EUA é estatal, assim como maior parte da geração de energia hídrica (TVA), os trens de passageiros (Amtrak), os aeroportos, portos, transportes coletivos nas metrópoles, bem como saneamento, água e esgoto, rodovias pedagiadas, são estatais, não sob a forma de empresas, mas sim como “entes públicos” com o nome de “Authority”.

A presença estatal na economia americana é ENORME, ao contrário do que inventam os “Chicago boys” brasileiros. Hoje, longe de serem “boys”, são velhotes bem gastos e de mente antiquada, démodés, vivem do passado de glórias dos tempos de Pinochet no Chile dos anos 70, apogeu da Escola de Chicago até a queda do então Ministro da Economia Sergio de Castro. Quando o próprio Pinochet viu o estrago que os Chicago boys causaram, mandou prender o ex-Ministro Castro e reverteu sua politica econômica.

A questão do Ajuste Fiscal

O déficit primário da União e dos Estados no Brasil é causado por dois fatores: o NÃO crescimento que derruba a arrecadação fiscal enquanto as despesas de custeio são constantes e crescentes e os monumentais gastos de vencimentos e de aposentadoria e pensões da elite do funcionalismo dos três poderes, gastos que crescem a taxas muito maiores que os demais custeios do Estado, tomando parcela cada vez maior dos orçamentos.

Nenhuma dessas causas dos déficits fiscais se deve aos pobres. As despesas típicas para essa parte majoritária da população não só não crescem como diminuem na União e nos Estados.

Nas propostas de “ajustes fiscais” os alvos não são as elites do funcionalismo e sim as verbas típicas da pobreza como seguro desemprego, bolsa família, auxílios doença, aposentadoria rural mais as verbas de saúde publica e educação.

Já no conjunto da economia, é a gigantesca despesa de juros da divida publica o maior dispêndio do custo geral do Estado, seus beneficiários são os bancos e os rentistas, a camada mais alta da população brasileira, que estão nos 30 milhões do grupo de padrão de vida elevado, consolidando a concentração de renda tanto pelos salários e aposentadorias da elite do funcionalismo como pelos rentistas que auferem renda do sistema financeiro.

A ausência de um plano de emergência para recuperação da renda

Sem aumento da renda da massa da população não haverá demanda nova para justificar investimentos na produção de bens e serviços. O novo investimento privado só virá quando a capacidade ociosa, hoje existente na indústria, for ocupada. No setor de cimento, bom para medir a ocupação da indústria, a capacidade não usada é de 60%. As indústrias só investirão quando ocupada toda sua capacidade em um turno e numa segunda fase se partirá pra um segundo ou terceiro turno sem investimento físico.

Só quando se esgotar o aproveitamento das linhas usando o mesmo equipamento e instalação e houver indicadores sólidos de maior demanda é que ocorrerão novos investimentos em capital físico e isso hoje está longe de acontecer. Reformas, restabelecimento da confiança e outros indicadores de mercado financeiro não são suficientes como gatilho de crescimento da economia, que irá patinar com pequenas oscilações de índices, comemorados como “inicio de um novo ciclo”, o que não são. Oscilações milimétricas dentro de uma recessão são a regra, nada é constante em economia, mas isso não indica por si só um novo ciclo de crescimento como a toda hora a mídia econômica faz, com “fake News” sobre novo crescimento inexistente.

Um modelo econômico fracassado

O atual modelo econômico instalado em 1994 com o Plano Real completa 24 anos com um DÉFICIT NOMINAL, isso é o déficit primário mais a conta de juros da divida publica, de 7,5% do PIB. A divida pública cresce TODO ANO à razão desse mesmo déficit, já chegando nos 80% do PIB, que por sua vez não cresce há 4 anos. Não há prova maior de fracasso.

Todo o ajuste fiscal apontado, cortando-se o máximo possível de despesas, não resolverá essa equação. Trata-se um modelo inadequado para um País que precisa crescer, não funciona.

O modelo está assentado em um alicerce errado as “metas de inflação” como eixo central de toda a economia, engessando qualquer possibilidade de crescimento natural pelo aumento da demanda. O modelo impede o uso da politica monetária para geração de renda que antecede a demanda e esta gera o estímulo ao investimento, sem o aquecimento da demanda não há porque haver crescimento. É a demanda que puxa o investimento e não o contrário.

Para quê construir fábricas se não há demanda porque a população sem renda não tem poder de compra nova?. A economia hoje se sustenta pela camada que tem boa situação de emprego e renda, 30 milhões de pessoas, camada que não cresce há anos. A demanda nova teria que vir dos 180 milhões de brasileiros de baixa ou nenhuma renda. Mas não há nenhuma politica para esse imenso contingente sair do lodo do desemprego, da desocupação e do desalento.

“O ÚNICO CAMINHO DO CRESCIMENTO É A INCLUSÃO DE 180 MILHÕES COMO CONSUMIDORES, FOI ESSE O CAMINHO DO CRESCIMENTO DE 7 e 8% AO ANO DA ÍNDIA E DA CHINA. O PLANO GUEDES NÃO PREVÊ NENHUM PROCESSO NESSA DIREÇÃO”.

André Araújo, Jornal GGN

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2018/12/paulo-guedes-brasileiros-politica-economica.html

4.12.18

"Mais Médicos" está ameaçado, diz Drauzio Varella

 

Do dia para a noite, 8 mil cubanos abandonaram suas vagas no Programa Mais Médicos, deixando desassistidas as áreas mais vulneráveis do País. Para o médico Drauzio Varella, um dos mais renomados do Brasil, o Mais Médicos foi "o programa de interiorização de maior alcance e duração" já desenvolvido e agora está ameaçado.

"Acho que o defeito foi ter deixado o programa na mão do governo de Cuba, porque podiam a qualquer momento romper o acordo, como de fato aconteceu", afirma Drauzio.

Na entrevista a seguir, ele diz que o perfil dos médicos formados no Brasil - de classe média alta e predominantemente feminino - dificulta a fixação do profissional nas regiões do País que mais precisam. "Você acha que essas pessoas de classe média alta vão querer ir para esses lugares? Você tem uma filha, paga caro na faculdade dela, você quer que ela se forme para trabalhar no sertão de Alagoas?"

Qual é sua visão geral sobre o Mais Médicos?

O Mais Médicos foi o programa de interiorização de maior alcance e duração. Nunca um programa alcançou tantas pessoas em território nacional e durou tanto tempo. Acho que o defeito foi ter deixado o programa na mão do governo de Cuba, porque o acordo podia ser rompido a qualquer momento, como aconteceu. E daí você tem mais de 8 mil médicos para substituir.

Primeiro, surgiu essa situação com as declarações do presidente (eleito) dizendo que os médicos eram ruins, que o programa era só para dar dinheiro para Cuba. E então, tiraram todo mundo de uma vez. Eles não podiam ter pego a gente de "calça curta". Foi aberto o concurso, preencheram aproximadamente 90% das vagas, e acham que foi um sucesso. Só que muitos fazem o concurso, se apresentam, se inscrevem e depois não vão. Ou não gostam da cidade para a qual foram designados, e uma série de outros problemas. Outros já trabalham no Estratégia Saúde da Família e largam para ter um salário melhor, o que desfalca o programa. Precisamos entender que tem muito chão entre fazer inscrição no programa e realmente conseguir ser designado para começar a trabalhar.

A solução de trazer médicos de Cuba foi inteligente?

Deixando de lado a parte política e a questão sobre se está certo você mandar dinheiro para Cuba ou não, acho que foi uma solução possível. Não tínhamos médicos nesses locais.

Mas quando o programa foi lançado, em 2013, já não havia um número de brasileiros suficiente para cobrir esses lugares?

Nós temos um contingente de médicos brasileiros suficiente para atender o País inteiro - são quase 500 mil médicos -, mas o problema é a concentração. Eles estão em São Paulo, Rio e nos grandes centros.

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, colocou em questão a qualidade do médico cubano. Ele é capacitado para trabalhar aqui?

Em Cuba tem um curso de quatro anos e, pelo meu entender, prepara para as coisas básicas. Para dar cuidados básicos você precisa ter um médico com formação em clínica médica e saúde da família, que é o que falta aqui. Nós não temos médicos preparados nessa área porque o pessoal não se interessa, eles querem fazer especialidade. O fato é que não tínhamos esses 8 mil médicos brasileiros dispostos a ir para esses lugares.

Mas agora eles subitamente se interessam?

Quantas faculdades de Medicina abrimos desde o Mais Médicos? É um número muito grande. Atualmente formamos 20 mil médicos por ano. Vamos aumentar nos próximos seis anos e chegaremos a 38 mil médicos por ano. Você tem agora mais gente pra concorrer às vagas, ainda mais com o salário de R$ 11 mil reais em meio a essa crise. A questão hoje é que a maioria das faculdades de Medicina é particular e a maioria dos estudantes é mulheres, isso quer dizer que o perfil mudou.

Tem faculdades que custam R$ 8 mil, R$ 10 mil, até R$ 15 mil por mês. Quem está cursando essas faculdades é, no mínimo, a classe média alta, alunos que se formam gastando esse dinheirão. Você acha que essas pessoas de classe média alta vão querer ir para esses lugares? Você tem uma filha, paga caro na faculdade dela, você quer que ela se forme para trabalhar no sertão de Alagoas?

Os cursos são bons no Brasil?

Não. É isso que eu acho engraçado, eles ficam falando da formação dos cubanos, mas não falam da dos brasileiros. Essas faculdades estão abrindo por interesses econômicos. Os cubanos que prestaram o Revalida tiveram o mesmo índice de aprovação que os não cubanos.

Você acha que o Mais Médicos está ameaçado?

Acho. Um programa de interiorização em que você tira 8 mil médicos de um dia para outro, é o início de um drama. Ninguém estava preparado.

Se fosse pra ser bem feito, teria que ter um planejamento.

Lógico. E também tem a sacanagem de Cuba, que não pode ser eximido da responsabilidade. Precisava ter dado um prazo. Isso mostra que eles não estavam interessados na saúde do povo brasileiro.

Mas você acha que teve uma inviabilidade do presidente novo?

Sem dúvida. Os cubanos poderiam ter dito que não se dariam bem com o presidente, que não haveria entendimento. Mas deveriam ter pensado nas pessoas que estão sendo atendidas, ter fixado uma data.

Você conhece o Luiz Mandetta, escolhido por Bolsonaro para ser ministro da Saúde?

Não conheço. Ele fez uma declaração sobre aids que desgostou o pessoal da área (Mandetta disse não acreditar na eficiência de campanhas de prevenção realizadas em escolas e postos). Mas devemos aguardar, pois ele nem assumiu ainda.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Lido em: https://www.jb.com.br/pais/2018/12/961490-mais-medicos-esta-ameacado--diz-drauzio-varella.html

3.12.18

Culpa pela fuga de latino-americanos da 'miséria e horrores' é dos EUA, diz Chomsky

 

Enquanto o presidente estadunidense Donald Trump tolera o uso de gás lacrimogêneo contra migrantes na fronteira mexicana, o linguista e filósofo Noam Chomsky disse que os ex-presidentes dos EUA são aqueles que tornaram as condições tão ruins na América Latina que obrigam as pessoas a fugir.  Falando ao programa Democracy Now, Chomsky culpou Washington por tornar as coisas terríveis o suficiente para que os moradores de certos países latino-americanos sintam que não têm outra escolha senão tentar partir para uma vida melhor – boa parte das vezes rumo aos EUA.

O renomado linguista e professor, que completará 90 anos no próximo mês, observou que a maior parte dos migrantes na caravana é de Honduras — e há uma razão para isso. Ele explicou que, em 2009, um golpe militar derrubou um "presidente levemente reformista" em Honduras e o governo de Barack Obama se recusou a condenar a medida.  "Uma eleição fraudulenta ocorreu sob a junta militar — mais uma vez, duramente condenada em todo o hemisfério, na maior parte do mundo, mas não nos Estados Unidos. O governo Obama elogiou Honduras por realizar uma eleição, indo em direção à democracia e assim por diante. Agora as pessoas estão fugindo da miséria e dos horrores pelos quais somos responsáveis", declarou Chomsky.

O filósofo de 89 anos acrescentou que os imigrantes da Guatemala e El Salvador também têm motivos para fugir. Esses países, juntamente com Honduras, "estiveram sob severa dominação norte-americana, muito atrás, mas principalmente desde os anos 80".

Ele prosseguiu explicando que há uma "incrível charada" acontecendo — "pessoas pobres e miseráveis" estão fugindo do terror e da repressão infligidos pelos EUA, "e em reação eles [governantes estadunidenses] estão enviando milhares de soldados para a fronteira".  Chomsky afirmou que o governo Trump tem uma "notável campanha de relações públicas", que assusta grande parte dos EUA em acreditar que está à beira de uma invasão de terroristas do Oriente Médio que entraram na caravana.

A coisa toda, ele diz, é uma reminiscência de um movimento feito pelo ex-presidente norte-americano Ronald Reagan, que usou uma retórica medonha em meados da década de 1980, quando procurava obter apoio para guerrilhas que combatiam o governo nicaraguense.

Mais de 7.000 migrantes estão atualmente esperando cruzar a América. Quase 6.000 desses estão sendo alojados em um complexo esportivo em Tijuana, no México. Enquanto isso, cerca de 1.000 imigrantes tentaram romper a cerca próxima a Tijuana no domingo, depois que a passagem da fronteira foi temporariamente fechada. Agentes de patrulha de fronteira usaram gás lacrimogêneo, um movimento que Trump apoiou.

Era uma "forma muito pequena do próprio gás lacrimogêneo", disse o presidente dos Estados Unidos durante uma manifestação no Mississippi, acrescentando que seu uso é "muito seguro".

Lido em: https://br.sputniknews.com/americas/2018112912797199-culpa-eua-migrantes/

COBRA - "BREVE ATUALIZAÇÃO DA SITUAÇÃO" - 30.11.2018

 

Destaques:  ... a cabala  percebendo que está perdendo cada vez mais  terreno,  não pretende facilmente aceitar sua derrota e recentemente, na Califórnia, utilizou armas de energia dirigida (DEW) para uma massiva incineração de pessoas vivas...  a diminuição da atividade solar está conduzindo  a uma nova mini era glacial muito rapidamente, que pode acontecer em alguns meses...

Continua a remoção do grupo chimera. Existe muita atividade extremamente positiva nos bastidores, todavia, nada pode ser publicamente revelado, uma vez que é necessário haver absoluto silêncio de rádio sobre as operações atuais das Forças da Luz. Permitam apenas dizer que, quando houver resultados, todos saberão e irão experimentá-los. 
Por outro lado,
a cabala  percebendo que está perdendo cada vez mais  terreno,  não pretende facilmente aceitar sua derrota e recentemente, na Califórnia, utilizou armas de energia dirigida (DEW) para uma massiva incineração de pessoas vivas:
https://prepareforchange.net/2018/11/16/california-fires-the-nwo-agenda-21-2030-latest-incriminating-evidence-videos/
https://www.youtube.com/watch?time_continue=1&v=0apSNjcoSwY

O objetivo oculto por trás desse assassinato em massa, foi perpetrar um sacrifício com fogo, para criar um vórtice de anomalia negativa, com o propósito de atrair mais da anomalia cósmica primária ao planeta Terra e, assim,  prolongar seu controle planetário.
A verdade é que fora do nosso planeta resta muito pouco da anomalia primária, com as forças das trevas estando cada vez mais privadas de se reabastecer de seus recursos de plasma anômalo e entidades negativas que adentravam no planeta Terra, através, dos túneis de Set. Existe uma enorme guerra de informações sobre o status do plasma e da anomalia ao redor do nosso planeta, ficando muito difícil obter informações confiáveis. Agora, parece que a maior parte da anomalia restante que está vindo para a Terra ser proveniente da nuvem negra de Touro:
https://en.wikipedia.org/wiki/Taurus_Molecular_Cloud

Agora, as Forças Extragalácticas da Luz, rapidamente, estão limpando toda a anomalia restante da nossa galáxia. A maior parte da assistência extragaláctica é proveniente do Superaglomerado de Virgem: 
https://en.wikipedia.org/wiki/Virgo_Supercluster

Especialmente da galáxia M 87, cada vez mais, diretamente, envolvida na liberação de nosso planeta e na remoção dos últimos vestígios da escuridão de nosso Universo:
https://en.wikipedia.org/wiki/Messier_87

Resumindo, mudanças drásticas estão acontecendo em nosso Universo e, quando essas mudanças atingirem a Terra, a transformação será massiva.
Primeiro,
a diminuição da atividade solar está conduzindo  a uma nova mini era glacial muito rapidamente, que pode acontecer em alguns meses:
https://www.zerohedge.com/news/2018-11-14/mini-ice-age-looms-nasa-scientist-warns-lack-sunspots-could-bring-record-cold
https://observernew.blogspot.com/2018/11/the-true-driver-behind-earths-climate.html#more

Felizmente, existe um ciclo Galáctico maior que poderá substituir este ciclo solar dessa era glacial, antes que possa acontecer e reverter essa tendência, mas que, inevitavelmente, levará ao que algumas pessoas chamam de “Flash Solar” que,  na verdade, é uma Superonda Galáctica, levando ao Evento:
https://www.sementesdasestrelas.com.br/2015/07/cobra-portal-2012-onda-galactica-do.html

Até então, podemos ir estudando os planos das Forças da Luz:
https://www.xekleidoma.info/plans.html
https://www.xekleidoma.info/duality.html

Vitória da Luz!

COBRA – COmpression & BReAkthrough (Compressão e Ruptura).

Lido em: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/11/cobra-breve-atualizacao-da-situacao.html

30.11.18

Guia prático para sobreviver na selva bolsonarista

 

Manual de sobrevivência na selva bolsonarista: máscaras e coturnos marcam época que mistura Trump e Pinochet. Em meio à mistificação, é preciso manter o princípio da credibilidade, da seriedade e do respeito a si mesmos e a outrem

(Flavio Aguiar, Blogue do Velho Mundo)

Na semana passada participei de um debate na Universidade Livre de Berlim que, partindo de questões literárias, terminou por entrar por reflexões sobre a atual situação brasileira. Houve depoimentos candentes sobre o clima de perseguição e violência contra a dissidência ao candidato vitorioso, Jair Bolsonaro (PSL), e sua trupe que se implantou durante a eleição e que tende a se intensificar depois da posse.

Relatos variaram da desarticulação dos programas sociais desenvolvidos durante os governos de Lula e Dilma (como o de apoio às cisternas no Nordeste), imediatamente posta em prática pelo governo Temer, passando pelos conflitos familiares e perseguição desde já a professores, estudantes, até de estupros de mulheres simplesmente porque apoiaram o outro candidato.

No debate e depois dele me veio então a ideia de escrever um manual de sobrevivência na “selva bolsonara“.

Expectativas

Em meio a tantas idas e vindas, voltas e contravoltas da “transição“, uma coisa é clara: o governo de Bolsonaro será uma grande mascarada. A campanha já foi. O governo vai estender, ampliar e aprofundar o estilo.  Em primeiro lugar trata-se de mascarar o passado; em seguida, o futuro. Para tanto vai ser necessário mascarar indefinidamente o presente.

Mascarar o passado

A ambição do projeto em torno do qual Bolsonaro e sua “equipe” gravitam é mistificar o passado, impondo a ideia de que a ditadura de 1964 a 1985 foi um período idílico entre governo e povo, baseado na ideia de prosperidade com segurança. Vão varrer para debaixo do tapete todas as crises e percalços do regime, não apenas no sentido de edulcorar a repressão.

As crises econômicas de 66/67, o brutal endividamento externo, a falência em ler o que viria a ser a crise do petróleo a partir da guerra de 1973 no Oriente Médio, a transformação do sonho da casa própria no pesadelo da prestação e da inadimplência, o afogamento do ensino público e outras mazelas serão simplesmente negadas.

Em consequência deste delírio seria necessário mascarar tudo aquilo que foi conquista da Constituição de 88, e o período de conquistas sociais vivido durante os governos de Lula e o primeiro de Dilma. Sem falar na presença soberana da política externa brasileira.

Tudo isso vai ser jogado para debaixo do tapete da “maior corrupção que atingiu o país“, e também da cobertura fornecida pela falácia anacrônica da “ameaça comunista“, que é um dos poucos fios comuns que unem o coral desencontrado que é a “equipe” do futuro governo, onde, curiosamente, o general Mourão vem despontando como uma “voz ajuizada”.

Mascarar o futuro

Dois dos “sonhos” (na verdade, pesadelos) preferidos da “equipe“, cujo “coach” é o delirante Olavo Carvalho, são: 

A. realinhar a política externa do Itamaraty e do país como um todo, em torno da visão de Trump e dos Estados Unidos como os messias que salvarão o Ocidente da débâcle diante do “comunismo” e dos perigos “muçulmano” e outros;

B. enquadrar a juventude através de uma doutrinação ideológica e partidária no ensino, da creche à pós-graduação, que a vacine contra a possibilidade do temido “retorno das esquerdas” e seus “temas conexos“, ou seja, temas “comunistas” e “deletérios“, como igualdade de gênero, combate à homofobia e outros preconceitos etc.

Além disso, será necessário mascarar todas as crises futuras como “futuras aberturas para um melhor destino“. O eventual “desemprego” passaria a se chamar de “liberdade“; a fome, a falência da saúde pública, serão rebatizadas como “correção dos rumos estatizantes” e por aí irá. A doutrinação ideológica unidimensional será rebatizada como “liberdade de expressão e pensamento” contra a ideologia “estatizante“, “comunista” e “destruidora da família“. E assim por diante.

Mascarar continuamente o presente

Os primeiros momentos do governo Bolsonaro prometem ser uma montanha russa de sobe-e-desce, trepida-trepida, balança mas não cai, ou cai e aqui e ali, em quase todas as frentes. Por exemplo, e dos menores, da busca de uma tecnologia de ponta passaremos a uma tecnologia pontuda, com possível propaganda de travesseiros, com o ministro-astronauta.

Haverá trombadas com o Congresso, prováveis turbulências internas e externas com a nova política externa “de cabeça erguida“, conforme o futuro chanceler, mas ao mesmo tempo com ela enfiada na areia do anacronismo anticomunista, na obtusidade dos aspectos mais retrógrados do trumpismo, e assim por diante.

Na economia, viraremos porquinhos de laboratório das experiências mais radicais de neoliberalismo desde Pinochet. Vão privatizar até a cadeira do presidente.

Tudo isto só vai se manter de pé, ou de quatro, através de uma brutal repressão em todos os sentidos. Vai começar pela criminalização dos movimentos sociais, tipo MST, MTST. Vão tentar, com ajuda da tigrada da toga, aleijar ou extirpar definitivamente o PT da cena política.

Nas universidades, nas escolas, na saúde pública, haverá perseguições implacáveis. Com aluda da alcateia de oportunistas, haverá a instituição da delação premiada contra terceiros. Como houve na ditadura: nas universidades grupos de docentes denunciavam outros grupos de “inimigos” para ocupar cargos de direção, favores internos, fluxo financeiro, etc.

Todo fracasso será revestido com a capa do sucesso. As redes sociais regurgitarão e vomitarão sucessos. O que não for sucesso “ainda” será creditado à herança maldita dos governos no PT. Haverá ajuda nisso, pelo menos na parte econômica, por parte da mídia mainstream tradicional, que será domesticada. Vão aprovar, como vaquinhas de presépio, a criminalização dos movimentos sociais, a perseguição ao PT, a repressão aos dissidentes.

Haverá vagidos débeis contra os aspectos mais abstrusos da política governamental, por exemplo, na Folha de S.Paulo. Vamos ver até onde aguentam. Ainda não sei como tentarão controlar a internet e dobrar a mídia alternativa e seus jornalistas, mas isso virá.

Esqueçam políticas de proteção ao meio ambiente. As ONGs e partidos de extrema-esquerda, que ajudaram a criticar acerbamente os governos petistas, terão lágrimas de sobra para chorar o leite derramado e as florestas esturricadas. Mas isso vai ser mascarado como “ordem e progresso“. Enfim, nosso inferno vai ganhar muitos matizes.

Entre eles o das novas disputas sucessórias que já estão começando.

Pós-Bolsonaro

Há, visivelmente, desde já, três projetos em marcha. O mais vistoso é o de Moro, amealhando o aparato judicial e policial disponível. Faz parte deste projeto manter Lula na cadeia, como cereja do bolo, e destruir a “máquina de corrupção do PT“, a “maior da história do Brasil“. (Jomarion...mentiras, calúnias, injúrias e injustiças que darão um grande retorno cármico para eles e para o país)

Vai haver o industriamento em escala industrial da pressão sobre o aparato político, em particular o Congresso. Ponto forte: terá o apoio da tigrada da toga. A ver se empalma o “acaudilhamento” da PF e arredores. Ponto fraco: Moro agora é vitrine, e está perdendo prestígio na seara internacional rapidamente.

Há o projeto Bolsonaro. Dizer que não pretende a reeleição é algo que tem nariz comprido e pernas muito curtas. Ainda mais com a prole que tem, tão ávida quanto descalibrada.

Ponto forte: está na Presidência. Ponto fraco: ele mesmo, inseguro, instável, despreparado, sujeito a chuvas internas e trovoadas externas que o deixam tão assustado como quando deveria ir a um debate na Globo e nunca foi.

Correndo por fora, há o “ajuizado” Mourão. Pode ganhar a simpatia da caserna, é seu ponto forte. Pode ser visto como o porta-voz da caserna, é seu ponto fraco. O meio financeiro e empresarial pode não gostar. Idem, o meio financeiro internacional e estadunidense, que desde a Guerra das Malvinas olha o meio militar latino-americano com desconfiança e desde o fracassado golpe contra Hugo Chávez em 2002 com desdém.

Haveria outras candidaturas, por ora, previsíveis com novos nomes do velho sistema, mas ironicamente buscando colar-se no rótulo de “nova política“, “antissistema“, e num previsível fracasso econômico. Doria, Amoêdo, Witzel, Zema são nomes que passaram a “existir“.

Autodefesa

Não esperemos qualquer ajuda por parte de instituições jurídicas, a não ser patetices apatetadas oriundas de seus escalões superiores.  Haverá ajuda internacional sim, mas de efeito limitado.

Temos de contar com o fato de que se houve, e houve, manipulação da informação e de consciências por parte das equipes virtuais da campanha de Bolsonaro, com certeza uma grande parte dos que nele votaram ouviram, nestas mentiras que lhes foram servidas via Facebook, WhatsApp etc., exatamente aquilo que queriam ouvir para justificar seu voto pelo embrutecimento político, para justificar aquilo que seu ressentimento, medo da ascensão dos “outros“, das “outras” e de tudo mais, sua sensação de desamparo, exigiam que fizessem.

Quando um erro ético dessa monta é cometido, a primeira tendência é afincar-se a ele. Depois, esquecer o que foi feito. Quando a onda Bolsonaro passar, e ela vai passar, vamos ouvir, de milhões de corações pulsantes: “Votei em Bolsonaro? Eu não!! Como você pode imaginar isso de mim, que sempre defendi a democracia?” etc.

Portanto, preparemo-nos. As amizades perdidas não se recomporão. Ou pelo menos muitas delas. As vozes familiares não se reconciliarão, pelo menos durante muito tempo.  Como dizia alguém, “hay que endurecerse, pero sin perder la ternura jamás“.

A primeira coisa a fazer é manter o equilíbrio interno, e não ceder à tentação de imitar o comportamento dos bolsonaros. Vi horrorizado o vídeo da professora em Brasília gritando palavrões e impropérios enquanto o “eleito” passava em direção ao centro do processo de transição. Entendo a raiva e o desabafo. Mas não é por aí. Vejo também com preocupação a atitude de amigos e correligionários que propagam mensagens e informações sem checar sua procedência e veracidade. Temos de manter o princípio da credibilidade. Da seriedade. Do respeito a si mesmos e a outrem.

Segundo, é preciso organizar-se. Evitar ações individuais e voluntariosas. Valorizar a informação compartilhada. Valorizar a mídia alternativa. Evitar a militância depressiva. Alertar sobre perseguições, descalabros, violências, sim, mas também, e principalmente, sobre resistência, alegria, humor, reação ao fascismo. Valorizar as formas coletivas de resistência, de organização, mídias, sindicatos, associações de todos os tipos, organizar comitês de defesa da democracia em todos os quadrantes.

Estudar história. A pior sensação que as ditaduras transmitem é de que serão eternas. Não, elas passam. A de 64 passou. Agora tem gente querendo traze-la de volta. É uma minoria. São ditadores de pijama. Há muito outros, milhões, que embarcaram, mistificados, nesta canoa. Vai ser duro, mas poderão ser ganhos para a causa democrática. Assim como os e as abstencionistas. Os pequenos e as pequenas Pilatos e Pilatas. Poderão crescer.

Voltaremos ao assunto. Por ora, pensemos como Mário Quintana
Esses, que hoje Atravancam meu caminho, Eles passarão. Eu passarinho.

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2018/11/guia-pratico-sobreviver-bolsonarista.html

A Nova Era Começa

"DEPOIS DE 250 ANOS, ACABA O DOMÍNIO ROTHSCHILD E UMA NOVA ERA COMEÇA"

 

Benjamin Fulford - 26.11.2018

Em 24 de Outubro de 2018, o anuncio dado pela Rothschild & Co de que estaria saindo do negócio fiduciário (ou seja, gerenciamento do dinheiro de outras pessoas) foi um grande e histórico ponto de virada que quase passou despercebido.
https://www.rothschildandco.com/en/newsroom/press-releases/2018/10/24/rothschild-and-co-signs-agreement-sale-of-trust-business/

Foi em 1769 que Mayer Rothschild, o fundador da dinastia, começou a administrar dinheiro para a realeza. Agora, sete gerações depois, seu descendente Alexandre de Rothschild, foi forçado a sair do negócio por múltiplas investigações criminais internacionais que estão incidindo sobre esta família criminosa, dizem fontes do Pentágono. Isso significa que, pela primeira vez em 249 anos, o sistema financeiro Ocidental está se libertando do controle financeiro dos Rothschilds.

Em particular, a prisão dos banqueiros do Goldman Sachs envolvidos no escândalo do Malaysian Development Berhad, significa que o envolvimento dos Rothschilds está prestes a ser revelado, dizem investigadores franceses e outras fontes.
https://en.wikipedia.org/wiki/1Malaysia_Development_Berhad_scandal

Esse complicado escândalo envolve Hillary Clinton, Barack Obama, a Família Real Saudita e muitos outros, todavia, a trilha leva aos Rothschilds, dizem os pesquisadores. Isso, também, inevitavelmente levará ao assassinato em massa dos voos 370/17, da Malaysian e ao incidente de chantagem nuclear do G20, disseram fontes da CIA. É por isso que os Rothschilds estão sendo forçados a sair do negócio fiduciário, de acordo com os investigadores.

No entanto, uma fonte da CIA com conexões Rothschild minimiza esse desenvolvimento, dizendo que: “A mão esquerda está vendendo para a mão direita”, apontando para esta parte do comunicado de imprensa: 
“Esta aquisição está sendo liderada por Richard Martin, executivo sênior da Rothschild & Co, com apoio financeiro de um experiente investidor.”
Em outras palavras, o ramo francês da família, sob severo ataque, passou o negócio para o ramo suíço ou britânico da família, diz ele.
No entanto, o ex-diretor de operações da CIA, Robert David Steele, diz que
os Rothschilds foram forçados a sairem do negócio de bancos centrais, apesar de terem solicitado a manutenção de um token de 5%.
https://beforeitsnews.com/v3/prophecy/2018/2501233.html

Na verdade, um sinal muito claro da queda dos  Rothschilds franceses veio, na semana passada, com a prisão do presidente da Nissan, Carlos Ghosn. Oficialmente, Ghosn, foi preso por razões fiscais, embora, a verdadeira razão para sua prisão tenha sido de carater militar, segundo fontes do Pentágono e da sociedade secreta asiática. Fontes do Pentágono dizem que a prisão de Ghosn é “uma medida para impedir a fusão da Renault com a Nissan, (enfraquecendo o Presidente francês Emmanuel)  Macron e de reduzir a influência dos Rothschilds no Japão”.

Por sua vez, Fontes da sociedade secreta asiática, mais especificamente, dizem que os franceses estavam tentando assumir o controle total da Aliança Renault/Nissan/Mitsubishi, a fim de roubar segredos militares japoneses e norte-americanos. A Mitsubishi Motors, parte da aliança automotiva Nissan/Renault, fazia parte da Mitsubishi Heavy Industries.
https://www.mhi.com/products/defense/

A MHI é a principal fabricante militar do Japão e os comandantes da Sétima Frota dos EUA organizaram a prisão de Ghosn e sua subsequente queda, para evitar que os franceses acessassem sua tecnologia, via Mitsubishi Motors, disseram as fontes asiáticas.
É bom lembrar que o ex-banqueiro Rothschild, o Presidente escravo francês, Emmanuel Macron, recentemente convocou a organização de um exército europeu para defender a Europa da “Rússia, Estados Unidos e China". Lembrem, também, de que no início deste ano o presidente dos EUA, Donald Trump, classificou a UE como o principal “inimigo” dos EUA.
https://www.cbsnews.com/news/donald-trump-interview-cbs-news-european-union-is-a-foe-ahead-of-putin-meeting-in-helsinki-jeff-glor/

Esta luta pública entre a UE e o governo dos EUA é um visível sinal da batalha em curso pelo controle mundial, colocando as 13 linhagens reais e seu estado totalitário da UE contra os Illuminati gnósticos que agora controlam o complexo militar-industrial dos EUA e contrários a essas linhagens, dizem fontes Illuminati.
Outro claro sinal desse conflito, é a enorme e violenta manifestação contra Macron, na França. Como três quartos da população francesa apoiando as atividades anti-Macron, tenham certeza de que a pressão contra esse presidente, fraudulentamente eleito só aumentará, especialmente, agora, que seus chefes  Rothschilds estão perdendo poder.

De qualquer forma, a tentativa dos franceses de roubarem segredos militares japoneses, também, colocou o Mitsubishi Group, principal patrocinador do Primeiro-Ministro japonês Shinzo Abe, contra o Ministro das Finanças Taro Aso, segundo membros do clã Iwasaki, da Mitsubishi.
A filha de Aso é casada com Alexandre de Rothschild e Aso vende direitos japoneses de água para a Veolia, uma empresa ligada ao seu genro Rothschild, dizem os direitistas japoneses. Agora, com a Mitsubishi e os nacionalistas contra, Aso é um homem condenado, dizem as fontes.


Os Rothschilds franceses, também, estavam intimamente envolvidos com o incidente do assassinato nuclear em massa e tsunami de 11 de Março de 2011 em Fukushima, de acordo com fontes da família Rothschild britânica e  da direita japonesa.
Segundo fontes da sociedade secreta asiática, outro homem condenado é o CEO da Softbank, Masayoshi Son. Exatamente qual desculpa que será usada para derrubá-lo, ainda, não está claro, no entanto, seu envolvimento com o roubo de eleições no Japão e o assassino do príncipe herdeiro da Coroa (ou, mais precisamente, seus mestres de marionetes) significa que ele está se esgotando.

Do mesmo modo, fontes da sociedade secreta asiática estão dizendo que as grandes mudanças no Japão acontecerão depois de Maio do ano que vem, quando o novo Imperador assumir formalmente o trono. As fontes explicam que o selo ou chancela especial que o Imperador possui é necessário para formalmente colocar essas mudanças em andamento. Embora as fontes fossem vagas sobre exatamente o que aconteceria, deixaram claro que
a Ásia não mais se deixará dividir artificialmente pelas intrigas do Ocidente. Assim, é bom supor que, após a unificação coreana, o retorno pacífico e amigável de Taiwan à China, também, seja uma realidade. A amizade entre japoneses e chineses, também, certamente florescerá, dizem as fontes.

Do mesmo modo, fontes da sociedade secreta asiática endossaram totalmente a visão de que
a civilização Ocidental é como uma bela mulher infectada com sífilis. A sífilis, claro, se refere à máfia khazariana. É por isso que ela apoia a campanha em andamento, para remover essa infecção do corpo político Ocidental.
O relatório de 28 páginas, no link abaixo, expondo o Conselheiro Especial, Robert Mueller e outros, é um exemplo detalhado dos crimes horríveis que a máfia khazariana tem escapado.

https://www.docdroid.net/eVAAjIq/doj-ig-memo-mueller-bribery-extortion.pdf

Esta última exposição, é apenas uma pequena parte da batalha que ainda está ocorrendo nos EUA e em todo o mundo Ocidental. A batalha continua mais feroz nos EUA com o contínuo expurgo no FBI, Departamento de Justiça,  CIA,  complexo militar-industrial, sistema político, etc.
Nessa frente, “o 'afago' ao ex-chefe da CIA e da NSA, General Mike Hayden, pode servir para silenciar os anti-Trumpers da comunidade de inteligência militar e induzir outros a renunciar ou mudarem de lado”, dizem fontes do Pentágono. Hayden foi um dos agentes por trás do assassinato em massa de Fukushima, disseram fontes da inteligência militar japonesa.
A remoção de satanistas como Hayden facilitará a limpeza do sistema judiciário dos Estados Unidos na medida em que este se prepara para lidar com as prisões em massa, disseram fontes da CIA. Aquele que não acredita que as prisões começaram, ainda, é porque não está ligando os pontos. Por exemplo, dê uma olhada neste link para ver como o estado da criminosa família  Clinton, o Arkansas, está sendo limpo.

https://www.coreysdigs.com/clinton-foundation/arkansas-swamp-bleeds-as-clintons-circle-the-drain/

Enquanto o sistema político e judiciário é limpo, os bons estão se preparando para uma guerra maciça contra a indústria “farmacêutica”, dizem fontes do Pentágono. Nesta frente, “a Big Pharma foi a primeira a receber o golpe fatal do Consultor de Precificação de Medicamentos do Departamento de Saúde e Serviços Humanos, Daniel Best, seguido pela Pfizer, que anunciou um aumento de preços para Janeiro de 2019”, disseram as fontes. “Então”, eles que continuem, “esperem que Trump e o Congresso iniciem uma abordagem de todo o governo, para esmagar o cartel de drogas”, Recomendamos que  comecem com ataques à Associação Médica Americana, antes que destruam mais evidências do que já têm.

Além disso, fora dos EUA,
a Interpol ainda será usada para caçar os khazarianos em todo o mundo, apesar do fato de que o russo, General Alexander Prokopchuk não ter sido, como erroneamente relatado na semana passada, eleito seu novo chefe, dizem as fontes do Pentágono. “A eleição da Interpol pode ter sido manipulada para favorecer um coreano a reduzir o perfil da Rússia e manter a cabala afastada”, explicam. Todavia, acrescentam: “O recém-eleito chefe Kim Jong-yang receberá ordens da inteligência dos EUA e trabalhará com o Vice-Presidente, Prokopchuk”.

Os russos, finalmente, também estão realizando ações há muito adiadas contra o falecido estado nazista na Ucrânia, ao confiscar três navios de guerra ucranianos no fim de semana. Isso levou o presidente ucraniano, Petro "Porky" Poroshenko, a declarar a lei marcial. Isto é o que uma fonte da CIA tinha a dizer sobre Porky: “Seu tempo acabou, assim como o tempo de Bibi [o Primeiro-Ministro, Benjamin] Netanyahu, de Israel. Ambos são criminosos de guerra que serão levados à justiça, de um jeito ou de outro”.

Na medida em que continua a remoção da máfia khazariana do poder mundial, podemos esperar que
dominós como Netanyahu, Macron, Porky e Aso sejam derrubados e, finalmente, levar seus mestres de marionetes, Rothschild, à justiça. Vender seus negócios de confiança é muito pouco e muito tarde para essa família criminosa. 
E, no final do dia, o mundo saberá de seu íntimo envolvimento com a Segunda Guerra Mundial, o Holocausto e muitos outros crimes horrendos perpetrados contra a humanidade.

Lido em: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/11/benjamin-fulford-depois-de-250-anos.html

28.11.18

Filho de um dos homens fortes de Bolsonaro se vangloria por ter enganado eleitores

 

André Marinho, filho de Paulo Marinho, um dos principais aliados de Jair Bolsonaro e suplente de Flávio Bolsonaro, eleito senador pelo Rio de Janeiro, admitiu que distribuiu “milhares de áudios” imitando e se fazendo passar por Jair Bolsonaro, com o objetivo de enganar eleitores e conquistar votos para o militar. No vídeo, ele aparece ao lado de Kim Kataguiri e Arthur do Val, ambos representantes do MBL, que reagem à revelação de André às gargalhas.

Primeiramente, Marinho afirma que a produtora responsável pelo material de campanha do militar ficou concentrada em sua casa. Um dia, ele mostrou imitações que fazia de Jair Bolsonaro a Flávio e afirmou que “o pessoal encomendava áudios”. Em determinado momento, ele diz: “Isso é crime eleitoral, mas estava correndo o risco”, afirmou, sob risos de Kataguiri e Do Val.

André Marinho vai além: “O mais emblemático de todos, e eu mandei milhares de áudios, foi o dia em que um amigo em comum pediu para eu fazer um áudio para os garimpeiros da Serra Pelada, que é um reduto petista. Aí eu mandei”. No vídeo, ele repete a imitação de Jair Bolsonaro que fez para os garimpeiros, pedindo apoio ao candidato do PSL. Depois disso, destaca que recebeu mais de 150 áudios de garimpeiros afirmando que votariam em Bolsonaro. E finaliza dizendo: “Devo ter virado uns 50 mil votos nesse reduto”, completa.

Problemas com a Justiça

O empresário carioca Paulo Marinho, pai de André, é um dos principais homens de confiança de Jair Bolsonaro. A casa de Marinho, no bairro do Jardim Botânico, no Rio de Janeiro, foi usada para gravar programas eleitorais na campanha e serviu como sede para a primeira reunião da equipe de transição.

Além de ser dono de uma consultoria empresarial, Carmo Consultoria, Marinho é o primeiro suplente de Flávio Bolsonaro, eleito senador. Marinho se filiou ao PSL neste ano para compor a chapa. Antes, era do Patriota.

O empresário é suspeito de ocultar um patrimônio milionário em nome de parentes. A Justiça determinou a indisponibilidade de dois imóveis, cuja propriedade é atribuída à esposa e à filha dele para quitar dívidas.

(Assista o video na Pagina Inicial)

Lido em: https://www.revistaforum.com.br/filho-de-um-dos-homens-fortes-de-bolsonaro-se-vangloria-por-ter-enganado-eleitores/

Os Chicago Boys do Chile e do Brasil

 

Com Paulo Guedes, os brasileiros serão ratos de laboratório?

Com Paulo Guedes ministro da Economia, Joaquim Levy à frente do BNDES e Roberto Castello Branco na presidência da Petrobras, são três os Chicago Boys em postos-chave e cresce a expectativa quanto à possibilidade de se tentar no Brasil um experimento neoliberal do tipo radical semelhante àquele conduzido por Ph.Ds. da Universidade de Chicago no Chile, quando do golpe militar de 1973.

A hipótese não se deve apenas, nem principalmente, à presença de rapazes com a mesma formação à frente da política econômica, mas à participação crescente de generais em postos-chave do futuro governo do capitão Bolsonaro e sua convergência com o ideário extremista manifestado pelo cada vez mais poderoso Guedes e equipe em uma simbiose civil-militar semelhante em alguns aspectos àquela ocorrida no país andino.

Em entrevista à tevê em 23 de agosto, o futuro ministro da Economia do Brasil se disse disposto a privatizar todas as empresas e os 700 mil imóveis da União para arrecadar 2 trilhões de reais, a serem usados no pagamento da dívida pública. 

Na segunda-feira 19, Guedes anunciou a criação de uma Secretaria de Privatizações para acelerar o programa de venda de ativos nacionais. Sob Pinochet, 500 empresas estatais foram privatizadas pelos Chicago Boys integrantes da equipe econômica, cortou-se o gasto público, reduziram-se os impostos sobre o capital, comprimiu-se o gasto social e o investimento público e aboliram-se as tarifas alfandegárias, liberando as importações e abrindo a economia.

A respeito deste último e crucial ponto, recorde-se que a redução unilateral das tarifas de importação e de barreiras não tarifárias foi proposta em outubro no grupo de economistas assessores de Bolsonaro e desmentida ainda na campanha.

Chicago Boys foi o apelido dado, em 1958, pelos alunos da Universidade Católica aos jovens professores recém-chegados de doutorado no Departamento de Economia da Universidade de Chicago, que, na pressa de transmitir em curto espaço de tempo o conhecimento adquirido nas aulas de Milton Friedman, entre outros mestres, não se deram muito bem como professores.

“Quisemos mudar muito rápido, os alunos protestaram e surgiu a designação “Chicago Boys”, conta o Ph.D. em economia por aquela instituição de ensino estadunidense Sergio De Castro, ministro da Economia de Pinochet de 1975 a 1976, ministro das Finanças de 1976 a 1982 e ex-professor, no documentário estarrecedor intitulado Chicago Boys, dirigido por Carola Fuentes e Rafael Valdeavellano.

A formação no exterior tanto de alunos quanto de docentes da universidade chilena era paga pela Agência Central de Inteligência dos Estados Unidos (CIA). “Que a CIA financiou os estudos dos jovens Chicago Boys e de professores da Universidade Católica para preparar um programa para o governo militar não é um rumor ou conspiração.

Isso está documentado pelo Senado dos Estados Unidos no Relatório Church”, afirma Juan Gabriel Valdés, autor do livro Pinochet’s Economists: The Chicago School in Chile, publicado em 1995 pela Cambridge University Press, referindo-se ao trabalho da comissão de inquérito criada, em 1975, sob a presidência do senador Frank Church para investigar atividades ilegais da CIA, da Agência de Segurança Nacional (NSA) e da Agência Federal de Investigação (FBI), inclusive experiências em seres humanos, violações de domicílios, interceptações de comunicações sem autorização judicial e assassinatos.

A admiração de Jair Bolsonaro por Pinochet e os elogios de Guedes e Onyx Lorenzoni à economia chilena são de conhecimento público. “O Chile, para nós, é um exemplo de país que estabeleceu elementos macroeconômicos muito sólidos, que lhe permitiram ser completamente diferente de toda a América Latina”, disse o futuro ministro-chefe da Casa Civil, de acordo com o El País.

Considerar o país andino como parâmetro faz pouco sentido. O Chile tem PIB, população, e área dez vezes menores que o Brasil. Sua superfície corresponde à metade do estado do Amazonas e a população, de 18,5 milhões de habitantes, é pouco superior à da cidade do Rio de Janeiro.

No Atlas de Complexidade Econômica da Universidade Harvard, que associa os fluxos de comércio à capacidade industrial dos países e no qual o Japão aparece como primeiro colocado, o Brasil ocupa um medíocre 53º lugar, mas o Chile tem situação ainda pior, no 64º posto.

Quase sem indústria, a economia chilena depende em 40% do cobre e, ainda, da exportação de peixes e frutas. Em que pese a desindustrialização precoce e acelerada causada pela política neoliberal de Collor e FHC e radicalizada por Temer, o País ainda conta com um parque manufatureiro diversificado e é a décima economia industrializada do mundo.

A primeira viagem internacional do presidente eleito deverá ser ao Chile, decisão que provocou estremecimento das relações entre o Brasil e a Argentina, o maior importador de produtos industriais brasileiros e destino das primeiras incursões externas de Lula e Dilma.

Guedes visitou o país andino nos anos 1980, quando da implantação da reforma da Previdência e teria ficado maravilhado com o que viu. Tornou-se amigo de Chicago Boys como Jorge Selume Zaror, ex-diretor de Orçamento de Pinochet.

A reforma chilena da Previdência não cumpriu, entretanto, vários dos objetivos estabelecidos e hoje está sob revisão. Quando o sistema de capitalização privado gerido pelas administradoras de fundos de pensão (AFP) foi criado, argumentou-se que contribuiria para elevar a poupança nacional e o investimento produtivo.

“Em contraste, as AFP, por falha do arcabouço institucional, pelas políticas econômicas correspondentes e por sua natureza financeira, comportaram-se pro-ciclicamente (agravaram as crises em vez de servir para amortecê-las, conforme prometido pelos seus idealizadores) e aportam pouco à formação de capital e ao financiamento de longo prazo do desenvolvimento produtivo”, dispara o economista chileno Ricardo Ffrench-Davies em balanço da economia do país publicado em 2017.

Em 2009, diz, segundo os dados do Banco Central, os saques das AFP equivaleram a 9,6% do PIB, volume semelhante ao que agravou a situação recessiva na crise de 1999. “As AFP têm mais de 60 bilhões de dólares no exterior. É poupança nacional que se esvai e o fez várias vezes de maneira pro-cíclica”, completa o economista.

Os civis e os militares integrantes do futuro governo brasileiro compraram a ideia de que o Chile é uma joia econômica, mas não é bem assim, mostram o exemplo da Previdência e a situação da economia. “Escuta-se com frequência que o Chile está às portas do desenvolvimento. Vejamos qual é a sua posição relativa. Em moeda comparável, ajustada por Paridade de Poder de Compra, o Chile tem um PIB per capita que em 2014 alcançava 22.346 dólares, 43% acima da média da América Latina e o maior da região.

Em compensação, seu nível representava só 41% da renda média dos habitantes dos Estados Unidos. Em relação aos EUA, a trajetória do Chile nas décadas passadas mostrou significativos altos e baixos: em 1973, alcançou 27% da sua renda per capita; ao final da ditadura, havia caído, com fortes retrocessos marcados pela profunda crise de 1982-83, a 24%”, dispara Ffrench -Davies.

Sobressai o fato, prossegue o economista, de que, “no final da ditadura, a renda per capita do Chile era inferior à média da América Latina, enquanto hoje é superior a 40% e esta evolução ocorreu inteiramente no período de crescimento com redução da desigualdade no retorno à democracia a partir do governo de Patricio Aylwin, em 1990. O Chile ainda está longe do desenvolvimento”, sublinha Ffrench-Davies.

A união dos Chicago Boys com os militares antecedeu o golpe de Pinochet e, a partir daí, aprofundou-se. Nas eleições de 4 de setembro de 1970, Allende obteve 36,61% dos votos, ante os 35,27% concedidos ao ex-presidente Jorge Alessandri, principal candidato da direita. “As ideias progressistas haviam triunfado pela via democrática, mas para fazer mudanças progressistas você precisa do apoio da vasta maioria, porque tem o poder econômico contra”, analisa Ffrench-Davies em depoimento ao documentário acima mencionado.

O que havia em comum entre os Chicago Boys e os militares extrapolava a convergência política, mostra esta passagem do depoimento do ex-ministro Sergio De Castro a Carola Fuentes:

• No dia do golpe, 11 de setembro de 1973, eu esta indo para a universidade e no caminho encontrei-me com o colega Ernesto Fontaine, o primeiro estudante da América Latina a obter Ph.D. em economia na Universidade de Chicago. Fomos à Montanha Calán e de lá vimos o bombardeio do Palacio de la Moneda.

• E o que você sentiu naquele momento?

• Ah, uma alegria infinita. Eu disse: bem, o que tinha de acontecer, aconteceu.

Oito horas depois, a sede do governo atingida por mais de 20 bombas continuava em chamas e o presidente Salvador Allende foi encontrado morto.

Durante a ditadura de Pinochet, de 1973 a 1990, mais de 3 mil cidadãos foram assassinados pelos militares, dos quais 1.102 estão desaparecidos, concluíram, em 1991, a Comissão Nacional da Verdade e o Relatório de Reconciliação.

Lá, como cá, a mídia participa de golpes. Agustín Edwards, dono do jornal El Mercurio, engajou-se tanto na articulação com os Estados Unidos e a CIA quanto nas manobras internas. Chefiava o grupo esportivo de iatistas integrado pelo Chicago Boy Emilio Sanfuentes, o militar reformado da Marinha Roberto Kelly e o almirante José Toribio Merino, todos no epicentro da mobilização.

Foi Sanfuentes quem encomendou a De Castro, em março de 1973, a elaboração de um programa econômico, registra o documentário citado acima. Concluído o trabalho, o programa volumoso o suficiente para ser apelidado de El Ladrillo (O Tijolo) foi entregue por De Castro a Kelly, que repassou algumas cópias a Merino.

Execrado mundialmente, o movimento precisava de uma fachada. Segundo Juan Gabriel Valdés, “os golpistas necessitavam estabelecer-se para os militares e internacionalmente como um regime viável. Dessa perspectiva, a presença de Milton Friedman no Chile era muito importante.

Era preciso trazer a figura exponencial da Escola de Chicago, o vencedor do Nobel de Economia de 1976, para provar que, apesar de o mundo todo rejeitar a brutalidade do regime de Pinochet, ele tinha conexões internacionais especiais que lhe davam prestígio, permitiam-lhe ter influência e transferiam credibilidade ao que eles estivessem fazendo”. O encontro aconteceu e fotos de Friedman com Pinochet rodaram o mundo.

Com a falência estrepitosa da proposta neoliberal em 2008, ficaram mais evidentes as falácias da doutrina que mesmo em seu apogeu e apesar da sofisticação matemática era vista como frágil, ideologizada e comprometida pelo senso comum, segundo muitos economistas, entre eles alguns alunos do próprio Departamento de Economia da Universidade de Chicago, como o já mencionado Ricardo Ffrench-Davies: “Assisti a muitas aulas de Friedman para ouvi-lo e ele era divertido, mas extremamente neoliberal, muito primitivo na sua visão de como a economia funcionava. Brilhante na exposição, mas primitivo nas suas propostas. Para alguém receptivo a toda essa visão antiestatal e de que o mundo dos negócios deve cuidar de tudo, o que iria permear as mentes com muita força? O modelo econômico. O mercado sabe”.

O primarismo dos Chicago Boys exposto nos depoimentos colhidos por Carola Fuentes é intrigante. Ernesto Fontaine, por exemplo, relata seu primeiro encontro com o professor de Chicago Arnold Harberger, que viria a ser uma espécie de mentor dos pupilos chilenos: “Me encantou a camisa xadrez amarela que ele usava. Este era um país de merda e essas coisas simplesmente não existiam. Eu queria comprar a camisa dele”.

Parece ter-lhe escapado que, se não existia em seu país a peça de vestuário tão almejada, não era por força do destino, mas em decorrência de o Chile praticamente nunca ter desenvolvido um setor industrial, situação que ele próprio ajudou a perpetuar com a política econômica imposta no período de Pinochet.

O Chicago Boy Rolf Lüders, ministro da Fazenda e Economia de 1982 a 1983, não se sai melhor: “Algumas pessoas ficam furiosas comigo quando digo isso, mas o grau de inveja tem de ser diminuído. Porque o problema da distribuição de renda é um problema de inveja. Eu invejo a pessoa que tem mais dinheiro”.

Um dos mais respeitados críticos da Escola de Chicago, Richard Posner, de Harvard, assim respondeu à pergunta de John Cassidy, da New Yorker, sobre o que é a macroeconomia de Chicago e o que deu errado com ela: “Voltando a Milton Friedman, havia a ideia de que a Grande Depressão era um produto de política monetária inepta e poderia ter sido evitada se o FED não tivesse restringido a oferta monetária. Isso permanece muito controverso, mas também não preparou ninguém para o que aconteceu recentemente.

A preocupação então era que o Fed havia elevado as taxas prematuramente durante a Depressão. Mas agora a preocupação é que as taxas de juro estavam baixas demais no início dos anos 2000, e foi isso que precipitou todos os problemas. Para isso, os monetaristas estavam despreparados. Quando a crise começou, o ex-presidente do Fed Ben Bernanke reduziu a taxa dos fundos federais para zero e nada aconteceu. Esse foi o ponto em que a teoria macro de Friedman, juntamente com a teoria macro de Robert Lucas, não tinha a menor ideia do que havia acontecido. Isso foi muito ruim”.

Posner prossegue: “Também, e mais interessante para mim, (a crise) colocou em questão toda uma abordagem da economia – uma que é muito formal, fazendo suposições muito austeras sobre a racionalidade humana: as pessoas têm muita informação, muita capacidade de previsão. Elas olham para a frente. É muito difícil para o governo afetar o comportamento delas, porque o mercado compensará o que ele fizer. A economia mais informal de Keynes teve um grande ressurgimento porque as pessoas percebem que, embora seja um pouco solta e não cruze todos os “tes” nem coloque todos os pingos nos “is”, parece ter maior compreensão do que está acontecendo na economia”.

Friedman foi alvo de menções nada elogiosas nos protestos populares que tomaram as ruas de Santiago e outras cidades chilenas nos últimos anos e deixaram os Chicago Boys estupefatos.

Nós não vamos descansar, temos que denunciar esta economia neoliberal... A causa da desigualdade é o neoliberalismo... Sim, para o governo sou um número… Algo cheira mal... Menos Friedman e mais Keynes” eram os dizeres de alguns cartazes empunhados pelos manifestantes.

As coisas estão bem, mas o povo não acha isso. É incrível, é incrível. É a melhor economia da América Latina e o povo não parece perceber isso”, disse um perplexo Arnold Harberger. “Não sou político, sou economista. Não sou psiquiatra e, francamente, não entendo os protestos. Fico frustrado por não poder explicá-los”, desabafou o ex-ministro de Pinochet Sergio De Castro.

“Todos os dias nos dizem que estamos às portas do desenvolvimento. Com 20 mil dólares per capita, estamos às portas do desenvolvimento. E, se você diz isso ao povo, 70% respondem: ‘Maldito, eu não sou desenvolvido. A minha casa não é desenvolvida, o meu trabalho não é desenvolvido, a educação das minhas crianças não é desenvolvida. Então há algo aqui que está se acumulando’”, resume Ffrench-Davies.

Natália Belizario

Lido em: https://www.cartacapital.com.br/revista/1031/cobaias-economicas

26.11.18

Leonardo Boff: Olavo de Carvalho "é a cabeça mais insana já produzida nesse país"

 

Professor emérito de Ética, Filosofia da Religião e Ecologia na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, o teólogo Leonardo Boff criticou a influência do “filósofo autodidata” Olavo de Carvalho na formação da equipe ministerial do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL).

“Podemos medir a cabeça do novo presidente pelas nomeações que fez a pedido de Olavo de Carvalho: o ministro das relações exteriores e o da educação. Olavo é a cabeça mais insana já produzida nesse país. Não possui formação séria nenhuma. Diz os piores palavrões como o c. de sua mãe”, tuitou Boff, sobre as indicações de Ernesto Araújo, para Relações Exteriores, e do colombiano Ricardo Vélez Rodriguez, para Educação, feitas pelo guru intelectual da família Bolsonaro.

Podemos medir a cabeça do novo presidente pelas nomeações que fez a pedido de Olavo de Carvalho: o ministro das relações exteriores e o da educação. Olavo é a cabeça mais insana já produzida nesse país.Não possui formação séria nenhuma. Diz os piores palavrões como o c. de sua mãe. (Leonardo Boff (@LeonardoBoff) 24 de novembro de 2018)

Em entrevista ao jornal O Estado de S.Paulo, Olavo disse que não tem mais nenhum ministro “no bolso” para indicar. O pseudo-filósofo também já afirmou que o único cargo que aceitaria seria o de embaixador nos Estados Unidos – apesar de, segundo ele, Bolsonaro já ter oferecido os ministérios da Cultura e da Educação.

Eduardo Bolsonaro, deputado reeleito pelo PSL, disse, após as eleições, que quer levar os parlamentares do PSL para os Estados Unidos para terem aulas com Olavo. “É nossa base filosófica”, disse o filho do presidente eleito.

Lido em:  https://www.revistaforum.com.br/leonardo-boff-olavo-de-carvalho-e-a-cabeca-mais-insana-ja-produzida-nesse-pais/

Colombiano indicado por Olavo de Carvalho é anunciado como Ministro da Educação

 

(Pragmatismo Politico)

**Observações em "rosa" são de Jomarion

Após recuos por pressão da bancada evangélica, Jair Bolsonaro escolhe o colombiano Ricardo Vélez para comandar o Ministério da Educação. Entre outras posições polêmicas, Vélez, que foi sugerido por Olavo de Carvalho (pasmem), já disse que o "golpe de 1964 precisa ser comemorado"

Ricardo Vélez, futuro ministro da Educação, é mais um nome de Olavo de Carvalho no governo Bolsonaro

Depois de muita controversa em torno do nome que seria indicado para o Ministério da Educação, Jair Bolsonaro finalmente anunciou o encarregado de comandar a pasta.

O escolhido é o filósofo de extrema-direita Ricardo Vélez Rodriguez (evangélico, formado em Teologia, analfabeto em história e política brasileira) nascido na Colômbia (SIM, no paraiso do narcotráfico). Assim, ficam pelo caminho as hipóteses de indicação do procurador Guilherme Shelb e do ex-reitor da UFPE Mozart Neves Ramos (autor do projeto “Todos pela Educação”).

Os recuos se deram em razão de pressões de parlamentares evangélicos, que tinham objeção sobretudo ao nome de Mozart Neves Ramos.  No anúncio, Bolsonaro ressaltou que Ricardo Vélez é autor de mais de 30 obras (duvidosas) e é professor emérito da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército.

Conselhos de ética

O nome de Ricardo Vélez foi recebido com preocupação no meio acadêmico por conta do forte componente ideológico que permeia as publicações do futuro ministro.

Contra o que chama de “ideologização comunista”, Vélez já defendeu até que escolas tivessem “Conselhos de Ética que zelassem pela reta educação moral dos alunos”. (mais um estúpido no governo Bolsonaro... sou professora aposentada e nunca vi ninguém dar “aula de comunismo” ou “maus costumes”  nas escolas brasileiras, mas vi muita aula de cidadania, tolerância, amor ao Brasil, ética, arte, história, etc...etc...etc...).

Vélez foi indicado para o posto pelo filósofo Olavo de Carvalho (a maior besta de todos os tempos, um debiloide, sem faculdade e sem diploma, que doutrina na internet), assim como o escolhido para Relações Exteriores, Ernesto Araújo  (fundamentalista evangélico e de ultra direita). As coincidências não param por aí. O colombiano segue o colega nas críticas ao “globalismo”.

(Jomarion... Críticas ao “globalismo” são benvindas, mas por gente equilibrada... críticas ao globalismo são aquelas expressadas por Benjamin Fulford, o COBRA, Alex Jones, Corey Goode, David Wilcock e outros que despertaram para a ação nefasta da cabala escura (khazarianos) no mundo atual e também questionam o entretenimento satânico e cheio de intenções, bem como os metodos de "controle global" via tecnologia e redes socias. Estão querendo lançar os espiritualistas despertos e alternativos no cesto da "falsa esquerda" criada por mentes ignorantes e imbecis).

Ditadura militar

Vélez escreveu em seu blog um texto no qual diz que o dia 31 de março de 1964, que marca o golpe militar no Brasil, é “uma data para lembrar e comemorar”.  O futuro ministro da Educação compara a instauração da ditadura a outros eventos históricos, como do “dia do fico”, em que dom Pedro se recusa a deixar o Brasil e voltar a Lisboa.

Vélez ironiza o conceito de direitos humanos e faz laudações ao “patriótico papel” desempenhado pelos militares no período. Na única e discreta menção a atos de violência praticados pelo Estado contra civis, afirma apenas que “houve excessos no que tange à repressão”.

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2018/11/novo-ministro-da-educacao-colombiano.html

25.11.18

Carta de um médico cubano a Jair Bolsonaro

 

Bolsonaro, quando o Sr. diz que Cuba fica com meu salário eu só penso nas seguintes questões:

1) Eu aceitei os termos de um contrato por livre e pessoal determinação.

2) Ciente de que, com esse dinheiro, minha mãe, irmãos, sobrinhos, primos, tios, vizinhos, famílias todas tem garantido o cuidado de sua saúde. Sem pagar nada.

3) Ciente de que minha formação como médico é graças à criação de universidades públicas em todo o território nacional. Onde filhos de pedreiros, advogados, fazendeiros, faxineiras, empregados dos correios, médicos etc. compartilham a mesma sala de aula sem discriminação por sexo, cor, ideologia, ou riqueza. Isso, Bolsonaro, chama-se igualdade. Coisa que Sr. não conhece, porque não existe num país onde a corrupção e os privilégios políticos acabam com a riqueza do Brasil.

4) Eu tenho coragem de trabalhar para o povo brasileiro ainda sem perceber esse salário de que o Sr. fala. Porque eu não trabalho só por uma questão econômica. Eu trabalho porque gosto da minha profissão, por que jamais vou ficar rico às custas dos pobres.

Porque jamais vou usar a política como meio de vida. Porque jamais vou enganar os pobres com falsas promessas. Porque jamais vou plantar o ódio e discriminação no coração de ninguém. Porque vou pensar bem as coisas antes de falar para não ter que fazer como você (pedir desculpas todos o dias pelas loucuras que fala).

5) Eu posso sim trazer alguém de minha família. Não trouxe porque, Sr. Bolsonaro, o pobre tem que ter prioridades na vida e para mim a prioridade é ajudar minha família, mais que comprar uma passagem aérea sabendo que em casa temos outras necessidades e prioridades.

6) Sei também que o Sr. conta com o apoio de uma pequena parte de meus colegas que, por motivações políticas e econômicas, acham melhor se enriquecer de dinheiro e não de amor, experiência, valores morais , patriotismo, dignidade.

Porque eu posso não concordar com meu salário lá em Cuba. Eu posso até não concordar com o sistema político da Cuba. Mas também não tenho porque difamar meu país. Eu vi isso também nos brasileiros pobres, maioria no Brasil. Eles gostam do Brasil, daquele povinho onde eles nasceram, só que com certeza gostam que esse mesmo Brasil que eles têm no coração tenha igualdade, pobreza zero, fome zero, discriminação zero, violência zero, corrupção zero, saúde e educação de qualidade. Mas ainda assim, no Brasil imperfeito, eles gostam de seu país.

7) O Sr. diz que os cubanos “estão se retirando do Mais Médicos por não aceitarem rever esta situação absurda que viola direitos humanos”. Não, Bolsonaro, o que realmente viola os direitos humanos é privar os pobres do Brasil do acesso à Saúde por não concordar com outras ideologias políticas.

Porque o Sr. quer mudar as regras sem perguntar aos beneficiários do programa se realmente os cubanos fazem o trabalho do jeito que tem que ser. Porque aqui no Brasil a gente tem preceptores brasileiros, a gente está fazendo um curso em medicina familiar, tudo sob a supervisão de excelentes profissionais brasileiros. A gente não está lá em qualquer canto fazendo as coisas por capricho não.

Agora vem você a dizer que nós estamos fantasiados de médicos. Aqui o único fantasiado é o Sr. São todos os que apoiam sua absurda visão da realidade. O Sr. só está lutando pelos privilégios da classe médica, da classe política. Lamentável!

Sim, sr. Bolsonaro, o que resulta lamentável é ver como um cara sem conhecimentos de nada, apenas só de armas, consegue se eleger presidente. E ainda assim mais lamentável ainda foi ver alguns pobres eleger você. Deus tome conta dos pobres. Deus tome conta do Brasil.

8) Quem estudou na época dos livros, quem estudou na época que as pesquisas eram feitas nos livros e não no Google ou na internet merece respeito. Quem lutou pela vida e chorou pela morte de uma pessoa ou de uma criança merece respeito.

Quem foi lá, onde para muitos é o fim do mundo, para cuidar dos doentes, merece respeito. Quem ficou longe da família para devolver o sorriso de um idoso ou uma criança merece respeito. Aí é para tirar o chapéu viu?

Absurdo que 66 países no mundo estão se beneficiando de nosso labor e vem você nos chamar de fantasiados. Pior ainda duvidar de que alguém queria ser atendido por cubanos.

Peço respeito pelos meus colegas.
Peço respeito à livre escolhia de meu povo.
Peço respeito para os pobres e ignorantes.
Peço respeito para a Medicina Pública.
Peço também ao Sr. estudar o que significa amor ao próximo.
O que significa Pátria.
O que significa dignidade.
O que significa diplomacia.
O que significa Medicina familiar.
O que significa igualdade
O que significa respeito de pensamento
O que significa ser o presidente dos brasileiros pobres também, e não só dos ricos e poderosos.

Saúde e longa vida para o Sr.
Deus abençoe você e seu povo.

Yonner González Infante
Médico, membro do programa “Mais Médicos”

Lido em: https://www.pragmatismopolitico.com.br/2018/11/a-carta-de-um-medico-cubano-a-jair-bolsonaro.html

Khazarianos em Desespero

Benjamin Fulford - 19.11.2018

"O ARQUICRIMINOSO NETANYAHU BUSCA IMUNIDADE GRITANDO CONTRA SEUS PATRÕES"

Um criminoso de guerra e assassino em massa, o Primeiro-Ministro israelense, Benjamin Netanyahu, adorador de Satanás, está tentando chegar a um acordo judicial para salvar sua própria vida, gritando contra seus senhores Rothschild, disseram fontes do Mossad.

A iminente queda de Netanyahu, significa que o colapso final da máfia khazariana, agora, está à vista e não demorará muito para que os ramos francês e suíço da família Rothschild e seus aliados ocultos  sejam levados à justiça.

A queda de Netanyahu é apenas parte do colapso em andamento da governança da máfia de khazariana, que removerá toda uma série de líderes Ocidentais, incluindo Emmanuel Macron da França e Mohammed bin Salman na Arábia Saudita, como veremos a seguir.

Primeiramente, vamos examinar mais de perto o caso de Netanyahu. Nesta frente, a polícia israelense recomendou a apresentação de acusações criminais contra Netanyahu por três questões distintas, onde a mais recente veio na semana passada como parte de um escândalo de corrupção na mídia.

https://www.middleeastmonitor.com/20181117-israel-police-to-recommend-netanyahu-be-tried-for-media-corruption/

Até agora, Netanyahu conseguiu usar sua posição de Primeiro-Ministro para impedir sua própria acusação. No entanto, agora que perdeu sua maioria parlamentar, sua capacidade de impedir sua própria prisão está chegando ao fim, dizem fontes do Mossad. 

A queda de Netanyahu foi precipitada por sua ofensiva contra a Faixa de Gaza que rapidamente derrotada, segundo fontes do Pentágono. Essa ofensiva foi destinada a desviar a atenção do público do assassinato do colunista do Washington Post, Jamal Khashoggi, disseram as fontes. Em vez disso, no entanto, o tiro saiu pela culatra, quando a ONU, Rússia, Jordânia, França, Reino Unido, Egito e os EUA, se uniram contra suas atividades desonestas. Este será “o último prego no caixão de Netanyahu”, dizem as fontes.

A queda de Netanyahu acontece enquanto um cristão que fala árabe, o ex-Chefe do Comando Central dos EUA, o General John Abizaid, foi nomeado  embaixador na Arábia Saudita, dizem fontes do Pentágono. Isso significa que ele será “efetivamente o governador militar que pode desarmar Israel e dividir a Arábia Saudita, enquanto se alia à Turquia, Iraque e Irã”, dizem as fontes. O objetivo é pôr fim ao plano blasfemo da máfia khazariana para governar o mundo de um Israel maior que iria  do Eufrates ao Nilo, dizem as fontes.

Antes de se oferecer para entregar seus mestres Rothschild, Netanyahu “fez um movimento desesperado” para levar o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a extraditar o ativista político turco Fethullah Gülen como uma tentativa de desviar a atenção do papel de Netanyahu no assassinato de Khashoggi.

Acredita-se que Gulen seja um dos herdeiros da máfia Sabatista e seja responsabilizado pelo presidente turco, Recep Erdogan, pela fracassada tentativa de golpe contra ele em 2016. Erdogan, agora, está buscando a extradição de 462 ativistas de Gulen, em 83 países.
https://sputniknews.com/middleeast/201811141069798773-gulen-turkey-demand/

No entanto, Erdogan agora sabe que seus verdadeiros inimigos são: Netanyahu, seu governante fantoche Mohammed bin Salman (ou mais provavelmente seu dublê de corpo) da Arábia Saudita e seus patrões Rothschild, de acordo com Mossad e fontes de inteligência militar japonesa. Essa tentativa de afastar Gulen “fracassou espetacularmente” e Trump, agora, está sendo forçado a “eliminar os perdedores: Bibi (Netanyahu) e  MBS, em favor de um modus vivendi com a Turquia e o Irã”, dizem as fontes do Pentágono.

A queda de Netanyahu surgiu após uma reunião entre Trump e o Presidente russo Vladimir Putin na França, na semana passada, disseram as fontes do Pentágono. Esta reunião resultou na escolha do General russo Alexander Prokopchuk como novo chefe da Interpol, dizem elas. Prokopchuk será “auxiliado pela inteligência dos EUA a emitir mais avisos vermelhos para derrubar ativos israelenses e agentes cabalistas em todo o mundo”, acrescentam.

Nos EUA, esse processo, também, está acelerando. Lá, o Senador Lindsey Graham, agora é o Presidente do Comitê Judiciário do Senado, onde ele deve “agilizar nomeações judiciais e reprimir os crimes do estado profundo”, dizem fontes do Pentágono. O Senado anterior, embora ostensivamente dominado pelos Republicanos, estava bloqueando a nomeação de novos juízes e promotores e, assim, atrasando as tão esperadas prisões nos EUA.

Além disso, o novo presidente do Comitê de Finanças do Senado, Chuck Grassley, está “pronto para reprimir as fraudes,  crimes e a corrupção de Wall Street”, dizem as mesmas fontes. 

A máfia khazariana, perdendo poder em Washington, D.C., está fazendo tentativas fúteis de impedir mais processos, atacando a Califórnia com armas de energia dirigida ou DEWs. Veja a definição abaixo de um artigo da Global Research (que agora parece ter sido excluído, todavia, outros estão disponíveis pesquisando neste site).
https://www.globalresearch.ca/twenty-five-years-ago%E2%80%A6/5518407%E2%80%A6

Uma arma DEW é um sistema que utiliza um feixe de energia eletromagnética concentrada (incluindo mas não limitado a lasers e sistemas de microondas de alta potência), ou partículas atômicas ou subatômicas, principalmente como um meio direto para matar, ferir, incapacitar ou incapacitar temporariamente pessoas ou destruir danificar ou incapacitar temporariamente uma propriedade ou  material.

Já as armas acústicas, usam o som em todo o espectro de frequência para matar, ferir, incapacitar ou incapacitar temporariamente as pessoas. Armas acústicas, embora fora da definição conjunta de DEW, têm efeitos e perigos mais semelhantes as DEW do que às armas convencionais.
Existem provas contundentes de que tais armas estão sendo usadas contra a Califórnia pelos khazarianos.

https://prepareforchange.net/2018/11/17/the-globalist-are-waging-open-war-on-america/

Não só isso, a denunciante Deborah Tavares está fornecendo provas que culpam esses ataques contra a família Rothschild e sua empresa Pacific Gas & Electric.
https://www.youtube.com/watch?v=zSLodEiOThM

Um sinal claro de como os Rothschilds e seus servidores entraram em pânico, veio quando o congressista, Democrata da Califórnia, Eric Swalwell, ameaçou atacar os cidadãos americanos com armas nucleares, caso estes se recusassem a entregar suas armas.
https://www.zerohedge.com/news/2018-11-16/california-democrat-threatens-nukes-if-americans-dont-hand-over-their-guns

O que esses criminosos de alto nível não percebem é que eles não estão mais operando em segredo ou com impunidade. Em particular, estamos ouvindo que o ramo francês desta família está sendo responsabilizado por muitos desses crimes.
Isso significa que os papéis foram invertidos e agora estão sob ameaça. Isso pode ser visto nos apelos desesperados de seu Presidente escravo francês, Emmanuel Macron, por um exército europeu (como mencionamos na semana passada) para proteger a UE da “China, Rússia e EUA”. O que ele realmente quis dizer foi proteger os Rothschilds e seus regimes escravos, como a Alemanha e a França, da ira do mundo.

Porém, primeiramente, Macron precisa se salvar do povo francês. Na semana passada, mais de 280.000 motoristas bloquearam estradas em mais de 2.000 locais na França, num protesto contra seu regime. Esses protestos foram apoiados por 73% da população francesa. 
Com David de Rothschild se escondendo da polícia francesa, Alexandre Guy de Rothschild, agora, é o chefe oficial da filial francesa da família Rothschild . Sua foto pode ser vista aqui:

https://www.rothschildandco.com/en/who-we-are/corporate-governance/leadership/

Fontes de direita japonesas dizem que ele é casado com a filha do Ministro das Finanças japonês, Taro Aso e, que o casamento aconteceu no castelo visto,  aqui neste  link:
https://kakeizunotobira.denshishosekidaio.com/2017/02/12/post-3850/

O fato dos recursos hídricos do Japão estarem sendo vendidos com um grande desconto para as companhias de água francesas levou à conclusão de que Aso e seus franceses são responsáveis, dizem os direitistas japoneses.
Também podemos informar que a filial francesa dos Rothschilds contatou este escritor, imediatamente, depois que  realizaram o ataque e assassinato em massa de Fukushima – Japão, em 11 de Março de 2011, para emitir mais ameaças de atacar a própria Tóquio. Também, foram os franceses Rothschilds que financiaram motins antijaponeses na China, há alguns anos, dizem fontes da sociedade secreta asiática.

O controle Rothschild francês sobre o Japão terminará em breve, dizem várias fontes. A família Iwasaki, que controla o Grupo Mitsubishi que, por sua vez, controla o regime de Shinzo Abe, está promovendo a paz, disseram fontes da Sociedade Dragão Branco – SDB.
Os industriais japoneses estão pedindo proteção a SDB para a implantação da fusão a frio e outras tecnologias de mudança de paradigma que, até agora, foram suprimidas pela máfia khazariana, dizem as fontes. A proteção foi oferecida e uma demonstração desta tecnologia está sendo organizada, dizem elas.

Ainda nesta semana, a SDB se reunirá com representantes de sociedades secretas asiáticas para discutir o futuro do Japão e do regime de Abe, entre outras coisas, disseram as fontes da SDB.
Além disso, as sociedades secretas da Ásia e do Ocidente estão continuando os preparativos para estabelecer e financiar uma futura agência de planejamento do Ocidente. A agência trabalharia em harmonia com o enorme projeto de desenvolvimento chinês One Belt One Road. Espera-se que um acordo sobre esta questão ajude a aliviar o grande atrito de poder que, agora, acontece  em público, entre os EUA e a China, de acordo com fontes próximas às negociações.

Como mencionado na semana passada,
um acordo básico para salvar o planeta já foi alcançado, então, agora é hora de tornar os planos concretos. É esperado que isso leve algum tempo, por favor, sejam pacientes. Mudar as coisas ao redor de um planeta é como fazer a volta com um superpetroleiro no meio do oceano. Isso significa que, mesmo que uma decisão tenha sido tomada para mudar de rumo, muito impulso foi fornecido e a manobra deve prosseguir lentamente, evitando de afundar o navio.

Lido em: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/11/benjamin-fulford-o-arquicriminoso.html

22.11.18

As mentiras que contam sobre a medicina em Cuba

 

Cuba forma 300 médicos por ano

Cuba universalizou o acesso a universidade a todas as províncias e a maioria dos municípios do país possuem faculdades em diversas áreas. Os cursos de medicina existem em todas as microrregiões do país, cada faculdade deve formar entre 50 e 100 médicos por ano.

A ELAM que recebe estudantes estrangeiros chegou a receber 1.000 estudantes ano, hoje tem uma matrícula bem menor e não se restringe a América Latina.

Médicos graduados em Cuba querem fugir do Revalida

90% dos médicos graduados em Cuba revalidam seus diplomas em um ou dois anos após formados. Se preparam para os exames de revalidação no Brasil, muitos fazem os mesmos cursos preparatórios para os exames das provas de residências médicas que os médicos formados no Brasil fazem.

Médicos formados em Cuba são do MST, do PT e do PCdoB

A ampla maioria dos estudantes brasileiros e estrangeiros em Cuba não são militantes de partidos de esquerda. Quando existiam as bolsas de estudo, que já não existem mais como na época de Fidel, somente 30% das vagas eram ofertadas às organizações como MST, PCdoB, PSB e PT. Mesmo entre esses, encontramos hoje eleitores de Bolsonaro.

A maioria dos estudantes de Medicina em Cuba, cubanos e estrangeiros, são jovens comuns que sonham em ser médicos, viver a sociedade de consumo e não são nem um pouco politizados. 

É fato que entre eles encontramos uma proporção importante de jovens interessados em trabalhar com a saúde pública. É uma estupidez afirmar que são agentes de internacionalização do socialismo cubano. Nem estrangeiros, nem cubanos querem “exportar o modelo cubano”.

Médicos Cubanos são agentes infiltrados

Médicos cubanos geralmente não gostam de política, estão preocupados em enviar recursos financeiros a suas famílias e a melhorar de vida como qualquer pessoa comum. 

São extremamente disciplinados e não se metem nas questões políticas internas de outros países. A maior parte dos países que já receberam missões médicas cubanas são governados por políticas de direita e são países capitalistas.

Médicos cubanos são piores ou melhores que os médicos brasileiros

Existem médicos bons e ruins em todos os países, inclusive entre cubanos e brasileiros, a questão é que os médicos cubanos são funcionários públicos que participam de uma missão oficial de seu país e vão trabalhar em áreas e em condições que os médicos brasileiros não aceitam, até os brasileiros formados em Cuba não vão para onde eles vão.

Os médicos cubanos são escravos

Os médicos cubanos recebem aproximadamente R$ 3.300,00 do valor pago a Cooperação com a OPAS/CUBA. Também recebem em média R$ 2.500,00 reais de auxílio moradia e alimentação dos municípios onde trabalham. Isso equivale a R$ 5.800,00 reais de remuneração/mês. 

Esse valor não tem nada de trabalho escravo. Médicos dos países capitalistas da America Latina como Uruguai, Chile, Argentina, Colômbia, Peru, recebem médias salariais menores que essa para trabalharem 32h semanais, como trabalham os médicos cubanos no Brasil. Em diversas capitais do Brasil esse valor é próximo a remuneração dos médicos praticadas no SUS.

A presença dos médicos cubanos é um desrespeito à medicina brasileira

No Brasil 40% do orçamento do Governo Federal vai para os juros e amortização da dívida. A carga tributária sobre os trabalhadores e a classe média é absurda. 

Desconte os 27,5% do Imposto de renda, os 40% da arrecadação federal que ficam com a especulação, os lucros exorbitantes dos Bancos, o valor pago pelo SUS a consulta médica especializada (R$ 10,00), o valor que a Unimed e outras operadoras descontam e repassam aos médicos brasileiros, a terceirização plena, a PJotização da profissão médica e o fim dos direitos trabalhistas: entenda que o problema da medicina no Brasil não está nos cubanos, está na política de ajuste fiscal e neoliberal que o Brasil esta submetido desde o governo Collor.

Consideração Final 

De fato Cuba não é o país das maravilhas, nem Fidel ou Raúl eram Alice, mas entendo que o respeito a autodeterminação dos povos e a boa educação com os imigrantes deve prevalecer diante de preconceitos raciais, ideológicos, políticos, religiosos, gênero etc.

O Brasil viveu anos de ódio e intolerância, penso que o momento é de repensar e unir nos em torno de um Novo Projeto Nacional de Desenvolvimento para o país, tornando o Soberano, Desenvolvido, Justo e democrático.

*Nésio Fernandes de Medeiros Junior é médico e educador.

Lido em: https://operamundi.uol.com.br/politica-e-economia/54036/as-mentiras-que-contam-sobre-a-medicina-em-cuba

22.11.18

A caminho do Hospício

No país material e moralmente devastado pelos efeitos do golpe de 2016, Jair Bolsonaro prepara-se para exercer a Presidência da República. Há quem o defina como fascista ou nazista, de extrema-direita ou super-reacionário. Bolsonaro, entretanto, é tão único como será seu governo e o próprio Brasil. Qualquer comparação é impossível.

Estamos diante da exasperação de tudo quanto sofremos em dois anos e alguns meses, através de uma série de atentados à razão.

Os ricos se dão ares de contemporaneidade do mundo, e ignoram o miserável estado da sua incultura e da sua imoralidade, a maioria pobre não passa de uma grei incrédula e sempre amedrontada, pronta a dar seu aval não a um populismo rasteiro, e sim ao reinado da violência demente. Não há exemplo igual, ou mesmo parecido.

Valores e princípios da civilidade são sepultados com o apoio do exército de ocupação e o beneplácito do Judiciário que jogou ao lixo a Constituição e permitiu todos os desmandos praticados pelo estado de exceção, e até se antecipou ao futuro presidente pela boca de um certo Toffoli, capaz de revisar a história dos últimos 54 anos na definição do golpe de 1964, do qual resultou a ditadura, como “movimento”.

Ali está, no soturno palácio do Supremo o grupelho pomposo que se prontifica a legalizar a ilegalidade, embora ninguém seja tão representativo da injustiça como Sérgio Moro, ministro da Justiça dotado de plenos poderes para fiscalizar a vida de todos, o inquisidor de Curitiba em quem Luigi Ferrajoli identificou “a negação da imparcialidade”.

Só no Brasil o fenômeno Bolsonaro, primitivo, desvairado, delirante, seria possível.

A mais falada revolução cultural do século passado, promovida por Mao Tsé-tung ao cabo da Longa Marcha, foi tão comentada a ponto de levar um enfant gâté de uma belle époque nova-iorquina a brindar o mundo da arte moderníssima com o retrato do líder chinês, realizado com a técnica de colorir ao acaso uma foto prismada. Andy Warhol inspira a capa da edição de CartaCapital desta semana.

Quanto à revolução, destinada a derramar cada vez mais sangue nas calçadas, ela assume propósitos mais largos. É a revolução que prega a lei do mais forte ao sabor do ódio desmotivado, o entreguismo amplo, geral e irrestrito, a repressão na mira do fuzil, a reedição da arcaica visão de que atrás de cada esquina agacha-se um comunista degustador de criancinhas.

Segundo o pensador do bolsonarismo, Olavo de Carvalho, FHC é comunista e não vai faltar quem acredite. É a conclusão de um enredo de 518 anos, a moral de uma história excepcionalmente sombria, a infelicitar um país credenciado a ser potência mundial e enfim reduzido a escombros.

Neste momento, minha única esperança é que a razão nasça da loucura, algum dia que almejo próximo. No mais, aviso: cidadãs e cidadãos, vocês nunca verão terra igual à de Bolsonaro.

Giovanna Costanti

Lido em: https://www.cartacapital.com.br/revista/1029/a-caminho-do-hospicio

Documentário “A lição do silêncio” será exibido na Ucrânia

 

Filme/documentário produzido por sorocabano conta a história do professor Bohdan Wijtenko

O documentário “A lição do silêncio”, dirigido pelo sorocabano Celso Fontão Jr, será exibido na quinta-feira (29) na Universidade Nacional Politécnica, em Liviv, na Ucrânia. Esta será a primeira vez que o filme produzido com apoio institucional da Fundação Ubaldino do Amaral (FUA) e da Universidade de Sorocaba (Uniso) será exibido no país natal de Bohdan Wijtenko.

Lançado em 2017, o documentário resgata a trajetória do professor ucraniano Bohdan Wijtenko, que veio para o Brasil em 1951, morou em Sorocaba de 1960 a 1985. Foi professor da Faculdade de Filosofia e se dedicou ao ensino da prática da meditação com o objetivo de formar o que ele chamava de “técnicos” para que levassem a meditação às escolas.

O diretor Celso Fontão Jr., que viaja para a Ucrânia para a participar da sessão especial, comenta que Bohdan estudou na Universidade onde o filme será exibido.

Com produção da CMaria Comunicação, o filme foi gravado durante dois anos, com entrevistas em Sorocaba, Votorantim, São Paulo, Rio de Janeiro e Mykolaiv, na Ucrânia. O filme reúne entrevistas com amigos e pesquisadores como o professor Aldo Vannucchi, o produtor cultural João Caramez, o artista plástico Pedro Lopes, o médico José Carlos de Campos Sobrinho e a doutora em Ciências da Religião, Irani Cordeiro Wullstein, autora de uma tese sobre o professor Bohdan.

Lido em: https://www.jornalcruzeiro.com.br/mais-cruzeiro/cultura/documentario-a-licao-do-silencio-sera-exibido-na-ucrania/

Para anular energia negativa em computadores e celulares

CONFEDERAÇÃO GALÁCTICA - INFORMAÇÃO IMEDIADA DO DEPARTAMENTO ARCTURIANO DE TECNOLOGIA

Um Alto Comando da Confederação Galáctica - o Departamento Arcturiano de Tecnologia - está contatando grandes empresas de tecnologia no Planeta para que ajustes imediatos sejam feitos em seu modo de trabalhar e entregar produtos aos Seres Humanos.

O Departamento Arcturiano da Confederação está entregando um Protocolo Especial e solicitando a imediata atualização tecnológica, onde os microchips espiões colocados em todos os aparelhos eletrônicos sejam removidos, e outros pequenos dispositivos que "travam" o bom funcionamento dos chakras, assim como induzem a baixas frequências de vibração.

Esses dispositivos são programados para, quando o ser estiver subindo muito sua vibração amorosa, emitir um sinal de alerta - que é enviado a um computador quântico - e este projeta ondas escalares naquele ser, para que baixe, novamente, sua vibração.  Obviamente, quando a pessoa se mantiver firme no Amor, esses microchips e dispositivos são automaticamente queimados.

A ideia desse Protocolo Arcturiano é informar que todas as pessoas da Terra aumentarão suas freqüências, quer as empresas que ainda trabalham seguindo protocolos não confederados aceitem, ou não. E, claro, de uma forma diplomática - como são os Confederados - chegarem a um acordo amigável, sem a necessidade de uma intervenção mais dura por parte do Departamento Arcturiano.

Quanto mais pessoas virem essa mensagem e derem "Sim" ao departamento Arcturiano, eles começarão a emitir poderosos sinais quânticos que acelerarão o processo de remoção de toda e qualquer tecnologia que prejudique a humanidade, de alguma forma. 
O Departamento Arcturiano é, dentro da Confederação, um dos (senão o maior) departamentos especialistas em tecnologias.

Eles dizem também a todos quanto possível que lerem essa mensagem, respirem um pouco, façam um ancoramento invocando as Forças Arcturianas da Luz para que os assistam, naquele momento. Em seguida, visualizem todos os seus aparelhos eletrônicos, celulares, computadores, tablets, TVs e qualquer coisa de tecnologia. Ao visualizar esses aparelhos, projetar sobre eles uma energia azul escuro brilhante e, neste momento, decretar:

"EU DOU 'SIM' À HARMONIA TECNOLÓGICA. EU SOLICITO TODA A TECNOLOGIA BENEVOLENTE. EU NEUTRALIZO, PELA FORÇA DO AMOR, QUALQUER TECNOLOGIA QUE VENHA A PREJUDICAR A MIM OU A QUALQUER UM DOS MEUS IRMÃOS E IRMÃS. ESSA É UMA VONTADE MINHA E, COMO SER SOBERANO QUE SOU, ELA SERÁ RESPEITADA. REMOVO, NESTE MOMENTO, TODO E QUALQUER DISPOSITIVO CONTROLADOR E OPRESSOR, PELO PODER DO MEU EU SOU. E ASSIM É. ESTÁ FEITO."

O ato de fazer o Decreto acima é entendido pelo Comando Arcturiano como um "sim" para a ajuda deles.
Os Arcturianos agradecem a oportunidade da comunicação. Queridas Sementes, compartilhem o máximo que conseguirem, por favor.

Gabriel RL – Blog “Sementes das Estrelas”

Pagina: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/11/confederacao-galactica-departamento.html

21.11.18

Reforma da Previdência ignora 426 bilhões devidos por empresas ao INSS

Enquanto propõe que o brasileiro trabalhe por mais tempo para se aposentar, a reforma da Previdência Social ignora os R$ 426 bilhões que não são repassados pelas empresas ao INSS. O valor desta dívida equivale a três vezes o chamado déficit da Previdência em 2016. Esses números, levantados pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN), não foram levados em conta na reforma do governo Michel Temer.

“O governo fala muito de déficit na Previdência, mas não leva em conta que o problema da inadimplência e do não repasse das contribuições previdenciárias ajudam a aumentá-lo. As contribuições não pagas ou questionadas na Justiça deveriam ser consideradas ”, afirma Achilles Frias, presidente do Sindicado dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz).

A maior parte dessa dívida está concentrada na mão de poucas empresas que estão ativas. Somente 3% das companhias respondem por mais de 63% da dívida previdenciária. A procuradoria estudou e classificou essas 32.224 empresas que mais devem, e constatou que apenas 18% são extintas. A grande maioria, ou 82%, são ativas.

Arte: Eugênia Pessoa/Repórter Brasil

Na lista das empresas devedoras da Previdência, há gigantes como Bradesco, Caixa Econômica Federal, Marfrig, JBS (dona de marcas como Friboi e Swift) e Vale. Apenas essas empresas juntas devem R$ 3,9 bilhões, segundo valores atualizados em dezembro do ano passado.

A Repórter Brasil entrou em contato com essas empresas para entender quais são os pontos em desacordo. O Bradesco afirma que não comenta processos judiciais. A JBS diz que está negociando a dívida com a Receita Federal.

A Marfrig afirma, em nota, que discute judicialmente a possibilidade de compensação de débitos previdenciários com créditos relativos ao PIS e a COFINS e que negociou o parcelamento da dívida. A Vale informa que possui questionamentos judiciais referentes às contribuições previdenciárias e que ofereceu garantias da dívida, o que a permite estar em ‘regularidade fiscal’. A Caixa Econômica Federal não se pronunciou. 

Parte da dívida não pode ser recuperada

Apesar da maior parte das empresas devedoras estarem na ativa, no topo da lista há também grandes companhias falidas há anos, como as aéreas Varig e Vasp. Por isso, nem toda a dívida pode ser recuperada. É provável que quase 60% do valor devido nunca chegue aos cofres do INSS – ou porque são de empresas falidas, em processo de falência, tradicionais sonegadoras ou laranjas.

Apenas R$ 10,3 bilhões (4% do montante da dívida) têm alta probabilidade de recuperação, segundo estudo da procuradoria divulgado em março do ano passado. Do classificado à época, referente à R$ 375 bilhões de dívidas, constatou-se que 38% têm média chance de recuperação; 28% tem baixa chance e 30% tem chances remotas.

A prova disso é que o percentual de recuperação é baixo. Em 2016, a procuradoria recuperou apenas R$ 4,15 bilhões dos créditos previdenciários, o equivalente a 0,9% da dívida previdenciária total.

Apesar disso, a procuradoria diz tomar medidas para recuperar esse valor. “Estamos num momento em que sempre se ronda o aumento da carga tributária, e a PGFN entende que o verdadeiro ajuste fiscal é cobrar de quem deve para não onerar quem paga,” diz Daniel de Saboia Xavier, coordenador-geral de grandes devedores da procuradoria.

O estudo poderia, inclusive, ajudar a retirar algumas empresas do mercado. “A empresa fraudadora viola a livre concorrência e prejudica empresas do mesmo ramo que não fraudam”, afirma Xavier, destacando que o órgão priorizará a cobrança das empresas que entram nos critérios ‘alta’ e ‘média’. Xavier explica ainda que muitas das empresas que estão inscritas como devedoras de valores com alta chance de recuperação apresentam questionamentos judiciais.

A Repórter Brasil questionou quais são as empresas que seriam priorizadas à assessoria de imprensa através da Lei de Acesso à Informação, mas a procuradoria negou a informação sob a justificativa de que a divulgação violaria o sigilo fiscal.

Por que a dívida é tão alta?

A morosidade da Justiça, a complexidade da legislação tributária brasileira e os programas de parcelamento do governo são apontados como os principais fatores que explicam a alta dívida previdenciária no país.

“Não é um crime dever, e grandes grupos empresariais se beneficiam disso, questionam valores na Justiça e ficam protelando a vida inteira,” diz Sônia Fleury, professora da Fundação Getúlio Vargas. “É preciso fazer uma varredura para ver como as empresas utilizam esse mecanismo protelatório na Justiça e tomar decisões no nível mais alto para impedir esse jogo, que só favorece as grandes empresas. Perde o governo e o trabalhador.”

A criação de varas específicas e especializadas poderia agilizar esse tipo de cobrança, segundo o presidente da Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip), Vilson Romero. “A única forma de fazer com que as empresas não fiquem devendo ao INSS seria ter uma estrutura fiscalizadora e cobradora mais eficiente e eficaz, o que chega a ser utopia no Brasil de hoje”, avalia Romero.

Sem a criação dessas varas, o sistema de cobrança continua lento. Uma ação de cobrança da Fazenda Nacional demora cerca de nove anos no Brasil segundo um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) de 2012. A responsabilidade pela cobrança das dívidas é da PGFN. Por outro lado, é dever da Receita Federal fiscalizar se os repasses previdenciários estão de fato ocorrendo, mas o trabalhador pode também conferir se a sua empresa está cumprindo a obrigação dos repasses pedindo, em uma agência do INSS, o extrato CNIS (Cadastro Nacional de Informações Sociais).

O coordenador de Previdência do IPEA, Rogério Nagamine, acredita ser necessário melhorar a recuperação dessas dívidas, mas aponta que ela não resolve todos os problemas da Previdência. Por isso, ele defende a reforma proposta pelo atual governo − que estabelece a idade mínima de 65 anos para se aposentar (com pelo menos 25 anos de contribuição) e que, entre outras alterações, muda a base de cálculo do benefício, com redução de seu valor final.

A complexa legislação tributária do país é outro motivo para o alto volume dessa dívida, na avaliação da assessora política do Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc), Grazielle David. Hoje, os inadimplentes da União pagam multa sobre a dívida, mas, segundo a especialista, essa multa vem sendo reduzida pela Receita Federal, pela procuradoria e pelo INSS nos últimos anos, em decorrência do parcelamento especial de débitos tributários.

“Principalmente nas grandes empresas, isso gera uma segurança para colocar a inadimplência e a sonegação no planejamento tributário, porque o risco é menor que o bônus. A legislação praticamente incentiva uma empresa a ficar inadimplente ou a sonegar”, afirma, destacando que em outros países as leis costumam ser mais rígidas.

A procuradoria informou, por meio de sua assessoria, que “o que tem prejudicado a cobrança dessas dívidas, em realidade, são os sucessivos programas de parcelamento especial (“REFIS”) editados nos últimos 17 anos. Os devedores têm utilizado esses parcelamentos como meio de rolagem da dívida, migrando de programa de forma sucessiva, sem, contudo, quitar os débitos.”

Em nota, a Caixa Econômica Federal afirmou que todos os pagamentos previdenciários dos seus empregados estão em dia e são realizados sistematicamente dentro do prazo estabelecidos em lei. Segundo o banco, a dívida citada pela reportagem refere-se a "questões que estão sendo discutidas em processos administrativos ou judiciais e não tem relação com a contribuição previdenciária mensal dos seus empregados". "Os processos discutem, na grande maioria, a interpretação do caráter indenizatório (e não remuneratório) de verbas enquadradas pelo fisco como fato gerador da contribuição", diz a Caixa.

*Por Ana Magalhães, publicado originalmente em Repórter Brasil.

Lido em: https://www.cartacapital.com.br/economia/reforma-da-previdencia-ignora-426-bilhoes-devidos-por-empresas-ao-inss

Atenção leitores...

A confusão de idéias, crenças, conceitos e conhecimento está lançada. Graças a isto lemos "barbaridades" na midia, imprensa, redes sociais, etc. Pessoas do bem (como a maioria dos petistas) são chamadas de criminosas, comunistas, corruptos, etc... etc... etc... Pessoas que despertaram para o dominio mundial da cabala das trevas sobre a Humanidade estão sendo perseguidas e chamadas de ignorantes e até comparadas (pasmem) com Olavo de Carvalho (guru de Bolsonaro e do seu "chanceler debiloide")... vemos subir ao poder "evangélicos fundamentalistas perigosos" que estão copiando seus pares dos EUA. Esta situação acontece, porque a sociedade ocidental principalmente, está saturada da degradação que impera na midia, no entretenimento, nos lares e na sociedade em geral. O famigerado capitalismo selvagem, hoje modernamente chamado de "neoliberalismo" criou uma sociedade desequilibrada com bilhões de seres humanos pobres, humilhados, doentes, ressentidos e marginalizados. Este sistema existe e funciona para as elites (topo da piramide) e sub-elites servis que trabalham para o topo (arcontes e reptilianos). Vamos atravessar uma grande "tribulação", preparem-se e se informem sobre tudo isto! Jomarion

Teorias para fazer os burros acharem-se inteligentes

 

A primeira é acreditar que tanto empresários quanto trabalhadores fazem parte da mesma classe: a classe produtiva. Como Jorge Paulo Lemann pode fazer parte da mesma classe que um pedreiro? Um é dono da 3G Capital, Heinz, Ambev etc.. o outro depende da labuta diária para receber pouco mais que um salário mínimo. O primeiro não faz parte das forças produtivas, mas das parasitárias. Nós não podemos colocar um investidor da Bolsa de Valores no mesmo patamar que um operário que depende do salário.

Outro fato é acreditar que os parasitários são os políticos e os servidores públicos. Essa ideia infundada circula entre os conservadores, mas é uma mentira baseada nos políticos corruptos. Se há FIES, cotas, plano de saúde para trabalhadores, consumo de celular e leis para amparar mulheres violentadas, crianças abandonadas etc.. é porque algum político votou em algum momento. Inclusive, o direito de falar essas coisas infundadas também foi votado por algum político quando se aprovou a Constituição. Se você defende um Estado democrático de direito, você deve prezar pelos seus políticos.

Outra questão é defender a privatização se o governo que foi eleito assumiu o poder afirmando que colocaria ordem na casa. Não seria necessário privatizar, era só acabar com a corrupção. O recurso da privatização poderia ser usado por qualquer um, até pelo político mais nefasto da face da Terra. Ou seja, privatizar não tem nada que ver com a questão da corrupção nos órgãos públicos, tem que ver com interesses internacionais.

Outra conversa para enganar otário é essa crítica ao viés ideológico que supostamente existia nos ministérios e nas secretarias. Diz que o outro faz uma coisa para se eximir de culpa por fazer o mesmo. Entregar o país ao mercado, privilegiar o agrotóxico, atacar os sem terras e indígenas é algo extremamente ideológico.  (Jomarion... neoliberalismo) Em política  (aliás em nenhuma outra esfera) é impossível agir sem ideologia.

O que há de novo é justamente o combate contra a inteligência. Uma investida contra o que há de mais desenvolvido no pensamento político Ocidental. Se citarmos Marx, Weber ou Freud o argumento é logo desqualificado. Se lermos o texto em que Einstein afirma que o socialismo é a única solução para uma sociedade mais justa, buscar-se-á difamá-lo de alguma maneira.

Um cientista renomado mundialmente pode dizer que as alterações climáticas são um fato que irá prejudicar as gerações futuras. De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), 124 milhões de pessoas sofreram de insegurança alimentar em 2017, e 34 países (dos 51 afetados) tiveram como causa principal dessa catástrofe os choques climáticos.

Contudo, se um indivíduo que você deposita confiança afirmar que tudo não passa de uma ideologia marxista, em quem você acreditaria? Quando não se tem conhecimento se confia, é como uma criança que confia no pai, às vezes, até mesmo depois deste a ter violentado.

Outra questão – e esta abusa da capacidade mental do ouvinte – é dizer que as políticas econômicas e sociais que deram certo nos EUA devem ser aplicadas aqui no Brasil. Temos que lembrar que nos EUA também há cotas e a falta de um sistema como o SUS deixou cerca de 80 mil norte-americanos morrerem somente no último inverno.

Os EUA são uma potência mundial que, até certo ponto, dita as regras da economia. O Brasil é uma mera economia dependente. Seria muito mais inteligente investir em um mercado na América Latina (aqui adotando uma visão direitista sensata), pois aqui sim, talvez poderíamos ditar as regras, ao em vez de investir em uma relação cega e submissa com os EUA. O PT fez isso... 

Outra burrice é dizer que o PT é comunista e que tudo que se coloca contrário ao governo atual é petista. Um governo que possibilitou o crescimento compulsivo da educação privada, dos bancos e dos megaempresários  (Lemann, Joesley, Eike Batista etc.), pode ser considerado comunista? A França, a Itália e até mesmo os EUA que, por sua vez, tornou-se um grande parceiro de Cuba nas pesquisas para achar a cura do câncer, estabelecem relações com a ilha comunista. Eles também são comunistas?

Quanto ao fato de toda a esquerda ser petista é uma ideia estapafúrdia. O PT é o partido que mais se entregou ao mercado. Lula chegou a dizer nos idos de 2006 que quando uma pessoa vai se tornando mais velha tende à direita. Segundo ele é “parte da evolução da espécie humana”.

O conflito... está muito mais intraclasses dominantes que entre esquerda e direita. Os que assumiram o governo hoje, atacam o PT por este estar no poder por muito tempo, barrando a chegada dos outros partidos, embora todos tivessem acesso a uma parte do bolo. É uma questão de jogo de poder, nada tem que ver com ideologia.

Existe uma lenda que afirma que Stálin imprimiu uma edição do Pravda com notícias falsas e a entregou a Lenin para iludi-lo e fortalecer a imagem do futuro governante da URSS. Esse tipo de estratégia está muito mais próxima das promovidas pelos articuladores que levou à vitória do novo governo que pelos petistas.

Tudo isso me faz lembrar o formidável livro de Martin Page, Como Me Tornei Estúpido. O personagem central da trama está convencido de que ser inteligente não traz nenhuma vantagem econômica e pessoal, enquanto vê as pessoas estúpidas regozijarem em sua felicidade. Portanto, concluiu que era muito melhor ser estúpido e investiu mundos e fundos para alcançar esse objetivo. Renuncia os seus livros mais clássicos, deixa de ler o jornal Le Monde e arrisca adquirir estupidez.

Essa história nos remete ao personagem Cipher, o traidor do filme Matrix. Ele prefere o prazer da realidade virtual ao Real, o deserto do Real, insosso, apavorante e avassalador. Ele sabe que Matrix é só um programa de computador, uma falsa realidade, mas fecha um acordo com agentes que, por sua vez, prometem apagar sua memória, isto é, fazer com que volte a ser um adulto envolto em líquido amniótico. No fim ele conclui: “a ignorância é uma bênção”.

Raphael Silva Fagundes é Doutor em História Política pela UERJ. Professor da rede municipal do Rio de Janeiro e de Itaguaí.

Ler na íntegra em: https://www.revistaforum.com.br/teorias-para-fazer-os-burros-acharem-se-inteligentes/?utm_source=social_mais&utm_medium=widget

19.11.18

Cristina Kirchner: Nem direita, nem esquerda, precisamos de novas categorias de pensamento

 

A ex-presidenta da Argentina Cristina Kirchner participou da 8º Conferência da CLACSO (Conselho Latino-americano de Ciências Sociais) nesta segunda-feira (19), onde criticou o governo de Mauricio Macri, que há “três anos trouxe o neoliberalismo para o país” (Jomarion... e detonou com a Argentina que atravessa grave crise e está empobrecida) , e defendeu novas formas de pensamento e de governo.

“Já viram tantas famílias vivendo nas ruas em Buenos Aires como hoje? Os supermercados estão vazios, importantes cadeias estão reestruturando suas operações”, disse ela. “Podemos comparar os preços das tarifas, dos combustíveis, dos alimentos. Isso é resultado de três anos de neoliberalismo na Argentina.”

(Jomarion... é isto que o Bolsonaro e sua trupe querem fazer no Brasil).

Segundo Cristina, em 2015, quando deixou o governo, a inflação “era de 19,8%, três anos depois é de 38,2%. Duplicaram a inflação, os que afirmavam que seria fácil resolver”.

Cristina fez um longo discurso sobre a origem do neoliberalismo e a meritocracia, que faz com que o cidadão comum acredite que tem emprego unicamente por seu mérito. “Se não tem trabalho, é problema seu, porque você não tem capacidade. É convencido que é mérito próprio, não é o modelo de país. Uma parte é mérito próprio, outra são políticas públicas.”

A partir daí a ex-presidenta destacou que é preciso novas categorias de pensamento para combater o neoliberalismo, que vão além de direita e esquerda. “Algo como uma frente popular, que agrupe os agredidos pelas políticas neoliberais.”  Cristina defendeu ainda novas arquiteturas institucionais para preservar a democracia. “Estamos com o mesmo sistema de governo de quando não existia nem luz elétrica, apesar do imenso avanço tecnológico. É preciso pensar novas arquiteturas institucionais com a participação institucional de novos atores.”

Lido em: https://www.revistaforum.com.br/cristina-kirchner-nem-direita-nem-esquerda-precisamos-de-novas-categorias-de-pensamento/

Por que os jovens alemães estão pessimistas quanto ao futuro?

 

O verão de 2018 foi um período turbulento para os alemães

Jomarion... veja como a chamada “extrema-direita” se espalha pela Alemanha,  Europa, America do Sul ... a cabala trevosa (apoiada pelas elites) prepara um golpe mortal contra o povo da Terra... a ideia é matar milhões em confrontos, guerra civil, guerra mundial,  crime organizado, doenças e vacinas, etc... etc... etc...

Problemas do passado

Em fenômeno similar ao que ocorreu após a votação do Brexit no Reino Unido (que decidiu pela saída da União Europeia), os dados mostram que os jovens alemães se sentem atrelados aos problemas de seus pais e avós - e que seu futuro político foi determinado por uma geração mais velha.

Para ser justo, o verão foi um período turbulento para os alemães. Um confronto de alto escalão sobre migração quase derrubou o governo. O jogador de origem turca Mesut Özil decidiu se retirar da seleção da Alemanha após ser alvo de racismo por parte de membros da equipe e torcedores. O incidente levantou discussões mais amplas sobre o racismo cotidiano no país.

No fim de agosto, imagens de militantes de extrema direita protestando e "caçando estrangeiros" pelas ruas de Chemnitz, no Estado da Saxônia, chocaram o mundo, reabrindo o debate sobre até que ponto a Alemanha aprendeu com seu passado.

A sensação de crise foi reportada pela imprensa nacional. No fim de junho, logo após a seleção alemã não avançar para a segunda fase da Copa do Mundo, a revista Der Spiegel publicou uma reportagem intitulada: "Era uma vez um país forte" (Es war einmal ein starkes Land).

"A crise na política, na economia e no esporte é resultado da complacência", dizia um trecho da reportagem de capa da Der Spiegel. "Como conseguimos chegar a esse ponto?"

Vale acrescentar os pronunciamentos igualmente pessimistas sobre a onda de calor do verão e o que a mudança climática poderia significar para a Alemanha.

Os preços dos imóveis subiram 80% nas principais cidades alemãs desde 2009, diz relatório do Deutsche Bank

Mas o que está acontecendo exatamente? Embora essa onda pessimista possa parecer uma tempestade da imprensa em um copo d'água, dados de pesquisa e conversas com jovens alemães confirmam o fenômeno.

Para os jovens, grande parte do pessimismo vem do surgimento do partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha (AfD). Muitos acham que a sigla representa um colapso na forma como a Alemanha discute política.

Decepção com rumo da sociedade

Till Baaken tem 28 anos e trabalha em uma ONG em Berlim. Ele acredita que a crescente influência do populismo de extrema direita leva o debate na política e na imprensa nacional a ser dominado por novos temas - cada vez mais cheios de ódio.

Desde a ascensão da extrema direita, "me parece que todo discurso político é sobre migração, ódio e crime", diz ele. "Não é focado nos problemas reais que vamos ter ou que estamos enfrentando."

Em vez de se concentrar na migração, acrescenta Baaken, o governo deveria gastar mais tempo melhorando o sistema de saúde, investindo em educação e pensando em como garantir uma aposentadoria segura para a geração mais jovem.

Para Jule Löw, uma estudante de 24 anos que vive em Berlim, o que aconteceu em Chemnitz é um triste lembrete de que a Alemanha não aprendeu o suficiente com sua própria história.

"Quase toda a minha vida, pensei que diante de tudo que estudamos - o nacionalismo alemão e a história do último século - havíamos deixado para trás esse racismo e nacionalismo", diz ela. "E a realidade nos mostra outra coisa".

O que aconteceu em Chemnitz pode parecer um evento isolado, Löw acrescenta, mas é a prova de que eventos semelhantes podem ocorrer em qualquer lugar do país se o discurso não mudar.

"Na minha vizinhança, até agora isso não aconteceu", afirma. "Mas ainda assim, Chemnitz não está muito longe de onde estamos."

Incerteza sobre o futuro

Existe também o receio de que, apesar do atual cenário positivo, a Alemanha esteja à beira de sérios problemas financeiros e sociais. Em outras palavras, muitos jovens alemães podem sentir que estão em uma posição favorável, mas temem que, mais adiante, isso não se mantenha.

"Estamos indo bem, estou bem no momento. Mas, obviamente, se você olhar para daqui a cinco, dez anos, estaremos em uma espécie de encruzilhada... sobre como o país vai se desenvolver", diz Baaken.

"Acho que todo mundo está um pouco preocupado com o rumo que vamos tomar diante da ascensão do populismo de direita, e com o Estado não investindo o suficiente em educação e infraestrutura."

Comparado com seus pares em outros países europeus, as coisas vão aparentemente bem para os jovens alemães. A taxa de desemprego entre os jovens foi de 6,4% em 2017, muito abaixo de outros países da União Europeia, como a Itália ou a Grécia.

Mas há ainda um sentimento constante de que a geração mais velha não está dando a atenção devida a áreas que vão impactar os jovens.  Os preços dos imóveis subiram 80% nas principais cidades do país desde 2009, de acordo com um levantamento recente do Deutsche Bank. Os aluguéis também estão aumentando e há um déficit nacional de cerca de um milhão de moradias.

Ao mesmo tempo, um relatório da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) alertou que o rápido envelhecimento da população "desafiaria a sustentabilidade financeira do sistema público de previdência".

"As políticas que temos agora na Alemanha são mais para pessoas de meia-idade, os 'baby boomers', e não para a geração mais nova", avalia Aaron Hinze, de 24 anos, que trabalha na área de saúde em Berlim.   "Quando você olha para o futuro e se pergunta: 'Quem vai pagar minha aposentadoria quando eu estiver velho?' Ninguém."

Só porque os alemães são pessimistas em relação ao futuro, não quer dizer que quem está fora do país também seja tão cético. Em outros lugares da Europa e do mundo, a Alemanha continua sendo uma nação fértil para jovens em busca de oportunidades.

Ler na íntegra em...  https://www.bbc.com/portuguese/vert-cap-46089664

Jomarion sugere o file “Ele está de Volta” (Netflix)

Justiça dos EUA divulga acidentalmente processo secreto contra Assange, diz WikiLeaks

 

Segundo o site, divulgação foi erro de “copiar e colar” onde a promotora, montando outro processo, teria incluído partes do processo contra Assange por engano

 

O site WikiLeaks divulgou nesta sexta-feira (16/11) que seu fundador, Julian Assange, está sendo indiciado em um processo nos Estados Unidos.

Segundo o portal, promotores norte-americanos revelaram “acidentalmente” o processo que deveria “permanecer secreto” até a prisão ser efetuada para evitar que Assange “fuja ou evite a prisão ou a extradição”.

O WikiLeaks ainda aponta que a divulgação acidental foi um erro de “copiar e colar” onde a promotora, montando um outro processo, teria incluído partes do processo contra Assange por engano.

A natureza das acusações não ficam claras nos trechos divulgados. Segundo o jornal norte-americano The Washington Post, a promotora responsável, Kellen Dwyer, pediu a um juiz para manter o assunto em segredo “devido sofisticação do acusado e da publicidade ao redor do caso, é improvável que outro procedimento possa manter confidencial o fato de que Assange foi acusado”.

“Os Estados Unidos considerou alternativas menos drásticas do que deixar confidenciar, incluindo, por exemplo, a possibilidade de correções [na sentença] e determinou que nada seria suficiente para proteger a investigação”, diz o documento divulgado pelo WikiLeaks.

Julian Assange é responsável pelo vazamento massivo de informações das agências de inteligência do governo norte-americano em 2010.  O fundador do WikiLeaks vive em asilo diplomático desde 2012, quando se refugiou na embaixada do Equador em Londres para escapar de uma extradição para a Suécia, onde era acusado por “suposto” caso de abuso sexual. 

Lido em: https://operamundi.uol.com.br/politica-e-economia/54011/justica-dos-eua-divulga-acidentalmente-processo-secreto-contra-assange-diz-wikileaks

Snowden condena las supuestas acusaciones de la Justicia de EE.UU. contra Assange

 

La ONG “Freedom of the Press Foundation” advierte que cualquier cargo contra WikiLeaks por sus actividades de publicación supondría "una amenaza increíblemente peligrosa para la libertad de prensa".

Edward Snowden, el exempleado de la CIA y de la NSA que vive asilado en Rusia desde que en 2013 puso al descubierto el espionaje electrónico masivo de Washington, manifestó este viernes su apoyo al fundador de WikiLeaks, Julian Assange, después de que las autoridades de EE.UU. supuestamente revelaran "por accidente" la existencia de las acusaciones "bajo sello" (o borrador) contra el activista australiano.

Snowden alertó a través de su cuenta de Twitter del peligroso precedente para la libertad de prensa que podrían sentar los supuestos planes del Departamento de Justicia estadounidense de procesar al fundador de WikiLeaks.

You can despise Wikileaks and everything it stands for. You can think Assange is an evil spirit reanimated by Putin himself. But you cannot support the prosecution of a publisher for publishing without narrowing the basic rights every newspaper relies on. https://t.co/Hs5XH6Vmzz  - Edward Snowden (@Snowden) 16 ноября 2018 г.

Según el extécnico de la CIA, incluso si desprecias "a WikiLeaks y todo lo que representa [...] no puedes apoyar el procesamiento de un editor por publicar sin restringir los derechos básicos en los que se basa cada periódico".

"Si le niegas algo a tu enemigo, no es un derecho. ¿Qué defiendes?", agregó en otro tuit."Amenaza increíblemente peligrosa para la libertad de prensa"

Por su parte, la ONG Freedom of the Press Foundation, de cuya junta es miembro Snowden, también publicó una declaración en la que condena la posible acusación contra Assange. Trevor Timm, director ejecutivo de esta fundación, aseveró que "cualquier cargo presentado contra WikiLeaks por sus actividades de publicación representa una amenaza profunda e increíblemente peligrosa para la libertad de prensa".

Timm explicó que, "tanto si te gusta Assange como si lo odias", las teorías utilizadas en un posible procesamiento bajo la Ley de espionaje "podrían amenazar a innumerables reporteros" de The New York Times, Washington Post y otros muchos medios que informan "sobre los secretos del Gobierno todo el tiempo".  

  • WikiLeaks informó este viernes que el Departamento de Justicia de EE.UU. había revelado "por accidente" la existencia de las acusaciones "bajo sello" contra Assange.
  • Poco antes, The Wall Street Journal reportó, haciendo referencia a fuentes en Washington, que el Departamento de Justicia se prepara para enjuiciar a Assange y que aspira a hacerlo en un tribunal de EE.UU. 

Aunque el medio señaló que se desconocen los cargos exactos que el Departamento podría presentar contra Assange, sostuvo que "podrían implicar la Ley de Espionaje, que penaliza la divulgación de información relacionada con la defensa nacional".

Lido em: https://actualidad.rt.com/actualidad/296000-snowden-acusaciones-assange-libertad-prensa

Inacreditável... Bolsonaro nomeia um debilóide para representar o Brasil lá fora... (que vergonha)... veja abaixo...

Nomeação de novo chanceler faria sentido se vivêssemos na Idade Média, diz professor da UFABC

 

... com Bolsonaro e seu chanceler americanófilo, com a cumplicidade do governo de extrema-direita da Colômbia e de outros atores internacionais, o Brasil se tornará ainda mais vulnerável às pressões de Washington para derrubar o governo do presidente Nicolás Maduro...

... Ernesto Araújo é o que em inglês se chama de ‘freak’, ou seja, um sujeito extravagante, adepto de ideias bizarras, aberrantes" e sua nomeação é "uma piada de mau gosto e uma ofensa aos diplomatas do Itamaraty e à sociedade brasileira em geral...

EUA e Venezuela

Para o advogado internacionalista Dorival Guimarães, coordenador do curso de Direito do Ibmec de Minas Gerais, as ideias de Araújo parecem concordar com temas propostos por Bolsonaro durante campanha, como a aproximação com os Estados Unidos, críticas à Venezuela e a mudança da embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém.

Guimarães afirma que “há uma preocupação muito grande com relação à posição ideológica do diplomata indicado por Bolsonaro, justamente porque poderia indicar um alinhamento muito rápido, ou automático, com a política externa norte-americana. Isso porque Ernesto Araújo, que já viveu nos Estados Unidos, já manifestou em diversas vezes um apoio à política do governo Trump”.

“Segundo Araújo, Trump seria um líder de caráter mundial que representaria o ocidente na batalha contra extremismos religiosos, fazendo referencia tanto à questão do islamismo quanto, no âmbito político, no combate às iniciativas de esquerda”, destaca o advogado.

Guimarães também argumenta que uma aproximação contundente com Washington causaria “desconfortos” entre certas nações que possuem relações comerciais importantes com o Brasil, como a China.

“Essa aproximação mais intensa com os EUA pode representar uma mudança de percepção do Brasil por parte de outros países e parceiros econômicos do nosso país podem sinalizar certo desconforto com essa mudança. A China, por exemplo, nosso maior parceiro econômico, vê com certa desconfiança”, diz.

Na América do Sul, o advogado ressalta que os países vizinhos “podem temer que isso gere uma polarização e uma mudança de viés nas relações”, e espera que “o Brasil não perca o foco com seus parceiros do sul, dos BRICs e que possa manter um posicionamento de independência”.

“Se o caminho for esse [aproximação com os EUA], o Brasil intensificará as relações norte-sul, bilaterais, que são, é claro, um excepcional mercado consumidor, mas que, por outro lado, podem fazer com que o Brasil seja alinhado com o governo Trump. Existe sim essa preocupação”, conclui.

Com relação à Venezuela, Bolsonaro e seu chanceler dão indícios de que o Brasil assumirá a posição dos EUA no conflito.

Par o professor Fuser,  "com Bolsonaro e seu chanceler americanófilo, com a cumplicidade do governo de extrema-direita da Colômbia e de outros atores internacionais, o Brasil se tornará ainda mais vulnerável às pressões de Washington para derrubar o governo do presidente Nicolás Maduro".

"Os Estados Unidos estão dispostos a derramar até a última gota de sangue colombiano para pôr fim à Revolução Bolivariana e com o sangue brasileiro sua atitude não será diferente", afirma o especialista.

Itamaraty

Segundo matéria publicada pela Reuters, a nomeação de Araújo causou uma reação negativa no Itamaraty. Fontes ouvidas pela agência de notícias afirmaram que houve "quebra de hierarquia e desrespeito à instituição".

"Nunca um chefe de departamento, um cargo de terceiro escalão, foi alçado a chanceler", avalia uma das fontes destacando que o novo ministro seria um diplomata "júnior" para ocupar o cargo.

A reportagem ainda destaca a preocupação de diplomatas com os posicionamentos muito próximos aos EUA. "Aos olhos so mundo, a política externa brasileira passará a ser comandada por um discípulo do trumpismo", afirma uma das fontes.

Para Fuser, “Ernesto Araújo é o que em inglês se chama de ‘freak’, ou seja, um sujeito extravagante, adepto de ideias bizarras, aberrantes" e sua nomeação é "uma piada de mau gosto e uma ofensa aos diplomatas do Itamaraty e à sociedade brasileira em geral”.

Lucas Estanislau e Lucas Berti

Lido em: https://operamundi.uol.com.br/politica-e-economia/54015/nomeacao-de-novo-chanceler-faria-sentido-se-vivessemos-na-idade-media-diz-professor-da-ufabc

'A esquerda quer uma sociedade onde ninguém nasça, nenhum bebê, muito menos o menino Jesus' 

(???... dispara o novo chanceler)

Indicado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro, o novo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, afirma em texto que o aborto é uma 'bandeira levantada pela esquerda'.

Além disso, taxa a "esquerda globalista" de niilista e afirma que esta deve ser enfrentada no campo da metapolítica.

"Eles querem uma sociedade onde ninguém nasça, nenhum bebê, muito menos o menino Jesus. (???)

Pergunto inclusive se o sadismo abortista da esquerda não provém de uma pretensão niilista de, em cada bebê, estar matando o Cristo antes de nascer", escreveu o novo chanceler em seu blog. 

Araújo afirma ainda que "o antinatalismo e o antinacionalismo da esquerda se manifestam igualmente num antiteísmo que não é tanto a negação do divino, mas especificamente a negação do Deus da fé cristã e de Jesus Cristo".

Lido em: https://www.jb.com.br/pais/2018/11/957588-ernesto-araujo---a-esquerda-quer-uma-sociedade-onde-ninguem-nasca--nenhum-bebe--muito-menos-o-menino-jesus.html

Futuro chanceler (Ernesto Araújo) acusa PT de odiar o ser humano (k k k k k)

O futuro ministro das Relações Exteriores brasileiro, Ernesto Araújo, ao contrário de seus antecessores no Itamaraty, é defensor declarado de posições político-ideológicas (e religiosa) o que sinaliza um rompimento na tradição de neutralidade na condução da política internacional do país.

"Sou Ernesto Araújo. Tenho 28 anos de serviço público e sou também escritor. Quero ajudar o Brasil e o mundo a se libertarem da ideologia globalista. Globalismo é a globalização econômica que passou a ser pilotada pelo marxismo cultural(meu Deus... que disparate!).

Essencialmente é um sistema anti-humano e anti-cristão. A fé em Cristo significa, hoje, lutar contra o globalismo, cujo objetivo último é romper a conexão entre Deus e o homem, tornando o homem escravo e Deus irrelevante. O projeto metapolítico significa, essencialmente, abrir-se para a presença de Deus na política e na história.", escreve Araújo no texto de apresentação de seu blog, o "Metapolítica 17".

O diplomata é diretor do departamento de Estados Unidos, Canadá e Assuntos Interamericanos do Itamaraty e é declaradamente um admirador do presidente norte-americano, Donald Trump. "O presidente Donald Trump propõe uma visão do Ocidente não baseada no capitalismo e na democracia liberal, mas na recuperação do passado simbólico, da história e da cultura das nações ocidentais", defende.

Ele chama de "climatismo" uma suposta tática globalista para instilar o medo e obter mais poder. "Você aí, você vai destruir o planeta. Sua única opção é me entregar tudo, me entregar a condução de sua vida e do seu pensamento, sua liberdade e seus direitos individuais. Eu direi se você pode andar de carro, se você pode acender a luz, se você pode ter filhos, em quem você pode votar, o que pode ser ensinado nas escolas. Somente assim salvaremos o planeta. (Esta fala é da elite global neoliberal, illuminati, não é da “esquerda nem do PT”... santa ignorância).

Se você vier com questionamentos, com dados diferentes dos dados oficiais que eu controlo, eu te chamarei de 'climate denier' e te jogarei na masmorra intelectual. Valeu?", escreve Araújo.

O futuro ministro usa o blog para atacar a esquerda e o Partido dos Trabalhadores (PT) ... (Jomarion... os petistas - assim como as pessoas de bem -  são contra o Globalismo, as corporações e o capitalismo neoliberal que vem destruindo o planeta, matando os pobres e enriquecendo cada vez mais as elites), além de defender explicitamente a campanha de Jair Bolsonaro em alguns posts.

Ele acusa o PT de concentrar-se nas questões do aborto, de gênero, da laicidade, da 'racialização' da sociedade, da criminalização do desejo do homem pela mulher (Jomarion... de onde este idiota tirou isto?), a contestação do patriarcado e a diferenciação entre os sexos, a sexualização das crianças (este homen é um perfeito imbecil, quem quer a erotização de crianças é a indústria do entretenimento aliada as corporações e cabala escura reptiliana), demonização da defesa da família para defender que pessoas "não nasçam".

Araújo também vê o Brasil como "apenas um bom aluno na escola do globalismo" e atribui a essa postura uma suposta perda da grandiosidade do país. A aplicação dessa ideologia à diplomacia produz a obsessão em seguir os "regimes internacionais". Produz uma política externa em que não há " amor à pátria" mas apenas apego à "ordem internacional baseada em regras".

"Não há nada que o PT odeie tanto quanto a liberdade: liberdade econômica, liberdade de pensamento, liberdade de expressão. Isso porque o PT, fiel ao "belo ideal socialista", odeia o ser humano", segue o blog.

(Jomarion...se não fosse publicado no Jornal do Brasil, eu não acreditaria que estou lendo isto)

"Como você faz isso? Culpando. Criminalizando tudo o que é bom, espontâneo, natural e puro", defende, citando uma lista de assuntos que supostamente seriam alvo de criminalização, como o patriotismo, filmes da Disney, propriedade privada, fé em Deus, a carne vermelha (???), ar condicionado, amor aos filhos e justiça.

"A única coisa que o Projeto Totalitário [alusão a PT] não criminaliza é o próprio crime e os próprios criminosos. Ou seja, o PT criminaliza tudo,menos a si mesmo", conclui. "O ideal do PT (já expresso por alguns ecologistas radicais) é que a espécie humana não existisse", acusa Araújo.

O diplomata assume o Ministério das Relações Exteriores em janeiro do ano que vem e vai substituir ao atual titular da pasta, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB).

Lido em: https://www.jb.com.br/pais/2018/11/957588-ernesto-araujo---a-esquerda-quer-uma-sociedade-onde-ninguem-nasca--nenhum-bebe--muito-menos-o-menino-jesus.html

Jomarion... esta é uma fala de “ultra direita” ignorante, fundamentalista, sem cultura, sem contexto... de onde surgiu esta pessoa? Eu não aceito que ela me represente fora do Brasil, em nenhuma hipótese...  lamentável!

Diretor do Santander (banco estrangeiro da elite global) acaba de ser indicado para o Banco Central (Jomarion).

Roberto Campos Neto é indicado para assumir a presidência do BC

Roberto Campos Neto, diretor do banco Santander, será o novo presidente do Banco Central a partir de 2019, segundo informações do jornal Folha de S. Paulo. A ideia de Paulo Guedes, futuro ministro da Economia, era manter Ilan Goldfajn na presidência, mas o economista recusou a oferta de permanecer no cargo durante o governo Bolsonaro.

Segundo a reportagem, Goldfajn e Guedes conversaram após a eleição. Ambos concordam em aumentar a autonomia do BC e adotar mandatos fixos para presidentes e diretores. Atualmente, esses cargos são indicados pelo presidente e ministros e, com isso, sofrem mais ingerência política nas decisões do banco.

Com a negativa de Goldfajn, Guedes procurou outros nomes. Campos Neto aceitou o convite e ,a exemplo de seu avô, Roberto Campos, que atuou como ministro do Planejamento durante o governo de Castelo Branco, deve adotar medidas liberais.

Jomarion... O Santander (chamado de Satander) é um dos bancos que mais lucra e explora o Brasil e os brasileiros.Veja a matéria abaixo:

Conhecendo aqueles que nos exploram

Santander cobra “mais” dos brasileiros

Enquanto o Brasil vive a sua mais profunda recessão econômica, o oligopólio bancário que atua no Brasil (quatro famílias controlam 60% do mercado) proporcionou ao Santander um crescimento de 42% em 2017, não só por operações de crédito, mas, também, pelos ganhos em taxas e serviços que atingiram o inacreditável valor de R$ 3,8 bilhões.

O Banco Santander, controlado pela empresária espanhola Ana Botin, cobra em empréstimos, até 20 vezes mais de seus clientes brasileiros, quando comparado aos da clientela espanhola... por esse motivo, o Brasil foi o país que mais contribuiu para o lucro mundial do banco espanhol em 2017: foram R$ 10 bilhões, ou cerca de 2,5 bilhões de Euros, que representaram 26% dos ganhos do Santander em de seu lucro global do ano passado.

Enquanto o Brasil vive a sua mais profunda recessão econômica, o oligopólio bancário que atua no Brasil (quatro famílias controlam 60% do mercado) proporcionou ao Santander um crescimento de 42% em 2017, não só por operações de crédito, mas, também, pelos ganhos em taxas e serviços que atingiram o inacreditável valor de R$ 3,8 bilhões.  

Taxas que o cliente, muitas vezes, é obrigado a pagar, sem autorização. Debita-se na conta corrente e depois não tem a quem reclamar. As maiores reclamações no Procon são contra operadoras telefônicas e os bancos. E para desgosto do cliente, nem sempre adianta mudar de banco: como praticamente não existe concorrência, as tarifas são quase iguais entre os quatro maiores bancos do oligopólio. 

Economistas de tendência conservadora, atribuem as escorchantes taxas de juros cobradas pelos bancos, seja para empresas ou pessoas físicas no Brasil, ao alto endividamento do Estado brasileiro. Esta tese não se comprova. O Estado espanhol deve mais que o brasileiro e, nem por isso, empresas e cidadãos espanhóis pagam as taxas que o Santander cobra dos clientes brasileiros. 

Veja a comparação entre a dívida bruta do setor público brasileiro e a espanhola: 

PIB Brasil:  US$ 1,8 trilhão (fonte: FMI); endividamento público/PIB 76%, sendo que que o principal motivo deste índice foi o nível dos juros pagos pelo Tesouro nos últimos dez anos, em média, de 13% ao ano. 

PIB Espanha:  US$ 1,2 trilhão (fonte: FMI); endividamento público/PIB = 100%. A Espanha, mesmo pagando taxas de 2,5% ao ano deve o que o país produz em riquezas, o que motivou a crise de confiança no país que se juntou a Portugal e Grécia como países de alto risco financeiro, com risco de calote.

Os números mostram que o estado espanhol tem uma relação de endividamento/PIB, 30% maior que a do brasileiro e, nem por isso, as empresas espanholas e cidadãos pagam taxas de usura que se praticam no Brasil, principal inibidor do crescimento e do desenvolvimento da economia brasileira. Ao contrário, os ganhos dos bancos refletem o aumento da miséria do país que virou “paraíso dos rentistas”.

Mais ainda: ao contrário do Brasil, que possui cerca de US$ 375 bilhões em reservas, portanto com saldo positivo com relação ao que deve, a Espanha não teria caixa para saldar sua dívida externa, o que mostra fragilidade para todo o sistema bancário espanhol. 

A tese de que as taxas de juros no Brasil são as mais altas do mundo porque o governo é o maior tomador de recursos, não se comprova. Evidência disso é que o déficit fiscal primário do Estado brasileiro aumenta todos os meses, e as taxas de juros praticadas pelo governo Temer caem mensalmente e atingiram o seu menor patamar nos últimos 30 anos: 6,75% ao ano. E tudo indica que cairão em 21 de março para 6,50% na reunião do Copom. 

Mas ainda assim, como a inflação está abaixo de 3% (2,84% no acumulado de 12 meses em fevereiro), o governo do Brasil pratica a segunda taxa real de juros mais alta do mundo para financiar o seu déficit fiscal. Para deleite dos rentistas e bancos brasileiros. Não esquecendo dos fluxos internacionais que nos Estados Unidos e Europa recebem zero de juros, ou como na Alemanha que, ao invés de pagar, cobra dos clientes e poupadores para deixar o dinheiro dormir na conta. 

Hoje, um dos maiores problemas da economia mundial é o excesso de liquidez. Os países industrializados não sabem o que fazer com o estoque de recursos. E, o Brasil, com quase US$ 400 bilhões em caixa, não tem remuneração que ultrapasse 2% ao ano. Mas paga 6,75 % ao ano para financiar sua dívida interna. Em outras palavras, o governo brasileiro joga bilhões no lixo todos os meses somente na diferença entre o que recebe por suas reservas e o que paga para financiar a dívida.

Maus pagadores 

Outra tese para se tentar justificar as taxas de juros praticada pelo oligopólio bancário brasileiro e, neste caso, pelo Santander, seria a alta taxa de inadimplência da clientela brasileira, isto é, correntistas que deixam de pagar seus empréstimos. Novamente, a tese não se comprova. 

Veja a comparação da inadimplência: 

Santander Brasil: 4,5%; 

Santander Espanha: 4,7%. 

El País, o maior jornal da Espanha, destacou que o “lucro do Santander teve aumento de 42% no Brasil, alcançando 2,5 bilhões de euros (cerca de R$ 10 bilhões), o que sustentou 26% dos resultados de 6,6 bilhões de euros da rede em todo o mundo. Na Espanha, os lucros representaram apenas 15% dos ganhos da organização. A segunda filial mais lucrativa foi a do Reino Unido, com 1,5 bilhão de euros, ou 16% do total. 

Operação Zelotes 

Não satisfeito em ter no Brasil a maior rentabilidade de suas operações no mundo, o Santander ainda buscou, em anos recentes, formas não ortodoxas para aumentar seu lucro no país. O instrumento para alcançar esse objetivo é a mesma que originou a lava-jato e foi prática comum entre políticos e empresários brasileiros: a corrupção. 

Reginaldo Antonio Ribeiro, diretor de Planejamento Tributário do Santander, foi denunciado na Operação Zelotes por envolvimento num suposto esquema de corrupção na Receita Federal que teria beneficiado o banco espanhol em R$ 83 milhões em crédito tributários.

O Banco está envolvido em dois processos julgados de forma irregular pelo Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (CARF), do Ministério da Fazenda, em R$ 3,3 bilhões para cada um deles.

O Ministério Público e a Polícia Federal acusam o Santander de ter negociado decisões de membros da Receita Federal.

Por que brasileiros pagam e não reagem? 

O processo do oligopólio bancário no Brasil foi patrocinado e aprovado pelo Estado brasileiro, não importando quem estivesse à frente do governo, seja PSDB e PT, em ambos a concentração do setor foi permitida, e acentuada e concentrada durante os governos PT. 

A solidificação desse oligopólio, proporciona ao espanhol  Santander  a cobrança de taxas de juros que não se justificam sob a luz de qualquer teoria. A usura praticada é incompatível com a realidade de qualquer economia de mercado, e mais grave ainda, por se tratar de uma economia ainda em desenvolvimento como a brasileira. Cabe ainda mencionar que os lucros obtidos à custa do sacrifício das empresas e cidadãos do Brasil, é quase todo remetido à Espanha, onde são distribuídos entre os acionistas do banco. 

Qual o ganho para a sociedade brasileira de ter um banco estrangeiro neste oligopólio? 

Fora a permissividade do estado brasileiro, a Justiça tem sido de certa forma, a única barreira que impede que os bancos continuem a sufocar e a levar ao desespero milhões de famílias brasileiras que, ao serem convidadas a tomar crédito, seja por conta garantida, e/ou cartão de crédito, mal sabem, estão prontas para ficarem “enforcadas” pela força do banco. A Justiça brasileira, acertadamente, vem coibindo esta forma ilegal da usura em contratos de empréstimos.

Renegociação da divida – outra arapuca

Mesmo renegociando, os bancos continuam ganhando. E muito. Se você financiou R$ 1 mil no cartão de crédito e não conseguiu pagar, o Santander depois de três meses começa a enviar propostas de renegociação. Esse é o momento para o devedor pagar o justo. Saiba que o banco nunca perde: após 90 dias de inadimplência, o BC obriga que o empréstimo não pago seja registrado no balanço como prejuízo.

Assim, quando o banco te encaminha para que empresas de recuperação de crédito infernizem tua vida, saiba que o que você deve e for pagar, voltará como lucro ao banco, na reversão das provisões para devedores duvidosos. Levando em conta os juros de 13% ao mês, claro você não aguentou e teve de parar de pagar. Em alguns meses, você já pagou a dívida algumas vezes e ainda segue devendo.

O banco começa então a te cobrar R$ 1 mil, cerca de três vezes mais do que o cliente, na realidade deve (R$ 3 mil) para pagamento em até 60 parcelas. O devedor, considerando seu nome sujo, aceita, sem saber, na maioria das vezes, que está pagando quase 200% do que deve. E, com o acordo, o banco lucra integralmente, o que você vai pagar.

Empresas de cobrança fazem esse serviço “sujo” ganhando até 100% do valor devido. Em outras palavras, a agiotagem legalizada nunca perde um centavo.  Os bancos cobram o que querem, utilizando de sua força de oligopólio, porque os brasileiros, os trabalhadores e empresários não reagem.

Mas o mais grave é que as instituições do Estado, principalmente o Banco Central, não se movem para coibir a prática da usura do oligopólio bancário contra a economia brasileira. 

Fusão Itaú-Unibanco,  Bradesco compra HSBC,  Itaú compra Citibank,  Santander compra ABN-Amro,  Bradesco compra BBVA

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE), que deveria regular e impossibilitar a formação de cartéis no Brasil, foi o grande responsável, ao lado do Banco Central, pela formação do oligopólio bancário brasileiro. 

Fonte: https://www.jb.com.br/economia/noticias/2018/03/11/santander-cobra-1791-mais/

Jomarion lamenta: brasileiros estão engordando bancos da cabala escura e lembra que este banco mandou “recado” a seus clientes (no extrato mensal) para não votar na Dilma em 2014 e penso que todo brasileiro consciente deve ter conta bancária apenas no Banco do Brasil ou Caixa Federal.

 

A destruição do Mais Médicos

 

Ação estabanada e arrogante do presidente eleito obriga Cuba a retirar médicos do Brasil e pode deixar milhões sem atenção básica de saúde

 

O fim do Convênio entre o governo de Cuba e a Organização Panamericana de Saúde (OPAS), sob o qual era  garantida a participação dos médicos cubanos no “Programa Mais Médicos”, deve-se a declarações intempestivas do presidente eleito Jair Bolsonaro, que ignora  a dimensão diplomática que cerca a relação entre países. Em especial, ofende a exigência de respeito aos convênios legalmente firmados, bem como à civilidade necessária aos acordos  de cooperação entre nações.

O Convênio que está sendo extinto trata da cooperação tripartite – entre Brasil, OPAS e Cuba – na qual a OPAS garante ao Brasil, nos termos e nas condições previamente negociadas com Cuba, médicos com o objetivo de melhorar a cobertura da atenção básica de saúde à população brasileira. Para nossa gente mais humilde, a extinção do  programa será uma perda irreparável a curto e médio prazos. Criado durante o meu governo, ofereceu até 2016 atendimento médico a 63 milhões de brasileiros e brasileiras, muitos dos quais jamais haviam tido acesso a um profissional de saúde. Na verdade, 700 municípios do país não tinham um médico sequer para atender à população local.

As consequências do rompimento estabanado dos termos do convênio, em reiteradas manifestações pelo twitter do futuro presidente do País, são gravíssimas. Dezenas de milhões de brasileiros deverão ficar sem os cuidados básicos na área de saúde, em todo o território nacional.

A  decisão do presidente eleito foi unilateral e desrespeitosa, ao criticar por twitter os termos do convênio assinado no meu governo, e renovado, sem modificações, até pelo governo Temer. Dispensaram, por absoluta soberba, as posturas diplomáticas requeridas na relação entre países. O grave é, portanto,  que  tudo isso ocorreu  sem consulta aos signatários do acordo – a OPAS e o ministério da Saúde de Cuba. As manifestações levianas e autoritárias podem mesmo afastar também médicos de outros países que participam minoritariamente do Programa Mais Médicos.

Numa agressiva demonstração de indiferença às cláusulas estabelecidas sob a supervisão da OPAS, o presidente eleito anunciou que vai impor aos participantes estrangeiros do Mais Médicos contratos individuais, realização de exames de teste de conhecimento e validação de diplomas, pagamento direto, desconsiderando a garantia de salário integral dada aos médicos pelo governo cubano. Parecia desconhecer que, pelo convênio, a OPAS, instituição supranacional, contratava os médicos coletivamente junto ao ministério cubano e garantia sua qualificação junto ao Ministério de Saúde de Cuba. Sem dúvida, a exigência de submeter os médicos estrangeiros a um exame no Brasil só poderia ser vista como um gesto depreciativo, xenófobo  e arrogante, cometido contra os profissionais de saúde de países estrangeiros. Mesmo porque o Ministério da Saúde e o Ministério da Educação supervisionavam o trabalho de todos os médicos e faziam avaliações de desempenho.

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Minas Gerais, por solicitação do meu governo, mostrou que 95% da população aprovava o trabalho dos médicos que integram o programa, sem distinção de nacionalidade, e 90% dos usuários deram nota de 8 a 10 ao Mais Médicos.

Em abril de 2016, o programa tinha 18.240 médicos, a maioria oriundos de Cuba, graças ao convênio entre o governo brasileiro e a OPAS. Os médicos cubanos foram essenciais para preencher as vagas do programa. Logo na chamada inicial, os médicos brasileiros não se candidataram em número suficiente; depois, abriu-se o programa para médicos da América Latina; e, finalmente, como ainda não haviam sido ocupadas sequer metade das vagas, firmou-se com a OPAS um convênio para a convocação de médicos cubanos, porque Cuba é um dos países do mundo que tem a mais alta relação entre médicos e população – 6,7 profissionais para cada grupo de 1.000 habitantes – e uma reconhecida experiência e competência em cooperação internacional na área de saúde.

Lembremos que em 2013 o Brasil possuía apenas 1,8 médicos por mil habitantes.  Menos que o México, o Uruguai e a Argentina. No  ritmo de formação universitária existente naquele ano, a  meta de chegar a 2,7 médicos por mil habitantes só seria alcançada em 2035. Essa foi a razão pela qual o programa Mais Médicos, além de espalhar profissionais pelas periferias das grandes cidades, pelos departamentos de saúde indígenas, pelo interior do país e pelos pequenos municípios, previa a criação de novas faculdades de medicina. Infelizmente, esta iniciativa  foi suspensa pelo governo golpista de Temer.

O gesto depreciativo de Bolsonaro contra os médicos cubanos e demais médicos estrangeiros em atividade no programa é um atentado contra a população brasileira, que vai deixar de ter acesso a valorosos e competentes profissionais na atenção básica à população mais pobre de nosso Brasil. É, ainda, uma atitude autoritária, que revela despreparo, porque rompe unilateralmente um convênio assinado com uma organização de saúde respeitada e credenciada internacionalmente. E, por fim, demonstra que o presidente eleito não tem noção do que significa cooperação internacional na área de saúde, colocando seus preconceitos à frente do interesse da população e  rompendo, por Twitter, convênio cuidadosamente negociado entre países e uma organização multilateral.

A população brasileira foi beneficiada pela generosa competência dos médicos cubanos, a quem o governo do Brasil devia reconhecer sua fraterna solidariedade.  A eles rendo minha homenagem e meu agradecimento. O trabalho destes profissionais dedicados e generosos fará falta aos brasileiros.

Por Dilma Roussef

Lido em:  https://operamundi.uol.com.br/analise/54000/a-destruicao-do-mais-medicos-leia-no-artigo-de-dilma-rousseff

Como as 'fake news' no WhatsApp levaram um povoado a linchar e queimar dois homens inocentes

 

Boatos sobre sequestros de crianças se espalharam pelo WhatsApp em uma pequena cidade no México. A notícia era falsa, mas uma multidão espancou e queimou vivos dois homens antes de alguém checar sua veracidade.

Em 29 de agosto, pouco depois do meio-dia, Maura Cordero, dona de uma loja de artesanato na pequena cidade de Acatlán, no estado de Puebla, no México, reparou que havia uma aglomeração incomum em frente à delegacia, próxima a seu estabelecimento.

Cordero, de 75 anos, foi até a porta da loja para espiar. Dezenas de pessoas estavam do lado de fora da delegacia na rua principal da cidade, e não parava de chegar gente. Logo, haveria mais de cem pessoas. Cordero não se lembrava de ter visto uma aglomeração assim em Acatlán, a não ser em ocasiões festivas.

Enquanto observava, um carro da polícia passou pela loja levando dois homens. Alguns moradores seguiam o veículo, enquanto gritos ecoavam da multidão acusando os dois de serem sequestradores de crianças.  De trás do estreito portão de metal na entrada da delegacia, a polícia respondeu que eles não eram sequestradores, mas delinquentes. "Eles são pequenos infratores", repetiam os policiais, à medida que a multidão aumentava.

Dentro da delegacia, estavam Ricardo Flores, de 21 anos, que havia sido criado nos arredores de Acatlán, mas se mudou para Xalapa, a 250 quilômetros a nordeste, para estudar direito, e seu tio Alberto Flores, agricultor de 43 anos que viveu por décadas em uma pequena comunidade nas cercanias de Acatlán.

Início da tragédia

Ricardo havia retornado recentemente à cidade para visitar a família. Os parentes contam que ele e o tio foram ao centro naquele dia comprar material de construção para concluir uma obra em um poço. E a polícia diz que não há provas de que eles tenham cometido qualquer crime e que foram levados para a delegacia por "perturbar a paz" após terem sido abordados por moradores locais.

Mas a multidão do lado de fora da delegacia estava sob efeito de uma versão diferente dos fatos, uma história suscitada em algum lugar desconhecido e propagada pelo WhatsApp.  "Por favor, estejam todos atentos porque uma praga de sequestradores de crianças entrou no país", dizia a mensagem compartilhada.  "Parece que esses criminosos estão envolvidos com o tráfico de órgãos. Nos últimos dias, crianças de quatro, oito e 14 anos desapareceram e algumas foram encontradas mortas com sinais de que seus órgãos foram removidos."

Avistados perto de uma escola primária em uma comunidade próxima chamada San Vicente Boqueron, Ricardo e Alberto foram rotulados como sequestradores de crianças pelo medo coletivo, e a notícia da prisão deles se espalhou exatamente da mesma forma que os boatos das crianças sequestradas.

A multidão que estava na porta da delegacia foi instigada em parte por Francisco Martinez, um antigo morador de Acatlán, conhecido como "El Tecuanito". Segundo a polícia, Martinez estava entre aqueles que compartilharam mensagens no Facebook e no Whatsapp acusando Ricardo e Alberto. Fora da delegacia, ele usou o celular para fazer uma transmissão ao vivo pelo Facebook.

"Povo de Acatlán de Osorio, Puebla, por favor, venha dar seu apoio, mostre seu apoio", dizia ele para a câmera. "Acreditem em mim, os sequestradores estão aqui agora."

Enquanto Martinez tentava mobilizar a cidade, outro homem, identificado pela polícia apenas como Manuel, subiu no telhado do prédio da prefeitura, ao lado da delegacia, e tocou os sinos para alertar os moradores de que a polícia planejava libertar Ricardo e Alberto.  Um terceiro homem, Petronilo Castelan, "El Paisa", usou um alto-falante para pedir aos moradores uma contribuição para comprar gasolina com o objetivo de atear fogo nos dois homens, e caminhou no meio da multidão para coletar o dinheiro.

Linchamento filmado por celulares

De dentro da loja, Maura Cordero observava assustada, até que ouviu alguém dizer que deveria correr porque a multidão incendiaria os homens. "Meu Deus", ela pensou, "isso não é possível".

Momentos depois, o grupo se uniu em torno de um único objetivo. O estreito portão da entrada da delegacia se abriu, e Ricardo e Alberto foram arrastados para fora. Enquanto as pessoas levantavam seus telefones para filmar, os dois foram jogados nos degraus de pedra e espancados violentamente. Em seguida, a gasolina comprada mais cedo foi derramada sobre eles.

Testemunhas acreditam que Ricardo já estava morto por causa da agressão, mas seu tio Alberto ainda estava vivo quando o fogo foi aceso. Imagens de vídeo mostram seus membros se movendo lentamente enquanto as labaredas subiam ao seu redor.

Os corpos carbonizados permaneceram no local por duas horas após serem queimados, enquanto os promotores públicos se dirigiram para Acatlán, e o cheiro de gasolina continuou no ar. Petra Elia Garcia, avó de Ricardo, foi chamada para identificar os corpos. "Olhem o que vocês fizeram com eles!", gritou para o resto da multidão, que começara a se dispersar.

"Foi uma das coisas mais terríveis que já aconteceram em Acatlán", disse Carlos Fuentes, motorista que trabalha em um ponto de táxi perto da delegacia. "As colunas de fumaça podiam ser vistas de todos os pontos da cidade."

Desespero no Facebook

Em 29 de agosto, Maria recebeu uma série de mensagens no Facebook que pareciam um pesadelo. Um amigo próximo em Acatlán contou que Ricardo tinha sido preso por suspeita de sequestrar crianças. Foi um mal entendido, ela pensou. Ricardo nunca estaria envolvido com algo assim. Mas as mensagens continuavam chegando. De repente, apareceu um link para uma transmissão ao vivo no Facebook, e quando ela clicou, se deparou com a aglomeração - e seu filho e cunhado sendo espancados.

Em vão, ela postou um comentário. "Por favor, não machuquem eles, não os matem, eles não são sequestradores de crianças", recorda-se de ter escrito. Mas a mensagem não surtiu efeito, e ela observou horrorizada os dois serem encharcados de gasolina. A mesma tecnologia que permitiu a um homem em Acatlán mobilizar uma multidão para matar seu filho, permitiu que ela o visse morrer.

Naquele mesmo dia, Maria, Jose Guadalupe e Kimberley voltaram a Acatlán pela primeira vez em mais de uma década. Lá eles conheceram Jazmin Sanchez, viúva de Alberto, que também assistiu à tragédia pelo Facebook.

Durante décadas, Jazmin e Alberto viveram a apenas 14 quilômetros de Acatlán, em Xayacatlan de Bravo. Todos os dias, Alberto ia trabalhar nos campos de milho na terra que comprara na vizinha Tianguistengo.

Quando morreu, deixou para trás uma casa pequena em construção na propriedade, assim como a esposa e três filhas para quem estava construindo a moradia.

"Ele era um homem bom, não merecia morrer dessa forma", disse Jazmin, segurando um boné, um cinto e uma carteira que pertenciam ao marido.  "Ninguém quer falar sobre isso", disse Fuentes, um taxista. "E as pessoas que estavam diretamente envolvidas já foram embora."

De acordo com as autoridades, cinco pessoas foram acusadas de incitação ao crime e outras quatro de assassinato. Martinez, que transmitiu o evento ao vivo no Facebook, Castelan, que pediu dinheiro para gasolina, e o homem identificado como Manuel, que tocou os sinos, estavam entre os cinco. Mas os outros dois supostos incitadores e os quatro acusados ​​de assassinato estavam foragidos, segundo a polícia.

No dia seguinte à morte de Ricardo e Alberto, seus corpos foram velados em Acatlán. Maria acredita que havia testemunhas do crime entre os presentes na missa.  "Vejam como vocês mataram eles! Vocês todos têm filhos! Eu quero justiça para os meus entes queridos!", gritou enquanto as lágrimas rolavam e as câmeras das redes de televisão locais e nacionais filmavam.

Agora, a família vive com medo em Acatlán, diz Maria. Eles têm receio até de ir ao mercado. "Perdi meu neto que era como meu filho", disse a avó de Ricardo. "Eles os acusaram de serem criminosos, sem provas".  Maria ainda não consegue entender por que a multidão foi levada por uma mentira. "Por que eles não checaram? Nenhuma criança foi sequestrada, ninguém apresentou uma queixa formal. Foi uma notícia falsa", afirmou.

Onda de violência causada por boatos

As mortes de Ricardo e Alberto Flores no México não são casos isolados. Boatos e notícias falsas no Facebook e no WhatsApp fomentaram episódios de violência com morte na Índia, em Myanmar e no Sri Lanka, para citar apenas três. Na Índia, como no México, o WhatsApp ressuscitou rumores antigos sobre sequestros, permitindo que se espalhassem mais rápido - e com menos responsabilidade.

O WhatsApp, que foi comprado pelo Facebook por US$ 19 bilhões em 2014, tem sido associado a uma onda de linchamentos em toda a Índia, muitas vezes alimentada por histórias falsas de crianças sequestradas. No Estado de Assam, em junho, Abhijit Nath e Nilotpal Das foram espancados até a morte por um grupo de 200 pessoas, em um incidente assustadoramente semelhante ao de Acatlán.

Tanto o WhatsApp quanto o Facebook são amplamente utilizados para o consumo de notícias no México, segundo consta em um relatório de 2018 do Instituto Reuters para o Estudo do Jornalismo. De acordo com o levantamento, 63% dos usuários de internet no México dizem que estão muito preocupados ou extremamente preocupados com a disseminação de notícias falsas.

"As plataformas digitais servem como veículos instantâneos para canalizar o melhor e o pior de nós, incluindo nossos medos e preconceitos", disse Manuel Guerrero, diretor da Escola de Comunicação da Universidade Iberoamericana do México. "E isso fica mais evidente na ausência de autoridades efetivas que possam garantir nossa segurança", completou.

Em 30 de agosto, no dia seguinte ao que Ricardo e Alberto foram mortos em Acatlán, moradores da cidade de San Martin Tilcajete, no sul de Oaxaca, tentaram linchar um grupo de sete pintores de casas, falsamente acusados ​​de serem sequestradores infantis. Naquele dia, os policiais conseguiram resgatar as vítimas.

Mas no mesmo dia, em Tula, no Estado de Hidalgo, a cena assustadora de Acatlán se repetiu, quando dois homens inocentes acusados ​​de raptar crianças foram espancados e queimados até a morte.

No Equador, em 16 de outubro, dois homens e uma mulher presos por suspeita de roubar 200 dólares foram mortos por uma multidão após serem falsamente acusados em boatos que circularam pelo Whatsapp de sequestrar crianças. E em 26 de outubro, em Bogotá, na Colômbia, um grupo matou um homem pelo mesmo motivo.

Como as mensagens do WhatsApp são criptografadas, é impossível rastrear a origem de qualquer conteúdo compartilhado no aplicativo. A empresa se recusou a atender aos pedidos do governo indiano em julho para quebrar a criptografia e permitir que as autoridades rastreassem as mensagens.

"Acreditamos que, de cada dez crimes, a tecnologia é usada em nove", diz Jose Gil, vice-ministro de Informações e Inteligência Cibernética da Cidade do México.

"As redes sociais podem realmente afetar uma comunidade por meio da disseminação de informações falsas que muitos de nós percebem como verdadeiras, porque são enviadas por pessoas em quem confiamos", completa. "A sociedade precisa realmente avaliar o que é verdadeiro e o que é falso, e decidir o que é confiável e o que não é."

Ler na integra em... https://www.bbc.com/portuguese/salasocial-46206104

14.11.18

Cabala consegue impedir conversa entre Trump e Putin em Paris

Presidente russo qualifica de 'boa' sua conversa com Trump em Paris (Sputnik)

 

(Jomarion... Macron, presidente francês, maçom e vassalo da cabala, impede que Trump e Putin conversem em Paris)

Hoje (11), os dois líderes participaram dos eventos comemorativos do 100º aniversário do armistício na Primeira Guerra Mundial, que estão decorrendo em Paris. A esperada conversa entre os políticos aconteceu, mas, pelo visto, foi curta.

Ao deixar o Palácio do Eliseu após o lanche oferecido pelo presidente Macron para os líderes mundiais, o líder russo respondeu que conseguiu falar com seu homólogo estadunidense, porém, não deu nenhuns detalhes, além de chamar a conversa de "boa".

Entretanto, se esperava que a comunicação entre os dois presidentes fosse mais consistente. Uma das razões pelas quais acabou sendo breve teria sido a posição dos assentos durante o lanche oferecido pelo presidente Macron. Inicialmente, se pensava que os dois presidentes estariam sentados lado a lado, mas, no último momento, se soube que os políticos ficaram um de cada lado da mesa, ou seja, sem possibilidade de falar.

"É verdade. O Palácio do Eliseu mudou a posição dos líderes à mesa antes do início do lanche. Na versão final, o presidente russo Vladimir Putin e norte-americano Donald Trump estavam sentados um em frente do outro e não tiveram oportunidade de falar em detalhe", disse à Sputnik uma fonte que faz parte da delegação russa.

Porém, Trump e Putin disseram um ao outro "até breve" ao se despedirem, comunicou o porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov. Planeja-se que eles se encontrem no fim do mês corrente em Buenos Aires, na cúpula do grupo G20, para ter um diálogo mais consistente às portas fechadas.

Lido em: https://br.sputniknews.com/europa/2018111112650100-trump-putin-paris-encontro-conversa/

11.11.18

Sementes das Estrelas - Informativo Imediato - 10.11.2018

 

(Cabala tenta atrapalhar o encontro Putin-Trump amanhã (11:11) em Paris)

Hoje pela manhã, drones israelenses tentaram perfurar oleodutos na Rússia. Foram abatidos por lasers dirigidos pela própria Rússia. Como eles entraram no espaço aéreo russo, eu não sei. Não sei também se foi uma estratégia russa de alguma maneira (atraindo-os para abate), mas entraram e foram abatidos. O que isso importa? Qual é a relevância dessa informação? Sabe-se que o Presidente Russo Putin se encontrará com Donald Trump em Paris e isso, por si só, já é uma tremenda afronta às forças negativas atuantes em Israel, e isso pode ter sido uma simples tentativa de intimidação. Outra coisa é que, tentem quanto tentem, os movimentos de intimidações não surtirão mais tanto efeito como no passado. O Presidente Putin recebeu informações diretas dos Pleiadianos e as repassou para Trump que, por sua vez, terá a oportunidade de continuar revendo algumas situações pessoais e políticas. 
A alta hierarquia, com alguns membros chamados de “Os Guardiões” solicitam que meditações especiais em todo o mundo aconteçam amanhã. Isso fortalecerá as intenções positivas em todo o Planeta e deixará as forças escuras, cada vez mais, sem cartas na manga. Enviem suas melhores intenções de Amor para todos aqueles que lhes pareçam ameaçadores. Ninguém resiste ao Amor, por mais duro que seja. 
Os Pleiadianos continuam tentando contatar pessoas que estejam com os corações abertos para que sejam retransmissores de códigos sagrados. O que fazer? Basta desejar e manter-se em amorosidade.
Gabriel RL (Sementes das Estrelas)

Lido em: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/11/informativo-imediato-10112018.html

10.11.18

COBRA - "ATUALIZAÇÃO EXTRAORDINÁRIA" - 09.11.2018

 

COBRA – COmpression & BReAkthrough (Compressão e Ruptura).

*em 11 de Novembro, um portal muito importante será aberto com muita atividade da Frota Pleiadiana.
No mesmo dia, em Paris, haverá uma reunião de Putin com Trump e presença de membros da Aliança de superfície e agentes da Resistência. Certas negociações secretas sobre o futuro do planeta acontecerão lá*

O Plano da “Opção Delta” desencadeou muitas, diferentes e fortes respostas e, portanto, necessita de um pouco de esclarecimento.
https://spearoflight.blogspot.com/2018/11/personal-thought-operation-delta.html

Primeiramente, devo esclarecer que o plano geral para o Evento permanece o mesmo. A Opção Delta abrange, apenas, determinados aspectos das operações pré-Evento.
Em segundo lugar, é que o principal objetivo das Forças de Luz é minimizar o sofrimento no planeta e diminuir o nível de violência.

Desta forma, o plano da Opção Delta será ativado – APENAS – como um último recurso, quando todas as outras opções mais pacíficas tiverem falhado A possibilidade disso acontecer varia de momento a momento. A Resistência estima que a probabilidade da Opção Delta venha a diminuir a longo prazo, na medida em que a situação se estabiliza.
Nos últimos dias, houve muita atividade nos bastidores e, em que este artigo no link abaixo, retrata de maneira parcialmente correta:
https://stillnessinthestorm.com/2018/11/corey-goode-alliance-update-new-phase-of-operations-preparations-underway-secret-grand-juries/

Até agora, desde o início dos anos 2000, a Resistência nunca esteve tão ativa na superfície.
Numa nota muito positiva, recebi de uma fonte muito alta e confiável, certas e impressionantes informações sobre o nível das ações que não recebia desde o ano 2000.

Posso apenas dizer que o futuro maravilhoso pelo qual estamos lutando é real e acontecerá. Replicadores, energia livre, viagens interestelares, a Idade Dourada, tudo isso está nos esperando. Todo ano, trilhões e trilhões de dólares são gastos pela Cabala para nos dar a impressão de que nada mudou e nada mudará. Quando este show de Truman se desfizer, todos vocês ficarão maravilhados.

Até então, em vez de cair num buraco negro de desespero e passividade, usem o livro abaixo como uma ferramenta para passar por uma transformação interior e experimentarem uma vida melhor:
https://www.amazon.com/Living-Joy-Personal-Spiritual-Transformation/dp/0915811030

Precisam entender que, se quiserem melhorar suas vidas, precisam fazer 80% do trabalho sozinhos para que as Forças da Luz possam ajudá-los com os 20% restantes.

DIA 11:11

Em 11 de Novembro, um portal muito importante será aberto com muita atividade da Frota Pleiadiana.
No mesmo dia, em Paris, haverá uma reunião de Putin com Trump e presença de membros da Aliança de superfície e agentes da Resistência. Certas negociações secretas sobre o futuro do planeta acontecerão lá:

https://www.theguardian.com/us-news/2018/nov/09/trump-paris-macron-peace-forum

Haverão meditações em massa, organizadas por vários grupos, nesse dia (11:11), aquele que se sentir orientado poderá se juntar a elas que são as seguintes:
https://pfcleadership.org/blog/2018/11/04/unity-in-the-community-on-11-11-lets-make-it-happen-with-the-corey-goode-and-cobra-teams/
https://gatewaytovictory.wordpress.com/the-111111-liberation-of-humanity-meditation-event/ 
https://www.pleiadianhealingcenter.com/blog/2018/11/4/the-11-11-portal-lets-celebrate

As Forças da Luz comunicaram que uma meditação em massa focada em trazer a Luz para as negociações em Paris no dia 11 de Novembro, seria muito bem-vinda, já que decisões importantes para o futuro do planeta serão tomadas lá.
Vitória da Luz!  COBRA

Lido em: https://www.sementesdasestrelas.com.br/2018/11/cobra-atualizacao-da-situacao.html

9.11.18

Impérios contra-atacam: Rússia, Índia e China abandonam o dólar

A Índia anunciou que pagará o fornecimento de sistemas antimísseis russos S-400 em rublos, enquanto a China pretende até o final desse ano fazer acordos bilaterais em moedas nacionais, afirmaram políticos russos.

O contrato de entrega dos sistemas russos S-400 a Nova Deli foi fechado no dia 5 de outubro e estimado em US$ 5 bilhões (R$ 18,6 bilhões).

O maior benefício das transações em moedas nacionais é a ausência de flutuações cambiais. Um problema igualmente importante no comércio envolvendo dólares americanos é a alta probabilidade de sanções, que Washington "distribui" este ano em todas as direções.

Em abril, a mídia indiana informou que as instituições financeiras de Deli congelaram cerca de dois bilhões de dólares alocados para pagar por projetos importantes, incluindo a reconstrução do submarino nuclear russo INS Chakra. A razão disso foi que Washington incluiu a estatal russa responsável pela exportação de armamentos Rosoboronexport na lista de sanções, o que, para as instituições bancárias, praticamente significa a proibição de quaisquer transações na moeda norte-americana.

Mesmo com as restrições americanas, a Índia optou por manter relações com o parceiro mais confiável no campo da cooperação técnico-militar e fornecimento de armas, ou seja, a Rússia.  De acordo com o Instituto Mundial de Pesquisa da Paz de Estocolmo (SIPRI, na sigla em inglês), de 2007 a 2017, Moscou forneceu armas a Nova Deli no valor de US$ 24,5 bilhões (R$ 91 bilhões), enquanto Washington — apenas US$ 3,1 bilhões (R$ 11,5 bilhões).

As negociações russo-indianas não envolvem apenas o fornecimento de armamento, mas também de produtos de natureza civil.  "A parcela dos pagamentos em rublos na exportação é de 20%, enquanto nas importações é cerca de 21%", disse o vice-primeiro-ministro russo Yuri Borisov, adicionando que Moscou vai aumentar "os pagamentos em moedas nacionais como meio de resolver o problema de inadimplência".

Já o diretor do banco russo Vnesheconombank (VEB), Igor Shuvalov, declarou que a Rússia e a China têm seus próprios canais de interação e que Pequim mostra muito interesse em utilizá-los.  O banqueiro salientou que nas próximas semanas ocorrerão consultas bilaterais, durante as quais se decidirá como será a interação entre as instituições financeiras de ambos os países.

A Rússia e a China estão cada vez mais cancelando os contratos em dólares, frente ao grande crescimento de suas trocas comerciais. Somente no ano passado, o comércio entre Moscou e Washington foi de US$ 23,6 bilhões (R$ 88 bilhões), ao passo que entre a Rússia e a China foi de US$ 84,9 bilhões (R$ 316 bilhões), uma diferença de quase 360%.

As três maiores nações em desenvolvimento, ou seja, Rússia, China e Índia, mostraram ao mundo como se livrar da dependência do dólar. O comércio bilateral em moedas nacionais destes países abre perspectivas para outras economias em crescimento, para que sejam capazes de se livrar da hegemonia do dólar.

Lido em: https://br.sputniknews.com/economia/2018110812625841-imperios-contra-atacam-russia-india-china-abandonam-dolar/

8.11.18

Previdência militar: aposentados quarentões, filhas com pensões

 

Em 2016, das 188 mil pensões pagas na Previdência dos militares, 110 mil foram para filhas... Cada filha embolsou em média 5 mil reais por mês... Recorde-se que no INSS o pagamento de 1,4 mil mensais para quem foi trabalhador ou deixou benefício para dependente.

O presidente eleito Jair Bolsonaro deve se reunir na quarta-feira 7 com o homem que lhe passará a faixa. É possível que peça a Michel Temer para o governo tentar